Crise eliminou 800 mil empregos no Paraná, segundo IBGE | Fábio Campana

Crise eliminou 800 mil empregos no Paraná, segundo IBGE

De Helio Miguel no O Estado do Paraná

O Paraná fechou o ano de 2008 como o Estado com o quinto maior número de empresas e de pessoal ocupado no País, mas com média salarial abaixo da nacional, conforme dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes ao Cadastro Central de Empresas (Cempre). No ano em que a crise explodiu no Brasil, o Paraná tinha 376,3 mil empresas e 2,9 milhões de trabalhadores, que receberam, em média, o equivalente a 3,1 salários mínimos por mês. A massa salarial paga no ano chegou a R$ 38,6 bilhões.

Os números também mostraram que, do pessoal ocupado, 2,4 milhões de pessoas eram empregadas formais ou ao menos trabalhavam dentro das empresas, com algum outro tipo de vínculo. Já o País encerrou 2008 com 4,6 milhões de empresas e outras organizações ativas, que juntas empregaram 44,6 milhões de pessoas, sendo 38,4 milhões empregadas formais. A remuneração média ficou em 3,4 salários mínimos mensais.

No âmbito nacional é possível verificar o impacto da crise nas empresas e no emprego, em 2008 (não foram fornececidos dados estaduais de anos anteriores). Segundo a pesquisa, de 2006 para 2007 foram gerados 2,7 milhões de empregos nas empresas pesquisadas, com alta de 9% no período. Já no ano de referência da pesquisa (2008) a geração foi de 1,9 milhão de vagas, com aumento de 5,7% ante o ano anterior.
De acordo com os dados do IBGE, a indústria e o comércio foram os setores com os melhores números, no Paraná, em 2008. O número de trabalhadores nas quase 175.971 empresas comerciais do Estado chegou a 749.444, contra 661.743 pessoas ocupadas nas 38.831 indústrias. O segmento industrial, porém, pagou mais e melhor que o comercial: foram, respectivamente, R$ 9,1 bilhões em salários e 2,9 salários mínimos, em média, contra R$ 5,56 bilhões e 2,1 salários mínimos.

Capitais

O IBGE também apontou os dados das capitais dos estados brasileiros. Se o Paraná teve números inferiores aos do Rio Grande do Sul, Curitiba, por sua vez, superou Porto Alegre e ficou entre os quatro municípios com os melhores números. A capital paranaense fechou 2008 com 91.691 empresas ativas, que pagaram quase R$ 17 bilhões a 892.509 trabalhadores ocupados. A média das remunerações ficou em 4,2 salários mínimos.

Em Curitiba, o maior número de empresas, em 2008, estavam no ramo do comércio (37.648). O setor empregou 191.216 pessoas, pagando a elas R$ 1,825 bilhões. A média dos pagamentos ficou em 2,5 salários mínimos. A maior massa salarial, no entanto, ficou com a administração pública. Os 117 órgãos ou empresas do setor pagaram R$ 4,215 bilhões em salários a 92.010 empregados. Cada um recebeu, em média, 8,9 salários mínimos mensais.


Um comentário

  1. HJ PARANAGUÁ
    domingo, 30 de maio de 2010 – 17:33 hs

    É CLARO TINHAMOS REQUEIJAO COMO GOVERNADOR, OU SEJA, MELHOR GOVERNADOR DE SANTA CATARINA JA TEVE. TEMOS Q EXTIRPAR ESTE CARA DO PARANÁ.

    SERRA
    BETO
    FRANCISCHINI

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*