Cidade que não cumprir cronograma de obras será excluída da Copa | Fábio Campana

Cidade que não cumprir cronograma de obras será excluída da Copa

Bernardo acredita que com apenas seis cidades-sede já seja possível realizar o Mundial

Da Agência Brasil

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, afirmou que as cidades que não cumprirem o cronograma de obras poderão ser excluídas da Copa de 2014.

“Já ouvi dirigentes de clubes [donos de estádios], que têm responsabilidades, dizendo que não vão fazer a reforma. Tudo bem. Nós vamos ter de arrumar outro estádio. Imagino que, com seis cidades-sede, já é possível realizar o Mundial”, disse Paulo Bernardo, após a apresentação dos modelos de fiscalização que serão adotados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para dar transparência aos gastos públicos destinados à preparação do Brasil para a Copa.

“Se alguém disser que não tem condições de fazer o que foi combinado, precisaremos discutir, repensar ou [se for o caso] pensar em outras cidades ou diminuir o número de sedes. Nós assinamos um termo de compromisso, daquilo que é nosso compromisso e do que é compromisso dos estados e municípios. Quando foi para escolher as cidades, todos se comprometeram a fazer os investimentos”, lembrou o ministro.

Ele ressaltou que não cabe ao governo federal construir estádios, e que as obras de mobilidade urbana, metrô, canaleta para ônibus e monotrilho são de responsabilidade dos estados e municípios.

“Isso já foi negociado, e estamos disponibilizando, via BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] e Caixa Econômica Federal, empréstimos subsidiados, como o destinado a metrôs, que têm prazo de 30 anos com juros de 5,5% ao ano”, acrescentou.


17 comentários

  1. cidadão
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 10:16 hs

    É isso ai, até que enfim alguém mandou o recado que tinha que mandar para o CAP.
    $ público é para melhorias na saúde, educação, transporte, não para 3 jogos e depois ficar eternamente no patrimônio do particular.

  2. Torcida Atleticana - VERGONHA
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 10:29 hs

    Uma oportunidade como esta e o Clube Atlético Paranaense vai jogar pela latrina…

    Estão se fazendo de preciosos QUERENDO QUE O GOVERNO PAGUE A CONTA DA OBRA DE AMPLIAÇÃO DA MEIA-BAIXADA, QUE IRÁ ACRESCENTAR VALOR AO SEU PATRIMÔNIO (hilário não?)

    SE CURITIBA PERDER ESTA OPORTUNIDADE, QUERO VER O QUE OS CURITIBANOS VÃO FAZER COM ESSA PORCARIA DE CLUBE !

  3. Eduardo Barbosa
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 10:31 hs

    Como é burro…além de incompetente, não entende nada de futebol e Copa do Mundo. Com seis cidades é impossível realizar o mundial, o mínimo é oito. O governo gastará BILHÕES em obras para a Copa e não pode investir 100 milhões na Baixada? Os times do Rio têm patrocínio de estatais, pq não fazer uma parceria público-privada na Baixada para viabilizar que a MELHOR CIDADE DO BRASIL paraticipe do evento?

    Pra PTZADA, mais vale construir um estádio inteiro no nordeste do que ser parceira em qualquer coisa no Sul, aqui eles não têm voto.

  4. Borduna
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 10:44 hs

    Olha, dinheiro público somente em estádios municipais ou estaduais, ou seja, Públicos, se é que existe algum. Fora disso, queriam a copa, fizeram estudos preliminares apresentados à FIFA antes da escolha do Brasil, agora cumpram os compromissos. Dinhero do meu imposto para PTralhas, jamais……….

  5. LUIS
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 10:48 hs

    Concordo com o Eduardo Barbosa.

  6. Marcos Calonga
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 10:51 hs

    Então é bom já providenciarem nova sede!!!

  7. Ricardo Teixeira
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 10:52 hs

    As cidades já foram inscritas na programação da Fifa. Para mudar, precisa que a Fifa vote pedindo a retirada. O Paulo Bernardo fala demais e sem saber. Ou melhor, sabe e fica fazendo terror, para no final fazer acordão com a inciativa privada

  8. Zé Ruela
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 10:58 hs

    Não esquentem a cabeça, este Paulo Bernardo esta com os dias contados no governo, este ano tem eleição e ele e a turma dele serão EXPULSOS do governo junto com sua candidata marionete.
    Ano que vem na administração do Governo José Serra as obras para copa começam a andar de verdade, já que os ptistas provaram que não tem competência pra isso.
    Estatal financiar time carioca pode, agora ajudar na construção de estádios para trazer divisas para o Brasil não pode…isto prova mais uma vez que os petistas pensam com o UMBIGO, por isso o Osmar Dias abandonou eles, por isso o Serra e o Beto Richa vão ganhar a eleição….xô petistas, xô incopetentes…

  9. quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 11:13 hs

    Ellles têm que colocar a culpa em alguém, agora a cidade que é o bode expiatório ??? Faz-me rir PTistas de uma figa.

  10. POBRE PARANÁ!
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 11:37 hs

    ETA… ESSA MOÇADA DA BAIXADA NÃO DESACOSTUMA MAMAR NAS TETAS DO GOVERNO!!!!!!!!!!!!!!!!
    A QUEM, INTERESSA TERMINAR A BAIXADA? QUEM VAI GANHAR COM ISSO, ALÉM DAS CONSTRUTORAS ALIADAS?
    SERIA JUSTIFICÁVEL SE FOSSE UM ESTÁDIO PÚBLICO E QUE NA SEQUENCIA FOSSE UTILIZADO PELA POPULAÇÃO.
    MAS P/ AGRADAR MEIA DÚZIA DE TORCEDORES DE UM FUTEBOL MEDÍOCRE? NEM PENSAR!!!!
    (AH, O FUTEBOL MEDÍOCRE NÃO É SÓ DO ATLÉTICO…)

  11. gilberto ruas
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 11:45 hs

    SE OS ATLETICANOS NÃO TIVERAM COMPETÊNCIA DE ACABAR O MEIO ESTÁDIO, NÃO SERÁ COM DINHEIRO PÚBLICO QUE ACONTECERÁ. RESPONSABELIZEM OS MENTIROSOS QUE OFERECERAM A MEIA ARENA…..

  12. Caio S
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 13:00 hs

    Assim fica fácil, não sei o que é responsabilidade dos clubes, não sei o que é responsabilidade dos municípios, não sei o que é responsabilidade dos estados…

    E o que é responsabilidade do governo federal? Nada? Assim fica fica fácil demais, a culpa é sempre do outro a e incompetência deste ministro bonachão que só pensa na eleição de sua bonequinha fica escondida!

  13. Alessandro T
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 13:47 hs

    Na hora de pedir que o Brasil sedie Copa do Mundo, tá lá o Governo Federal, puxando o saco da FIFA e se fazendo de poderoso, como se tivesse cacife pra bancar todas as obras.
    Agora que levaram dura da FIFA, outorgam responsabilidade aos clubes. A arrecadação dos clubes é ridícula perto do valor que deveria ser aplicado nos estádios privados. Entrem no site da Federação Paranaense de Futebol e vejam por vocês mesmos.
    Aposto que o Governo Federal fará questão de não financiar justamente os estádios localizados nas cidades de prefeitura tucana.
    Isso é realmente ridículo. Prestar compromisso internacional contando com a verba de clubes quebrados como são os brasileiros.

  14. CAÇADOR DE PETISTAS
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 14:24 hs

    HOOOO, SR. MINISTRO, NÃO VEM COM DEMAGOGIA E PAPOR FURADO NÃO, AFINAL:

    Tirando a demagogia da Política como é de costume de Lula, fica aqui a pergunta.

    VALE A PENA SER SEDE DA COPA Copa 2014?

    Do ponto de vista econômico, tudo indica que não. Segundo os cálculos preliminares da CBF, o Brasil vai precisar gastar R$ 11 bilhões para se preparar para a Copa de 2014
    Por Mario Grangeia

    Revista Superinteressante – 02/2008

    Tomando por base só essa despesa, sediar o torneio parece uma fria – afinal, daria para turbinar áreas como saúde, habitação e educação (e ainda movimentar a economia) se não fosse preciso gastar uma grana modernizando estádios, por exemplo.

    Mas é preciso considerar outros itens para medir o retorno de uma Copa, como o gasto dos turistas. Pelas contas do governo, a Copa deve atrair 500 mil estrangeiros, que gastariam até R$ 3 bilhões. Além disso, se a competição gerar tantos postos de trabalho quanto a Alemanha gerou em 2006 (25 mil novas vagas), dá para computar mais R$ 500 milhões em investimentos, já que o custo médio por novo emprego está na casa dos R$ 20 mil. Há ainda quem identifique uma expansão da economia dos países sede.

    Mas isso não é consenso. “Crescimento econômico é algo difícil de prever com tanta antecedência. No fim das contas, a alta do PIB pode ficar próximo de zero”, afirma o economista Fábio Sá Earp, da UFRJ. A esperança são os benefícios de longo prazo, mais difíceis de medir. Um estádio novo, por exemplo, pode gerar um círculo virtuoso no bairro, bombando o comércio e elevando a arrecadação para fazer mais obras. Sem contar que o torneio pode aumentar o fluxo turístico e melhorar a imagem do país. Se tudo isso acontecer, aí, sim, quem sabe em algumas décadas a gente poderá dizer que sediar uma Copa é um bom negócio.

    BOLA DIVIDIDA
    Abaixo, apresentamos a estimativa de gastos para o torneio.

    R$ 8,5 bi
    ONDE Infra-estrutura.
    QUEM GASTA Governo.
    Grana para a infra-estrutura das cidades-sede. Segundo a Fifa, 4 candidatas precisam aumentar seu aeroporto e 6 não têm transporte público estruturado para receber adequadamente os jogos.

    R$ 2 bi
    ONDE Reforma e construção de estádios.
    QUEM GASTA Iniciativa privada.
    A aposta é que os governos locais busquem capital privado para fazer decolar os projetos. Em troca, os empresários teriam o direito de administrar os estádios por no mínimo 20 anos, para, em tese, obter lucro.

    R$ 700 mi
    ONDE Instalações oficiais.
    QUEM GASTA Fifa.
    Este é o único dinheiro garantido. A Fifa afirma que ela mesma vai bancar a construção de estruturas de apoio para os jogos, da sede do comitê organizador, dos centros de mídia e das centrais de segurança.

    Aqui, imaginamos um plano alternativo para aplicar a grana.

    R$ 2,1 bi
    ONDE Expansão do saneamento.
    PARA Levar água tratada a 2,2 milhões de casas e coleta de lixo a 2,1 milhões – cerca de 20% do déficit de saneamento.

    R$ 2,8 bi
    ONDE Crédito para casas populares.
    PARA Financiar a construção ou compra de 480 mil casas populares – 6% do déficit habitacional.

    R$ 2,8 bi
    ONDE Universalização da eletricidade.
    PARA Levar luz a 1,6 milhão de pessoas no campo – 13% da população sem acesso à energia.

    R$ 1,4 bi
    ONDE Combate ao analfabetismo.
    PARA Ensinar 600 mil jovens e adultos a ler e escrever – o que representa 4% a menos de analfabetos no país.

    R$ 1,4 bi
    ONDE Bolsa Família.
    PARA Custear o programa por um ano para 1,8 milhão de famílias, que receberiam um auxílio mensal de R$ 62.

    R$ 700 mi
    ONDE Saúde da Família.
    PARA Levar o programa Saúde da Família a mais 2 milhões de pessoas – superaria a população de Curitiba ou Recife.

    *Fontes: Orçamento Copa 2014 (conversão a partir do valor estimado em dólares), CBF, Fifa. Orçamento alternativo: números recentes dos ministérios do governo federal, IBGE, site Contas Abertas, Agência Brasil, FGV.

    país do futebol
    Vale a pena ser sede da Copa 2014?
    Do ponto de vista econômico, tudo indica que não. Segundo os cálculos preliminares da CBF, o Brasil vai precisar gastar R$ 11 bilhões para se preparar para a Copa de 2014
    – A A +Por Mario Grangeia
    Revista Superinteressante – 02/2008

    Tomando por base só essa despesa, sediar o torneio parece uma fria – afinal, daria para turbinar áreas como saúde, habitação e educação (e ainda movimentar a economia) se não fosse preciso gastar uma grana modernizando estádios, por exemplo.

    Mas é preciso considerar outros itens para medir o retorno de uma Copa, como o gasto dos turistas. Pelas contas do governo, a Copa deve atrair 500 mil estrangeiros, que gastariam até R$ 3 bilhões. Além disso, se a competição gerar tantos postos de trabalho quanto a Alemanha gerou em 2006 (25 mil novas vagas), dá para computar mais R$ 500 milhões em investimentos, já que o custo médio por novo emprego está na casa dos R$ 20 mil. Há ainda quem identifique uma expansão da economia dos países sede.

    Mas isso não é consenso. “Crescimento econômico é algo difícil de prever com tanta antecedência. No fim das contas, a alta do PIB pode ficar próximo de zero”, afirma o economista Fábio Sá Earp, da UFRJ. A esperança são os benefícios de longo prazo, mais difíceis de medir. Um estádio novo, por exemplo, pode gerar um círculo virtuoso no bairro, bombando o comércio e elevando a arrecadação para fazer mais obras. Sem contar que o torneio pode aumentar o fluxo turístico e melhorar a imagem do país. Se tudo isso acontecer, aí, sim, quem sabe em algumas décadas a gente poderá dizer que sediar uma Copa é um bom negócio.

    BOLA DIVIDIDA
    Abaixo, apresentamos a estimativa de gastos para o torneio.

    R$ 8,5 bi
    ONDE Infra-estrutura.
    QUEM GASTA Governo.
    Grana para a infra-estrutura das cidades-sede. Segundo a Fifa, 4 candidatas precisam aumentar seu aeroporto e 6 não têm transporte público estruturado para receber adequadamente os jogos.

    R$ 2 bi
    ONDE Reforma e construção de estádios.
    QUEM GASTA Iniciativa privada.
    A aposta é que os governos locais busquem capital privado para fazer decolar os projetos. Em troca, os empresários teriam o direito de administrar os estádios por no mínimo 20 anos, para, em tese, obter lucro.

    R$ 700 mi
    ONDE Instalações oficiais.
    QUEM GASTA Fifa.
    Este é o único dinheiro garantido. A Fifa afirma que ela mesma vai bancar a construção de estruturas de apoio para os jogos, da sede do comitê organizador, dos centros de mídia e das centrais de segurança.

    Aqui, imaginamos um plano alternativo para aplicar a grana.

    R$ 2,1 bi
    ONDE Expansão do saneamento.
    PARA Levar água tratada a 2,2 milhões de casas e coleta de lixo a 2,1 milhões – cerca de 20% do déficit de saneamento.

    R$ 2,8 bi
    ONDE Crédito para casas populares.
    PARA Financiar a construção ou compra de 480 mil casas populares – 6% do déficit habitacional.

    R$ 2,8 bi
    ONDE Universalização da eletricidade.
    PARA Levar luz a 1,6 milhão de pessoas no campo – 13% da população sem acesso à energia.

    R$ 1,4 bi
    ONDE Combate ao analfabetismo.
    PARA Ensinar 600 mil jovens e adultos a ler e escrever – o que representa 4% a menos de analfabetos no país.

    R$ 1,4 bi
    ONDE Bolsa Família.
    PARA Custear o programa por um ano para 1,8 milhão de famílias, que receberiam um auxílio mensal de R$ 62.

    R$ 700 mi
    ONDE Saúde da Família.
    PARA Levar o programa Saúde da Família a mais 2 milhões de pessoas – superaria a população de Curitiba ou Recife.

    *Fontes: Orçamento Copa 2014 (conversão a partir do valor estimado em dólares), CBF, Fifa. Orçamento alternativo: números recentes dos ministérios do governo federal, IBGE, site Contas Abertas, Agência Brasil, FGV.

    Tomando por base só essa despesa, sediar o torneio parece uma fria – afinal, daria para turbinar áreas como saúde, habitação e educação (e ainda movimentar a economia) se não fosse preciso gastar uma grana modernizando estádios, por exemplo.

    Mas é preciso considerar outros itens para medir o retorno de uma Copa, como o gasto dos turistas. Pelas contas do governo, a Copa deve atrair 500 mil estrangeiros, que gastariam até R$ 3 bilhões. Além disso, se a competição gerar tantos postos de trabalho quanto a Alemanha gerou em 2006 (25 mil novas vagas), dá para computar mais R$ 500 milhões em investimentos, já que o custo médio por novo emprego está na casa dos R$ 20 mil. Há ainda quem identifique uma expansão da economia dos países sede.

    Mas isso não é consenso. “Crescimento econômico é algo difícil de prever com tanta antecedência. No fim das contas, a alta do PIB pode ficar próximo de zero”, afirma o economista Fábio Sá Earp, da UFRJ. A esperança são os benefícios de longo prazo, mais difíceis de medir. Um estádio novo, por exemplo, pode gerar um círculo virtuoso no bairro, bombando o comércio e elevando a arrecadação para fazer mais obras. Sem contar que o torneio pode aumentar o fluxo turístico e melhorar a imagem do país. Se tudo isso acontecer, aí, sim, quem sabe em algumas décadas a gente poderá dizer que sediar uma Copa é um bom negócio.

    BOLA DIVIDIDA
    Abaixo, apresentamos a estimativa de gastos para o torneio.

    R$ 8,5 bi
    ONDE Infra-estrutura.
    QUEM GASTA Governo.
    Grana para a infra-estrutura das cidades-sede. Segundo a Fifa, 4 candidatas precisam aumentar seu aeroporto e 6 não têm transporte público estruturado para receber adequadamente os jogos.

    R$ 2 bi
    ONDE Reforma e construção de estádios.
    QUEM GASTA Iniciativa privada.
    A aposta é que os governos locais busquem capital privado para fazer decolar os projetos. Em troca, os empresários teriam o direito de administrar os estádios por no mínimo 20 anos, para, em tese, obter lucro.

    R$ 700 mi
    ONDE Instalações oficiais.
    QUEM GASTA Fifa.
    Este é o único dinheiro garantido. A Fifa afirma que ela mesma vai bancar a construção de estruturas de apoio para os jogos, da sede do comitê organizador, dos centros de mídia e das centrais de segurança.

    Aqui, imaginamos um plano alternativo para aplicar a grana.

    R$ 2,1 bi
    ONDE Expansão do saneamento.
    PARA Levar água tratada a 2,2 milhões de casas e coleta de lixo a 2,1 milhões – cerca de 20% do déficit de saneamento.

    R$ 2,8 bi
    ONDE Crédito para casas populares.
    PARA Financiar a construção ou compra de 480 mil casas populares – 6% do déficit habitacional.

    R$ 2,8 bi
    ONDE Universalização da eletricidade.
    PARA Levar luz a 1,6 milhão de pessoas no campo – 13% da população sem acesso à energia.

    R$ 1,4 bi
    ONDE Combate ao analfabetismo.
    PARA Ensinar 600 mil jovens e adultos a ler e escrever – o que representa 4% a menos de analfabetos no país.

    R$ 1,4 bi
    ONDE Bolsa Família.
    PARA Custear o programa por um ano para 1,8 milhão de famílias, que receberiam um auxílio mensal de R$ 62.

    R$ 700 mi
    ONDE Saúde da Família.
    PARA Levar o programa Saúde da Família a mais 2 milhões de pessoas – superaria a população de Curitiba ou Recife.

    *Fontes: Orçamento Copa 2014 (conversão a partir do valor estimado em dólares), CBF, Fifa. Orçamento alternativo: números recentes dos ministérios do governo federal, IBGE, site Contas Abertas, Agência Brasil, FGV.

    Por tudo isso, independentemente de sediar ou não, não vem com papo furado não Sr. Ministro. Não vem querer fazer campanha política para alavancar a campanha da quadrilheira Dilma que não da certo não.

    JOSÉ SERRA – PRESIDENTE
    BETO RICHA – GOVERNADOR
    PT/MST – QUINTO DOS INFERNOS

  15. quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 15:02 hs

    UH…UH…AH…AH ,a COPA vai pro saco,UH…UH…AH…AH Curitiba tá fora,UH…UH…AH…AH…, ainda bem que meus impostos pagos com o MEU SUOR não vão para a latrina.Neste país falido,com um estado falido com uma pseuda cidade de primeiro mundo,ô cambada vocês viram o que o Maraca tá recebendo pra reforrrma R$700 milhões,dá pra construir mais uma arena e meia.Lembram dos jogos do Nuzmann,Panamericano,repassaram de gratis ao campo do Botafogo a meisma quantia simpatia,agora vem de trenzinho da alegria pro nosso lado,vão si fu…Vejam o exemplo falido da Africa,o povo morrendo de fome e são pagos para sorrirem diante das câmeras,no Brasil não será diferente, escola de samba na frente como abre alas da seleção internacional do Brasil,hospitais cheios de brasileiros morrendo por falta de leitos,por falta de médicos,por falta de hospitais,por falta de medicamentos,pô e a cambada ainda tá fazendo doce para fazer uma Copa de merd…neste desorganizado país?????
    Ai Duce em tua homenagem, são todos uns FDP…
    Mas, aí rapaziada do trétis fiquem tranqüilos o CEGO do atleticano Pessutão vai dar um jeito de arranjar esta grana,ele até pode pegar a grana da multa do BANESTADO!!!!!!! Não te digo nada,prefeitada fiquem de olho nesta grana,senão evapora e depois ninguém vai saber pra onde foi…
    FFFFOOOOOORRRRRRRAAAAAAA USURPADORES DOS NOSSOS IMPOSTOS ….FFFFFOOORRRRAAAA DILMAVEZ…..FOOOOORRRRAAAAA DUCE E FAMÍLIA,FOOOORRRRA PESSUTÃO O CEGO….FORA COLLOR DE MELLO E SILVA….

  16. reinolds
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 15:20 hs

    Na minha opinião , o Atlético não deve e nem precisa desta

    copa na Arena .

    Assumir uma dívida de 130 milhões , para receber 4 jogos ,

    não tem sentido .

    O governo quer fazer CORTESIA COM O CHAPÉU ALHEIO .

  17. Silvano Andrade
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 17:33 hs

    Vamos levar a copa para o pinga mijo do porco pereira…

    só não convidem os torcedores da império…àlias por que o coxa não se associa a império na vendilhagem de crack e cocaína para reformar o alto das tantas
    glorias…

    CAMBADA DE INVEJOSOS, COLOQUEM A VIOLA NO SACO POLACAIDA DOS BEIÇO CUZIDO.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*