Serra e Dilma reforçam ofensiva em programas populares de rádio e TV | Fábio Campana

Serra e Dilma reforçam ofensiva em programas populares de rádio e TV

O Estado de S. Paulo

Dois meses antes de formalizar as candidaturas nas convenções partidárias, os pré-candidatos à Presidência José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) lançaram-se em uma agenda de viagens e entrevistas digna de quem está em plena campanha. Programas de TV populares e rádios regionais são os meios preferidos para atingir o eleitorado.

Empenhada em vestir o figurino da simpatia desde que deixou o governo, Dilma fará incursões pela televisão nos próximos dias. Na agenda da petista constam entrevistas ao Programa do Ratinho, no SBT, e ao Brasil Urgente, comandado por José Luiz Datena, na Rede Bandeirantes.

O PT está acertando com Datena uma superprodução, na qual Dilma deve entrar em um helicóptero para sobrevoar São Paulo, a maior cidade do País, justamente onde seu desempenho ainda está aquém das expectativas, segundo as pesquisas.

Foi no programa de Datena que Serra – então governador de São Paulo e hoje pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto – admitiu pela primeira vez sua entrada no páreo para concorrer à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Serra percorre, desde segunda-feira, um circuito de emissoras de rádio, a começar pela Jovem Pan e Bandnews, em São Paulo. Na terça, falou à Rádio Sociedade, em Salvador, e à Rádio Jornal, do Recife. Ontem, deu entrevistas às rádios Arapuã e Paraíba Sat, ambas em João Pessoa, e participou do programa Debate com Paulo Lopes, na paulista Capital AM. À noite, deu mais uma entrevista, à Rádio Metrópole, de Salvador.

“Esse modelo vai se repetir bastante durante a campanha”, admite o deputado Jutahy Magalhães (PSDB-BA), um dos articuladores da campanha no Nordeste. Como governador, o tucano já vinha investindo no público de baixa renda, participando dos programas de auditório mais populares da TV brasileira, entre os quais os das apresentadoras Hebe Camargo e Luciana Gimenez, além do principal concorrente de Datena, Ratinho.

Dilma também tem dado entrevistas às rádios locais por onde passa. Neste mês, falou à Itatiaia, de Belo Horizonte, e à Verdes Mares, de Fortaleza, além da Jovem Pan e da Capital, em São Paulo.

Legislação. A estratégia de buscar exposição em programas de rádio e televisão foi a maneira encontrada pelo comando da campanha petista para contornar as restrições impostas pela lei eleitoral. A avaliação do time petista é de que, diante do impedimento de pedir votos abertamente nas ruas antes do início de julho, quando a campanha começa de forma oficial, as entrevistas são a maneira mais eficiente de expor a ex-ministra da Casa Civil a uma fatia mais ampla do eleitorado.

O comando da campanha do PT avalia que a participação de Dilma em programas populares na TV – como os de Ratinho e Datena – e também em emissoras de rádio é “essencial” para a candidata estabelecer uma “comunicação direta” com o eleitor. Sob o argumento de que jornais editam as declarações de Dilma e muitas vezes “distorcem” suas palavras, a preferência dos petistas é por entrevistas ao vivo.

Desconhecimento. Além de reconhecer que Dilma está em forte desvantagem em relação a Serra quando o assunto é o conhecimento dos eleitores, como demonstram os resultados das pesquisas eleitorais, petistas admitem que Serra acertou ao admitir pela primeira vez os planos de se candidatar em entrevista a Datena, no mês passado. Dilma, por sua vez, adotou progressivamente o discurso de candidata, até formalizar sua intenção de concorrer no Congresso Nacional do PT, no fim de fevereiro.

A data da participação da petista no programa de Datena ainda não está marcada. A negociação da pré-candidata está mais avançada com o Programa do Ratinho. Ela concederia ontem, no fim da tarde, uma entrevista ao vivo. Acabou pedindo o adiamento para o dia 29, às 18 horas, alegando problemas de agenda.

Ontem em São Paulo, Dilma jantou na casa da apresentadora Ana Maria Braga, que comanda o Mais Você, um programa matinal de variedades da TV Globo.

Segundo a equipe da apresentadora, o objetivo era apenas organizar um “jantar entre amigas, sem qualquer conotação política”. As duas se aproximaram na época em que Dilma, então ministra da Casa Civil, foi diagnosticada com um câncer no sistema linfático. Ana Maria Braga também lutou contra a doença em 2001.
Em rede nacional

José Serra
Depois de lançar sua candidatura, informalmente, no programa Brasil Urgente, o tucano concedeu entrevista a seis rádios. Na segunda-feira, em São Paulo, foi entrevistado pela Jovem Pan e Bandnews. Anteontem, deu entrevistas às rádios Sociedade, em Salvador, e Jornal, em Recife. Ontem, às rádios Arapuã e Paraíba Sat, em João Pessoa.

Dilma Rousseff
Na semana passada, a petista deu entrevista às rádios Jovem Pan, de São Paulo, no dia 5; Itatiaia, de Belo Horizonte, no dia 7, e Capital (SP), no dia 9. Anteontem, falou à Rádio Verdes Mares, de Fortaleza. Ontem, jantou com a apresentadora Ana Maria Braga, da Rede Globo. No dia 29, ela deve participar do Programa do Ratinho, do SBT.


6 comentários

  1. ZE
    quinta-feira, 15 de abril de 2010 – 9:20 hs

    caro fabio, gosto muito do seu blog, agora nao da para entender, nenhuma nota do caso da assembleia e da invassao ontem..

    R: Foi publicado post sobre a invasão da Assembleia ontem pela manhã.

  2. TUKU NARE
    quinta-feira, 15 de abril de 2010 – 10:46 hs

    ora ze tu ta desligadao hem, no blog do Fabio, tens que ler todas as materias
    a opiniao dagalera.

  3. quinta-feira, 15 de abril de 2010 – 12:18 hs

    Conhece-se um PTista pela MENTIRA, olha só o ZÉ, que diz gostar tanto deste Blog , MAS se quer sabe o que de posta aquí.

  4. rst
    quinta-feira, 15 de abril de 2010 – 17:16 hs

    José Serra foi um dos fundadores da Ação Popular (AP), um dos braços marxistas da Igreja Católica. Ex-exilado político no Chile e militante da AP (Ação Popular), Serra integrava a frente criada para propagar, no exterior, “falsas denúncias” de assassinato e tortura de presos políticos no Brasil. No esquema de disseminação de “notícias deturpadas” sobre o país, era um “ativo pombo-correio” no circuito Chile/Uruguai. ”

    O que foi a ação popular?
    “Um grupo de esquerda na Igreja Católica, composto entre outros, por Dom Hélder Câmara, Dom Antônio Fragoso, os padres Francisco Lago, Alípio de Freitas e pelos jovens da esquerda católica – Juventude Operária Católica (JOC), Juventude Universitária Católica (JUC) e Juventude Estudantil Católica (JEC) – divergia na forma de ação. Os integrantes mais radicais desses grupos de jovens, impedidos de exercer atividades políticas no seu meio, se agruparam e se estruturaram dentro de novas concepções. Despertados pelo ideal da “Revolução Brasileira”, organizaram um novo grupo, que contava, em sua grande maioria, com universitários, intelectuais e artistas.

    Em janeiro de 1962, em São Paulo, criou-se o Grupo de Ação Popular. Em junho desse mesmo ano, em Belo Horizonte, foi aprovado um documento que alterou o nome da organização para Ação Popular, sendo eleita uma coordenação nacional. Desde o início, a AP teve também um ramo da linha protestante. Um dos seus líderes foi Paulo Stuart Wright, considerado desaparecido político. Sempre caminhando para a esquerda, orientando-se pela linha chinesa e cada vez mais se aproximando do PCdoB, tornou-se dia a dia mais radical. Em fevereiro de 1963 foi realizado o I Congresso da AP, considerado oficialmente como o seu Congresso de Fundação. Seus principais fundadores, na maioria líderes estudantis, foram: Herbert José de Souza (Betinho); Aldo Arantes; Luís Alberto Gomes de Souza; Haroldo Borges Rodrigues Lima; Cosme Alves Neto; Duarte Pereira; Péricles Santos de Souza; Vinicius Caldeira Brant; Jair de Sá; e José Serra.

    Antes de 1964 já circulava o jornal Ação Popular, porta-voz das idéias revolucionárias do movimento. Todos teriam papel de destaque nos atos de subversão e violência no período pós Contra-Revolução de 1964. A AP foi criada em 1962, dois anos antes da Contra-Revolução, em pleno regime democrático (governo João Goulart). Seus fundadores, não tinham, portanto, necessidade de lutar pela liberdade democrática. Os “estudantes inocentes”, “vítimas das truculências dos militares” estavam todos orientados pela esquerda da Igreja e se preparavam para a futura “Revolução Brasileira”, de cunho marxista, quando pretendiam implantar no País uma ditadura do proletariado, orientados pela linha chinesa.

    Entre os muitos atos terroristas praticados pela AP, destaca-se a explosão de várias bombas e principalmente o atentado ao Aeroporto Guararapes, em Recife, no dia 25 de julho de 1966, quando morreu o jornalista Edson Régis de Carvalho e o almirante Nelson Gomes Fernandes. Na ocasião ficaram feridos seriamente o guarda-civil Sebastião Tomaz de Aquino, que perdeu uma perna e o general (na época coronel) Sylvio Ferreira da Silva, além de outras treze pessoas. O número de vítimas teria sido bem maior, não fosse a mudança de local da chegada do candidato a presidente da República, general Costa e Silva, que em campanha, vinha a Recife. A mudança, ocasionada por uma pane no avião que traria o general o fez viajar de carro, desviando-se do roteiro original, o que esvaziou o aeroporto.”

  5. Astrinha
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 8:44 hs

    Ela tá fritando ovo????

  6. quinta-feira, 22 de abril de 2010 – 10:47 hs

    FALSIDADE X SINISMO

    Teve um tempo que eu acreditava nas palavras, na imparcialidade, e no caráter do Datena… hoje posso dizer que além de decepcionado, tenho nojo por tamanha incoerência – e olha que tinha tudo para ser um grande representante do povo.
    Datena “O inconsequente” de diploma, assumiu de vez o cargo de cabo eleitoral do PT e de seus protegidos, pois vem claramente fazendo campanha pró lula como se todos nós brasileiros fossemos idiotas e não percebêssemos.
    Claro que isso aumentou com a adesão da própria Bandeirantes, que fez aquele debate com o presidente que mais parecia uma campanha prá eleger a Dilma, ficou visível a intenção da emissora nisso, todos perceberam, menos o STE, claro esse orgão nunca vê as campanhas indireta que o Lula vem fazendo pela candidatura da guerrilheira sínica e falsa.
    A band deixou o molusco a vontade, prá dizer tudo que ele queria e da maneira que ele mais gosta, ou seja, passando somente os fatos bonitinhos escondendo a verdade para a população, e quando era indagado combinadamente por algum jornalista, ele continuava falando, e acabava por sair pela tangente desviando a resposta esperada – tudo uma grande articulação combinada pela bandeirantes e seus jornalistas – claro que Datena fazia caras e bocas tentando passar uma imagem de que estava ali para colocar o presidente da parede, mas tudo não passava de uma grande encenação barata.
    Vamos ver em breve qual era a intenção da bandeirantes nisso tudo, já que a do Datena é o puxa saco oficial do lula mesmo né.
    Queria perguntar para o Datena e saber a resposta dele sobre todas as armações de corrupção a articulações sujas do PT, quero ver se ele vai dizer que todo governo faz isso, pelo menos está fazendo alguma coisa…
    Se ele responder isso, é por que sempre foi um canalha como a corja toda.
    Pior que isso tudo foi ver a guerrilheira sínica, fazendo aquela carinha de bondade, de pessoa simples, trabalhadora, que visa somente o bem estar da pupulação….. que ridículo, mas ridículo ainda era o Datena enchendo a bola dela… cadê o STE, isso tudo é propaganda política, cadê a punição?
    Nota zero para o Datena e para a bandeirantes.. o povo não é idiota Datena.

    Mauricio Paulozzi-Campinas-sp – mpaulozzi@gmail.com

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*