Sensus pede tempo para dar acesso a dados de pesquisas | Fábio Campana

Sensus pede tempo para dar acesso a dados de pesquisas

Julia Duailibi, de O Estado de S.Paulo

O Sensus pediu tempo para analisar a decisão da Justiça Eleitoral e permitir a entrada de técnicos ligados ao PSDB na sede do instituto. Duas pessoas – um especialista em pesquisas eleitorais e um digitador – se encontram na portaria da empresa neste momento, em Belo Horizonte, aguardando a permissão para recolher informações sobre a última pesquisa presidencial feita pelo instituto.

O partido conseguiu nesta quinta-feira, 15, autorização do Tribunal Superior Eleitoral para ter acesso ao sistema interno de controle e coletar dados da pesquisa, como o nome dos entrevistadores, mapas e planilhas, com base no artigo 13 da Resolução 23.190. Os dois técnicos do PSDB apresentaram a decisão do ministro Joelson Dias autorizando a auditoria na pesquisa, mas o instituto alega que não foi oficialmente notificado. O Estado apurou que o Sensus pretende deixar os técnicos entrarem apenas às 16 horas.

O TSE autorizou ao PSDB o acesso a documentos referentes à última pesquisa feita pelo Instituto Sensus, que aponta empate entre os candidatos à Presidência José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Na prática, o partido entende que a decisão autoriza os técnicos da legenda a entrarem na sede do instituto, em Belo Horizonte, para colher informações sobre o levantamento. A iniciativa tem como objetivo esclarecer como foi feita a pesquisa divulgada pela entidade na terça-feira, 13.

Os advogados do PSDB questionam alterações feitas no registro da pesquisa junto ao TSE – o nome do contratante, que por lei deve ser apresentado à Justiça Eleitoral, foi alterado quatro dias após a apresentação dos dados.

“Diante do exposto, requer que esse Tribunal defira o presente pedido e expeça ofício – a ser entregue aos representantes legais do partido – dirigido ao Sensus, determinando que a empresa dê acesso ao PSDB de todos os dados mencionados no art. 13 e parágrafo único da resolução 23.190”, afirmam os advogados na petição impetrada na quarta-feira, 14.


10 comentários

  1. Madraga
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 15:01 hs

    A medida, não obstante ter razão, demonstra um certo temor frente ao crescimento da pré-candidata. Foi só se aproximar um pouquinho que a luz vermelha acendeu pelos lados dos tucanos. na verdade quando a máquina petista, representada por sua grande e lutadora militância, entrar de vez na campanha faz-nos acreditar que tudo será resolvido no primeiro turno. E, isso, por pura incompetência de uma oposição que durante esses últimos anos não se preparou e nem construiu de forma adequada um candidato que, aliado à um bom programa de governo, pudesse de cara impressionar o governo. E, assim, tal não aconteceu. Portanto de agora em diante será isso que estamos vendo, medidas e queixas de tudo quanto é lado no sentido de mostrar-se que está viva. Enfim, bastará a situação não dar bola e seguir em frente para que a coisa se resolva de maneira bem rápida.

  2. sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 15:08 hs

    hehehe..que tempo coisa nenhuma…esses caras manipularam os números de acordo com o freguês, e que todos sabem quem é…..Picaretagem pura…e nem assim a Dilmula conseguiu estar na frente, nem na pesquisa mais encomendada que se tem noticias…

  3. Antiserra = Antibeto
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 15:11 hs

    vamos pedir para analisar tbm a pesquisa do data folha!!!
    vão catar coquinhos… os tucanso estao desesperados pq adilma vai ganhar do aeroporto de mosquito!! hahahaha

  4. carlito
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 15:13 hs

    Está faltando BOM $en$us…. kkkkk

  5. CELIO-Sengés PR.
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 15:45 hs

    CAI A CASA DO INSTITUTO PELEGO, TOMARA QUE SOBRE UMAS MULTINHAS E UMAS CADEINHAS A ESSES PILANTRAS QUE VENDEM MENTIRAS AO POVO BRASILEIRO, PESQUISA É COISA SERIA, DECIDE UMA ELEIÇÃO.

  6. Da Poltrona
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 16:01 hs

    Estava já passado da hora de abrir a caixa preta dessas pesquisas eleitorais ou melhor dizendo “eleitoreiras”. Em seguida a midia dá uma divulgação sensacional dessa numerologia fajuta e influencia esse povo manbemba que não se tocou que a maioria dessas verdadeiras caixas de pandora são pura invencionice tendenciosa para um lado ou para outro, dependendo do momento, que, a rigor, não tem nada a ver com a realidade do que irá pela cabeça dos possíveis votantes lá na hora de apertar o dedo na tecla da maquininha eleitoral. Chega dessa empulhação !

  7. Rossby
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 17:13 hs

    É… estes mi$tificare$ trave$tido$ de guru$ de pe$qui$a$ eleitorai$ que começem a por a$ barba$ de molho…
    Só foi pedir para ver os questionários que levantaram os dados que os mesmos não aparecem…
    O que vai ter de estagiário com calo no dedo de tanto escrever questionário lá no $en$u$…

  8. sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 21:44 hs

    no blog do Nassif tem uma explicação para o desespero dos tucanos:

    Alguns dias antes do lançamento da candidatura José Serra, correu a informação de que o Instituto Sensus divulgaria sua pesquisa no mesmo dia. Poderia ser o anticlímax para Serra.
    Dias antes, o Sensus passou a levar tiros da Folha, tentando desqualificar a pesquisa antes de saber o resultado. Um repórter foi incumbido de ouvir os donos do Instituto. Percebendo o jogo, ele informou que, devido às chuvas no Rio, os resultados sairiam após o dia do lançamento da candidatura Serra.
    Em vão. Os tiros prosseguiram e a velha mídia começou a deixar pistas pelo caminho. O Datafolha preparou uma pesquisa de emergência, não programada. O Jornal Nacional anunciou que, dali para frente, só divulgaria resultados do IBOPE e do Datafolha.
    Saiu o resultado do Datafolha, chamando a atenção geral, a ponto de ser colocado em dúvida pelos próprios jornalistas da Folha. Em vez de jogar com margens de erro em todos os estados, para beneficiar a candidatura Serra, o Datafolha jogou toda a variação no sul. E aí escancarou os erros cometidos, abrindo margem para fortes suspeitas de manipulação da pesquisa.
    Foi o mais desgastante episódio na vida do instituto – que conquistou credibilidade nos anos 80 ao fazer o contraponto ao IBOPE.

  9. Astrinha
    segunda-feira, 19 de abril de 2010 – 7:27 hs

    Ich!!! Isso não me cheirando bem.Como é que o instituto não sabe a metodologia que usou?

  10. Troiano77
    segunda-feira, 19 de abril de 2010 – 9:52 hs

    A casa caiu para o Sensus……PT está apelando para tentar melhorar os números da Dilma nas pesquisas….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*