Prisão de "laranjas" mancha operação Ectoplasma I | Fábio Campana

Prisão de “laranjas” mancha operação Ectoplasma I

Por Ivan Santos no Bem Paraná

A prisão de alguns dos principais envolvidos no escândalo da Assembleia Legislativa – em especial de três ex-diretores da Casa – repercutiu amplamente na opinião pública paranaense como uma demonstração de que a impunidade que parecia cercar o caso finalmente estaria próxima do fim. Mas a detenção de “laranjas” utilizadas pelo esquema, em especial das agricultoras Jermina e Vanilda Leal (na foto de Albari Rosa para a Gazeta), corre o risco de manchar a Operação Ectoplasma I, deflagrada pelo Ministério Público.

O MP justificou a prisão das duas alegando que elas teriam se recusado a falar em seus depoimentos. O que por si só não é motivo de detenção, já que ela só seria justificada se os envolvidos tivessem condições de efetivamente prejudicar as investigações, o que não é o caso. Ao contrário de Abib Miguel e os outros dois ex-diretores da AL, elas não teriam chance de destruir documentos ou ameaçar testemunhas. E qualquer um que tenha o mínimo de bom senso sabe que o dinheiro depositado em suas contas não lhes beneficiou, do contrário as duas não estariam morando em casebres de chão batido na zona rural de Cerro Azul.

Além disso, se o caso é prender quem tem condições de sonegar informações, que dizer dos deputados que integram a Mesa Executiva da Assembleia, que assinaram os atos secretos, as nomeações de “fantasmas”, mantiveram esses diretores nos cargos durante décadas, e durante anos se recusaram a fornecer cópias dos Diários Oficiais, só o fazendo agora que o escândalo veio à tona?

Não é preciso ser muito perspicaz para concluir que Jermina e Vanilda tiveram seus nomes e contas utilizadas por um esquema que passava pela cúpula da Assembleia, operado por João Leal de Matos, auxiliar administrativo da Casa.  A prisão das duas – se não for melhor justificada – pode colocar por terra toda a boa repercussão que teve a operação, jogando sobre a mesma uma forte sensação de arbitrariedade e injustiça.


48 comentários

  1. marcio xaxim
    domingo, 25 de abril de 2010 – 19:37 hs

    nao tinha que prender esse coitados a justiça e capais de mandar o bibinho em bora para casa e deixar essa pessoas inocentes pagar pelos crimes dessa ladrao o certo e fazer ela dar o dinheiro todo para eles o dinheiros nao foi deposidado na conta deles entao e beles isso vai ser igual o aruda vc fica uns dia preso e depois nos rachamos a grana tem juis ladrao tabem

  2. bico doce
    domingo, 25 de abril de 2010 – 19:40 hs

    E se não cooperarem, as galinhas serão as próximas a ir para a cadeia.
    Palhaçada. E o Arruda menino malukinho continua solto enquanto duas mães choram. O Requião é condenado a pagar multas, não paga, e continua solto.

  3. Dieter
    domingo, 25 de abril de 2010 – 19:46 hs

    Dá impressão que ainda é o delazarento que comandou a operação. Brincadeira isso.E é sempre assim, já acharam 2 bagrinhos pra ir pra cadeia, enquanto o Nelson et caterva vão rir a toa.

  4. Marcos Cordeiro
    domingo, 25 de abril de 2010 – 19:47 hs

    O meio utilizado pelo MP, expõe laranjas em vez de realmente prender todos os envolvidos; ou seja, todos os Deputados que tenham feito a contratação de funcionários fantasmas, o agente bancário que abriu as contas, o mentor, etc…
    Mas vamos aguardar, espero que não demore muito para os paranaenses comerem essa ” PIZZA ” . Quentinha é mais gostoso. rsrs………

  5. Marcelo Costa
    domingo, 25 de abril de 2010 – 19:51 hs

    Senhores,

    Agora que mexeram no esterco seco (quebrou e o odor se espalhou), o MP precisa ir até o fim, cortando cabeças se precisar. O Bibinho era imexivel? Pior é que OS poucos que tem o PODER na CANETA, e assinavam os documentos, estão OMISSOS e OCULTOS.

  6. ILDO BALDO
    domingo, 25 de abril de 2010 – 19:54 hs

    ministerio publico erou para defender ladroês essas duas nâo oferece perigo nemum pela situaçâo que elas vivem todo mundo sabe que nunca pegaro um centavo da operaçâo m p sem criterio e deu pinta que vai mesmo ficar quenem o mensalâo do beto richa

  7. Zé do povo
    domingo, 25 de abril de 2010 – 20:08 hs

    Será que o MP irá impor as duas a indisponibilidade dos bens, no caso as galinhas, os cães sarnentos e os casebres de chão batido?

  8. Mauro
    domingo, 25 de abril de 2010 – 20:12 hs

    Tudo combinado, não ficam presos uma semana. Isso é uma cortina de fumaça pra enganar trouxas. As únicas que podem ficar no xilindró são as duas mulheres.

  9. Jorge
    domingo, 25 de abril de 2010 – 20:18 hs

    Não dá nada… Isso vai ser muito bom para elas (caso elas sejam inocentes) Que sofram um pouco agora, depois um bom advogado toma um monte do estado e desses parasitas que envolveram elas. Vamos lá advogados de plantão… Corram assessorar essas mulheres mesmo que elas sejam culpadas, ate porque a culpa delas deve ser a falta de esperteza em se deixarem serem enrroladas por esses marginais.

  10. salete cesconeto de arruda
    domingo, 25 de abril de 2010 – 20:49 hs

    É uma estratégia.

  11. Ja Manchou!!!!!
    domingo, 25 de abril de 2010 – 20:49 hs

    É brincadeira!!!! Manchou toda a operação da caça desses larápios do dinheiro do povo!!!!!! Espero que o MP se desculpe do que fez e fça a coisa direito!!! Pela Madrugada!!!!!

  12. Interessado
    domingo, 25 de abril de 2010 – 20:55 hs

    Inspetores Javert!!!

  13. ZE
    domingo, 25 de abril de 2010 – 20:56 hs

    se nao prender os mandantes , no caso os deputads, o resto e so fogueiras de vaidades..
    vamos esperar para ver..

  14. Servidor
    domingo, 25 de abril de 2010 – 21:12 hs

    O Ministério Público acha que é o paladino da justiça. Cuidado, investigar é com quem sabe e pode.

  15. Luis Carlos-Cidadão do Paraná
    domingo, 25 de abril de 2010 – 21:16 hs

    Ministério Público pode acabar significando MUITO ABUSO DO PODER (MaP). E pouca atitude quando de fato deve se agir como nos casos Requião entre outros poderosos.

  16. salete cesconeto de arruda
    domingo, 25 de abril de 2010 – 21:23 hs

    Aí Fábio…
    Funcionou.
    Parece que o Paraná CULTO está saindo da letargia.
    Pegou!

  17. PABUFE
    domingo, 25 de abril de 2010 – 21:35 hs

    A PRISÃO DOS “LARANJAS”, PODE TER O SENTIDO DE PROTEGER ESTE PESSOAL. SERVE TAMBÉM PARA OLHAR SE SE ELES NÃO RECEBERAM NENHUM VALOR PARA EMPRESTAR O RG E CPF. VAI QUE ACONTECE UM ACIDENTE COM OS LARANJAS.

  18. Themis
    domingo, 25 de abril de 2010 – 21:50 hs

    Nessa história ninguém é inocente.

  19. Anônimo
    domingo, 25 de abril de 2010 – 21:56 hs

    NELSON JUSTUS – PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA – PRECISA SE LIVRAR DESSA PODRIDÃO QUE HERDOU DE HERMAS BRANDÃO, HOJE NO TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ

    O deputado Romanelli também alugou seu carro para a Assembléia Legislativa, desde os tempos obscuros do ex-presidente Hermas Brandão, hoje Conselheiro do Tribunal de Contas? Como já dissemos e voltaremos ao assunto nos próximos dias, nos tempos do presidente Hermas Brandão, para se reeleger presidente, fez um acordo com os parlamentares.

    Todos os carros da Assembléia utilizados pelos deputados seriam vendidos, e foram. A partir daí, cada deputado usaria seu próprio carro e o “alugaria” para a Assembléia ao preço de R$ 7.000,00 por mês – se é que esse valor não foi majorado – R$ 84.000,00 por ano e R$ 336.000,00 por mandato de quatro anos. ELE GANHA UM CARRO NOVO POR ANO.

    Isso vale dizer que o deputado Romanelli, se é que também “alugou” seu carro para a Assembléia é o TAXISTA FURA PEDÁGIO mais bem pago do Brasil. Um taxista de Curitiba, capital do Paraná, para faturar bruto R$ 120,00 reais por dia, ou R$ 3.600,00 por mês, precisa que o carro trabalhe as 24 horas por dia. O deputado do Paraná, como taxista especial, não paga o pedágio, foge, ensina a prática do crime e fatura com o carro quase sempre parado o dia inteiro R$ 230,00 dia.

  20. Anônimo
    domingo, 25 de abril de 2010 – 21:58 hs

    Tribunal de Contas / Investigado, Hermas assume hoje a presidência do TC/Entenda o caso / Tribunal de contas / Maioria desconhece o Tribunal e acha que suas decisões são políticas

    Data: 15/01/2009
    Autor: Bruna Maestri Walter e Karlos Kohlbach
    Fonte: Gazeta do Povo

    Ex-deputado comandou a Assembleia quando o esquema gafanhoto ocorreu e agora vai dirigir o órgão que fiscaliza o dinheiro público no Paraná

    Investigado pela participação no esquema gafanhoto na Assembléia do Paraná, o conselheiro Hermas Brandão assume hoje a presidência do Tribunal de Contas do Paraná (TC) com a função de coordenar os trabalhos do órgão responsável justamente pela fiscalização do uso do dinheiro público em todos os poderes do estado, incluindo o Legislativo paranaense. Ficará na função pelos próximos dois anos.
    Foi na época em que Hermas presidiu a Assembleia, de 2001 a 2006, que ocorreu o chamado esquema gafanhoto, um dos maiores escândalos do Legislativo paranaense, por meio do qual supostamente teria havido o desvio de recursos públicos e a contratação de funcionários fantasmas.
    A suspeita da Polícia Federal (PF), do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público Estadual (MP) é de que vários funcionários dos gabinetes dos deputados autorizavam que seus salários fossem depositados em uma única conta bancária, movimentada pelo parlamentar, por parentes deles ou por seus aliados. Um dos focos da investigação é saber se os salários eram apropriados por terceiros. Outro é descobrir se havia servidores recebendo dinheiro público sem trabalhar. A investigação envolve 52 deputados e ex-deputados – todos indicados, em despacho da Justiça Federal, como suspeitos de participação no esquema gafanhoto.
    Documentos que estão sendo analisados pela procuradoria do MPF mostram que a PF e o Ministério Público Federal abriram um inquérito policial para investigar os depósitos bancários numa conta ligada ao gabinete de Hermas.
    Apesar disso, Hermas diz que é apenas citado e que é somente um informante das investigações, por ter sido presidente da Assembleia na época. O novo presidente do TC afirma que ainda não foi intimado e que a ação está paralisada. “Estou sendo investigado? Deixa investigar. Você quer saber do Tribunal (de Contas) ou da operação gafanhoto? Estou à disposição para falar do Tribunal. Não estou à disposição para falar do gafanhoto”, disse ontem Hermas.
    Para o conselheiro, a investigação não interfere de forma alguma nas decisões dele à frente do TC. Ele disse que está tranquilo quanto ao caso. “Eu não estou preocupado com isso porque realmente não tive nunca ninguém como gafanhoto na Assembleia, no meu gabinete, no gabinete da presidência”, disse. “Gafanhoto se mata com Baygon.”
    Hermas lembrou ainda que adotou medidas para aumentar a transparência no Legislativo, como o início do projeto de instalação da TV Assembleia. E disse que, como presidente, demitiu 1.400 servidores.
    A forma como a Assembléia pagava seus servidores durante a gestão de Hermas – depósito de salários de vários servidores em uma mesma conta – teria sido uma orientação da própria direção do Legislativo, de acordo com vários deputados e ex-deputados entrevistados pela Gazeta do Povo no ano passado, quando estourou o escândalo. Deputados disseram que o pagamento em uma única conta era o único jeito de receber a verba para pagar os servidores.
    Na época em que o esquema se tornou público, tanto Hermas quanto o atual presidente da Assembleia, Nelson Justus (DEM), garantiram que cada parlamentar era responsável pelo pagamento de seus funcionários.
    Investigação Desde julho do ano passado o trabalho da PF e do MPF sobre o caso gafanhoto está parado. Todos os 74 inquéritos abertos, um para cada conta bancária suspeita, foram remetidos para a Procuradoria do MPF em Porto Alegre, que está analisando a competência da investigação. Se houver indícios de crime contra a União (por suposta sonegação do Imposto de Renda daqueles que teriam se beneficiado do esquema), a investigação fica com o MPF e a PF. Caso contrário, a competência será da Justiça do Paraná. Paralelamente, o Ministério Público Estadual está tocando outra investigação do caso.

  21. Adir de Souza, indignado
    domingo, 25 de abril de 2010 – 22:01 hs

    Como cidadão paranaense natural de Cêrro Azul tenho a obrigação de dar os parabens ao Ivan Santos e você Fábio por postar esta materia.

    É uma forma de pedirmos perdão e desculpas a Germina e a Vanilda, por nossas autoridades, e o pior, “eles sabem o que fazem”

    Mas vamos querer ver a OAB tomar atitude em defesa da Germina e da Vanilda.

    Cidade de menor IDH do paraná

    E o poder da assembleia nesta região do vale do Ribeira é quase secular, com mão forte. por ser região pobre quase miseravel sempre foi usada pelo coroneis como curral eleitoral.

    Aqui uma revanche, meio tarde para meu gosto, meu pai foi veredor em Cêrro azul, e quando ele foi para MDB e nos pasando meu pai com sua moctocile assim se cahamava a motos na época e eu na garupa, o Prefeito Atanagildo de Souza Laio meu padrinho deu sinal de seu Gippe para que pai parasse e ele foi até o carro e nele estava um Deputado já obeso. que disse para meu pai se não udar de idéia, vou lhe transferir para Salgado Filho, e meu pais fez o que muitos paranaense tiveram vontade de fazer
    com as duas mãos juntou as partes do paletó do nobre deputado e o fez sentar a força no Gippe novamente e falou que não iria mudar e não sairia do Manda brasa como chamavam o MDB
    pois meu pai,era Funcinario saude e no mesmo dia, eu muito jovem fui a Biblioteca ver o mapa do Paraná para ver onde era Salgado Filho.

    E dias depois vim a Curitiba com meu pai que trouxe um saco de laranja e conversou com seu amigo de tempo de quartel que era o Secretário da Saude Dr. Adolfo Rosevicks, e meu pais não foi transferido e depois conheci bem porque esta atitude do deputado, este são os que tem poder e usam até hoje como se fossem seres superiores.

    E tenho muito orgulho desta atitude de meu pai, que hoje com 90 anos mora em colombo e lúcido para contar esta história
    João Olegário de Souza

  22. Jango
    domingo, 25 de abril de 2010 – 22:04 hs

    O Parquet tem que subir a escada em vez de descer, tem que ir ao primeiro escalão, lá de onde emanou todo este esquema escandaloso de improbidade pública. O Parquet parece que está com complexo de laranja, já que sintomaticamente até agora não chegou a nenhuma conclusão sobre as tv laranjas e seus indefectíveis pen-drives. De novo, rumo ao primeiro escalão, Senhores, é de lá que saem as ordens, proveitos e rombo aos cofres públicos. É no andar de cima …

  23. Papai Noel
    domingo, 25 de abril de 2010 – 22:15 hs

    Fala sério,,,, o MP do Paraná e tão podre como o TJ, só quem não conhece e quem confia… A maioria dos Juizes, Desembargadores e promotores vem do mesmo Clãn… E o povo do Parana acredita com aparece um promotor paladino da justiça, que ganha o seus 20.000.00 mil por mes. Acorda Paraná. O unico jeito de mudar é pelo voto. Acabar com essa palhaçada de Promotor Delegado, quem fiscaliza não pode investigar, e agora quem vai apurar os abusos?

  24. Revolta com o MP
    domingo, 25 de abril de 2010 – 22:29 hs

    Vergonha sim em fazer parte de um país que tem essa representação pelo MP? O que é isso? São essas pessoas que defendem o interesse

    DO MINISTÉRIO PÚBLICO

    Art. 81. O Ministério Público exercerá o direito de ação nos casos previstos em lei, cabendo-lhe, no processo, os mesmos poderes e ônus que às partes.

    Art. 82. Compete ao Ministério Público intervir:

    I – nas causas em que há interesses de incapazes;

    II – nas causas concernentes ao estado da pessoa, pátrio poder, tutela, curatela, interdição, casamento, declaração de ausência e disposições de última vontade;

    III – em todas as demais causas em que há interesse público, evidenciado pela natureza da lide ou qualidade da parte.

    III – nas ações que envolvam litígios coletivos pela posse da terra rural e nas demais causas em que há interesse público evidenciado pela natureza da lide ou qualidade da parte. (Redação dada pela Lei nº 9.415, de 23.12.1996)

    Art. 83. Intervindo como fiscal da lei, o Ministério Público:

    I – terá vista dos autos depois das partes, sendo intimado de todos os atos do processo;

    II – poderá juntar documentos e certidões, produzir prova em audiência e requerer medidas ou diligências necessárias ao descobrimento da verdade.

    Art. 84. Quando a lei considerar obrigatória a intervenção do Ministério Público, a parte promover-lhe-á a intimação sob pena de nulidade do processo.

    Art. 85. O órgão do Ministério Público será civilmente responsável quando, no exercício de suas funções, proceder com dolo ou fraude.

  25. domingo, 25 de abril de 2010 – 22:44 hs

    Outros roceiros estão na mira: Serão presos carroceiros, pescadores, catadores … De desculpa em desculpa, de erro em erro, nos rumos a pizza, até pode que os roceiros fornecerão os tomates … Orégano in naturra, um luxo. Ainda mais assada no forno à lenha, entre as árvores …

  26. Ectoplasmótico
    domingo, 25 de abril de 2010 – 22:49 hs

    É esse pessoal tem mesmo cara de quem participa do CRIME ORGANIZADO, também apresentam sinais exteriores de riqueza (observem a foto) e se postam com alta pericusolisade, acho que o gaeco deve mesmo manter suas prisões não por trinta, mas por noventa ou mais dias, quem sabe até a condenação final. Me sinto mais seguro sabendo que estão atrás das grades. Obrigado.

  27. Kenny
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 0:12 hs

    A prisao nao pode ser motivada pelo exercicio de um direito, que e o de permanecer calado.

  28. Dom Arlindo
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 0:40 hs

    Fabio, se elas ganhavam R$150 por mês para serem laranjas do João, elas tb cometeram crime. Só porque são gordas, feias e pobres elas não podem ser presas? Vocês só querem ver os bacanas do Seminário presos, né? Isso que dá IBOPE pro Blog…
    O triste é que elas não vão poder contratar um grande advogado que as tirará rapidinho da cadeia, como os outros farão.

  29. Sandro
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 1:03 hs

    Me parece, se não estou enganado, que as jornais informaram que essas agricultoras seriam “laranjas” e o irmão delas, funcionário da AL, também. Porém, mesmo que elas não estejam querendo “colaborar” como foi dito pelo MPE, não há porque prendê-las, afinal está evidente, óbvio ululante, claro como o sol, que as duas não tiveram benefíciou nenhum com toda essa maracutaia. Ora, cabe ao MPE tendo em vista os dados das contas que teve acesso, buscar dados através de exames grafotécnicos, vídeos dos bancos, bancários que tenham aberto as contas, enfim, existe uma infinidade de coisas para se investigar a fim de identificar o real destinatário do dinheiro que, evidentemente, qualquer um pode ver que não foram as duas humildes agricultoras. Por favor, falta completo bom-senso e sensibilidade humana ao responsável pelas investigações, bem como ao juiz que atendeu tal pedido absurdo em relação a tais senhoras que, nesta altura da vida, bem como com a humildade e situação ecônomica demonstrada não precisariam passar por esse constrangimento completamente ilegal, ainda mesmo que fique provado que elas tenham ganhado uma “cesta básica” para assinar qualquer documento para o irmão delas. Pelo amor de Deus, querem punir quem nessa história toda, as coitadinhas das agricultoras que já são punidas pela própria vida em virtude da condição em que vivem e deixar os que de fato ganharam a “gaita” de fora. Sinceramente, espero que o MPE e a Justiça revejam a prisão dessas duas senhoras por uma questão de humanidade!

  30. Anônimo
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 3:23 hs

    SYLVIO SEBASTIANI disse:
    26 de março de 2010 às 10:34

    O Promotor de Justiça do Estado, Fuad Faraj. está correto com sua atitude. O Tribunal de Contas não tem condições morais para atuar, pois o Presidente Hermas Brandão foi Presidente da Assembléia por vários anos,durante o periodo das atuais denuncias. O Presidente da Assembléia atual, que leva o nome de Nelson Justus, não é “justo” que ele determine essa Sindicância, pois foi Presidente anteriormente, de setembro de 1999 a fevereiro de 2001, portanto no inicio da “bagunça”, aliás isso faz parte do titulo de meu próximo artigo no jornal Industria & Comercio.Para eles aliviarem a barra, poderiam me colocar nessa Sindicância, na condição de Presidente da Associação dos Aposentados da Assembléia.

  31. Anônimo
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 3:25 hs

    matahari disse:
    26 de março de 2010 às 10:52

    A atitude do promotor Fuad esta corretìssima. A presença do Ministério Público legitimaria uma comissão, indicada por quem também deve ser investigado. No caso o Presidente da Assembléia que, em conjunto com o Primeiro Secretário assinou decretos de nomeações de laranjas e fantasmas. O Procurador Geral Olimpio Sotto Maior é outro que não deve tomar parte nessas investigações em virtude de ter um irmão como Diretor Legislativo da Assembléia e um parente nomeado n’aquela Casa. Quem deve estar lá, nessa Comissão, é a Policia Federal, pois que essa Comissão, é um órgão investigativo e facilitaria os trabalhos de policia.

  32. Roberto Carlos
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 8:11 hs

    E sempre assim os mais fracos pagam pelos mais fortes, eu já nao acredito mais no MINISTERIO PUBLICO a muito tempo, desde que ocorreu o CRIME DO MORRO DO BOI, onde um dos acusados confessa, ta com a arma, e reconhecido pelas vitimas, mas e solto pelo MINISTERIO PUBLICO e continua agindo no crime isso é correto.

  33. CHUCHU BELEZA
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 8:33 hs

    PARABÉNS PRA TODA A EQUIPE DE JORNALISMO DA NOSSA TV PARANAENSE CANAL 12 A PIONEIRA , ELA SEMPRE SERA A PIONEIRA.
    TAVA NA HORA DE DERRUBAR A MASCARA DESES LACAIOS DO DINHEIRO QUE É NOSSO MAIS ELES ACHAM QUE É PÚBLICO E PODEM PASSAR A MÃO COMO ENTENDEM.
    QUANTA MISÉRIA , E OS NOBRES DEPUTADOS O QUE FALAM.

  34. Na Ativa
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 9:32 hs

    ao..Adir de Souza, indignado:

    Parabéns ao seu pai. Não o conheço, mas já sou fã.

  35. Revoltado
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 9:43 hs

    É uma vergonha esse MP do Paraná. Demorou tudo que podia para agir, afinal de contas não se pode esquecer que o ‘digníssimo’ procurador geral é parente de funcionários da assembleia. Quando resolveu se mexer, foi em cima de 2 coitadas. Bem como afirmei em outras ocasiões…’esse povo do MP só sabe criar mais poeira do que fatos’…E a OAB hem? Cadê? Quando se trata de proteger interesses corporativos da sua turma é rápida como ‘serelepe’, mas quando se trata de duas quase indigentes, ficam quietinhos, em cima do muro para ver como é que fica. Ainda bem que tem a Policia Federal no meio, e o Ministerio Publico Federal tambem, espero que esses ajam verdadeiramente.

  36. segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 10:20 hs

    A prisão daquelas coitadas prova que esta operação é uma farsa para encobrir a culpa dos verdadeiros ladrões.Duas mulheres humildes,semianalfabetas,que vivem no limite extremo da pobreza e que foram corrompidas por uns miseros trocados.É vergonhoso,e covarde.

  37. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 10:26 hs

    Alguns depoimentos são tão fortes que só resta ao povo do estado – COMEÇAR TUDO DE NOVO.
    Sábado – 28 – tem debate. Sugiro à Gazeta que o faça em espaço maior. O Paraná está acordando para a realidade.
    Será que esses depoimentos não são suficientes para a justiça pegar os cabeças da máfia?
    São tão claros. Explicam tudo em detalhes. O que falta?!

  38. nelson
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 11:21 hs

    Conforme a Gazeta do Povo, as mesmas receberiam dinheiro para servirem de “laranjas” e foram soltas por terem colaborado com as investigações. Não vejo nenhuma mancha na atuação do Ministério Público, pelo contrário, tanto que os principais acusados continuam presos.

  39. Sergio
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 11:53 hs

    Bibinho, não seja bobinho!!! Pede delação premiada e vire o novo herói do Paraná.
    Entregue todo o esquema, entregue todos os Deputados corruptos, os verdadeiros traidores do povo, até porque Bibinho, ninguém votou em vc. Vc é só mais um que se não falar a verdade será crucificado.
    Pense nisso Bibinho, Pense nos seus netos, poupe-os de vergonha maior.

  40. Adir de Souza
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 14:59 hs

    Para o Na Ativa, obrigado, pena que aqui não dá para escrever tudo sabemos, em Cêrro Azul tem mais Oligarquias que desde que me conheço por gente usam este povo, humilde.

    Cidade que que ja deu ao Paraná, pessoas que nos orgulham como Percy ou primeiro premio Schel de Jornalismo ,só ir na redação do Jornal estado do Paraná tem um placa em sua homegangem mas o jornalistas jovens nem sabe quem foi, Waldomiro Pereira, tem seu nome marcado na medicina e tinha muito orgulho de ter nascido em Cêrro Azul

  41. Anônimo
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 15:02 hs

    Do promotor Fuad Faraj para a Corregedoria do Ministério Público do Paraná:

    “Dentre os 5 Poderes está este Ministério Público vassalo que orbita dentro do pólo de atração de atribuições da Procuradoria-Geral de Justiça. Por todos os títulos é um Ministério Público subserviente aos demais poderes do Centro Cívico e que prejulga imunes a qualquer investigação, não de hoje, mas desde muito tempo atrás, o Presidente da Assembléia Legislativa do Paraná, Excelentíssimo Senhor Doutor Nelson Justus e o ex-presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Paraná, hoje Presidente do Tribunal de Contas, Doutor Hermas Brandão”.

  42. CARAMBA
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 15:09 hs

    ALO? oi… ALO??

    – oi, é da PIZZARIA ??
    – Eu quero meia quatro queijos, meia portuguesa e um guarana!!
    – Quanto deu?

    – SESSENTA MILHOES DE RAIS!!!!

    – Puxa vida que caro, que pizzaria é essa?
    – AL.

  43. Anônimo
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 15:27 hs

    26/04/2010 13:28 – NOTA OFICIAL

    A Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, através de ato da sua Mesa Executiva, instaurou em 5 de abril do corrente ano uma Comissão de Sindicância para apurar as denúncias sobre funcionários fantasmas, desvio de dinheiro público, pagamento de supersalários, problemas com aposentadorias, publicadas na mídia.

    A comissão realizou o seu trabalho fazendo oitivas com as pessoas envolvidas, analisou documentos e fez diligências, constatando ao final pela existência de diversos fatos irregulares, bem como pela violação de normas legais, e ausência dos deveres a serem observados pelo funcionário público, como por exemplo: lealdade e respeito às instituições constitucionais, além do fato de alguns deles terem se valido do cargo para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função e prejuízo ao erário público.

    A comissão opinou pela abertura de Processo Administrativo Disciplinar contra os três ex-diretores da Casa: Abib Miguel, José Ary Nassif e Cláudio Marques da Silva.

    A Mesa Executiva vai encaminhar cópia do relatório ao Ministério Público do Paraná, que investiga no âmbito criminal as referidas denúncias. A Assembleia Legislativa do Estado do Paraná continuará apurando as denúncias dentro do processo administrativo competente e colaborando de maneira inequívoca com todas as investigações em curso no Ministério Público.

  44. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 17:02 hs

    Agora tudo depende da MOBILIZAÇÃO DOS CULTOS DO ESTADO.
    O povo já está mobilizado.
    Vamos ver até onde vai a HONESTIDADE e CAPACIDADE DE MOBILIZAÇÃO da classe média e alta do Paraná “CULTO”.
    Ou essa tal “CULTURA” tão mencionado por aqui – NÃO COMBINA COM HONESTIDADE?!

  45. REFLITAM SOBRE ISTO:
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 17:05 hs

    A prisão cautelar de laranjas é desapegada de qualquer fundamento. Trarei uma comparação óbvia para demonstrar tal escárnio jurídico.

    IMAGINEM UM RETROCESSO EM SE PRENDER OS VICIADOS PARA ACABAR COM O TRÁFICO DE DROGAS. O FOCO NATURALMENTE DEVEM SER OS TRAFICANTES E BARÕES DO NARCOTRÁFICO.

    Devem sim os viciados serem incluídos em rede de atenção apropriada, mas em liberdade.

    Obviamente as laranjas envolvidas devem serem processadas em liberdade e condenadas na medida de sua culpabilidade.

  46. Jaculino
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 17:19 hs

    Fábio,

    Quem foram as pessoas importantes que foram detidas em uma blitz ocorrida na última sexta feira (23/04) nas mercês por desacato a autoridade?

    Jaculino

  47. TUKU NARE
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 19:54 hs

    SE fosse aqui na minha querida terrinha, seria um escandalo, mais no Brasil ta
    certo o MP, pois cadeia e para tirar o pobre do convivio da sociedade, a Vanilda e
    Jermina tem e que ficar preza mesmo. para dar exemplo, onde ja se viu emprestar os DICUMENTOS, em troca de 150 MINREIS, …………………………..
    ai que soudade eu tenho da PATAGONIA,

  48. DE LEAL NADA TEM !!!
    terça-feira, 27 de abril de 2010 – 0:13 hs

    ELAS SABIAM DO PARENTE QUE TEM, ESTE TAL DE JOAO LEAL, DE LEAL NADA TEM, É BANDIDO CALCULISTA, ANDA SÓ ARMADO, QUEM NAO CONHECE ACHA QUE É UM CARNEIRINHO, MAS É UM LOBO MATADOR.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*