Pessuti negocia redução do pedágio | Fábio Campana

Pessuti negocia redução do pedágio

Por ordem do governador Orlando Pessuti, a Secretaria dos Transportes deve concluir, nas próximas semanas, estudo técnico e jurídico que vai servir de base para negociação da redução das tarifas de pedágios no Paraná.

Se a iniciativa for bem sucedida, Pessuti vai demonstrar que a redução da tarifa do pedágio não era bicho de sete cabeças e só encruou porque nos últimos sete anos Requião se recusou ao diálogo.

A redução do pedágio poderá vitaminar a candidatura de Pessuti à reeleição.

O anúncio foi feito pelo secretário, Mário Stamm Júnior. Segundo Stamm, o estudo foi determinado pelo governador Orlando Pessuti e leva em consideração os dados e levantamentos feitos pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) desde 1998, com mais destaque aos realizados a partir de 2003.

“Já possuímos muitas informações, o que temos que encontrar agora é uma proposta, para ser debatida e aceita com boa vontade de ambas as partes”, explicou Stamm. Assim que o estudo estiver concluído, será debatido com o governador, para, então, abrir o diálogo com as concessionárias. “Pessuti vai ser o condutor do processo, fundamentado em aspectos técnicos e embasado em questões jurídicas essenciais. Será uma solução definitiva que pode servir de exemplo para outras soluções nacionais e dos programas futuros que possam ser implementados em outros Estados.”

Um dos focos do debate com as empresas é a consolidação de dois corredores rodoviários duplicados. Um, ligando Apucarana a Ponta Grossa, e outro, de Medianeira, Cascavel e Ponta Grossa. “Essas obras fazem parte da análise conjunta que estamos desenvolvendo. O pedágio precisa de uma solução, mas essa tem que estar atrelada ao desenvolvimento da infraestrutura logística do Estado”.

Stamm explicou que cada negociação possui a sua peculiaridade já que são seis concessionárias, contudo adiantou que os debates passarão pela execução de outras obras, termos aditivos, taxa interna de retorno e o contencioso jurídico. “A tese não deve se concentrar em um ponto ou outro, mas em vários pontos. Temos que encontrar um modelo, uma remodelagem, uma nova forma de solucionarmos. E o Paraná pode ser dentro dessa ação pode ser o criador de uma nova teoria para o tema.”

MULTIMODALIDADE – O secretário explicou ainda que a Secretaria de Transportes iniciou estudo para integrar os diferentes modais de transporte no Paraná – rodoviário, ferroviário, aeroviário e portuário. “Estamos trabalhando para dar encaminhamento a estudos e projetos para resolver gargalos operacionais com o objetivo de aumentar a competitividade e reduzir o custo do transporte no Paraná”.

Stamm lembrou que já estão incluídos na segunda etapa do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal cerca de R$ 300 milhões para a construção da terceira pista do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais. “Estamos em contato com a Infraero para trabalharmos juntos na definição do projeto e no estudo das desapropriações necessárias. Essa nova pista vai tornar o aeroporto em um concentrador e distribuidor de cargas na região Sul”.

Junto com o Afonso Pena, a secretaria também vai ampliar os estudos para o fortalecimento da infraestrutura na região de Londrina, de Cascavel, do Sudoeste, de Ponta Grossa e os campos gerais e do Litoral. “Temos que ter visão futura, trabalhar para resolver problemas e encaminhar projetos”.


29 comentários

  1. Benhur
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 8:30 hs

    Pessuti vai falar assim depois das negociaçoes!! Paranaense conseguimos uma reduçao magnifica no proximo aumento do pedagio, iria ser de 65% e agora vai ficar so em 30%, magnifico!! Votem em mim……

  2. Polêmico
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 8:46 hs

    Segundo levantamento feito pelo DER passam por dia mais de 12.000 veiculos considerando Cascavel a Foz do Iguaçu onde temos 2 pedágios um de 7,20 e outro de 9,40 = 16,60 X 12.000 igual R$ 199.200,00 por dia isto considerando´todos como veículos de passeio, mas o valor é maior visto que passam muitos caminhões que o valor é bem maior então são mais de R$ 200.000,00 por dia e mais de R$ 6.000.000,00 por mês.
    Acho que a despesa mensal não passa de R$ 1.000.000,00 asim sendo a concessionária tem um lucro mensal de aproximadamente R$ 5 milhões, só não duplicou e não duplicará Cascavel a Medianeira se não quiser, pois dinheiro tem para isto e não tem necessidade de aumentar o pedágio para isto e nem prorogar o Contrato e nem de verba do Governo.
    Com o pedágio baixando para metade do valor cobrado hoje é possivel fazer a duplicação e ainda as empresas teriam muito lucro.
    Sou da opinião que a Duplicação deve ser feita pelas Concessionárias e sem aumeto de Pedágio, sem prorogação do Contrato e sem verba do Governo.
    O Povo não pode pagar 2 vezes pela Duplicação.

  3. Caminhoneiro
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 8:47 hs

    O Pessuti merece esta força, contudo, baixar pedágio em período de eleição ja aconteceu, com o Lerner, só que depois veio a pancada, é faca de dois “legumes”

  4. Essa conversa não cola mais!!!
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 8:55 hs

    Pessuti, Requião=”OU O PEGÁGIO ACABA! OU ABAIXA!”. Ganharam duas eleições com essa conversa, agora não cola mais!! O Povo vai dar a resposta em outubro pra vocês!!! Aguardem!!!!!

  5. Ronaldo
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:08 hs

    Benhur, só que para isso ele vai dar mais 20 anos de contrato.

  6. Carlos Eduardo
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:09 hs

    Pode ser interessante pro Pessuti, mas não financeiramente a população do Estado.

    Agora que esta vencendo o contrato vamos esperar que seja feito licitação eque preços realmente coerentes sejam aplicados, como no caso de SC.

    Não venha fazer politicagem com nosso dinheiro Pessuti, tu vai tomar é ferro.

  7. Silvano Andrade
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:10 hs

    negociar o cacete…derrubar as praças com patrola e enfiar na cadeia lerner e o resto da gataiada!!!

  8. Joares Dias
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:13 hs

    Pessuti tem maior perfil de Governador

  9. marcelo
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:21 hs

    pelo menos o pessuti não e tao pulsilanime como o requião.
    sempre disse que iria fazer e nunca fez um contato com o pedagio, era tudo balela. O pessutão pelo menos esta dialogando que ja é o inicio de tudo..
    vamos la pessuti..

  10. saber votar
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:30 hs

    velha jogada politica

  11. Borduna
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:32 hs

    Se pessuti reduzir o pedágio aos níveis de R$/Km de SC se lege governador. Já o Bob Req nem síndico de massa falida. Senador nem pensar.

  12. Oliveira
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:35 hs

    Pessuti e articulador e tem dialogo! Isso não foi resolvido por pura birra do Re.. achando que resolveria tudo na troculência.. eu mando bate o pé e dando murro em mesa.
    Será que o Pessuti ta errado?

  13. Mão na cumbuca
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:36 hs

    Atenção paranaenses, esse papo de negociação não cheira bem. O que as concessionarias querem é aumentar o prazo do pedágio em troca de promessas que jamais serão cumpridas. Se o governo Requião não conseguiu negociar em 7 anos, por que um governo de 8 meses apenas vai conseguir…pelos belos olhos do Pessutti??? Ou será que tem mai$ coi$a$ por baixo do tapete? Não existe milagre, portanto olho vivo Ministério Público!!!!

  14. anderson brasil
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:38 hs

    pera la…..essa historia eu ja ouvi…..baixa ou acaba…….

  15. Mesma tchurma
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:41 hs

    O mais interessante nesse papo furado é que a equipe do DER é praticamente a mesma, então por que a fórmula mágica surgiu somente agora?

  16. Olho de Hórus
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:50 hs

    E não é que o escolhido para Diretor Geral na Secretaria dos Transportes é a mesma figura que já foi Lernista roxo, depois virou Requianista de carteirinha e agora é Pessutti desde criancinha. A unica competência desse camaleão é confundir os olhos apenas de seus superiores, por que da turma que está abaixo dele, não há camuflagem que engane. Cuidado com as víboras, Sr. Mario Stam.

  17. CAMPO MOURÇAO
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 9:58 hs

    PESSUTI NÃO CAIA NA MESMA BESTEIRA DO SEU EX GOVERNADOR

  18. salete cesconeto de arruda
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 10:46 hs

    VICE no Paraná está sendo uma GRATA SURPRESA!

  19. Estamos de Olho
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 10:49 hs

    Ô pessutinho!

    Faça de conta que tudo isso é novidade e verdadeiro, e lance um PAC do Paraná.
    Imagine a dilminha fez isso e tá enganando um mundão de gente, porque você não conseguiria.
    Ainda bem que no Paraná tem a maioria que enxerga isso, basta ver o que têm demonstrado as pesquisas.

  20. quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 11:15 hs

    CLARO! QUE QUALQUER REDUCAO DE PRECO OU DE SERVICOS PARA A POPULACAO E BOM,POREM ACHO ESTRANHO POQUE SO AGORA SE PESSUTI TINHA A FORMULA POR QUE NAO SUGERIU ANTES QDO ERA VICE ,ATE O REQUIAO ACEITARIA A SUGESTAO,ATE PARECE JOGA DA POLITICA DE ANO ELEITORAL,.E QUANDO ISTO ACONTECE SEMPRE QUEM SAI PERDENDO E O CIDADAO MAIS CEDO OU MAIS TARDE,PARA SE CONSEGUIR ESTA REDUCAO .DAS DUAS UMA :REDUZIR IMPOSTOS DAS CONCESSIONARIAS,OU OUTRAS BENECIAS,(EX COMTEMPLAR COM OUTRA PRACA DE PEDAGIO FUTURAMENTE)NAS DUAS HIPOTESES QUEM PERDE SEMPRE E O POVO(ME ENGANA QUE EU GOSTO)

  21. GNR15
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 11:18 hs

    Não podemos de deixar de cobrar das concessionárias as obras que teriam que ser feitas, a ligação entre a regiao de Londrina e Maringá à Curitiba é feita quase totalmente em pista simples, que Estado vai crescer com este gargalo entupido? Sem comunicação entre as maiores regiões do Estado.

  22. Prego de Caixão
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 12:43 hs

    A coisa vai ser assim: a concessionária dá o desconto mas negocia por baixo benesses em contratos futuros, tudo com o tempero de contribuições de campanha eleitoral.
    Não existe almoço de graça, pessoal.

  23. Estatística
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 14:25 hs

    Quem mantém a Estrada da Graciosa? E o acesso a Morretes e ao porto de Antonina? E a Alexandra/Matinhos? E a 277/Praia de Leste? A concessionária.

    Será que nossos veranistas topam passar essas ligações para o DER, para a manutenção padrão das PRs?

    Uma idéia seria criar pedágio para cada uma delas, desonerando a 277.

    Afinal caminhoneiro que vai a Paranaguá para descarregar e carregar dificilmente vai a Caiobá para tomar um banho de mar.

    E nas outras concessões é a mesma coisa. Não é só o tronco BR que é administrado pela concessionária. Todas tem “penduricalhos”…

    FAÇA UM POLÍTICO TRABALHAR: NÃO O REELEJA (nem deixe mudar de poleiro eleitoral).]

  24. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 16:41 hs

    Fábio Campana não “ponhou” minha opinião. Tava pesada, concordo, mas que é verdade, ora se é. Com jeito a gente consegue as coisas, mas na marra, como queria o ex é díficil.
    Tenho certeza que numa negociação com as concessionárias, Pessuti vai fazer um bom negócio para todos. Ele não é como os outros…

  25. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 16:45 hs

    E há que se botar fé no secretário Mário Stamm, quem conhece o tronco da árvore sabe a qualidade dos seus frutos.
    Ô dr. Mário, depois dessa puxada, que tal fazer a religação da estrada São José do Ivaí – distrito de Santa Isabel do Ivaí, ao município de Tapira? Quando tinha balsa, ali passava até uma linha de ônibus, o Expresso Fátima. Agora, o bom e produtivo São José do Ivaí, o famoso Ramal 28, virou fim de linha, doutor…

  26. Analista
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 18:44 hs

    O simples fato do imbroglio do pedágio ter saído da mesmice estabelecida na gestão de Requião – mesmice esta que está acarretando um passivo judicial de mais de 300 milhões de prejuízo aos cofres públicos – sem resultado nenhum quanto ao assunto que foi objeto do discurso eleitoreiro da última campanha eleitoral, só este simples fato, mudando o animus litigandi em prejuízo da coletividade pelo animus conciliandi em benefício de uma solução que seja boa para todos e desvinculada de idiosincrasias políticas, já é uma esperança para o povo paranaense.

  27. Anônimo
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 18:48 hs

    essa história de novo………ta tipo Copa do Mundo……de 4 em 4 anos ela aparece…….
    Requiao….Pessuti……Virem o disco…..se liguem…

  28. vanderlei curitiba- tingui
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 21:19 hs

    eu acho que requiao tentou de todas as maneiras mas o contrato foi tao bem feito pelo jaime lerne e asconcessiona q nao tem o q fazer agora so espera venser o contrato e ai sim qualquer governo q nao seja corrupito vai poder dar as cartas .

  29. Pedagio
    quinta-feira, 29 de abril de 2010 – 15:07 hs

    O grupo de Concessão de pedágios Ecorodovias tem em seu site um prospecto de sua situação financeira e na pagina 418 fala das pendengas com o Estado do Paraná.
    “28. INFORMAÇÕES SOBRE O CONTRATO DE CONCESSÃO DA CONTROLADA ECOVIA CAMINHO DO MAR S.A. E RODOVIA
    DAS CATARATAS S.A. – ECOCATARATAS
    ……O litígio estende-se pelas seguintes principais frentes: encampação das
    concessões, desapropriação das ações de controle, tentativa de caducidade dos contratos,
    negativa de reajuste de tarifa nos anos 2003 a 2007, tentativa de nulidade de aditivos
    contratuais vigentes e consideração de dados contábeis em detrimento de dados contratuais
    regulares. Em todas as frentes de litígio restam, por ora, vitoriosas as concessionárias do
    Estado do Paraná, seja por decisões liminares, seja por sentenças ou também por recursos
    em instância superior. Ou seja, os contratos de concessão não foram atingidos. Os reajustes
    tarifários contratuais dos anos de 2003 a 2007, sistematicamente negados pelo Estado do
    Paraná, foram implementados e estão vigentes, parte deles por meio de liminar confirmada
    em todas as instâncias, parte já através de sentenças de mérito. Houve ainda, em 2007, a
    edição de leis estaduais para a concessão de isenções tarifárias a categorias determinadas de
    usuários das rodovias. Tais leis foram consideradas, em sede de liminar, indevidas. Tanto a
    Concessionária Ecovia Caminho do Mar S.A. como a Rodovia das Cataratas S.A. –
    Ecocataratas buscam, por meio de ações judiciais na Justiça Federal, ter reconhecidos em
    seu favor eventos que desequilibraram os contratos de concessão de cada uma dessas
    concessionárias, mas que foram omitidos ou não reconhecidos pela atual Administração
    estatal. Caso reconhecidos, tais eventos conduzirão ao direito de restabelecimento da
    dimensão original das equações econômico-financeiras dos contratos,seja por aumento de
    tarifa ou redução de obras, seja por aumento no prazo da concessão, ou seja por
    compensação pecuniária direta do poder público, podendo ocorrer também a combinação
    dessas possibilidades.”
    Esse documento é de março deste ano coincidencia hein?
    link: http://www.ecorodovias.com.br/SiteEcoRodovias/pt-BR/Default.aspx

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*