Luciano Ducci transfere 51 famílias da margem do rio Atuba | Fábio Campana

Luciano Ducci transfere 51 famílias da margem
do rio Atuba

O prefeito Luciano Ducci determinou a transferência emergencial de 51 famílias da Vila Higienópolis, no Bairro Alto. Elas têm casas na margem do rio Atuba (foto do rio de Pablito Pereira) e foram afetadas pelas chuvas dos últimos dias.

“O reassentamento estava previsto para o próximo mês, mas em função da situação crítica de alguns moradores, a mudança está sendo antecipada”, afirmou Luciano Ducci. A transferência das famílias será feita na terça-feira (27).

As 51 famílias serão transferidas para o empreendimento Moradias Faxinal, que está sendo construído pela Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) no Santa Cândida para abrigar famílias da margem do rio Atuba. O reassentamento beneficiará 421 famílias, que moram nas Vilas Paraíso e Higienópolis 1, 3 e 3. A transferência das demais famílias será feita de forma gradativa.

As casas onde as primeiras 51 serão reassentadas estão prontas, mas a entrega das unidades dependia da conclusão de uma estação elevatória de tratamento de esgoto, que está sendo feita pela Sanepar. Para permitir a transferência imediata das famílias, a Cohab vai adotar uma solução alternativa de esgoto, com fossa séptica, que funcionará provisoriamente, até que as obras da estação de tratamento sejam concluídas.

Para a mudança, a Cohab oferecerá apoio de transporte e mão-de-obra. As casas na beira do rio deverão ser desmontadas logo após a saída dos moradores para impedir uma nova ocupação. A definição das famílias que serão reassentadas em caráter emergencial leva em conta a gravidade da situação de cada uma. A previsão da Cohab é retomar os reassentamentos em meados do próximo mês, já com a estação de tratamento em operação.

O empreendimento Moradias Faxinal está localizado na estrada das Olarias e conta com infraestrutura de redes de água, energia elétrica, coleta e tratamento de esgoto, drenagem e ruas pavimentadas. As 421 casas do loteamento têm tamanhos diferenciados, com até três quartos. O investimento na obra é de R$ 8,7 milhões, com recursos da Prefeitura e financiamento do programa Pró-Moradia, do governo federal.


22 comentários

  1. marcos
    sexta-feira, 23 de abril de 2010 – 19:04 hs

    tem um erro no título, um “de” sobrando

  2. salete cesconeto de arruda
    sexta-feira, 23 de abril de 2010 – 19:50 hs

    Confesso que estou gostando da administração do Luciano. Tenho até que agradecer o rápido recolhimento do lixo – quando solicitado via internet. Estive numa comunidade que sofreu muito com a chuva. E lá estava o pessoal da prefeitura e COHAB atuando rapidamente. Esse Luciano pode ir longe. Vou conversar com ele sobre o nosso bosque e o barulho que estamos enfrentando. Hoje os caminhões não usaram a rua interna para entrada e saída – como manda a lei. Ele sabe do que estou falando. Já soube que está nos esperando para uma decisão compartilhada. Quem sabe – FINALMENTE – seremos ouvidos e respeitados – sobre a nossa área verde prometida e as placas para evitar o trânsito pesado – conforme o combinado com o Omar e a Secretaria do Meio Ambiente? A que nos mostrou o documento da reforma na jaula dos macaco aranha. Abraços e bom final de semana a todos.

  3. Sondagem
    sexta-feira, 23 de abril de 2010 – 20:40 hs

    Ops….. o Pablito não é o fotografo da COHAPAR?????

  4. Bicudo
    sexta-feira, 23 de abril de 2010 – 20:43 hs

    Moradias Faxinal é aquela que fica na divisa com Colombo onde a ?COHAB fez aterro com caliça e a CAIXA aceitou!!!!!?????

  5. Alerta
    sexta-feira, 23 de abril de 2010 – 20:53 hs

    Foi o Luciano ou a Prefeitura Municipal de Curitiba?

  6. Dieter
    sexta-feira, 23 de abril de 2010 – 22:39 hs

    Boas ações como essa merecem elogios, mas é necessário que a Prefeitura desenvolva ações para que não ocorra a ocupação das margens dos rios novamente.

  7. Bicudo
    sexta-feira, 23 de abril de 2010 – 22:48 hs

    Foi a PM de Curitiba na administração ainda do Beto

  8. Pedro
    sábado, 24 de abril de 2010 – 0:00 hs

    …e vão vender por quanto?.. Saem do Atuba e vão pro Guarituba?… Acho que esse tipo de atendimento é atestado de incopetencia… primeiro se invade uma area de risco e nada acontece… depois eu ganho uma casa com toda infraestrutura… e posso vender ? … pra quem paga imposto e entra na fila da COHAB não tem?

  9. Pedro
    sábado, 24 de abril de 2010 – 0:07 hs

    …em tempo! Para os realocados – 51 é uma boa ideia!….Opsssssssssss!!!!!… será que não estou sendo politicamente correto? Ou estarei incorrendo em algum crime de discriminação? Se for assim desculpem – ” SOU HUMANO”

  10. Colombense Irado
    sábado, 24 de abril de 2010 – 9:21 hs

    E por falar em Rio Atuba, vale dizer que é uma vergonha a situação desse Rio que corta vários bairros e municípios: assoreado, um carreadouro de esgôto e depósito de lixo de todo tipo, dentre outros adjetivos.

    Aí pegunta-se: por que os municípios não se unem e traçam um plano para revitalização e recuperação do rio Atuba ? Será que só pensam nele quando ocorrem as enchentes ? Será que não vêem que água é vida ?

    E por falar em obras, denuncio que obras de asfaltamento provocaram enchente no bairro Jardim Jalisco em Colombo !

    As obras realizadas pela prefeitura a Colombo na Avenida Londres (prolongamento da Rua Máximo João Kopp – Curitiba), estão provocando alagamento em toda a região, afetando moradores dos bairros Santa Cândida (Curitiba) e Jardim Jalisco/Vila Guaracy (Colombo).

    Há mais de uma década, mesmo com as mais intensas chuvas dos últimos tempos, não ocorriam enchentes na região. Porém, após o início das obras na referida avenida, basta uma chuvinha para colocar todos os moradores em alerta.

    Com o avanço das obras, a situação piorou. No momento (12:21, 23/04) há várias quadras alagadas. Segundo alguns moradores, a Defesa Civil prevê que o rio irá subir um metro acima do nível normal.

    O que todos querem saber é porque os engenheiros da empreiteira responsável pelas obras não previram que isso poderia ocorrer e não tomaram as medidas de engenharia cabíveis ?

    Despejar toda água das ruas asfaltadas foi uma decisão de engenharia sensata ? O trecho retificado do rio Atuba, há anos não é dragado… A ponte existente no local é estreita, provocando represamento.

    E que as autoridades não venham com a desculpa de que foi o volume das chuvas que provocaram as enchentes !

    Devem assumir que fazem obras, canalizam toda água para o Rio Atuba, que encontra-se “assoreado” e “maltratado” por todos !!!!

    Cadê as matas ciliares, praças,parques e jardins ? Cadê as campanhas educativas contra o uso do Rio como escoadouro de lixo urbano ? Cadê a conscientização da população de que bebemos a água desse Rio ?

    Com a palavra o prefeito J. CAMARGO !

  11. ainda é cedo
    sábado, 24 de abril de 2010 – 9:59 hs

    A saúde de Curitiba é modelo para o Brasil, a peça chave para atinger qualidade são as mãos do atual prefeito.
    O principal segredo deste sucesso provem do contato direto com a população, através dos agentes de saúde.
    Esse modelo deveria se estender para outras secretarias, que ainda vivem na cultura da multa e da repressão ao cidadão, ao invés de utilizar a conscientização e boa educação.

  12. Sergio
    sábado, 24 de abril de 2010 – 11:02 hs

    Isso quem deveria ter feito é a COHAPAR, mas enquanto os diretores só pensam em mandar gente embora e acharem que o Pac é besteira, a urbanização e a regularização da região metropolitana vai virar apenas um sonho e promessa.
    Os diretores ainda vão acabar respondendo por improbidade administrativa por inviabilizar prazos e projetos. Aguardem….

  13. Alessandro T
    sábado, 24 de abril de 2010 – 11:44 hs

    Muito bom.
    A desocupação já aconteceu em outras áreas na administração do Beto Richa, com sucesso.
    Considerando o ‘modus operandi’ de alguns políticos famosos (principalmente dos anos 80 e 90), é provável que esse povo tenha invadido com auxílio de atuais membros do legislativo.
    Agora para o Pedro: você já viu as casas da COHAB para onde essa galera vai? Melhores que os barracos, com certeza, mas eu não moraria lá. Conheci algumas comunidades da COHAB formadas de pessoas saídas de áreas de manancial (alguns literalmente de debaixo da ponte). São muito pequenas e a maior parte delas são vendidas por trocados em poucos meses (até porque muitos dos moradores são viciados em crack).

  14. vilmar
    sábado, 24 de abril de 2010 – 11:51 hs

    Daqui a pouco vendem a área para os amigos empreiteiros, mandam os blogueiros dizerem que é bom e fica tudo por isso mesmo.

  15. Anonimo
    sábado, 24 de abril de 2010 – 19:15 hs

    Foi o Luciano mesmo? A COHAB não tem apoio estadual ou federal? Ou mesmo se nao tem, não é a prefeitura que tá fazendo isso?
    Agora vai começar a rasgação com o Ducci…

  16. Alessandro T
    domingo, 25 de abril de 2010 – 0:08 hs

    “Anônimo”, vou lhe ajudar: COHAB é uma denominação comum em várias cidades, mas normalmente é pessoa jurídica restrita ao município e região.
    A de Curitiba tem a Prefeitura como principal acionista.
    Mais informações: http://www.cohabct.com.br/conteudo.aspx?secao=25
    É preciso conhecer pra falar, bem ou mal.

  17. Juliano
    quinta-feira, 20 de maio de 2010 – 12:00 hs

    Só para registrar vocês sabiam que toda aquela região do Santa Cândida não tem rede de esgoto?
    E somente o pessoal que invadiu a bera do rio ganha o tratamento de esgoto?
    E todos os moradores que a mais de 30 anos moram no local e nunca contaram com este benefício, que aliás é exigido pela Sanepar.
    Agora aquela região toda é conhecida como o entorno do Faxinal, não mais de Santa Cândida.
    Ficam também algumas questões
    – Estrada do Santa Cândida sem calçadas sem acostamento.
    – Linhas de ônibus 2 Banestado/California (que atende colombo também) e Olaria serão suficientes?
    – Creches (segundo o conselho tutelar já não existe vaga para a população em 2008)
    – Escolas
    – Pavimentação? A pavimentação oferecida é pavimentação primária ou seja Saibro.

  18. Vitor Eduardo Ferreira Da Silv
    sábado, 7 de novembro de 2020 – 18:50 hs

    Minha é do meu pai casa está de caso de risco

  19. Isaías salvino da silva
    sábado, 7 de novembro de 2020 – 18:53 hs

    Eu meu filho estamos com a casa em estado risco

  20. Vitor Eduardo Ferreira Da Silv
    sábado, 7 de novembro de 2020 – 18:54 hs

    Risco
    Risco
    Risco
    Risco
    Risco
    Risco
    Risco
    Risco

  21. Vitor Eduardo Ferreira Da Silv
    sábado, 7 de novembro de 2020 – 19:10 hs

    pesso ajuda

  22. Vitor Eduardo Ferreira Da Silv
    sábado, 7 de novembro de 2020 – 19:14 hs

    Não tem rede descoto o cheira mal tem rede de energia sinto dores na cabeça por causa da pratinha

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*