Estado corre o risco de perder a Copel | Fábio Campana

Estado corre o risco de perder a Copel

Do Bem Paraná

Caso a resolução sobre a multa do Banestado seja aprovada no Senado, lembra o governador Orlando Pessuti (PMDB), ainda restará o problema das ações da Copel, que foram arroladas como garantia ao pagamento de títulos dos estados de Pernambuco, Alagoas e Santa Catarina e das cidades paulistas de Osasco e Guarulhos. “O risco que nós corremos hoje é de virmos a perder o controle acionário da nossa principal companhia”, afirmou Pessuti.

Segundo o governador, a questão da Copel poderá resolvida na Justiça, onde está atualmente, ou em um acordo. “Queremos uma solução definitiva para o Estado do Paraná. Qualquer entendimento tem que ser compreendido, entendido e aceito pela nossa Procuradoria, nossa Secretaria da Fazenda, e resolva definitivamente a questão”, afirmou o governador.

Dívida

Em 1998, o Estado do Paraná fez uma dívida de R$ 5,6 bilhões junto ao Governo Federal para sanear o Banestado e vendê-lo. Na privatização, em 2000, o Estado recebeu R$ 1,6 bilhão, que serviu para quitar parte da dívida, que passou à R$ 4,2 bilhões. Até abril de 2010, o Paraná já pagou um total de R$ 7,9 bilhões e o saldo devedor ainda é de R$ 9,1 bilhões. Os pagamentos mensais chegaram à R$ 65 milhões e estão previstos até o ano de 2026.


19 comentários

  1. Sabrina
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 9:40 hs

    Se o Estado perde o controle acionário, a Diretoria e o Conselho de Administração mudam. Não sei se isso é ruim. O provável é que surjam pessoas competentes por lá, assim tipo do aí do lado – Prof. Belmiro!!!

    A Copel não é uma empresa que não precisa mudar, precisa e muito. Eu quero muito mais da Copel!!!!

  2. Obrigado Lerner
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 9:55 hs

    Temos que agradecer aos Jaime e aos deputados que fizeram essa sacanagem.

  3. ELOHIN
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 9:59 hs

    Por má gerencia inabilidade falta de bom senso do ex-governador Roberto Requião e que essa situação foi criada, pela truculência e prepotência do imperador que só não botou fogo no estado porque não teve chance, mas que pode apagar as lâmpadas e fazer voltar as velas do seu luz fraterna com letra minúscula sim pois ele fez cortesia com chapéu alheio. Prejudicou o estado e os cidadãos por conseqüência, para ele a máxima de Gobbs não valeu falou tanto e nada fez deixa o estado sem a marca da intolerância e da ditadura imperial do megalomaníaco, Louco e o louco que pensa que pensa , louco e o governador que pensa que foi imperador!
    A perda da Copel e o preço da ingerência e da falta de discernimento , uma visão obtusa e míope , não e a visão de um estadista e sim a visão medíocre de um megalomaníaco que estava na gerencia do estado.
    Espero que o Governador atual continue sendo justo e se conserve no bom senso que lhe e característica e faça uma campanha pautada na justiça e segurança e é o que o povo do estado precisa.

  4. Jose Carlos
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 10:17 hs

    Salvo engano, está a se dizer muita besteira sobre este assunto… um dos assessores graduados do governo, numa das escolinhas de amestração de Mello e Silva, esclareceu que as ações dadas em garantia são ações preferenciais, ou seja, ações sem direito a voto, assim, nenhuma alteração advirá no tal “controle acionário” da preciosa jóia da quinta comarca… o resto é conversa mole para boi dormirtar, coisas da roça do Paraná e de seus jecas que nada sabem sobre o assunto e deitam a falar asneiras sobre a “firma” e seus “donos”… uaaauuuuu, diria Paulo Francis

  5. jose cunha
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 10:58 hs

    Isto nos devemos ao f..da luta dos DEP ESTADUAIS, que votam na zona da AL, a venda do BANCO ESTADUAL, AGORA TEM MTOS AI, PEDINDO VOTO PARA REELIÇÃO, TEM DEP ATÉ CANDITADO AO GOVERNO, POVO VOTOS NELES NULO

  6. BAZIIINGAAAAAAA
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 11:18 hs

    E se não for “salvo engano”, será uma tetinha a menos pra os ‘cupinchas’ mamarem,
    O quê venhamos, é muito bom !!!

  7. Raul Maleatto
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 11:23 hs

    Pare de assistir The Big Bang Theory e procure se informar mais sobre o assunto, Sr. Bazinga

  8. GRU GRU GRU GRA GRA GRA
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 11:26 hs

    SE NÃO PERDER AGORA VAI PERDER COM A ELEIÇÃO DO BETO RICHA PARA GOVERNADOR, POIS QUANTO ELE ERA DEPUTADO ESTADUAL VOTOU A FAVOR DA PRIVATIZAÇÃO DO BANESTADO E A COPEL ESSE É O PERFIL DOS GOVERNANTES DO PSDB VENDER O BRASIL..

  9. injuriado
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 11:49 hs

    É a herança do Lerner e seus aloprados, incluindo ai o Sr. Beto Richa, deputado do Lerner, vice do Taniguchi, ladeado pelos Lernistas…

  10. O democrata
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 12:14 hs

    Se quando o Banestado foi vendido o seu “Rombo” já era de 5,6 Bilhões,se tivesse ficado estatizado como muitos querem,hoje este Rombo seria de quanto???, quem fez este rombo foram Deputados,Vereadores ,amigos do Rei,não foram as pessoas comuns deste Paraná q.trabalham e pagam seus tributos.

  11. É
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 13:06 hs

    O Beto ainda não está no Palácio. e vc já esta vaticinando

  12. Calunga
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 13:33 hs

    Seria ótimo.

  13. BAZIIINGAAAAAAA
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 14:25 hs

    Sr. Raul Maleatto.
    A estrutura da COPEL foi concebida num período de economia planificada em que o poder central ficava encarregado de decidir a respeito dos investimentos, distribuição dos recursos necessários à produção, consumo e metas a serem atingidas.
    Exemplo dessa chamada economia planificada podemos identificar no Brasil como o processo desenvolvido durante o período de 1964 a 1985 ( PND’s) em que os aparelhos de produção eram controlados pelo estado.
    Hoje em dia poucos economistas, mesmo socialistas, ainda defendem a economia planificada que só existem ainda em Cuba, Coréia do Norte e Mianmar .
    Todo processo de privatização desde que seja “justo” é benéfico, pois desonera o estado do ônus de sua manutenção, assim como, melhora e moderniza o aparelho produtivo , como também acaba com o cabide de cargos para premiar os membros da corte .
    Lembra como era a telefonia antigamente !
    A principal função do estado é fiscalizar e arrecadar o que é seu.
    A iniciativa privada é que deve assumir os riscos do setor produtivo !
    Eis a questão !!!!!

  14. TO LIGADO!
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 14:48 hs

    É ilegal! Não poderiam ter dado mais ações do que existe na Companhia. Se o banco quizer exercer, o escandalo da Assembléia sera briga de coroinha, perto das implicações juridicas ocasionadas por este ato. Ai é cadeia pura!

  15. Laila
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 15:13 hs

    Seria bom mesmo que privatizassem.

    O Banestado não faz falta nenhuma para a sociedade. Só faz falta para os políticos e quadrilheiros que ali faziam suas negociatas.
    estamos mil vezes melhor sem ele.
    Não vejo por que a energia elétrica e o tratamento e distribuição de água não podem ser privatizados através de concessão como é em todo o mundo civilizado.
    A COPEL já foi uma empresa eficiente. Hoje é um arremedo do que era. A Eletropaulo, Tractebel e Light, ao que me consta não são piores que a COPEL.

    Ao invés de ficar se metendo onde não é necessário, o Estado deveria cuidar de suas obrigações, como a segurança pública, por exemplo, que é um LIXO.

  16. clovis
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 15:31 hs

    O pior que “dar de presente a Copel” é ver os neoliberalistas (entreguista e anti-patriotas- PSDB E DEM- jaime lerner e fhc) estarem soltos. Se o serra ganhar, com certeza ele irá dar de presente o BB-Petrobras-Caixa- rodovias e etc….

  17. daniel
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 16:32 hs

    Se a COPEL tivesse sido privatizada, nao teriamos uma diretoria mediocre, como a que ai esta. Teriamos uma empresa dirigida por profissionais competentes, como e a maioria das empresas de energia do pais (privadas e eficientes, pagando muito mais impostos ao governo). Os que estao felizes com a nao privatizacao sao os atuais diretores que tem uma bocao com salarios astronomicos. Ao povo resta dizer ingenuamente, a Copel e nossa- e nossa, e nossa coisa nenhuma. Vc. continua pagando sua conta de luz e os apadrinhados recebendo seus polpudos salarios.

  18. TUKU NARE
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 19:35 hs

    Quem comprou esses preciosos titulos, o Parana se F….., PORQUE OS TITULOS SAO FALSOS, que absurdo, porque os devedores nao tem os recursos
    tambem bloqueados para pagar o que deve. nas negociaçoes os nossos representantes so entram com o Tra…………………………………………

  19. EDUARDO
    segunda-feira, 26 de abril de 2010 – 20:01 hs

    EH JAIME LERNER, ATÉ HOJE DANDO TRABALHO AO ESTADO DO PARANÁ.
    DEU O BANESTADO,
    DEU AS ESTRADAS
    E POR TABELA A COPEL

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*