Escada impede Graça de aplaudir o filho orador | Fábio Campana

Escada impede Graça de aplaudir o filho orador

O deputado federal Wilson Picler tem grande oportunidade de mostrar seu engajamento em políticas públicas que garantem acessibilidade a portadores de deficiências físicas, especialmente em lugares públicos.

Anote-se: em maio próximo, Jefferson Gomes Dilva, filho da jornalista Graça Gomes, forma-se em Ciências Políticas, da Facinter/Uninter. O Curso é de boa qualidade reconhecida pelo MEC. Só que a mãe, se persistirem as situações atuais, não poderá ver a diplomação do filho, que será o orador da turma. E por uma simples razão:
programada para o auditório da Facinter, um velho espaço no antigo Colégio Divina Providência, Rua do Rosário, o local é de impossível acesso, um desafio mesmo para gente jovem e sem deficiência física.

Acontece que Graça tem sérias limitações físicas, anda de muletas, decorrência de alegado erro médico.
Veremos o que faz o deputado federal.


10 comentários

  1. Fabiana Osni Silva
    terça-feira, 6 de abril de 2010 – 21:43 hs

    Olha bem colocada, essa situação, afinal já esta na hora desse deputado começar a mostrar trabalho.

    Mas possivelmente se ele resolver isso vai colocar uns 50 placas na cidade anunciando “feito” que deveria ser obrigação por se tratar de uma universidade.

    PICLER trabalho aparece mais que placa.

    bjos

  2. REC
    terça-feira, 6 de abril de 2010 – 21:53 hs

    Tenho certeza que o Deputado Federal Wilson Picler, tomara as devidas providencias , pois o espaço é realmente pequeno e sobre o curso é de otíma qualidade e já aproveito para parabenizar o exelente trabalho desenvolvido como parlamentar em Brasília a favor de nosso Estado

  3. debora
    quarta-feira, 7 de abril de 2010 – 0:45 hs

    Nossa…
    é um problema sério realmente…
    mas espero que o nobre deputado faca mais que uma rampa no local. Faca o que é obrigacao dele fazer… pois afinal nao foi para isso que foi eleito? ou estou enganada? Nao é para isto que ele recebe um “belo” salario pago por nós contribuintes?
    Espero que o povo abra os olhos nas próximas eleicoes…..acordem

  4. Claudia Wasilewski
    quarta-feira, 7 de abril de 2010 – 7:19 hs

    Fábio, que ótima oportunidade.
    O teatro jamais poderia ser lá. Quando eu era criança, as meninas com paralisia infantil sofriam para subir a escada. Sou deste tempo. Tinha uma outra escada na biblioteca que era a entrada pela coxia, mas era ainda pior. Deve existir ainda e não resolve. Mesmo com uma plataforma externa, teria que entrar pelo prédio novo, juro que um dia foi, subir de elevador até o primeiro andar, atravessar a “ponte” até o pátio de cima do prédio velho. Para aí sim usar a plataforma.
    Quando o Divina estava sendo reformado, entrei lá para dar uma olhada, questionei o teatro e o arquiteto disse que seria totalmente remodelado. Deve ter ficado bonito, como sempre bonito.
    Espaços térreos existem para serem transformados ou usar o prédio novo que tem elevador. É só querer.
    Minha sugestão para maio, é que se feche com uma bonita tenda o antigo parreiral, na entrada da rua do Rosário.
    Mostrem que as coisas mudaram lá. Que hoje existe respeito e que o preconceito secular foi banido definitivamente. Sei bem do que falo.
    Com boa vontade a Graça vai aplaudir o filho sim.

  5. TERRA FIRME
    quarta-feira, 7 de abril de 2010 – 9:45 hs

    O grupo fundado pelo deputado Picler fez vários investimentos em ensino, cresceu, tem presença nacional. Na verdade, não se entende que a cidade-sede da instituição tenha como auditório aquela armadilha: além de a ele se ter acesso por três escadas quase intransponíveis, parece que a sala não tem nem saída de emergência.
    O auditório é do começo do século XX, concebido para atender às doces donzelas, lépidas e fagueiras, que eram alunas das irmãs da Divina Providência. Hoje a realidade é toda outra…

  6. Pé-Vermelho (Original)
    quarta-feira, 7 de abril de 2010 – 9:56 hs

    Este REC é Assessor do Wilson? Com este comentario, vai garantir o emprego rs rs
    Mas será q precisa ser denunciado para depois agir? Q vergonha isto. Investe milhões em propaganda e em Equipamentos de transmissão televisivas, mas nao se preocupa com espaços fisicos e acessos

  7. FARO FINO
    quarta-feira, 7 de abril de 2010 – 10:01 hs

    Esse nóbre deputado que em Dez meses conseguiu 12 milhões em emendas e BLÁ BLÁ BLÁ.
    Alguém avisa ele que esse tipo de coisa é poilitica arcaica migué do brabo.
    uma sugestão, manda ele frequentá a sua faculdade lá tem formação em ciências politicas.
    PARANÁ fica de olho ein.

  8. Capitão Gancho
    quarta-feira, 7 de abril de 2010 – 10:06 hs

    Nem divina será a providência se o parlamentar não mostrar para que veio ou foi votado.
    Eu não simpatizo muito com o povo argentino, mas sem dúvida são mais politizados e briguentos pelos seus direitos.
    A “pacividade brasileira” há anos vem patrocinando acontecimentos de descaso para com os direitos da cidadania.
    Ta faltando é panelaço do povo interio, não só das mulheres.
    Basta ver a situação em que se encontra a Assembléia Legislativa, nossa casa de leis.

  9. Adriano DAIKEN
    quarta-feira, 7 de abril de 2010 – 10:08 hs

    Excelente trabalho desenvolvido?

    Meu amigo primeiro ele deve ser mais simpatico e saber conversar com as pessoas, ai pode-se começar analisar o seu desempenho em Brasilia.

  10. Astrinha
    quinta-feira, 8 de abril de 2010 – 7:57 hs

    Como estudei na Facinter conheço bem o espaço. Não acho de toda justa esta reportagem pois que até elevador para garantir a acessibilidade o Sr. Picler mandou instalar além de rampas próximas a cantina. Mas é fato SIM que para o acesso ao teatro (até o momento em que estudei lá) não havia.
    É um erro que precisa ser consertado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*