Clementino Vieira na Secretaria do Trabalho | Fábio Campana

Clementino Vieira na Secretaria do Trabalho

Nem Milton Alves do PCdoB, nem Fernando Peppes, nem Geraldo Serathiuk. Clementino Vieira do Sindicato dos Metalúrgicos e da Força Sindical tem tudo para ser o novo Secretário do Trabalho, segundo fontes do Palácio das Araucárias.

Clementino é primeiro suplente de vereador de Curitiba. Para que seja confirmado, Clementino deverá deixar a presidência da Confederação Nacional dos Metalúrgicos.


17 comentários

  1. João Rodrigues
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 10:40 hs

    Fábio,

    Uma sucessão de erros. Primeiro, preterir o Fernando que tem o controle da máquina e goza de prestígio entre os funcionários. Segundo, não levar em conta a competência técnica e capacidade política do Geraldo. Terceiro, privilegiar uma corrente do movimento sindical e relação à demais centrais. De qualquer forma, a nota é velha. Já se sabia desse convite desde sexta-feira passada.

  2. MUTUKA
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 11:01 hs

    Outra cortina de fumaça!

    Quem será o novo Secretário do Trabalho é o LAGARTA DA FÔIA.
    Isso mesmo, MESSIAS DA SILVA.

  3. Carla Romanelli
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 11:03 hs

    Clementino Vieira, quem é este senhor? qual sua história de trabalho, pelo que sei até a poucos dias era dirigente do sindicato dos metalurgicos de Curitiba e com o falelcimento do Heleno Presidente do Sindicato dos Metalurgicos de São Paulo e da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalurgico CNTM em Brasilia.

    Assim Clementino assumiu a CNTM, e mais nada, não esta preparado para ser Secretário de Estado, e se o governador Pessuti entrar nesta de querer atender somente uma central Sindical que tem somente um Sindicato forte, e com grana em Curitiba e preterindo, todas as outras entidades dos Estado.

    E como ficam os outros companheiros,,, da CUT, CTB,UGT,CGTdob,NOVA CENTRAL SINDICAL,

    Até porque o Sérgio Butka presidente da Farça sindical é filiado ao PDT e agora vai apoiar o Osmar ou Pessuti?

    E ainda,,,,,,,,,,, Não estou exagerando o Crementino, só conhece as empresas em que entregou jornal do sindicato, não conhece o Paraná, vai se uma tragédia.

  4. Manoel
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 11:33 hs

    Mas o Pessutti vai se render, novamente, aos pelegos dos sindicatos? A SETP é coisa séria, Não pode ser cabide de empregos para ninguém.Deixa o Peppes trabalhar. Ele sabe tudo sobre a secretaria, Além do mais, são poucos meses até a eleições. Com certeza se vier alguém de fora, vai querer arrumar boquinha para seus peleguinhos e parentinhos.

  5. Pé-Vermelho (Original)
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 11:45 hs

    Pode até ser… Pessute almoçcou com a moçada da Força Sindical e dos Metalurgicos segunda feira… E pela fisionomia do Peppes (presente durante o almoço), o cardápio devia estar meio indigesto. Sei q o Clementino foi convidado… só depende dele agora.

  6. Manda Brasa
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 12:27 hs

    Deixa o Pessuti governar… Política é coisa de gente grande

    Esta carla Romanelli é assessora do peppes? pelo jeito conhece acompanha bem de perto… tá de olho na manutenão da bokinha. Só nao sei qual a representatividade politica dela rs rsr

  7. quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 13:19 hs

    Volta Requão!

  8. Serguinho Manala
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 14:25 hs

    O Lagarta da Foia vai voltar para a Assembléia, vai pegar de novo aquele “carguinho” que ele teve até 2007.

  9. Junior Albuquerque
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 14:26 hs

    fofoca

  10. Sérpico
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 14:53 hs

    Arrum uma boquinha para o Mario Gago!

  11. quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 15:10 hs

    Fernando Peppes, Messias afundaram a SETP. É só perguntar para os técnicos da secretaria.
    Nunca houve uma administração tão incompetente como a desses senhores.
    Por o Clementino como secretário e para afundar de vez o barco.
    Parece que o governo do Pessuti vai ser pior do que o do Requião.
    Quem viver verá.

  12. Carla Romanelli
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 15:38 hs

    Clementino Vieira
    ——————————————————————————–
    Vejam curriculo do nobre futuro Secretário, vejam como estava cera acima, o cara só foi torneiro mecânico e panfleteiro.

    Temos que cuidar para ele não perder o dedinho em acidente se dai o CV é para ser Presidente da República, para secretario do Trabalho tem que estudar um pouquinho.

    12/03/09 – Fonte: Redação CNTM

    Clementino Vieira

    Clementino Tomaz Vieira nasceu em Curitiba, no dia oito de fevereiro de 1963. Com três anos de idade foi morar na Vila Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, primeiro conjunto habitacional do Brasil. Clementino cresceu no bairro que viria a se tornar o principal nicho das empresas metalúrgicas da capital paranaense: a Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

    A história de Clementino sempre foi ligada às suas raízes: a classe trabalhadora. Sempre acostumado com a simplicidade, esteve dia após dia em contato com o trabalhador.

    Desde jovem se interessava pela metalurgia. Com 15 anos decidiu estudar para se tornar um torneiro mecânico. De 1977 a 1979, Clementino cursou mecânica geral no Senai. Nesta época trabalhou como estagiário para a empresa Case New Holland.

    Depois do término do curso, enquanto trabalhava na empresa Nippondenso Compressores, conheceu e filiou-se do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba. Durante os anos 1986 e 1987 trabalhou como metalúrgico para a Bosch e em 1987 começou a trabalhar para a Hübner.

    Em 1989 participou da eleição do sindicato e foi eleito suplente da diretoria. A partir de então começou a militar pelas causas dos trabalhadores. Como diretor de base do sindicato ajudava a informar os metalúrgicos da empresa Hübner sobre seus direitos.

    Sua primeira participação em uma manifestação do sindicato foi em 1989, durante a mobilização sindical pela campanha do então candidato à presidência Luis Inácio Lula da Silva.

    Após dois anos militando como diretor de base pelo sindicato, Clementino foi chamado para trabalhar mais intensamente com a entidade e em 1991 foi licenciado para trabalhar apenas no sindicato.

    No ano de 1992 participou ativamente do Fora Collor, que resultou no impeachment do então presidente do Brasil. No mesmo ano, Clementino foi ferido gravemente durante a greve da empresa Producta. O evento ficou marcado na história do Paraná pela brutalidade com que a Polícia Militar atuou. Como conseqüência desta greve, Roberto Requião, que na época era governador do Paraná, baixou um decreto proibindo a polícia de atuar em qualquer movimento social ou trabalhista.

    De lá para cá Clementino participou de vários eventos que visavam melhorar a qualidade de vida e lutar por melhores condições de trabalho para os trabalhadores do Paraná.

    Em 1997 foi eleito secretário de formação profissional da Força Sindical do Paraná. Durante seu mandato foi criado o projeto de Qualificação dos profissionais de metalurgia. Com esta nova ferramenta de apoio os metalúrgicos participavam de cursos de qualificação gratuitamente aumentando sua capacidade de trabalho e seu conhecimento. O projeto segue até hoje.

    A partir de 2002 o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, intensificou a luta pela redução da jornada de trabalho e pela participação dos trabalhadores nos lucros das empresas contratantes. Hoje é a entidade é a que mais conquista acordos de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) em todo o Brasil.

    Uma das principais bandeiras do sindicato é a luta pela redução da jornada de trabalho. Apesar de já ter conquistado o benefício para mais de 35 mil metalúrgicos, esta continua sendo uma das maiores lutas do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba.

    Em 2005 o trabalho de Clementino é reconhecido nacionalmente. Neste ano o líder sindical metalúrgico é eleito para o cargo de secretário de finanças da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos – CNTM, a maior confederação de trabalhadores do Brasil.

    No ano de 2008, Clementino é uma das principais lideranças sindicais do País a militar na Campanha Nacional pela Redução da Jornada de Trabalho para 40 Horas Semanais sem Redução Salarial. A medida vai gerar 147 mil novos empregos no Paraná e 2,2 milhões no Brasil.

    Como vice-presidente da CNTM, viajou por todas as regiões do País para debater com os dirigentes das Federações e Sindicatos dos Metalúrgicos filiados à Confederação o momento econômico, as ações emergenciais contra os efeitos da crise financeira global no País, os resultados das últimas campanhas salariais e as necessidades regionais e as reivindicações da categoria metalúrgica.

    Clementino Vieira foi eleito presidente da CNTM no dia 18 de fevereiro de 2009 em processo eleitoral realizado no Palácio do Trabalhador, em São Paulo/SP, sede da Força Sindical e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, com a participação de dirigentes sindicais dos metalúrgicos de todo o País. Tomou posse em 10 de março de 2009, juntamente com os demais dirigentes eleitos da Chapa Ampliando Conquistas, em solenidade realizada em Brasília/DF.

  13. SSTZBR
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 16:23 hs

    O “”CREME”, não é mole não.

    Na realidade pra ele só vai sobrar é pagar a divida de campanha que o levou a 1ª Suplencia, que tramita na 22ª vara.

    E quem decide na Força Sindical chama-se SERGIO BUTKA.

  14. Pé-Vermelho (Original)
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 17:03 hs

    hahaha
    Este Clementino pode até nem aceitar ser Secretário….mas q já tá incomodando os leitões e leitoas que adoram mamar deitados, isto está. Já foram até pesquisar o kara. Esta Carla tá no desespero.

  15. Observador
    quarta-feira, 14 de abril de 2010 – 22:42 hs

    Fernando, Fabio, Braz, Messias… nossa quanta incompetência… fora turma do Nelson Garcia…Ministerio Publico de olho…

  16. Paulo José Zanetti
    quarta-feira, 21 de abril de 2010 – 16:50 hs

    caso se confirme esta notícia, pela primeira vez teremos efetivamente nalgúem preocupado com a melhoria das condições de vida dos trabalhadores….vamos torcer para seja verdade..Paulo Zanetti – Diretor Institucional dos aposentados no Brasil

  17. Jhon Pinheiro
    sexta-feira, 3 de dezembro de 2010 – 10:22 hs

    Realmente… Fernando e Messias… Afundaram a secretaria do trabalho…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*