Caso do Banestado pode ser votado hoje | Fábio Campana

Caso do Banestado pode ser votado hoje

Do Paraná Online

O projeto de Resolução do senador Osmar Dias (PDT) que acaba com a multa cobrada pela Secretaria do Tesouro Nacional ao Paraná pelo não pagamento dos títulos adquiridos na privatização do Banestado pode ter sua constitucionalidade votada hoje, na sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Na noite de ontem, Osmar, o governador Orlando Pessuti (PMDB) e outros representantes do Paraná no Congresso, teriam reunião com o senador Antonio Carlos Magalhães Júnior (DEM/BA), relator do projeto na CCJ, para convencê-lo a dar o parecer favorável ao fim da multa, que hoje é de cerca de R$ 60 milhões mensais.

Há quase um ano nas mãos do relator, o projeto ainda não foi submetido à CCJ por conta da resistência de ACM Júnior em dar parecer favorável ao tema. Em reunião com Pessuti e a bancada paranaense, o senador baiano teria mostrado-se disposto a rever sua posição.

Um plano B teria sido articulado entre paranaenses e representantes do governo federal, que sugeriu voto em separado do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), seria a garantia de que o projeto chegaria ao plenário. A CCJ reúne-se às 10h.


Um comentário

  1. Jose Carlos
    quarta-feira, 28 de abril de 2010 – 10:22 hs

    No fundo, no fundo, Pessuti é aluno de Mello e Silva e frequentou quase todas as aulinhas deste… à mingua de um projeto consistente de governo – que Mello e Silva também jamais teve em seus três governos – o neo-governador busca os mesmos moinhos de vento para combater, agora como o Sancho Pança que tomou a lança de seu mestre… como Mello e Silva deixou o orçamento engessado com seus “projetos” (sic) e o erário sem um tostão furado para novos programas de governo, resta a Pessuti sonhar com um milagre como a baixa do pedágio e o fim da multa do Banestado para ganhar algum espaço político… o resto é conversa mole para boi dormir… coisas da roça paranaense…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*