Carajás e Tapajós podem ser os novos Estados do Brasil | Fábio Campana

Carajás e Tapajós podem ser os novos Estados do Brasil

Denise Madueño para O Estado de S.Paulo

A Câmara está na iminência de permitir a criação de mais dois Estados no País. Carajás e Tapajós podem surgir retirando a região sul e sudeste do Pará e a divisa do Estado com o Amazonas. Na noite de quarta-feira, deputados aprovaram requerimento para votar em regime de urgência os dois projetos para haver plebiscito nos municípios envolvidos, passo decisivo no processo de formação dos Estados. A decisão dos parlamentares sinaliza para aprovação dos projetos.

Pelas regras na Câmara, é mais difícil conseguir o regime de urgência – mínimo de 257 votos a favor com registro nominal – do que aprovar esse tipo de projeto, com maioria simples e sem exigência de registro de votos.

Os projetos de decreto legislativo, já aprovados pelos senadores, podem entrar na pauta ainda em abril. Concluída a votação na Câmara, serão promulgados, sem necessidade de sanção do presidente da República. E os plebiscitos devem ocorrer em 2011.

Se o resultado da consulta popular for positivo, um projeto de lei complementar terá de ser votado para disciplinar a forma de criação dos Estados. A votação na quarta-feira passada foi apertada e os projetos passaram quase no limite de votos.

Votação

O projeto de Carajás teve 261 votos a favor (4 a mais do que o mínimo), 53 votos contrários e 14 abstenções. No caso de Tapajós, foram 265 a favor, 51 contrários e 13 abstenções.

O deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP) classificou de “aberração” a proposta de criação dos novos Estados. “Estamos criando mais gastos públicos”, protestou. “Os Estados não são viáveis economicamente e quem vai bancar será a União.” Ele apontou como aumento de despesas a necessidade de montar as estruturas como o palácio do governo, tribunais de contas e assembleias legislativas.

Desequilíbrio

Madeira prevê desequilíbrio federativo. Cada Estado tem um mínimo de oito deputados, dependendo da população, e três senadores. “Serão mais 16 deputados e seis senadores”, criticou. “O Pará já tem 17 deputados e três senadores”

O deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA) contestou o tucano, apresentando tabela comparativas do IBGE. O desmembramento de Goiás para dar lugar ao Tocantins resultou, segundo o levantamento, em crescimento de 155% do PIB no período de 1988 a 2006, para os dois Estados, enquanto o crescimento registrado no País foi de 58% do PIB. Crescimento também foi registrado em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, após a divisão.

“Se fizessem estudo de viabilidade econômica para criação de Tocantins, diriam que ele não seria viável. Tocantins era o corredor da miséria e se transformou em potência”, disse Queiroz. “Em Tocantins, 80% das cidades têm água encanada, tratada e potável. No Pará, em 80% das cidades, a água não chega às casas.”

A dimensão territorial do Pará, com a distância do centro de decisão, é apontada pelos defensores dos novos Estados como um fator do fraco desenvolvimento das regiões. Queiroz atribui à ausência do Estado os diversos problemas na Amazônia, como regularização fundiária, falta de promoção social para a população e existência de madeireiras ilegais. “O Estado não se antecipa com ações”, avaliou.

A área de Tapajós ocupa 58% do Estado do Pará. Menos extenso, mas com a maior reserva de minério e a represa de Tucuruí em seu território, a região conhecida por Carajás tem tamanho semelhante ao Equador e um pouco maior do que a Inglaterra.


20 comentários

  1. PABUFE
    sábado, 17 de abril de 2010 – 8:36 hs

    É O NORTE E O NORDESTE AUMENTANDO SEU PODER POLÍTICO EM BRASÍLIA, CONTRA OS INTERESSES DOS ESTADOS DO SUL – RIO GRNADE DO SUL – PARANÁ E SANTA CATARINA. ESTES ESTADOS VÃO PERDER MAIS PODER NAS VOTAÇÕES NO CONGRESSO. FICAM INCLUSIVE SEM PIRES NA MÃO. SE TUDO JÁ VAI PARA O NORTE E NORDESTE DO LULA, MUITO MAIS IRÁ DEPOIS QUE INSTALAREM ESTES DOIS NOVOS BURACOS NEGROS DA ECONOMIA NACIONA, CONTRA O SUL.

    TOMARA QUE VENHA AQUELA CAMPANHA POPULAR = O SUL É O MEU PAÍS= . VAMOS CAIR FORA DESTE BRASIL DO SARNEY, DO CLAHEIROS E OUTROS MALANDRÕES QUE MANDAM EM TUDO E CARREGAM O DINHEIRO DA NAÇÃO.

  2. PABUFE
    sábado, 17 de abril de 2010 – 8:40 hs

    VAMOS COMEÇAR JÁ UMA CAMPANHA PARA CRIAR TRES ESTADOS NA REGIÃO SUL:

    =NO PARANÁ, ESTADO DO IGUAÇÚ.
    =EM SANTA CATARINA, O ESTADO DO OESTE.
    =NO RIO GRANDE DO SUL, O ESTADO DA FRONTEIRA.

    OU RECOMEÇAR A CAMPANHA= O SUL É O MEU PAÍS= E VAMOS CAIR FORA DO BRASIL DO NORTE E NORDESTE. CHEGA DE SUBSIDIAR ESTA TURMA.

  3. Jair Jacoh
    sábado, 17 de abril de 2010 – 8:46 hs

    é mais uma loucura em ano eleitoral.
    camisa de força nesta gente!
    se o legislativo aprovar, que o executivo vete. se o executivo sancionar, que a justiça derrube. se a justiça aceitar, que o povo vá prá rua e impeça a instalação.
    Se é pra brincar, melhor retomar a idéia de dividir o Brasil em dois. Brasil do Sul e Brasil do Norte. Ou serial melhor Brasil e Novo Brasil?

  4. Reinoldo Hey
    sábado, 17 de abril de 2010 – 8:53 hs

    Novos estados, novos deputados federais, novos senadores, novo poder político.
    E o Sul continua sendo um monossílabo tônico que tem u . Só falta trocar duas letras por outra (bem óbvia) para completar a desgraça!
    Patrocínio:IRRITAÚ

  5. VLemainski-Cascavel-PR
    sábado, 17 de abril de 2010 – 10:26 hs

    Sou plenamente favorável à redivisão territorial do país. A França, com o tamanho de Minas, tem 72 estados. Os Estados Unidos do tamanho do Brasil, 50 estados. É interessante que as pessoas fiquem mais próximas do poder. Se em 1992 tivesse sido criado o Estado do Iguaçu (oeste, sudoeste do PR e oeste de Sta Catarina) essa região, com certeza, teria se desenvolvido muito mais. Quanto ao número de políticos, os estados cedentes de território dinimuem o número de deputados em detrimento dos criados.. O resultado positivo da criação de novos estados está exposto nos últimos criados, que se desenvolveram, tais como Tocantins, Rondônia, Acre, Mato Grosso do Sul…
    Quanto ao poder político, se for feita uma reforma tributária e federativa com maior destinação de verbas federais para estados e municípios (hoje a federação fica com 60% dos impostos) pouco será sentido.

  6. sábado, 17 de abril de 2010 – 13:33 hs

    Mais dois estados tetas,deputados estaduais(uns 30 no mínimo) ,vereadores(uns 10 no mínimo),dep.federais(uns 15),senadores( 2 no mínimo), 2 governadores com seus secretários assessores,secretárias..etc…,2 Palácios da Justiça e suas oligarquias,Tribunais do Faz de Contas e suas oligarquias,Assembléias bibinhos,Câmara de bibinhos vereadores,aspones,estruturas desnecessárias,corruPTelas armadas,etc….etc….
    Ah! Já ia esquecendo ,mais votos paracandidato a presidente…
    Chega de teta , chega de PT,chega de corruPTelas,cgeha do chega,nós brasileiros merecemos mais respeito,cambada de safados….

  7. Alerta
    sábado, 17 de abril de 2010 – 13:47 hs

    Cada vez piora as chances dos estados do sul/sudeste consertarem as diferenças no orçamento da União, pois serao mais 6 senadores para o Norte/nordeste, com isso as obras faraonicas que nunca terminao, continuarao.

  8. sábado, 17 de abril de 2010 – 14:01 hs

    o Sul é meu pais!!!
    quero deixar este Brasil!!!

  9. Divanir
    sábado, 17 de abril de 2010 – 18:58 hs

    O sul é o meu país, chega de São Paulo, Minas, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande sustentar esta cambada de vagabundos. É quase certo de que os políticos atuais aprovarão isto, pois abre mais vagas para estes corruptos.

  10. Jose
    sábado, 17 de abril de 2010 – 19:19 hs

    Rei quião pra governador do Tapajós

  11. Englesson
    quarta-feira, 12 de maio de 2010 – 13:30 hs

    É um absurdo isso, mais uma cambada de de politicos mamando nas tetas do governo federal, mas funcionários públicos coçando o saco e ganhando um baba p isso. Uma pergunta, já q o Brasil está com tanto dinheiro p poder bancar essa folha de pagamento de novos governadores, senadores, deputados, vereadores, assessores, secretários, funcionários de altarquias, secretarias e etc, pq ao invés disso não se investe esse mesmo dinheiro na melhoria do S.U.S, das ESCOLAS e UNIVERSIDADES PÚBLICAS? E VÃO A MERDA esse q dizem q o sul e sudeste sustentão o país, sou de Goiás e nós nos matamos de trabalhar igual a todos no Brasil e tenho q leu :” O sul é o meu país, chega de São Paulo, Minas, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande sustentar esta cambada de vagabundos.” PQP!!!!! Então q se divida o país em 27 e ponto final.

  12. Estados Novos,sim e porque não
    quarta-feira, 26 de maio de 2010 – 14:11 hs

    Tem gente que comenta sem ter no mínimo idéia da besteira que escreve. O que tem o PT com a criação dos novos estados? essa discursão é muito mais antiga do que esse povo pensa. Para citar um exemplo, a primeira vez que se falou em criar o estado do São Francisco (dividindo o estado da BA) foi na década de 80. Outra coisa, quem mora em estados com dimensões muito grandes, como PA, MA, MG, BA, para ficar apenas nesses, sabe muito bem que os investimentos são centralizados em determinadas regiões, ficando o restante da população desasistida. E não adianta dizer que em estados ricdos isso não acontece. O que dizer do Vale do Jequintinhonha em MG, um dos estados mais ricos da federação possuir a região mais pobre. Esse povo adora escrever sem conhecimento de causa, apenas para ser do contra.

  13. Não sabe o que diz
    quarta-feira, 26 de maio de 2010 – 14:21 hs

    Esses espertinho que ficam escrevendo besteira não devem saber que existem também estudos para criação de novos estados em SP e RJ. Mesmo sendo do Sul tenho vergonha desses idiotas que acham que são melhores que os outros, quando na verdade são um bando de retrógrados e mal informados. Tenha compaixão, eles não sabem o que dizem (escrevem).

  14. Concertem o que está errado
    segunda-feira, 28 de junho de 2010 – 19:46 hs

    Com exceção do ultimo comentário do caro amigo, todos outros não sabem o que falam, primeiramente deveriam analisar a condição em que as futuras populações do carajas e tapajos sofrem atualmente com a distancia do governo… falo isso por ter presenciado…pouco por lá se possui um saneamento e saúde adequada, cidades desorganizadas e favelizadas…todo o investimento do governo é realizado apenas próximo a capital do estado sendo que o sul e o sudeste contribuem significamente para o PIB do estado e onde se localiza as grandes reservas de minérios…então caros amigos concertem o que está errado pois estão analisado apenas os vosssos umbigos e esquecendo que as pessoas desses locais a anos lutam para recebrem um olhar digno do governo do Pará. Se liguem nisso!

  15. quarta-feira, 20 de outubro de 2010 – 23:42 hs

    Dividir o país em novos Estados, Territórios e Regiões, é algo que já se devia ter pensado nisto há muito tempo. Nunca é tarde pra começar, aliás já tem tardado demais da conta. Vemos caso de países como: México, França, etc. que são bem menores que o Brasil, tanto no quisito territorial, quanto populacional. Sul e triângulo mineiro, são regiões prósperas desse Estado, porém, o norte ou então o Vale do Jequitinhonha pobre de marré-marré, ou seja, uma área esquecida, “quemsabe onde Judas perdeu as botas”. Se lá atrás, já tivesse sido criado o Estado do Jequitinhonha e sua capital fosse Montes Claros, não haveria tanta miséria naquela área, ainda que houvesse precariedade, com certeza não se igualaria o que se ver hoje, enfim, assim por este Brasil afora. O governo central (federal ou estadual), poderia ter muito mais controle dos problemas locais. Os mineiros do sul e do triângulo nem tem a mínima noção da vida precária que levam os mineiros do norte, assim é com o oeste baiano, o Gurgueia, o sul maranhense e até os confins amazônicos. Espero que antes da COPA-2014, o Brasil já esteja bem dividido, mas, descarte a proposta da divisão do Estado do Rio como cidade-estado é desproporcional e não combina com a nova divisão…

  16. Matheus Signori
    sábado, 23 de outubro de 2010 – 1:41 hs

    Pra quem não sabe, existe um projeto no congresso para até 2015 criar dezoito novos estados (o Iguaçu seria um deles – Oeste de SC e PR), Sou a favor de criar novos estados desenvolve regiões isolada (exemplo disso são os últimos a serem criados – Acre, Amapá, Rondônia, Roraima, Mato Grosso do Sul e Tocantins). Sou do sul do Brasil (Oeste de SC) mas sou contra o sul se tornar país. Sou 100% a favor do Estado do Iguaçu (IG).

  17. Carlos Noronha
    segunda-feira, 22 de novembro de 2010 – 16:18 hs

    A esse senhor que chamou os nordestinos e nortistas de vagabundos, ele deveria lavar a boca antes de falar dessas regiões riquíssimas. Vale salientar que o Nordeste foi o centro econômico do país por cerca de três séculos e praticamente sustentou a Colônia. Ora se o sul e sudeste receberam o apoio do governo federal durante cerca de seis décadas para se desenvolverem é justo que as outras regiões agora recebam. Imagine o que seria São Paulo e alguns outros estados sem a participação do trabalho do NORDESTINO? o que sobraria em termos populacionais e econômicos para tais unidades. Falo por mim, estou muito satisfeito com minha região e não tenho interesse em morar noutro local. Certamente esse senhor que fala mal das outras regiões denota um desconhecimento, uma ignorância extrema sobre Geografia e economia. Sugiro que o mesmo procure ler mais e verá o quão ignorante é acerca do tema em tela.

  18. segunda-feira, 27 de dezembro de 2010 – 0:17 hs

    Quero falar para o PABUFE e o Divanir, que ninguém está desconciderando o sul do país, e o preconceito de ambos é de mal gosto. Este comentário preconceituoso é anti-patriótico, norte e nordeste, sul ou sudeste e até o cento-oeste, tudo isto é Brasil, xenafobia é um atrazo de vida e o censo do ridículo. Se vocês querem atacar, vai direto ao ponto, isto é, aos políticos corruptos, que aliás, o assunto não tem nada a ver com o que estamos falando, que é sobre a criação de novas unidades administrativas (novos estados). Eu não quero aqui dá lição de moral em nenhum de vocês, só acho que vocês poderiam formular melhor o ponto de vista de vocês sem denegrir outras regiões do país, ninguém é vagabundo não, e esta expressão é muito vulgar, pense melhor antes de falar, ok?

  19. Antonio Squadri
    terça-feira, 1 de março de 2011 – 2:23 hs

    Tentem verificar as transferências constitucionais para o nordeste. Vejam o valor irrisório de seus PIBs e a drenagem que essas transferências significam para o Sudeste, que é responsável por mais de 50% do PIB brasileiro. A Região Sul , por incrivel que pareça tem um PIB pequeno. Os números estão no site do IBGE, confusos mas estão. Acho que a região Sudeste deveria se separar do resto do País. A região Sul seria outro país e Norte-Nordeste outro. Talvez todos ficassem melhor, pois essa cascata de subsídios, a exemplo da África, nunca tirou o Norte/ Nordeste dessa condição miserável.

  20. sexta-feira, 12 de agosto de 2011 – 18:49 hs

    isso e perca de tempo

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*