Beto Richa promete a Serra aliança ampla e palanque forte no PR | Fábio Campana

Beto Richa promete a Serra aliança ampla e palanque forte no PR

Por Ivan Santos no Bem Paraná

Ao lado do ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB-MG), o pré-candidato ao Governo do Paraná, Beto Richa (PSDB), participou no último sábado, em Brasília (DF), do lançamento da pré-candidatura do ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), à Presidência da República.

“Esse é um momento histórico. Lideranças que já transformaram esse País reunidas novamente em um projeto para um Brasil que pode e quer mais”, afirmou Beto Richa, em referência ao slogan do lançamento da pré-candidatura Serra presidente: “O Brasil pode mais”. “O Serra é um gestor público que reúne as melhores qualidades para conduzir o desenvolvimento do Brasil. Ele é competente, sério e tem a experiência necessária para assumir essa enorme responsabilidade”, disse Richa.

Logo após o lançamento da sua pré-candidatura Serra chamou Richa para um bate papo. O ex-prefeito garantiu a Serra que o PSDB está articulando uma ampla aliança partidária que oferecerá um forte palanque ao pré-candidato à Presidência da República no Paraná. “Teremos boas novidades já na próxima semana”, avisou Richa. E Serra disse a Richa que, em breve, virá ao Paraná para conhecer os projetos paranaenses que poderão fazer parte do plano de governo que o PSDB apresentará aos brasileiros nas eleições 2010.


12 comentários

  1. Joana D'arc
    domingo, 11 de abril de 2010 – 16:35 hs

    O Beto leva a serio o partido…..em 2006 trabalhou firme pelo Alckmin e Curitiba foi a capital que mais votou no PSDB!!!!!!!!!

  2. 0 brasil pode DIL-MAIS
    domingo, 11 de abril de 2010 – 18:11 hs

    BETO TIRE O CAVALINHO DA CHUVA, pois ate o serra, confessou DILMAIS…………..MAISsssssssssssssssssssssssssssssssssss

  3. CWB
    domingo, 11 de abril de 2010 – 18:18 hs

    NA VERDADE, O BETO TÁ É SE GARANTINDO. TENTANDO ASSEGURAR UMA VAGA NUM MINISTÉRIO QQ CASO O ENFADONHO GANHE A ELEIÇÃO

  4. O brasil pode DIL-MAIS
    domingo, 11 de abril de 2010 – 18:33 hs

    ESE E O BETO, que diz momento historico lideranças, que ja mamaram no passado reunidas novamente, para um projeto de liquigaçao final dese pais, pois queremos..
    m a i s , m a i s, m a i s, ma i s.
    garantiu que, parceiros infieis, nao aparecerao no palanque, para nao manchar a
    nosso reputaçao, IRAO TIRAR FERIAS EM GUARATUBA, com o bloco do NelsonJUSTOS.

  5. TUKU NARE
    domingo, 11 de abril de 2010 – 19:16 hs

    Chego a conclusao que realmente essa e a terra da SANTA CRUZ, e que Deus e brasileiro, e que os recursos naturais aqui sao infindaveis, pois lideranças que ja expoliaram e doaram os nossos bens, se unem novamente paraDECLARAR QUEREMOS MAIS.
    ainda bem que O JOSE SERRA, nos conforta dizendo;………………………………
    em codigo; o brasil pode DIL-MAIS, que alivio.

  6. Polêmico
    domingo, 11 de abril de 2010 – 19:39 hs

    Aliança ampla entre o PSDB da Governadora do RS, do DEM do ex-governador(preso) do DEM do DF e com o PPS…

  7. roberto figueredo
    domingo, 11 de abril de 2010 – 21:01 hs

    DAR A TAREFA PARA ENG PARIZOTO, O QUAL PARTICIPOU DA
    GESTÃO ANTERIOR DO ROMANELLI, COMO DIRETOR DE OBRAS E
    NESTA GESTÃO COMO SUPERVISOR DE OBRA, UMA CALAMIDADE DE INCOMPETENCIA, NÃO CONSEGUIRAM TERMIRAM
    NENHUM CONJUNTO RESIDENCIAS, DIVIDAS COM OS FORNECEDORES, E SER UM DOS ANÕES DA COHAPAR NOS
    SALARIOS. PRECISA SIM OUVIR OS FUNCIONÁRIO DA CASA PARA SE
    CHEGAR A UM NOME, QUE TENHA MAIS COMPETENCIA PARA
    DIRIGIR OS DESTINOS DA COHAPAR E SEUS MILHARES DE COOPERADOS.

  8. barbosa
    domingo, 11 de abril de 2010 – 21:28 hs

    Governo, poder e riqueza
    Os exemplos multiplicam-se e revelam relações surpreendentes. No
    dia 27 de março de 2007, foi inaugurada uma unidade da saúde da Prefeitura
    de Curitiba com o nome de Wallace Thadeu de Mello e Silva, homenagem
    feita pelo Prefeito de Curitiba, Carlos Alberto Richa (Beto Richa), ao
    pai do Governador Roberto Requião de Mello e Silva. A homenagem havia
    sido combinada antes de mais uma das constantes rusgas pessoais e políticas
    entre os chefes dos poderes executivos paranaense e curitibano.
    A homenagem revela as complexas relações que existem no fechado
    círculo de poder que caracteriza a política paranaense. Depois do período
    dos interventores, realizou-se, em 1954, a primeira eleição direta para Prefeito
    de Curitiba, que teve como candidatos, entre outros, o já referido
    Wallace Thadeu de Mello e Silva e Ney Aminthas de Barros Braga, que
    venceria o pleito.
    Ney Braga seria uma das mais importantes lideranças políticas do Paraná
    da segunda metade do século XX, destacando-se na ocupação de cargos
    municipais, estaduais e federais. Ney Braga começou na política com o
    1 Todas as informações políticas e pessoais citadas e contidas no texto foram retiradas de fontes
    públicas disponibilizadas na imprensa, na Internet e no ministério público. As fontes encontram-se na
    base de dados do Núcleo de Estudos Paranaenses, NEP, da UFPR.
    154 SOCIOLOGIAS
    Sociologias, Porto Alegre, ano 9, nº 18, jun./dez. 2007, p. 150-169
    apoio do então cunhado, o Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, que
    era filho e genro de Governadores do Paraná.2 Ney Braga foi chefe de
    polícia, prefeito de Curitiba, deputado federal, governador do Paraná e Ministro
    da Agricultura e Educação. Foi formador e organizador de um grande
    grupo político, pelo qual passa ou no qual boa parte da elite política iniciase
    na vida política, administrativa e governamental do Paraná. Como muitos
    chefes do poder executivo paranaense, ele mesmo, um produto social de
    velhas famílias tradicionais na política paranaense desde o período colonial,
    representava a modernização conservadora das elites tradicionais
    paranaenses. Identificando apenas alguns poucos nomes, já se percebe o
    fenômeno das relações entre estruturas de parentesco e poder político.
    Nos últimos cinco períodos governamentais, entre 1991 e 2007, o poder
    executivo paranaense foi chefiado, fora interinidades e vices, por apenas
    dois governadores titulares, Roberto Requião – governador por três vezes
    (1991-1994, 2003-2006, 2007-2010) –, filho de Wallace Thadeu de Mello
    e Silva, e pelo ex-Prefeito de Curitiba, Jaime Lerner – governador por duas
    vezes (1995-2002) –, considerado o herdeiro político de Ney Braga.
    Outro “herdeiro” de Ney Braga foi José Richa, Prefeito de Londrina,
    deputado, governador do Paraná eleito em 1982 nas primeiras eleições
    diretas desde 1964 e senador da República. Richa entrou na política pelas
    mãos de Ney Braga, depois passou à oposição para garantir sua eleição.
    Antes de falecer, deixou seu filho Beto Richa como um dos nomes fortes
    na política paranaense e atual Prefeito de Curitiba. Beto Richa casou com a
    então jovem herdeira do conglomerado Bamerindus, Fernanda, filha de
    Tomas Edson Andrade Vieira, um dos mais importantes banqueiros do Brasil
    na década de 1970, filho do fundador e comandante do grupo Bamerindus,
    Avelino Vieira. Fernanda Vieira Richa também descende da família Junqueira,
    2 Na República Velha, com o título de Presidentes do Paraná: Caetano Munhoz da Rocha (1920-
    1928) e Affonso Alves Camargo (1916-1920 e 1928-1930).
    Sociologias, Porto Alegre, ano 9, nº 18, jun./dez. 2007, p. 150-169
    SOCIOLOGIAS 155
    uma antiga família de fazendeiros e latifundiários em Minas Gerais e em
    São Paulo desde o período colonial. Um irmão de Beto Richa, José Richa
    Filho, é Secretário de Administração da Prefeitura de Curitiba e, antes, foi
    diretor-financeiro do Departamento de Estradas de Rodagem do Governo
    do Paraná na gestão de Jaime Lerner e ocupou cargos na Agência de Fomento,
    no Governo Requião em 2003. Sobre ele, pesa a denúncia de ter
    feito pagamentos suspeitos a empreiteiras nos últimos dias do Governo
    Lerner.3 Outro filho do falecido ex-Governador é Adriano Richa, que ganhou
    cartório na Região Metropolitana de Curitiba, ainda na época em que o
    pai era vivo.4
    No Paraná, abundam exemplos da conciliação como estratégia política
    dos dominantes. O atual Ministro da Agricultura é Reinhold Stephanes,
    que já trabalhou em altas esferas nos governos Geisel, Fernando Collor,
    Fernando Henrique Cardoso e agora Lula. Stephanes foi deputado federal,
    1979-1983, pela ARENA; deputado federal, 1983-1987, pelo PDS; deputado
    federal, 1991-1995, pelo PFL; deputado federal, 1995-1999, novamente
    pelo PFL; deputado federal, 2005-2006 reeleito em 2006 pelo PMDB.
    Stephanes ocupou importantes cargos durante o regime militar: Diretor do
    INCRA, 1970-1973; Secretário de Apoio, MEC, 1974; Presidente, INPS,
    1974-1979; Secretário de Agricultura do Estado do Paraná, 1979-1981; Ministro
    de Estado da Previdência Social no governo de Fernando Collor de
    Mello, 1992; Ministro de Estado da Previdência e Assistência Social, 1995-
    1998, no governo de Fernando Henrique Cardoso, Presidente do
    BANESTADO, 1999-2000; Secretário da Administração e do Planejamento
    3 “Quando foi diretor-financeiro do DER, em 2002, José Richa Filho autorizou um pagamento de R$
    10,7 milhões à DM Construtora de Obras Ltda., que participou da duplicação da rodovia Curitiba-
    Garuva. O pagamento autorizado por Richa Filho aconteceu quase sete anos depois da obra
    concluída e no último dia do mandato de oito anos de Jaime Lerner, em 30 de dezembro de 2002”.
    Disponível em: .
    4 Bolognese, Ruth. Folha de Londrina. Londrina, 14 fev. 2007.
    156 SOCIOLOGIAS
    Sociologias, Porto Alegre, ano 9, nº 18, jun./dez. 2007, p. 150-169
    de Requião e, por enquanto, Ministro da Agricultura no governo Lula. Tal
    trajetória indica ou uma surpreendente mudança política, ou que todos os
    diferentes regimes, partidos e governos tiveram algo em comum. Stephanes
    também deixa um filho como herdeiro político na Assembléia Legislativa do
    Paraná, o deputado estadual Reinhold Stephanes Júnior.
    Na atualidade, o círculo político das famílias paranaenses está configurado
    desde cima, começando com a família do próprio governador. Integram-
    no o Governador Roberto, o irmão Maurício (Secretário da Educação),
    o irmão Eduardo (Superintendente da Autoridade Portuária de Paranaguá e
    Antonina), a irmã Lúcia (Diretora-Presidente da Provopar), a esposa Maristela
    (Diretora do Museu Oscar Niemeyer), o sobrinho João Arruda (Secretaria-
    Geral do PMDB e diretor na COHAPAR), o primo Heitor Wallace de Mello
    e Silva (SANEPAR), o outro sobrinho, Paiakan de Mello e Silva (TV Educativa),
    a sobrinha Danielle de Mello e Silva (Secretaria da Administração) e a cunhada
    Mariane Quarenghi (Museu Oscar Niemeyer).
    As relações da família governamental com o alto empresariado do
    Paraná materializam-se, entre outras redes, com o empresário Rodrigo Rocha
    Loures, dono da empresa Nutrimental e Presidente da Federação das
    Empresas do Estado do Paraná (FIEP), uma das maiores lideranças empresariais
    do estado, e membro de uma tradicional família, com três séculos de
    poder político na região. Em 2003, Rocha Loures contou com o apoio de
    Requião na sua eleição para Presidente da FIEP. O filho de Rocha Loures,
    Rodrigo Rocha Loures, foi chefe de gabinete de Requião em 2003/4 e,
    eleito deputado federal pelo PMDB em 2006, tem como chefe de gabinete
    o filho de Roberto Requião, Maurício.
    João Arruda, outro sobrinho do Governador, é casado com Paola
    Malucelli, filha de Joel Malucelli, um dos maiores empresários do Sul do
    Brasil. O grupo J. Malucelli possui um conglomerado de empresas (construção
    pesada, corretora de seguros, banco, revenda de equipamentos e geraSociologias,
    Porto Alegre, ano 9, nº 18, jun./dez. 2007, p. 150-169
    SOCIOLOGIAS 157
    ção de energia) com mais de quatro mil funcionários e faturamento superior
    a um bilhão de reais por ano. Entre os mais de 50 parentes que trabalham no
    holding, encontra-se Alexandre, casado em 2003 com a neta do empresário
    César Gomes, dono da Cerâmica Portobello. A cerimônia e a festa, que
    reuniram 1.200 mil convidados, foram fartamente noticiadas. Joel Malucelli
    também é proprietário das rádios CBN e Band News em Curitiba.
    Virgílio Moreira Filho é outro exemplo de relações pessoais ligando o
    Governador ao alto empresariado. Atual Secretário da Indústria, Comércio
    e Assuntos do Mercosul, Moreira Filho é diretor dos grupos Itambé, Fosforeira
    Brasileira S/A e Bematech. Foi um dos principais financiadores da campanha
    de Roberto Requião em 2006, tanto pessoalmente como por meio da
    Cimentos Itambé. Ele foi Vice-Presidente da FIEP e da Federação das Associações
    Comerciais e Industriais do Paraná (FACIAP), além ter participado
    de diretorias de outras entidades. Foi eleito Presidente da Associação Comercial
    do Paraná em 2006, licenciando-se para continuar à frente da Secretaria
    de Estado da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul.
    Outro nome do círculo pessoal de Roberto Requião é o Deputado
    Estadual Alexandre Khury, atualmente Primeiro-Secretário da Assembléia
    Legislativa do Paraná, cargo central no poder interno da instituição, cujo
    prédio leva o nome do seu avô, o falecido Deputado Estadual Aníbal Khury.
    Este era conhecido em sua época como Vice-Rei do Paraná, em função de
    um grande raio de ações não apenas no legislativo, mas também no executivo,
    no judiciário, nos cartórios, na polícia, na criação de novos municípios
    e na intermediação de vários negócios no Paraná. Alexandre Khury está
    noivo de uma das filhas do empresário Luís Mussi –, também Assessor
    Especial do Governador Requião –, neta do igualmente empresário e Ex-
    Governador Paulo Pimentel, genro de Mussi. Os pais de Alexandre Khury
    são Aníbal Khury Filho e a empresária Jandira Maranhão Khury, de tradicional
    família de juristas e desembargadores no Paraná. A ilustre família foi
    denunciada por
    158 SOCIOLOGIAS
    Sociologias, Porto Alegre, ano 9, nº 18, jun./dez. 2007, p. 150-169
    ilegalidade (superfaturamento) na desapropriação da área
    do espólio Aníbal Khury; na utilização de recursos do
    Fundo Estadual do Meio Ambiente; e na inconstitucionalidade
    do projeto de lei estadual de iniciativa do deputado
    Hermas Brandão, criando o Parque Municipal
    Público de Lazer em Almirante Tamandaré.5
    Outro tio de Alexandre Khury, Ricardo Khury, também falecido, foi
    durante muitos anos diretor de Crédito Imobiliário do Banestado, de modo
    que toda a família sempre esteve em cargos e posições muito privilegiadas
    no Paraná.
    O futuro genro do Deputado Estadual Alexandre Khury é o empresário
    Luis Mussi, concessionário de canal de TV, Presidente do Jockey Club do
    Paraná, Ex-Secretário da Indústria e Comércio e agora assessor especial do
    Governador Requião. Luis Mussi é genro do ex-Governador pela ARENA e
    empresário Paulo Pimentel, que, por sua vez, era genro de João Lunardelli,
    dono das maiores proprietárias de terras e glebas no Norte do Paraná e
    irmão de Geremia, o “rei do café”. Paulo Pimentel controla redes de TV e
    jornais no Paraná e, não se elegendo ao Senado nas eleições de 2002, pelo
    PMDB, assumiu a Presidência da Companhia Estadual de Energia Elétrica
    (2003-2004). Outro dos netos de Paulo Pimentel é o atual Presidente da
    Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), Daniel
    Pimentel Slaviero, filho do ex-presidente da Associação Comercial do Paraná
    (2004-2006), Cláudio Gomes Slaviero, natural de Irati e empresário nos
    ramos agropecuário, de distribuição de automotivos, de reflorestamento e
    de cimento. A família Gomes é uma das principais acionistas da Cimentos
    Itambé, cujo controle acionário está nas mãos de famílias paranaenses (62%
    divididos entre os Slaviero, os Gomes e os Araújo). O Coronel Emílio Batista
    Gomes foi o primeiro prefeito de Irati, em 1907. Um dos netos dele foi o
    ex-Governador do Paraná, Emílio Hoffmann Gomes, eleito pela Assembléia
    Legislativa em 1973 e Governador até 1975. Cláudio Slaviero é proprietário
    da Cimentos Itambé Slaviero, junto com Virgílio Moreira Filho, atual Secretário
    de Estado da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul do Paraná.
    Entre os principais conselheiros do Governador Requião, encontra-se
    Pedro Henrique Xavier, cognominado de “PHX”, advogado, colecionador
    de carros de luxo, que costuma ir ao trabalho no Palácio Iguaçu, guiando
    uma de suas duas ferraris vermelhas, ou um BMW Z4, um Jaguar ou um
    Mercedes Benz. PHZ é o Presidente do Conselho de Administração da
    SANEPAR, Companhia de Saneamento do Paraná, onde se decidem os grandes
    gastos e investimentos da Companhia. O Conselho de Administração é
    o órgão deliberativo responsável por determinar as diretrizes e orientação
    geral para os negócios e por formular e expressar as políticas da Companhia.
    O Diretor Presidente da SANEPAR é Stênio Jacob, em cuja biografia,
    constam ações de improbidade administrativa em
    Blumenau (SC), onde foi secretário de obras acusado de
    desviar mais de R$ 2 milhões em recursos públicos, em
    Ponta Grossa, no Paraná, onde negociou serviços de
    consultoria. A investigação catarinense deixou cicatrizes
    e fez até com que Jacob ficasse com todos os seus
    bens indisponíveis. Hoje, à frente da Sanepar, ele preside
    uma empresa que irá mais investir mais de R$ 200
    milhões em 2004.6
    O primo do Governador Requião, Heitor Wallace de Mello e Silva, é
    Diretor de Investimentos da Companhia. Além de Pedro Henrique, a família
    Xavier também está representada pelo Secretário Estadual de Saúde,
    Cláudio Xavier, e outro parente, Maurício Xavier, empreiteiro de obras públicas
    cujo cunhado,

  9. barbosa
    domingo, 11 de abril de 2010 – 21:29 hs

    Portanto uma quadrilha

  10. domingo, 11 de abril de 2010 – 21:40 hs

    Tem que prometer um palanque forte mesmo porque os últimos andaram caindo…
    Beto te cuida que o Pessutão tá chegando,e, cá entre nós pode ser uma excelente alternativa,claro,desde que ele se afaste do Duce e da Dilma…

  11. Duval Simões Araújo-Londrina
    segunda-feira, 12 de abril de 2010 – 11:07 hs

    Beto não se empolgue muito com isso. Com figuras como os tradicionais traíras Lupion, Rubens Bueno e Alex Canziani, o Serra é capaz de receber apoio de gente mais de esquerda do que de centro ou direita. Tem gente que é do slogam: “ai gobierno sou siempre a favor, desde que tenha vantagens pesoais”.

  12. emerson palhares
    segunda-feira, 12 de abril de 2010 – 23:18 hs

    Ei meus amigos vamos acabar com isto dilmavez, !

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*