Após prisões, terceiro ônibus é incendiado em Londrina | Fábio Campana

Após prisões, terceiro ônibus é incendiado
em Londrina

Na quinta-feira, homens encapuzados atearam fogo em um ônibus na zona sul de Londrina, deixando o veículo totalmente destruído (foto). Ainda na noite de quinta, outro ônibus foi incendiado, agora na zona leste da cidade.

O segundo ônibus queimado em menos de 24 horas levou a Polícia Militar, em conjunto com a Polícia Civil e o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, a instalar uma grande operação em busca dos culpados. A força-tarefa de mais de 100 policiais prendeu no final da tarde de ontem oito suspeitos de participação no crime. Horas depois, outro veículo foi incendiado.

A polícia tem como principal hipótese que os crimes sejam atos de vandalismo. No primeiro ônibus, foi encontrado bilhete que exigia o fim da opressão no Centro de Detenção e Ressocialização (CDR), hipótese afastada pelo diretor-geral do CDR de Londrina, major Raul Leão de Araújo Vidal, em entrevista ao G1.

“Não encaro a ação como um problema do CDR, e sim como um ato de vandalismo que deve ser solucionado na esfera policial. Desde 2007, quando a unidade foi fundada, não registramos nenhum caso de maus-tratos nem rebeliões. A disciplina no CDR é rígida, como em qualquer penitenciária”.


6 comentários

  1. Haroldo
    sábado, 10 de abril de 2010 – 9:18 hs

    Três ônibus…
    E, para confundir a população, ou apenas tranquilizar (?), a polícia “acha” que é simples vandalismo!

  2. TUKU NARE
    sábado, 10 de abril de 2010 – 9:31 hs

    Apesar desse blog,receber algumas criticas, referente a segurança publica e o
    seu secretario, as quais repeito por que podem haver alguma razao, que nao
    foram esclarecidas, eu tenho a minha opiniao formada, e acho que a nossa se-
    gurança melhor do que muitos estados, principalmente os mais poderosos SAO
    PAULO E RIO DE JANEIRO, tenho plena convicçao que a policia vai desvendar
    esse caso INCENDIO EM LONDRINA, no mais rapido espaço de tempo, a poli-
    cia tem feito a sua parte, tem atuado a contento no que lhe compete.

  3. Wilson
    sábado, 10 de abril de 2010 – 9:53 hs

    Não adianta maquiar e assim camuflar a realidade dizendo que é meramente uma “ação promovida por vândalos”, pois quem está por trás destes atos é o crime organizado (PCC, etc.), que hoje controla o sistema prisional muito mais que o próprio Estado. O fato é que estamos de reféns dele:

    ” Folha de Londrina

    15/05/2006

    Presos promovem rebeliões simultâneas no PR

    Detentos de ao menos quatro unidades do Paraná promoveram, ontem, rebeliões que ocorreram simultaneamente no início da tarde. A série de motins, que estaria ligada ao PCC (Primeiro Comando da Capital), ocorreu em Toledo, Cascavel, Assis Chateaubriand e Foz do Iguaçu, onde a rebelião foi ainda mais intensa.

    Segundo funcionários das quatro unidades, os presos envolvidos não fizeram nenhuma reivindicação específica, confessaram fazer parte do PCC e alegaram estar seguindo ordens da facção de São Paulo. Na Delegacia de Toledo, onde estão 140 presos, a rebelião começou por volta das 14h30 e durou pouco mais de uma hora. Não houve reféns nem feridos. Em Cascavel, na delegacia que possui cerca de 490 presos, o tumulto ocorreu no período da manhã. A confusão durou cerca de uma hora, também sem reféns nem feridos, mas diversas celas e objetos foram destruídos.

    A Delegacia de Assis Chateaubriand foi tomada pela rebelião por volta das 15h. Segundo funcionários, todos os 47 presos da delegacia estiveram envolvidos na confusão, que apesar de ter durado cerca de duas horas, não teve reféns nem feridos, apenas destruição de objetos.

    A rebelião foi mais intensa na cadeia de Foz do Iguaçu, onde o movimento atuou de forma ainda mais organizada. O tumulto, que teve início às 10h, não havia terminado até o fechamento desta edição. Na unidade existem cerca de 800 presos, mas segundo funcionários, só a metade dos detentos estariam participando da rebelião.”

    ‘Folha de Londrina

    06/05/2007

    REBELIÃO – Madrugada de fúria no Educandário de Londrina
    Rebelião não teve reivindicações claras e durou cerca de sete horas. Descuido de educador teria facilitado a mobilização dos adolescentes
    Policiais militares acompanhavam, durante a madrugada, o tenso desenrolar das negociações para rendição dos adolescentes rebelados
    Por volta das três horas da madrugada, adolescente ferido levemente deixava a unidade e seguia para atendimento na Santa Casa
    Numa clara demonstração de força da delinquência juvenil, um grupo de adolescentes infratores internados no Centro de Socioeducação (Cense) de Londrina – o Educandário -, na Zona Sul, promoveu uma rebelião de sete horas. A confusão começou por volta das 21 horas da sexta-feira e só teve fim às 4 horas de sábado, quando os últimos seis reféns (um educador e cinco adolescentes) foram liberados. Todos saíram feridos. A unidade estava com 55 menores.

    Os rebelados atearam fogo em todos os colchões, depredaram a enfermaria, o consultório odontológico e grande parte do prédio, incluindo o telhado, onde estenderam uma faixa com as iniciais da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Ainda de madrugada, 30 adolescentes foram transferidos provisoriamente para uma ala isolada do Centro de Detenção e Ressocialização (CDR) e o restante foi encaminhado para a outra unidade do Cense, no antigo Ciaadi.” …

    “Jornal de Londrina

    15/01/2010

    Rebelião na PCE tem sete mortos, dizem presos

    Revolta dos presos começou por volta das 21h da noite de quinta-feira. Até as 9h, três agentes penitenciários eram mantidos como reféns pelos presidiários.

    A rebelião iniciada na noite de quinta-feira (14) na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba (RMC), pode ter deixado sete pessoas mortas. A informação foi repassada por detentos da PCE que entraram em contato com familiares que estão em frente à penitenciária. …

    …Na noite de quinta-feira, pelo rádio da PM, um presidiário que não se identificou, mas que disse ser ligado ao Primeiro Comando da Capital (PCC), afirmou que os agentes penitenciários estavam bem. “Ninguém bateu neles, ninguém judiou deles”, afirmou. “Não era para ter chegado nesse ponto. Avisamos que íamos tomar a cadeia e tomamos”, completou.” …

  4. sábado, 10 de abril de 2010 – 10:44 hs

    E aí Pessuti, nada a declarar ???????????

  5. CLAUDEMIR
    sábado, 10 de abril de 2010 – 11:51 hs

    CADE O NOSSO ROBERTO CARLOS DA SEGURANÇA QUE NÃO FALA NADA FICA FALANDO QUE É VANDALISMO ESTA SUBESTIMANDO ESTES BANDIDOS ESTA MANDANDO NO ESTADO FORA DELAZARI CADE VOCE

  6. GUARDIÃO NOTURNO
    domingo, 11 de abril de 2010 – 23:46 hs

    SE É VANDALISMO OU PESOAL DO PCC NÃO IMPORTA, O FATO É QUE OS ONIBUS ESTÃO SENDO QUEIMADOS, E COMO JÁ PRENDERAM OS CABEÇAS DESSA BARBARIE, PROPONHO UMA IDÉIA, SE FOREM O PESSOAL DO PCC ENTÃO VAMOS TOCAR FOGO DA CADEIA, NA PENITENCIÁRIA, LOGICAMENTE COM TODOS OS PRESOS LÁ DENTRO ASSIM FAREMOS UMA LIMPA.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*