A onomatopeia do caixa 2, pelo Celso Nascimento | Fábio Campana

A onomatopeia do caixa 2, pelo Celso Nascimento

A coluna do Celso Nascimento de hoje merece ser lida. Pelo conteúdo e pelo texto, impagável.

O deputado Jocelito Canto (PTB), ex-prefeito de Ponta Grossa, é um daqueles parlamentares que mais animam as sessões verpertinas da Assembleia Legislativa. Seus discursos, geralmente pronunciados de forma tresloucada e acompanhados de gestos e expressões onomatopaicas (segundo o Aurélio, palavras cuja pronúncia imita o som natural da coisa significada, como “grunhir, mugir, pum, reco-reco, tique-taque, etc.”) dificilmente são levados a sério até mesmo por seus colegas.

Na quarta-feira, contudo, Canto disse da tribuna algo muito sério: confessou servir-se de caixa 2 em suas campanhas políticas e desafiou os circunstantes a negar que fizessem o mesmo. “Quem é que não tem caixa 2? Vamos ser sinceros aqui. Me conte alguém que não tem caixa 2?”

O presidente da OAB-PR, José Lucio Glomb, não perdeu tempo: pediu ao Ministério Público Federal que proceda investigações. “Trata-se de uma informação gravíssima, que precisa ser apurada”, disse, ressaltando que o caixa 2 caracteriza crime tributário e eleitoral.

Daí vem outro deputado e sugere que, para acabar com caixa 2, é preciso instituir no país o financiamento público de campanha. O que significa que dinheiro dos contribuintes será transferido para os partidos políticos que, por sua vez, pagam as despesas de campanha de seus respectivos candidatos.

No fundo, a sugestão é redundante: não é o dinheiro dos contribuintes que paga a multidão de “assessores” (fantasmas, muitos deles) que os deputados contratam sem limites? E para que servem, de modo geral, tais assessores se não para trabalhar como cabos eleitorais? Isso já não é financiamento público de campanha?

Olho vivo

Uma vaga 1

O Paraná perde uma vaga do Superior Tribunal de Justiça com a aposentadoria da guarapuavana Denise Arruda. Nomeada pelo presidente Lula em 2003, após atuar como juíza e desembargadora do TJ paranaense de 1963 a 2002, a ministra foi a quarta mulher a chegar ao STJ. E também a primeira paranaense. Mas o STJ já está procurando quem queira substituí-la. Será outro paranaense?

Uma vaga 2

As inscrições estão abertas. Desembargadores do TJ receberam ontem o aviso do presidente Carlos Hoffmann juntamente com um formulário a ser preenchido pelos interessados. O formulário – como diz o nome – não passa de formalidade, porque a escolha de ministros dos tribunais superiores obedece geralmente a critérios políticos. É aí que entra o trabalho das tais “forças vivas” da sociedade araucariana.

Forças vivas 1

Por falar em tribunais superiores, “forças vivas” do Paraná foram ter com o vice-presidente da República, ontem, em Brasília. José Alencar, no lugar do viajante Lula, recebeu o governador Orlando Pessuti, que foi lhe pedir ajuda para que o Paraná seja sede de uma região do Tribunal Regional Federal. Hoje Paraná e Santa Catarina estão subordinados ao TRF da 4.ª Região, instalado em Porto Alegre. Pessuti se fez acompanhar de três deputados Rodrigo Rocha Loures, Edson Praczyk e Jocelito Canto.

Forças vivas 2

O vice-presidente não teve dúvidas: na frente de todos, ligou para o presidente da Câmara, deputado Michel Temer, e lhe pediu que incluísse logo em pauta a votação de emenda constitucional que prevê a criação de TRFs em vários estados, incluindo o Paraná. Aproveitando a deixa, Pessuti pediu também a colaboração política de Alencar para que o Senado aprove rápido o projeto do senador Osmar Dias que elimina a multa que o estado paga por inadimplência quanto aos títulos públicos envolvidos na privatização do Banestado e em poder do Itaú.

Forças vivas 3

Nos últimos sete anos, esta foi uma das poucas vezes em que um governador procura autoridades federais com reivindicações importantes para o estado. A anterior aconteceu em 2007, quando o ex-governador Roberto Requião reuniu uma caravana de deputados para exigir o cancelamento da dívida e da multa. Saiu xingando e nada conseguiu.

Sem banco

O presidente da Sanepar, Stênio Jacob, desconhece ter sido indicado por Requião para uma diretoria do BRDE. Logo, segundo ele, ao contrário do que informou ontem esta coluna, não houve veto do Banco Central para que assumisse a nova função. Em nota, Stenio confirma, porém, ter sido multado em R$ 200 mil pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por transgressão à Lei das Sociedades Anônimas – fato que teria gerado o suposto veto –, mas esclarece que ainda cabe recurso contra a punição.


10 comentários

  1. Pitaco
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 11:27 hs

    Essa é a grande piada, os políticos fingem e mentem que não fazem, o ministério público faz de conta que investiga e a justiça venda os olhos como se nada estivesse acontecendo. O circo da falta de vergonha que perpassa todos os poderes…

  2. Jose Carlos
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 13:54 hs

    É tudo parangolé, como se diz na minha terra… conversa fiada, papo p’ra boi dormir… como tudo mais cá na quinta comarca paulista (quem tem até time jogando pelo PR usando a bandeira de SP no distintivo) vai virar mingau e vai esfriar aos poucos, até ser engolido e esquecido….

  3. salete cesconeto de arruda
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 14:08 hs

    Nossa geração será LEMBRADA pelos mais jovens como AQUELES DINOSSAUROS que não sabiam o que era caixa 2.
    Em cada lápide:
    AQUI JAZ MAIS UM QUE TAMBÉM NÃO SABIA O QUE ERA CAIXA 2.

  4. josé
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 14:32 hs

    A Gazeta merece descrédito,pois nos últimos anos se submete a escrever ao gosto da verba publicitário petista, é notório a descarada parceria RPC/PT $$$

  5. Marcos Calonga
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 14:39 hs

    Se fosse em um país de 1º mundo (mesmo latino), todo mundo iria para a cadeia, ou coisa melhor… mas aqui, o importante é que haverá Copa do Mundo… enquanto isso todos os políticos roubam, roubam, roubam… ninguém investiga… ninguém vai preso… ninguém devolve o $$$… BRASIIILLLL!!!

  6. Humberto
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 14:51 hs

    Enfim um político honesto????

  7. PAULO TARSO.
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 17:41 hs

    Esse deputado esta rindo e desafiando o ministerio publico federal…o video esta ai para que todos possam ver..e acretidar nas barbaridades desse cidadao…..as acusaçoes sao gravissimas…ficou Claro que todos os politicos usam a CAIXA 2….Esse, ex prefeito de Ponta grossa ..deveria no minimo ter respeito com aqueles que o elegerao ….

  8. Jacarezinho
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 21:22 hs

    Bem, já que tem copa em 2014 e Olimpiada em 2016, que tal uma suruba em 2015?

  9. Alemão
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 21:44 hs

    Desse jeito esse aí vai ganhar uma medalha de honra ao mérito do lula.

  10. TUKU NARE
    sexta-feira, 16 de abril de 2010 – 21:47 hs

    A Financiamento publico ja.
    B Pois na pratica, ele ja funciona, via corrupçao, obras superfaturadas, sonega
    de impostos, e outras coisitas mais.
    C COM O FINANCIAMENTO PUBLICO DAS CAMPANHAS, gente seria, etica
    ……capacitadas, empresarios renomados, poderiam tomar geito pela politica e
    ……emprestar osseus conhecimentos das atividades privadas a Naçao.
    D….Seria o fim desses profissionais da politica, que pensam que sao donos ou
    ……vivemos numa monarquia, ofim dos Sarnei, dos Maluffs, dos ACMs.etc.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*