PSDB cogita escolher uma mulher para vice de Serra | Fábio Campana

PSDB cogita escolher uma mulher para vice de Serra

Do blog do Josias, foto de Fabio Pozzebom

Em público, o PSDB diz que foi adiado para maio o debate sobre a escolha do candidato a vice na chapa de José Serra.

Nos subterrâneos, a discussão corre solta. A última cogitação do tucanato é a de acomodar ao lado de Serra uma mulher.

Encontra-se sobre a mesa o nome da senadora tucana Marisa Serrano (MS), atual vice presidente do PSDB federal. Informado, o DEM torce o nariz.

Parceiros dos tucanos na sucessão presidencial, os ‘demos’ consideram-se como que donos da vaga de vice.

O DEM admitira abrir mão da postulação em favor do grão-tucano Aécio Neves. Mas o governador mineiro refugou a oferta.

Na semana passada, reuniram-se em Brasília, longe dos holofotes, os presidentes do PSDB, Sérgio Guerra, e do DEM, Rodrigo Maia.

O repórter apurou que Maia disse a Guerra o seguinte: o DEM quer a vice. Mas admite abrir mão, desde que se encontre um nome que ajude Serra sem desfavorecer o DEM.

Antes, Rodrigo Maia dizia coisa diferente: Sem Aécio, o vice teria de ser um ‘demo’. Ou seja, houve uma mudança de posição.

Sérgio Guerra quis saber quais seriam as alternativas do DEM. Ouviu meia dúzia de nomes. Três deles teriam “maior densidade eleitoral”

São eles: O ex-prefeito carioca Cesar Maia, o ex-governador baiano Paulo Souto e o senador pernambucano Marco Maciel.

O primeiro prefere concorrer a uma cadeira de senador pelo Rio. E o segundo não abre mão de concorrer ao governo da Bahia.

Quanto a Maciel, teria o inconveniente de empurrar para dentro da chapa de Serra a lembrança da gestão FHC, à qual serviu como vice-presidente.

Descartada essa trinca, foram citados: a senadora Kátia Abreu (TO) e os deputados Ronaldo Caiado (GO) e José Carlos Aleluia (BA).

Kátia e Caiado, por seus notórios vínculos com o setor rural, são descartados pelo tucanato. Avalia-se que puxariam a chapa de Serra para a “direita”.

Restou Aleluia. Trata-se de deputado dotado de raro preparo intelectual. ‘Demos’ e tucanos reconhecem-lhe os méritos. Porém…

Porém, para o desafio da vice, Aleluia não é unanimidade nem no DEM. Avalia-se que, do ponto de vista eleitoral, agregaria pouco.

A lista incluía um sétimo nome: José Agripino, líder do DEM no Senado. Tem trânsito fácil no PSDB. Mas, consultado em termos definitivos, disse que não quer ser vice.

Resumindo: só em teoria o DEM dispõe de “muitos nomes”. Na prática, não tem nenhum. Por isso aceitou analisar nomes alheios aos seus quadros.

Na negociação com os tucanos, os ‘demos’ ofereceram um exemplo de costura que aceitariam gotosa e prontamente. Envolve o Paraná.

Sugere-se que Beto Richa, prefeito tucano de Curitiba, troque a candidatura ao governo do Paraná pela posição de vice de Serra.

Consumado o movimento, a oposição ficaria livre para fechar, no Paraná, um acordo com o senador Osmar Dias. É pré-candidato ao governo pelo PDT. O DEM sonha coligar-se com ele.

Dois problemas: Beto não topa ser vice. Se aceitasse, reavivaria as pretensões do tucano Alvaro Dias, irmão de Osmar e também aspirante ao governo.

Numa tentativa de atalhar o impasse, o DEM tramou uma operação baiana: o ‘demo’ Paulo Souto desistiria de concorrer ao governo da Bahia. Iria à chapa de Serra.

Num segundo lance, PSDB e DEM apoiariam a candidatura baiana de Geddel Vieira Lima, do PMDB. Há dez dias, um par de emissários procurou Geddel.

Ministro de Lula e fechado com o projeto Dilma-2010, Geddel mandou dizer que não contempla, a essa altura, bandear-se para a canoa de Serra.

De resto, Paulo Souto deu pulos de irritação. Enxergou na manobra as digitais de dois caciques ‘demos’: o prefeito paulistano Gilberto Kassab e o ex-senador Jorge Bornhausen.

Souto mandou dizer à dupla o seguinte: Não cogita ser vice de Serra. E sua candidatura ao governo da Bahia não é mercadoria que possa ser negociada.

Mexe daqui, tricota dali, o PSDB vê-se diante de um impasse. Já dispõe do candidato. Mas não consegue arranjar para Serra um vice.

É nesse contexto de dúvidas e hesitações que o nome de Marisa Serrano remanesce sobre a mesa.

A favor dela pesam dois fatos: dispõe de boa articulação verbal. E veste saias, como Dilma Rousseff.

Contra ela, a resistência do DEM é a localização periférica do seu Estado de origem, o Mato Grosso do Sul.


8 comentários

  1. ildo baldo
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 10:16 hs

    porque que o SERRA nâo pega a YEDA CRUZIS ai fecha a quadrilha de uma veis e a certeza do povo brasileiro que tera muito roubo de dinheiro

  2. alerta
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 10:26 hs

    O senador Alvaro Dias seria uma saida. Angariava mais votos no colegio eleitoral do Paraná, tem boa exposição na midia, e o mais importante, daria um xeque no apoio do Osmar à Dilma.

  3. Laertes
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 10:39 hs

    O Conversa Afiada reproduz o email de amiga navegante professora:

    Olá Paulo

    Sou professora efetiva da rede pública e doutora em Fisiopatologia em Clínica Médica.

    Enquanto o José Serra sai do Governo de SP para não conversar com os professores, ele manda a Polícia nos receber com truculência e agressividade. Me senti uma bandida e não uma pessoa tentando uma audiência com as autoridades para requisitar os seus direitos.
    Eu não posso imaginar q esse seja o mesmo José Serra q participou da UNE e foi exilado por lutar pela democracia. O mesmo ex-membro da UNE agora manda atacar professores e alunos q estavam apenas com “flores” nas mãos.
    Infelizmente, acho q a música de Geraldo Vandré “Pra não dizer que não falei das flores” caberia muito bem atualmente no governo de SP.

    É isso, o desabafo de quem não aguenta mais tantas mentiras.

    Enquanto o Serra diz na TV que estimula o aperfeiçoamento de professores, eu tive que fazer meu doutorado sozinha, trabalhando 3 dias na semana e ganhando apenas 900,00 por mês. Tentei no início um afastamento com as tais prometidas bolsas da secretaria da educação, mas nunca podia nem chegar à seleção das mesmas, pois eu me encontrava sempre em categorias que não seriam contempladas.

    E essas categorias nem eram relacionadas a currículo, pois considero o meu bom: estudei o Ensino Fundamental e o Médio em escolas públicas, fiz graduação em Ciências Biológicas pela Unesp e Doutorado em Fisiopatologia em Clínica Médica pela Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu.

    Bom, na época da defesa tentei um afastamento curto (1 semana q fosse) pra apenas preparar minha aula com calma, porém descobri q isso era impossível. Inclusive tive q arcar com a falta no dia da defesa, nem nesse dia tive direito a faltar. Mas consegui, por méritos meus é claro. A única coisa q me dá aversão é ouvir essas propagandas enganosas em relação ao seu incentivo ao aperfeiçoamento de professores.

    Ah, sobre a prova de mérito para aumento de salário, eu passei, mas não vou receber aumento pq sou uma NÃO HABILITADA. Sabe p q ? Não tenho os 1000 e tantos dias na rede pública. Tenho só 900 e muitas faltas pra cumprir compromissos de congressos, disciplinas, parte prática – tudo relacionado ao doutorado..

    Se vc quiser consultar meu currículo e informações pra saber q são verdadeiras meu nome completo é

    C. F. M.

    RG

    CPF

    Só peço para não divulgar nenhum dado pessoal meu, pois, como estou em estágio probatório, tenho medo de represálias e sofrer algum processo administrativo.

    Enviei meus dados apenas para que vc possa confirmar q o q digo é verdade.

    Abraços

  4. rst
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 10:40 hs

    E o Serra querendo fugir do Fhc e do Dem como o diabo foge da Cruz. Que situação, hein?

  5. Raquel
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 11:26 hs

    CÁTIA ABREU!!!!!!!

  6. porrete de lapacho
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 11:58 hs

    p/ laertes?

    pq vc nao fez que nem o lula?? ou a bandida dilma??

    se não estás com os tucanos e opositores do lulismo estás com ele

    lula diz que o estudo nao compensa.

    e trabalhar ele provou que nao adianta..

    entao .se queixe p/ o presidente cachaceiro ignorante, populista corrupto, que está a mais de 7 anos no poder, e que mesmo assim diz que o povo está na merda.

    chegamos na encruzilhada, ou és a favor da merda que está aí, ou és contra. o céu que o lula diz cada dia. é só p/ ele e a quadrilha dele

    para as pessoas comuns e trabalhadores, apenas impostos e taxas a pagar.

    se ligue…

  7. bacamarte
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 16:14 hs

    A vice poderia ser a Heloísa Helena. Ou a Marina da Silva.
    Daí bateríamos fácil a guerrilheira Dilma, a governanta do pinguço.

  8. Laertes
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 22:30 hs

    Se estamos na merda, imagine como estávamos com FHC, e se o Serra ganhar vai faltar merda no Brasil!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*