PMDB usa programa para fugir à fama de fisiológico | Fábio Campana

PMDB usa programa para fugir à fama de fisiológico

Do blog do Josias de Souza

As últimas pesquisas prenunciam uma disputa presidencial renhida, de resultado imprevisível. Porém…

Porém, algo já se pode prever: vença José Serra ou prevaleça Dilma Rousseff, o PMDB terá cargos no novo governo.

A movimentação do PMDB na cena política do Brasil redemocratizado expõe um rastro de fisiologia.

A má fama converteu a legenda em piada. Uma delas, embora velha, é reiterada a cada eleição.

Diz-se no Congresso que, em meio às dúvidas que permeiam todas as sucessões, há uma certeza imutável: o líder do futuro governo será Romero Jucá.

Jucá foi líder de Fernando Henrique Cardoso. Hoje, lidera a bancada que orbita ao redor de Lula.

Numa tentativa de se livrar da pecha, o PMDB decidiu pôr suas idéias no papel. Deseja firmar-se como uma legenda de programa (sem trocadilho).

Munido da peça, planeja negociar o apoio a uma candidatura presidencial. Os cargos iriam à mesa como coisa “acessória”.

Nesta quinta (18), o partido realizou a primeira reunião do grupo que vai deitar o programa sobre o papel.

Sob a presidência de Michel Temer (SP), candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff, juntou-se gente com idéias distintas das do PT.

O grupo inclui o presidente do BC, Henrique Meirelles; o ministro Nelson Jobim (Defesa), o ex-ministro Roberto Mangabeira Unger…

…O líder na Câmara, Henrique Eduardo Alves; um diretor da CEF, Wellington Moreira Franco; e o presidente da Fundação Ulysses Guimarães, deputado Eliseu Padilha.

O repórter ouviu três participantes do grupo. Juntando-se as idéias que lhes ocupam os neurônios pode-se concluir que produzirão um texto de arrepiar o petismo.

Na economia, o PMDB deseja fortalecer o mercado, não o Estado. Prega a retomada de reformas negligenciadas sob Lula. A Previdenciária, por exemplo.

O partido torce o nariz para uma proposta que caiu nas graças de Lula e Dilma: a recriação da Telebras.

Advoga o fortalecimento das agências regulatórias, hoje aparelhadas pelo petismo.

Dá de ombros, de resto, para um documento que o PT consagrou no Congresso que realizou, em Brasília, no mês passado: o Plano Nacional de Direitos Humanos.

Fechado com Dilma, Michel Temer diz que a celebração do casamento PMDB-PT terá de ser precedida por uma “fusão” de programas.

Mas nem só de partidários de Dilma é feito o grupo destacado para formular o programa do PMDB.

O gaúcho Eliseu Padilha, por exemplo, ex-ministro dos Transportes de FHC, prefere que a legenda se associe à candidatura do tucano José Serra.

Amigo de Serra, o ministro Nelson Jobim não diz em público, mas também soltaria fogos se o PMDB caísse no colo de Serra.

Padilha e Jobim integram uma minoria. O mais provável é que o grupo pró-Dilma prevaleça na convenção, marcada para junho.

Mas o programa do partido será multiuso. Se Serra vencer, vai à mesa também na negociação do apoio ao futuro governo tucano.

O PMDB se autoimpôs um calendário. A primeira versão do programa ficará pronta em 15 de abril. Correrá de mão em mão.

Recolhidas as sugestões de ajuste, um segundo texto virá à luz até o fim de abril. Será levado a voto num megaencontro marcado para 8 de maio.

Começa, então, a batalha para temperar a plataforma esquerdista que o PT entregou a Dilma com os condimentos de centro que agradam ao paladar do PMDB.

Afora o catecismo econômico comum (respeito às metas fiscal, cambial e de inflação), há dúvidas quanto às propostas que Dilma aceitará encampar. De concreto, apenas duas certezas:

1. O líder do próximo governo será o pemedebê Romero Jucá.

2. Seja qual for o eleito, o PMDB terá cargos na Esplanada. Muitos cargos.


5 comentários

  1. FILET MIGNON
    sexta-feira, 19 de março de 2010 – 12:46 hs

    PMDB fisiológico?
    Quem foi que disse uma “BARBARIDADE” destas?
    Processem o “irresponsável” que ousou dizer tamanha “besteira”!

  2. PAULO
    sexta-feira, 19 de março de 2010 – 13:11 hs

    MAS SE O PMDB PERDER ESSAS CARACTERÍSTICA, DE PARTIDO DE ALUGUEL DE LUXO, VAI FICAR O QUE?
    AQUI NO PARANÁ, P.EX., ESTÃO DE CONCHAVO ABERTO COM O PSDB E COM O PT. QUEM QUER QUE GANHE AS ELEIÇÕES, TERÁ A COMPANHIA OBRIGATÓRIA, E FUNESTA, DO PMDB E, PIOR AINDA, DO QUE SOBRAR DO REQUIANISMO!
    MAS O PMDB É ASSIM MESMO!!!
    DEUS E O DIABO NO MESMO PALANQUE (E A CONTABILIDADE FICA EM CASA MESMO!!!)…

  3. Jacarezinho
    sexta-feira, 19 de março de 2010 – 13:46 hs

    Quando me imagino pedreiro deste edifício, repentinamente me vem a vontade de implodí-lo. Pela minha boca, meus netos nunca saberão disso. As minhas filhas já me olham torto…

  4. CLAUDEMIR
    sábado, 20 de março de 2010 – 0:34 hs

    QUE SAUDADE DO VERDADEIRO PMDB SEM ESTAS QUADRILHAS

  5. jaferrer
    sábado, 20 de março de 2010 – 18:51 hs

    E alguém ainda acredita nesse partido? Na verdade o programa do PMDB só tem um ponto: apoiamos qualquer coisa mediante cargos no poder.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*