Dilma só passa Serra se tirar 1/3 dos seus eleitores pró-Lula | Fábio Campana

Dilma só passa Serra
se tirar 1/3 dos seus eleitores pró-Lula

De Jose Roberto de Toledo

Do total do eleitorado, 76% avaliam que o governo Lula é bom ou ótimo, segundo o Datafolha. É o mesmo percentual de dezembro de 2002, que dava a dimensão da expectativa em relação ao futuro governo. Se Lula está entregando o que a maioria dos eleitores esperava, não se pode dizer o mesmo de sua candidata à sucessão, Dilma Rousseff (PT).

Evolução dos candidatos entre os que aprovam o governo

A ministra patina no eleitorado-chave para sua candidatura: entre os 76% que aprovam o governo, ela oscilou de 35% para 33% no último mês. E está tecnicamente empatada com José Serra (PSDB), que cresceu de 27% para 32% nesse segmento. Se não ganhar os simpatizantes do governo, Dilma terá poucas chances de se eleger.

Serra lidera por ampla margem entre os que julgam o governo Lula regular. Desde dezembro, o tucano subiu de 46% para 51% nesse grupo, que representa 20% do eleitorado. Nesse campo Dilma tem tão poucas possibilidades (9%) quanto Ciro Gomes (10%) e Marina Silva (10%). Os 4% que desaprovam o governo Lula também têm preferência por Serra (48%).

Evolução dos candidatos entre os que acham governo regular

Logo, ou Dilma reverte a atual tendência entre os que aprovam o governo, ou pode morrer na praia. Nada menos do que 25 pontos dos 27% de sua intenção vêm desses eleitores. Serra, por sua vez, conta com 10 pontos de seus 36% de intenção de voto entre os que dizem que o governo é “regular”.

Mantida alta aprovação de Lula, a única possibilidade de sua candidata vir a sucedê-lo é “roubar” de Serra eleitores pró-governo. Para ultrapassar o tucano além da margem de erro, Dilma precisaria tirar 10 pontos de Serra nesse segmento e chegar a pelo menos 43% dos pró-Lula. Aí o placar geral ficaria 35% a 29% em favor da petista.

pizza Dilma

pizza Serra

Mas não é fácil chegar a 43% entre os eleitores governistas. Nem mesmo Lula conseguiu a totalidade dos votos de quem o aprovava. Em 2006, quando disputava a reeleição, o presidente chegou, no final do 1º turno, a 80% da preferência entre os que apoiavam seu governo.

Isso porque há gradações na aprovação. Quanto mais enfático o apoio, maior a transferência de voto. Os eleitores que mais tendem a votar no candidato governista são os que avaliam o governo como “ótimo” ou que dão nota 8 ou superior à administração.

Infelizmente, na maioria das vezes os institutos de pesquisa agregam as respostas “ótimo” e “bom” em um só percentual e perde-se a informação sobre a intensidade da aprovação.


16 comentários

  1. CAÇADOR DE PETISTAS
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 15:51 hs

    “NAO QUERMOS DILMA PRESIDENTE”

    Tem vermes deste blog, alienatos mentalmente, que não sabem andar com as próprias pernas tampouco escolher um candidato livremente e precisam do auxilio do vendedor de ilusões, o mentiros Lula da Silva.

    REPITO

    Não adianta Senhor Lula da Silva, seu sucessor (que será o José Serra), não precisa de Procuração, seu mandato termina e outro deverá dar prosseguimento ao plano econômico que ha 15 anos foi implantado por Itamar e FHC, o mesmo que o Sr. lula vem conduzindo até a presente data.

    ASSIM

    SOU FORMADOR DE OPINIÃO SIM SENHORES, AOS que falaram no comentário anterior e enquanto eu tiver vóz, visão e dedos para digitar, estarei aqui ou acola, tentando mnostar aos desinformados como os que me criticaram que Lula não passa de um idiota, mentiroso, vendeor de ilusões e DILMA, sua candidata é uma velha despreparada, desqualificada, com passado sujo que não deve ser seguido, que mente muito, se esconde na sombra de lula. DILMA sewm Lula, não existe.

    ASSIM
    “NÃO QUEREMOS DILMA PRESIDENTE”

  2. ASA DE FRANGO
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 16:04 hs

    Hoje ao visitar um amigo, fiquei surpreendido com uma propaganda contra o PT, mostrando de forma maliciosa os terroristas do Brasil.

    Provavelmente, os tucanalhas que privatizaram o Brasil, dando de graça aos estrangeiros, (telebrás, vale, estradas etc).

    Isso é por falta de proposta e idéias, usarem de manipulações espúrias, enganosa. Então compreendi, que o PARTIDO TRABALHISTA, dos males que estão aí, os menores.

    OS VERDADEIROS TERRORISTA SÃO OS QUE “ENTREGARAM O ESTADO” AO CAPITAL EXTERNO.

    O TEMPO É SENHOR DA RAZÃO.

  3. RECORDAR É PRECISO
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 16:38 hs

    MÍDIA – Roberto Marinho, Armando Nogueira, a Proconsult
    quarta-feira, 31 de março de 2010
    Do Blog tribuna da Imprensa

    (Trecho do livro “Brizola Tinha Razão”,
    do jornalista FC Leite Filho)

    “No dia 18 de novembro de 1982, inconformado com a demora na divulgação dos resultados da eleição, em que era tido por todos como candidato vitorioso ao governo do Rio de Janeiro, Leonel Brizola procurou a imprensa internacional para denunciar uma tentativa de fraudar a apuração e declarar eleito o candidato do PDS Moreira Franco.

    Mais tarde, o candidato do PDT foi à sede da Rede Globo de Televisão, no Jardim Botânico, no Rio, e exigiu espaço para falar. Ele via na emissora o braço direito da conspiração, pelo modo faccioso com que se comportou, ao desconhecer os resultados favoráveis a Brizola, que eram corretamente projetados pelo Jornal do Brasil; e a Rádio Jornal do Brasil.
    Como se verificou depois, segundo denúncias que também partiram de funcionários da própria Rede Globo, as Organizações Globo, juntamente com o SNI estavam envolvidas naquilo que mais tarde se tornou conhecido como a Operação Proconsult.
    Esta operação, que levava o nome da empresa encarregada de proceder à apuração do Rio de Janeiro, a Proconsult-Racimec – de propriedade de antigos oficiais de informação do Exército – tinha como objetivo virar na marra os resultados em favor do candidato do Governo federal na época, Moreira Franco.
    A estratégia consistia em sonegar os resultados da capital, a cidade do Rio, que reúne mais de dois terços do eleitorado do Estado, e onde Brizola obteve cerca de 70% dos votos, e só divulgar uma média das apurações do interior, onde Moreira era majoritário, com as da periferia e parte da capital, de modo que situasse sempre Moreira Franco à frente dos votos. Isto era para infundir no público a convicção de que Moreira Franco e não Leonel Brizola ganharia a eleição.
    Da contenção dos resultados da capital, a Proconsult passaria para a inversão pura e simples dos mapas eleitorais, em favor de Moreira .Franco, na proporção que o público fosse trabalhado subrepticiamente pela Rede Globo a achar que o candidato do PDS, que já fazia declarações nas emissoras de rádio e televisão na qualidade de virtual governador, tinha sido mesmo o vitorioso.
    As denúncias de Brizola, que logo chegaram à opinião pública nacional acabaram provocando grande impacto popular, com reações nas ruas do Rio contra os veículos das Organizações Globo, que não incluam somente a televisão, mas o jornal O Globo e a Rádio Globo.

    Pressionada por aquilo que ameaçava se transformar numa rebelião popular de proporção nacional contra a Globo, a emissora não teve outra saída, senão conceder espaço a Brizola para fazer a denúncia e abortar a conspiração contra as urnas, em plena cidade do Rio de Janeiro. E isto foi feito no horário de depois das 22 horas daquele dia 18 de novembro de 1982.
    Ali mesmo, Leonel Brizola assegurou a verdade eleitoral. Logo depois de sua entrevista, á tarde, aos correspondentes estrangeiros, a Globo passou a admitir que Brizola encaminhava-se para chegar à frente dos votos e não mais Moreira Franco, como a emissora vinha insinuando, desde o início da apuração, que tentou esconder, juntamente com o SNI.
    Até à noite de 18 de novembro, os resultados chocavam-se violentamente com os da Rádio Jornal do Brasil;, que projetou a vitória de Brizola sobre Moreira Franco, com mais de 100 mil votos de vantagem, desde o término da votação, no dia 15 de novembro.
    A fala de Brizola na Rede Globo teve um efeito tão fulminante que a emissora se viu obrigada a suspender, no outro dia, 19 de novembro de 1982, toda a programação eleitoral, que incluía inserções quase de hora em hora sobre a marcha da apuração, a partir de um grande aparato, em que havia até computadores dentro do estúdio, para manuseio dos apresentadores. Os resultados eleitorais passaram então a ser divulgados, agora com correção, dentro dos telejornais.”

    Comentário, rigorosamente verdadeiro, de Helio Fernandes:
    Na TV Globo, o comando era de Roberto Marinho, através de Armando Nogueira. No Jornal do Brasil e Rádio Jornal do Brasil, o trabalho jornalístico era feito por Pedro do Coutto e Paulo Henrique Amorim, que mais tarde passou para a própria Globo.

    Como não gostava de perder, Roberto Marinho demitiu Armando Nogueira, que era Diretor de Jornalismo da televisão, ficou no ostracismo. Anos mais tarde, entrou na SporTV, cuidando apenas de fatos esportivos.

    ***

    PS – Quem lançou Armando Nogueira no jornalismo foi este repórter. Dei a ele o primeiro emprego, na seção de esportes do Diário Carioca. Eu era chefe de Redação, acumulando com o comando da página de esportes.

    PS2 – Eu e o Horacinho de Carvalho (dono do jornal), íamos fazer uma revista de esportes, eu já havia até registrado do título, XUTE, assim mesmo, sempre gostei de revistas com 4 letras no título: Life, Time, por aí.

    PS3 – Tenho os dois livros do Armando Nogueira, com dedicatórias enormes, “Meu mestre, meu máximo mestre”, e vai por aí. O que aconteceu com ele, e com outros, (como Evandro Carlos de Andrade), é que entravam para a Organização Globo, me evitavam, com receio do doutor Roberto Marinho, que eu combati a vida inteira.

    PS4 – Basta isso, poderia ir muito mais longe, não entro nesse Maracanã de lamento sem lamentação mas lamentável.

  4. Chupa Cabra
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 16:59 hs

    Quando todo mundo souber que Dilma é candidata do LULA, tudo fica nos lugar certo Tucanalhas em 2º lugar. as proprias pesquisa dizem que as pessoas não sabem quem candidato do LULA. e no mais:
    PT saudações!!!

  5. ro
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 17:28 hs

    Nao da´, Lula não conseguirá parir a Dilma.

  6. jose
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 18:09 hs

    Ao “asa de frango”, só pra te lembrar:

    lula PRIVATIZOU AS RODOVIAS BR101/376 e BR116!!!!

    Portanto, seguindo seu raciocínio, lula é terrorista também!!!

    E ainda quanto aos terroristas, gostaria também de lembrá-lo que o pt apóia as FARC, o ETA, o Irã e outros mais…

  7. Polêmico
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 18:21 hs

    Enquanto isso em São paulo os Professores Estaduais e servidores da Saúde fazem paralização e paseata revendicando reposição salarial que o Serra não deu.
    Não tem competência para administrar um estado e quer ser Presidente.
    Fora Serra.
    Fora PSDB.

  8. Calunga
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 18:43 hs

    Essa petezada só tem um nome, o Lula. O PT sem o Lula não existe. Essa tal de Dilma nunca foi nada na vida, vive cumprindo ordens o presidente é uma verdadeira espone. Como que uma pessoa totalmente desqualificada quer governar o Brasil? Se ela tivesse no curriculo pelo menos uma veriança, serveria para ser síndica da prefeitura de Porto Alegre.

  9. Laertes
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 21:53 hs

    PRIVATIZAR NÃO É UM PROBLEMA, O PROBLEMA É O PSDB COM OS PEDÁGIOS MAIS CAROS DO BRASIL.
    A PRIVATIZAÇÃO A LA TUCANA É CASO DE POLÍCIA!

  10. A folha é Serrista.
    quinta-feira, 1 de abril de 2010 – 8:47 hs

    PIG: PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA

    “Na situação atual, em que os partidos de oposição estão muito fracos, cabe a nós dos jornais exercer o papel dos partidos (da oposição).”
    Judith Brito, diretora-superintendente da Empresa Folha da Manhã S.A., que edita a Folha de s. Paulo e presidente da ANJ (Associação Nacional de Jornais), em discurso na Fecomercio, 18/03/2010 .
    A mídia confessa com todas as letras, eles estão sim fazendo oposição ferrenha ao governo Lula. Eles não são imparciais, eles não tem ética, não tem profissionalismo. Eles fazem parte da elite golpista que quer governar o Brasil!

  11. A folha é Serrista.
    quinta-feira, 1 de abril de 2010 – 8:51 hs

    Presidente da ANJ admite que imprensa atua como Partido de Oposição

    A Presidente da ANJ (Associação Nacional de Jornais), Maria Judith Brito, admitiu que a imprensa atua como um Partido de Oposição:

    – A liberdade de imprensa é um bem maior que não deve ser limitado. A esse direito geral, o contraponto é sempre a questão da responsabilidade dos meios de comunicação. E, obviamente, esses meios de comunicação estão fazendo de fato a posição oposicionista deste país, já que a oposição está profundamente fragilizada. E esse papel de oposição, de investigação, sem dúvida nenhuma incomoda sobremaneira o governo [Lula].

    Nada contra, pelo contrário é até louvável que o PIG se registre oficialmente como partido no TSE, como “Partido da Imprensa Golpista”, assim como qualquer outro partido, para que a Globo, Folha, Estadão, Veja, RBS, etc. se submetam às regras e calendário eleitoral que todos os demais partidos tem que se submeter.

    Por que o PIG pode panfletar à vontade, diariamente, por que pode veicular propaganda eleitoral nos telejornais diários, antes do período de campanha eleitoral, e os demais partidos não podem?

    O PIG integra a coligação PIG-DEMos-PSDB-PPS e apóia a candidatura de José Serra. Precisa seguir as regras eleitorais.

    Judith Brito é também diretora-superintendente da Empresa Folha da Manhã S.A., que edita a Folha de José Serra (jornal Folha de São Paulo).

    Enviar por e-mail: Por: Zé Augusto

  12. O que a midia não mostra
    quinta-feira, 1 de abril de 2010 – 9:01 hs

    Serra poderia ter construído 84 hospitais e levado saneamento a 17 milhões de paulistas

    Brasília Confidencial

    “Se tivesse utilizado todos os recursos previstos no Orçamento, o governador José Serra poderia ter construído 84 hospitais com 250 leitos cada um, 84 novas estações de tratamento de esgoto para 17 milhões de pessoas e 21 quilômetros de metrô”. O balanço é do líder do PT na Assembleia Legislativa, Antonio Mentor, ao analisar dados dos investimentos previstos e não realizados durante os três anos de governo tucano. Segundo o deputado, o governador Serra deixou de utilizar R$ 4,2 bilhões, entre 2007 e 2009, conforme análise dos números obtidos pela Assessoria Financeira da bancada petista através do Sistema de Informações Gerenciais da Execução Orçamentária (SIDEO).

    Apenas no setor de transportes, um dos mais propagandeados por Serra, os tucanos deixaram de investir R$ 1,1 bilhão na Secretaria de Transportes, R$ 1,4 bilhão na Companhia do Metropolitano (Metrô) e R$ 550 milhões na Secretaria de Transportes Metropolitanos. Com estes recursos poderiam ser construídos 220 quilômetros de estradas vicinais e 9,5 quilômetros de metrô. Segundo a bancada petista, apesar da forte propaganda, o governo Serra entregou apenas pouco mais de 2 quilômetros de metrô.

    Na área social, Serra deixou de investir nos programas sociais como Renda Cidadã, Ação Jovem, Escola da Família, Qualis/Saúde da Família, Frentes de Trabalho. Na soma deles todos, os investimentos não passam de R$ 425 milhões. “Todo esse dinheiro daria para atender mais de 60 mil famílias no Renda Cidadã, 87 mil jovens no Ação Jovem, 4.400 escolas no Escola da Família, criar mais de 300 equipes no Saúde da Família e atender mais de 41 mil desempregados nas Frentes de Trabalho”, observou o líder petista.
    Outro exemplo de recursos não aplicados está na Saúde. Foram R$ 2 bilhões a menos, o suficiente para a construir 40 novos hospitais. “Serra só soube mesmo gastar recursos do povo paulista com propaganda e publicidade, que atingiu a cifra de R$ 252 milhões, ou seja, um aumento de 620% se comparado ao governo anterior”, destacou Mentor.”

  13. jose
    quinta-feira, 1 de abril de 2010 – 10:31 hs

    laertes, decida, ou vc é a favor ou é contra as privatizações. Ficar em cima do muro é coisa de tucano e ficar a favor só porque foi o lula é burrice mesmo, não tem outro nome…

    E por fim, não importa o valor, caro ou barato é um absurdo da mesma forma.

    Seu raciocínio é torto, da mesma forma que crime é crime, não importa quem o cometeu ou qual a extensão do seu estrago; o mesmo vale para pedágios e privatizações: se é errado é errado de qualquer forma, com qualquer valor.

    Entendeu ou quer que eu desenhe?

  14. Laertes
    quinta-feira, 1 de abril de 2010 – 14:30 hs

    Josezinho, tá difícil para vc entender. Já ficou claro que nada tenho contra privatizar, o que não concordo é com a maneira tucana de privatizar, compare os pedágios do FHC, Serra, Lerner e Lula. Qual o mais barato?

    O tucanato paulista vendeu empresas a preço de banana para os amigos, cometendo crime de lesa-pátria. Foi uma vergonha, com Serra no poder esse pessoal vai voltar, por isso voto Dilma.

    A mesma coisa se dá no Paraná, se o Beto Richa ganhar a tchurma do Lerner volta e vende a COPEL e SANEPAR e até a mãe.

  15. Afranio Colares
    domingo, 18 de abril de 2010 – 3:13 hs

    Interessantes esses petistas gostam de criticar, mas quando são criticados é descriminação, eles pensam igual a um ex-governador do Pará, Manoel Barata, “AOS AMIGOS AS BENECES DA LEI, AOS INIMIGOS OS RIGORES DA LEI”. Por eles o Brasil seria uma Venezuela tão querida do Lula e teríamos a revolução “LULARIANA”, com a militância toda armada fechando jornais, privatizando empresas na marra e tudo o mais que o seu maior amigo e ídolo da petralhada Ugo Chaves faz, com os tristes resultados que estamos assistindo, pobres venezuelanos. Graças ao FHC, com seu plano Real e ao povo brasileiro que isto não aconteceu. Se Lula tivesse sido eleito antes, nos seriamos uma Venezuela hoje.

  16. Afranio Colares
    domingo, 18 de abril de 2010 – 3:26 hs

    Retificando, o texto acima, onde se le privatizando, leia expropriando

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*