CNJ livra 397 presos das cadeias do Paraná | Fábio Campana

CNJ livra 397 presos das cadeias do Paraná

De Leonardo Coleto do Paraná Online

Desde o dia 23 de fevereiro passado, 397 réus que estavam presos no Paraná receberam a autorização do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para aguardar seus julgamentos em liberdade.

Nesse período, foram revistos 4.614 processos no Estado. Esse resultado faz parte do Mutirão Carcerário do CNJ, que tem como objetivo atuar na revisão de processos criminais até o próximo dia 14 de maio no Estado.

No Paraná, as ações do mutirão foram divididas em quatro polos, sendo o quarto deles, que abrange Foz do Iguaçu, Cascavel e Francisco Beltrão, oeste do Paraná, o com maior número de processos analisados.

Foram 1.263 desde o início do mutirão. A revisão desses processos resultou em 39 livramentos de condenação, 33 processos de liberdade provisória e outros 72 benefícios de liberdade.

Para o coordenador do mutirão, juiz Wilson Dias, a intenção dessa ação não é de soltar presos, mas melhorar a situação do sistema carcerário e penitenciário. “Queremos reavaliar todos os processos de réus presos provisoriamente no Paraná, ou seja, aqueles que ainda não foram julgados, inclusive os que ficam nos distritos policiais. Não estamos trabalhando para soltar presos, queremos verificar se aquele réu pode aguardar o julgamento em liberdade ou se há excesso de prazo para conclusão de seu processo”, explica.

No segundo polo, que envolve as cidades Ponta Grossa e Guarapuava, Campos Gerais e centro sul do Paraná, respectivamente, foram revistos 1.156 processos. Lá o mutirão resultou no livramento de 17 processos de condenação, 74 presos poderão esperar seu julgamento em liberdade provisória e outros 91 em liberdade.

Curitiba, que ficou isolada no primeiro polo, foi responsável pelo terceiro maior número de processos revistos desde o início do mutirão. Na capital foram reavaliados 1.096 processos. Isso trouxe a 114 presos o direito de aguardar o julgamento em liberdade provisória e, para outros 114, em liberdade.

No polo três, que abrange os detentos de Londrina e Maringá, norte e noroeste do Estado, foram revistos 778 processos, que geraram seis livramentos, 104 processos de liberdade provisória e outros 110 benefícios de liberdade.


6 comentários

  1. Borduna
    terça-feira, 23 de março de 2010 – 11:36 hs

    Se tem algo de bom que se criou neste país nos ùltimos tempos, isso é o Conselho Nacional de Justiça – CNJ.

  2. Revoltado
    terça-feira, 23 de março de 2010 – 13:21 hs

    Quer melhorar a situação do sistema carcerário?! Simples… mete bala em estuprador, pedófilo, homicida qualificado e líder de traficantes. Pronto, uma boa limpa! O restante, mande trabalhar construindo pontes e duplicando estradas, plantando a “bóia” que comem, fazendo brinquedos e artesanatos. Ah, não quer trabalhar, não terá qualificação para a progressão de regime prevista em até 1/6 na Lei Penal.
    Ah, e pra quem reclamar de direitos humanos, pergunte se já teve algum parente ou amigo próximo morto por bandido. Se não tiver, mande censurar (leia-se calar a boca!) por não ter conhecimento de causa.
    Pronto, problemas carcerários resolvidos. Só faltaria prender quem ainda tá solto, caso o sujeito não desista do crime com essas restrições nos presídios.

  3. terça-feira, 23 de março de 2010 – 16:13 hs

    RESUMINDO: REFORÇEM AS FECHADURAS, TRANCAS DAS PORTAS E PORTÕES, BEM COMO VERIFIQUEM SE OS SEGUROS ESTÃO EM DIA, E REZEM, REZEM, E REZEM….

  4. Don Quixote
    terça-feira, 23 de março de 2010 – 17:11 hs

    “GRANDE COISA ELES FIZERAM”.

    E OS 120 MIL CRIMINOSOS CONDENADOS QUE ESTÃO SOLTOS NO PARANÁ, QUANDO VÃO PRENDER ESSE EXÉRCITO DE BANDIDOS ?

    SE PREDEREM ONDE VÃO POR ESSE MAGINAIS ?

    EM CAMPO DE CONCENTRAÇÃO ?

    PARA PRENDER 120 MIL BANDIDOS, QUANTOS POLICIAIS P´RECISAM ?

    QUNATAS VIATURAS ? QUANTO GASTARÃO DE GASOLINA ?

    ONDE ESTÁ ESSA GENTE ?

    UNS ESTÃO NA PRAÇA TIRADENTES, NA VILA PINTO, NO SABARÁ E VAI POR AÍ AFORA.

    O ESTADO QUEBROU NA SEGURANÇA.

  5. FRANCISCO
    segunda-feira, 29 de março de 2010 – 14:13 hs

    E PRECISO FAZER UMA FARREDURA NA A L. OS LADROES DO DINHEIRO PUBLICO, E COLOCAR JUNTO COM ESSA CATERVA AI DE CIMA….

  6. eloisa
    terça-feira, 25 de maio de 2010 – 12:00 hs

    Tem que aumentar as penas dos traficantes que usam laranjas para fazer trafico muitas vezes o fazem por achar que o dinheiro é fácil e são primários. Investigar os grandes que já estão presos e continuam a traficar usando pessoas ingênuas mulheres especialmente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*