Banda Larga não atende além de Curitiba | Fábio Campana

Banda Larga não atende além de Curitiba

É uma coisa de louco: a poucos quilometros de Curitiba, a banda larga simplesmente não atende boa parte de cidades importates da região metropolitana de Curitiba.

Um amigo do blog conta que estava com tudo certo para instalar indústria de refeições industriais na rodovia Quatro
Barras-Piraquara. Desistiu, pelo menos por ora, pois sente-se anulado sem a banda larga.

Resumo: Lula é quem tem razão? Se preciso, que se crie mais uma estatal, a da banda larga.


20 comentários

  1. OSSOBUCO
    sexta-feira, 26 de março de 2010 – 19:07 hs

    Parabéns Campana, nesse caso Lula tem toda a razão e vc deu um bom exemplo disso, pena que os reaças de sempre, só porque a idéia é do Lula, caem de pau sem conhecimento de causa.

  2. OSSOBUCO
    sexta-feira, 26 de março de 2010 – 19:11 hs

    MPF quer ver se Banda presta. Presta ?

    22/março/2010 17:51
    Vítimas de propaganda enganosa ?

    O Conversa Afiada reproduz email do Ministério Público Federal:

    MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
    PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE S. PAULO

    ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

    22/03/10 – MPF abre consulta pública sobre qualidade dos serviços de
    banda larga 3G no Brasil

    Durante 60 dias público poderá enviar informações e opiniões sobre o
    assunto por e-mail ou carta

    O Ministério Público Federal abriu a consulta pública “Internet 3G,
    atendimento ao consumidor, qualidade, velocidade, continuidade do
    serviço, contrato e condições de oferta”. O objetivo da consulta,
    aberta por 60 dias, é colher informações e opiniões de todos os
    interessados no tema para instruir procedimento do MPF sobre o assunto.

    O MPF abriu um inquérito civil a partir de uma representação da
    associação de defesa do consumidor Proteste, para apurar eventual
    prejuízo aos consumidores em face da má prestação de serviços por parte das operadoras de telefonia celular que oferecem o serviço de banda larga 3G.

    Na representação da entidade, constam reclamações sobre ausência total do serviço, baixa velocidade, oferta diferente do que foi oferecido e
    mau atendimento ao consumidor e até propaganda enganosa.

    Para o procurador da República Marcio Schusterschitz da Silva Araújo,
    responsável pelo procedimento, a qualidade do serviço é garantida pelo
    código do consumidor. “Há também uma preocupação sobre como esses serviços estão sendo oferecidos e como os contratos estão sendo redigidos, com as operadoras limitando suas responsabilidades”.

    Para enviar sua contribuição, envie um e-mail consultapublica_mssa@prsp.mpf.gov.br ou carta para o endereço: rua
    Peixoto Gomide, 768, São Paulo-SP, CEP 01409-904, com o assunto
    “consulta pública procedimento 1.34.001.004236/2009-18” no
    envelope. Serão aceitas contribuições até às 16h do dia 18 de maio.

    Assessoria de Comunicação
    Procuradoria da República no Estado de S. Paulo

  3. Issao
    sexta-feira, 26 de março de 2010 – 19:11 hs

    A velocidade da banda larga no Brasil é uma vergonha, o governo deveria sim intervir na área de comunicações para forçar as empresas privadas a prestarem um serviço que presta. Estive me informando sobre os investimentos dessas empresas nesta área e pelo que pude constatar foi minimo. Terceirizam tudo o que é serviço para diminuirem custos acarretando um serviço de péssima qualidade.

  4. Ribamar
    sexta-feira, 26 de março de 2010 – 19:13 hs

    Banda larga? E no Brasil existe esse serviço? Bandas de 1/2/4/e8mbps ou 14,4mbps no 3G é banda larga?
    Prá mim banda larga são 56~100Mbps ou 100~250Mbps para 3G.
    Uma aferição mundial feita em 2007 considerou que a Turquia e o México foram os países com as menores velocidades, ambas com menos de 2 Mbps. EM 2007 (três anos atrás) que em informática é um período enorme devido à velocidade de evolução da mesma!
    Então acredite meu amigo: NO BRASIL NÃO EXISTE BANDA LARGA!
    O Governo Federal tem mais é que acabar mesmo com essa bandidagem das teles que em vez de investir em modernização, só sabem remeter seus polpudos lucros para o exterior!
    Cadê o FHGá (gostei dessa) para provar a tese que a entrada de multis estrangeiras geraria desenvolvimento tecnológico para o Brasil sem a fiscalização do Estado?
    Em outubro terão a resposta! DILMA neles!

  5. Xisburge
    sexta-feira, 26 de março de 2010 – 19:43 hs

    Resumo: Se é tão perto da Metropolitana como ele diz deve pegar celular, se pegar celular é 3g, se for 3g deve ter aquela internet que é uma porcaria pq a porcaria da ANATEL não funciona pra botar ordem na coisa.

    Certo mesmo é que se dependesse do governo esse país ainda usaria telefones de 2 mil dolares, e internet 56k, com contas astronomicas.

  6. roquekowalski
    sexta-feira, 26 de março de 2010 – 20:06 hs

    os jornalistas estrangeiros quondo vieren para a copa aqui em curitiba vao ver o qounto nos estamos atrasados ( PAIS DE TERCEIRO MUNDO E ASSIM MESMO )

  7. diabinho
    sexta-feira, 26 de março de 2010 – 20:16 hs

    Pois é privatistas.em se Imaginem se privatizassem os correios, o banco do brasil, caixa? Toma papudos.

    Enquanto isso, a outra turma. Desce os sarrafos no professorem em São Paulo.

    Dilma neles.

  8. OSSOBUCO
    sexta-feira, 26 de março de 2010 – 21:08 hs

    Serra reclama da cobertura da imprensa em SP

    Para governador paulista, mídia mantém na ‘clandestinidade’ as ações da sua gestão
    25 de março de 2010 | 20h 04

    Carolina Freitas, da Agência Estado e Silvia Amorim, do O Estado de S. Paulo

    Pré-candidato do PSDB à Presidência da República, o governador José Serra (SP), acusou nesta quinta-feira, 25, a imprensa de cometer “leviandades” e manter na “clandestinidade” ações de sua gestão. As queixas foram feitas um dia depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva dizer que jornais e TVs agem de “má-fé” e dão informações erradas sobre seu governo.

  9. sábado, 27 de março de 2010 – 9:07 hs

    Tenho banda laga a mais de 10 anos e precisei mudar para outro local a apenas 5 km de onde morava… conclusão, a OI que substituiu a Brasil Telecon, fez a mudança e eu tinha internet normalmente, mas… depois de um mês começou a cair a conexão direto, e eu cai na besteira de reclamar… pedir para arrumarem e como todo dia (todo dia mesmo !) a internet caia e tinha que ligar para desligarem e ligarem a central deles, para minha internet voltar, resolvi ligar para a ANATEL ! Que besteira que fiz, simplesmente a OI DESLIGOU minha internet porque reclamei para a ANATEL, eles alegaram incompatibilidade técnica e não poderiam manter o serviço (pois eu era um cliente problema, pois reclamava por meus pseudos direitos de cidadão). Coclusão, Fiquei sem internet !
    MAS A SOLUÇÂO EXISTE ! Fui em uma loja TIM e comprei um G3 ou 3G não sei, só sei que resolveu o problema, tenho internet (conexão menos veloz, MAS TENHO INTERNET ! ).
    Existe um sistema em que a COPEL poderia nos fornecer internet, mas falta INTERESSE POLÍTICO ou COMPETÊNCIA ADMINISTRATIVA MESMO .

  10. FALA SERIO
    sábado, 27 de março de 2010 – 9:56 hs

    Na verdade esse “empresario” esta mal assessorado ou é INCOMPETENTE

    COPEL TELECOM e EMBRATEL tem plenas condicoes de levar um LINK DEDICADO a regioes mais distante e prover servicos para a empresa dele. Nao fosse assim a AUDI e a RENAULT que estao longe do centro de curitiba nao estariam la.

    A coisa nao é bem assim como contam….

  11. Julio
    sábado, 27 de março de 2010 – 10:03 hs

    O grande problema é que a Anatel nunca funcionou. As empresas de telecomunicações fazem o que querem e a ANATEL não coordena, não fiscaliza. A impressão que se tem é que a Anatel está a serviço das empresas e não da população. Se o Lula quer melhorar a banda larga, a primeira coisa a fazer é uma faxina na ANATEL.

  12. TÁ TUDO ERRADO
    sábado, 27 de março de 2010 – 11:08 hs

    BANDA LARGA… O QUE É ISSO?????

    NO BAIRRO DO BOA VISTA EM CURITIBA – CAPITAL TECNOLOGICA DO BRASIL, AINDA N Ã O E X I S T E BANDA LARGA.

    Seja de quem for: Oi, Net, GVT, Embratel ainda não pensaram nos moradores desta região.

    Prometem de 2 até 300 e ficamos com 1 mega, que varia sempre para menos durante o dia.
    A noite, após 23 horas, melhora um pouco.

  13. Beto
    sábado, 27 de março de 2010 – 17:41 hs

    ANAeTEL…

    Agencia reguladora???

    “ASSOCIAÇÃO” NACIONAL das EMPRESAS de TELECOMUNICAÇÕES

    As empresas mandam e desmandam nesta “associação”.

    Passem na rua Vicente Machado e vejam o número de carros e motoristas

    a disposição dos nobres servidores e chefetas.

    Compromissos toda sexta em Floripa, saem na quinta……

  14. Beto
    sábado, 27 de março de 2010 – 18:11 hs

    Estaria bom se o problema da telefonia fosse somente acesso adsl.

    Telefonia fixa e móvel. Cobranças indevidas, não detalhamento da

    conta, não atendimento as reclamações (quando protocolam),

    orelhões sem manutenção e não funcionando,etc,etc…..

    E a ANAeTEL…..aparelhada, cabidão de empregos,….

    Tá toda dominada…..

  15. ELHOIN
    sábado, 27 de março de 2010 – 18:14 hs

    Eeeee em Cuba na Venesuela e nos países comunistas tem um serviço de banda larga bem eficiente não é!
    Quem sabe a ministra Dilma não convida o Evo para troca de tecnologia ou o Fidel para relações exteriores!
    Talvez assim possamos ser um pais com maiores diretos de expressão, talvez nem precisemos ficar há frente dos pc´2 e fazermos regime em homenagem a um governo democrático.
    Cuba , Bolívia, Venezuela, Rússia são exemplos de tecnologia a serem seguidos pelos camaradas de armas da nova frente política, então?
    Não e reclamando do governo e sim do serviço e para isso existe meios de conseguir o serviço adequado, ouvidoria publica, PROCON e quem sabe lermos o código do consumidor .
    Se a maior culpa pelos nossos problemas e o governo, então o maior culpado somos nos , pois e com o voto da maioria que eles chegam lá , Então não e culpa do Lula, do FHC, ou do Collor ou qualquer outro e nossa responsabilidade de escolhermos e escolhermos certo. Parem de reclamar e se candidatem a alguma coisa façam a direferença.

  16. M Freire
    sábado, 27 de março de 2010 – 18:37 hs

    Olá,

    Concordo com o comentário do “Fala sério”.
    Existem sim hoje empresas como Copel Telecom, Embratel, SulBBs e outras que atendem muito bem a esse mercado de Banda Larga dedicada.
    Empresários que desconhecem esse assunto deveriam dar um “google” em “banda larga, link dedicado, acesso ponto a ponto, IP fixo, fibra óptica, etc…Com certeza encontrará no Paraná, principalmente em Curitiba empresas que estão atendendo com excelencia essa demanda e esse nicho de mercado.
    Desde links a rádio(wireless) ou ainda fibra optica. Existem muitos meios de chegarem as empresas estão.
    Esqueçam 3G, esse serviço não tem a menor condição de atender ao mercado corporativo, pois mal atendem ao uso doméstico.
    Muitas empresas privadas investem em Infra Estrutura de Data Center, Back Bones proprios e profissionais capacitados para atender esse nicho de mercado.
    Gente é só procurar….

  17. Beto
    sábado, 27 de março de 2010 – 18:47 hs

    Consultor Jurídico

    27 de março de 2010

    O artigo 10 do Decreto 2.592/1998, que aprova o Plano Geral de Metas para a Universalização do Serviço Telefônico Fixo Comutado Prestado no Regime Público, determina que pelo menos 2% dos telefones de uso público sejam adaptados para uso por deficientes físicos mediante solicitação dos interessados.
    Por entender que ficou demonstrado que a solicitação foi feita e não foi atendida, a 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro confirmou decisão liminar que determina que a OI instale os chamados orelhões, no município de Nova Friburgo (RJ), adaptados para cadeirantes e deficientes auditivos e da fala.

    Os desembargadores apenas estenderam o prazo para que a empresa comprove a instalação. Ao invés de 90 dias, como determinado pela 2º Vara Cível de Nova Friburgo, a empresa terá 180 dias. Também decidiram diminuir de 42 para 28 o número de telefones adaptados.

    Relator do caso no TJ do Rio, o desembargador Benedicto Abicair lembrou que o artigo 1º, da Lei 7.853/89, “assegura o pleno exercício dos direitos individuais e sociais das pessoas portadoras de deficiência e sua efetiva integração social”. Já o artigo 17, da Lei 10.098/2000, “estabelece que o Poder Público promoverá a eliminação de barreiras na comunicação e estabelecerá limites e alternativas técnicas que tornem acessíveis os sistemas de comunicação e sinalização às pessoas portadoras de deficiência sensorial e com dificuldade de comunicação, para garantir-lhes o direito de acesso à informação, à comunicação, ao trabalho, à educação, ao transporte, à cultura, ao esporte e ao lazer”.

    “É inconteste o fundado receio de dano grave, porquanto a falta de acesso aos telefones públicos gera enormes danos à vida dos deficientes físicos, que passam a depender ainda mais da ajuda de terceiros, além de terem restringido o direito de acesso à comunicação”, afirmou o desembargador na decisão.

    Abicair também rebateu o argumento levantado pela Telemar de que não havia perigo de dano, já que a ação, ajuizada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, foi proposta em 2004 e a liminar deferida em 2009. “Isso porque o processo, a princípio, foi julgado extinto por ilegitimidade ativa, sendo que o recurso contra a sentença foi provido, reformando aquela decisão. Daí a razão para a demora na apreciação do pedido liminar”, explicou.

    O desembargador também afirmou que a instalação dos telefones não é irreversível, já que poderão ser desinstalados no caso de a ação ser julgada improcedente. “É bem mais irreversível para os deficientes de Nova Friburgo, porque não se está garantindo, na plenitude, a comunicação deste segmento da sociedade”, disse. O desembargador foi acompanhado pelos demais integrantes da Câmara.

    Leia a decisão

    SEXTA CÂMARA CÍVEL
    AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 2009.002.09474
    AGRAVANTE: TELEMAR NORTE LESTE S/A
    AGRAVADO: MINISTÉRIO PÚBLICO
    RELATOR: DES. BENEDICTO ABICAIR

    AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO CIVIL PÚBLICO. DECISÃO QUE DEFERIU PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA PARA QUE A CONCESSIONÁRIA COMPROVE, NO PRAZO DE 90 DIAS, CONTADOS DA PUBLICAÇÃO DA DECISÃO, A INSTALAÇÃO, EM TODO TERRITÓRIO DE NOVA FRIBURGO, DE QUARENTA E DOIS TELEFONES DE USO PÚBLICO ADAPTADOS ÀS NECESSIDADES DOS DEFICIENTES AUDITIVOS E DA FALA, ALÉM DE OUTROS QUARENTA E DOIS TELEFONES DE USO PÚBLICO ADAPTADOS PARA CADEIRANTES, SOB PENA DE MULTA DIÁRIA DE R$ 10.000,00 (DEZ MIL REAIS). INCONFORMISMO.

    1. Compulsando os autos, verifica-se a presença dos requisitos autorizadores da medida liminar, quais sejam, a probabilidade da existência do direito alegado, além da existência de situação capaz de gerar fundado receio de dano grave;

    2. O art. 10 do Decreto 2.592/1998, que aprova o Plano Geral de Metas para a Universalização do Serviço telefônico Fixo Comutado prestado no Regime Público, determina que pelo menos dois por cento dos telefones de uso público sejam adaptados para uso por deficientes auditivos e da fala e para os que utilizam cadeiras de rodas, mediante solicitação dos interessados;

    3. É inconteste o fundado receio de dano grave, porquanto a falta de acesso aos telefones públicos gera enormes danos à vida dos deficientes físicos, que passam a depender ainda mais da ajuda de terceiros, além de terem restringido o direito de acesso à comunicação;

    4. Dá-se parcial provimento ao recurso para determinar que a ré, ora agravante, comprove nos autos principais a instalação, em todo território de Nova Friburgo, de 14 telefones de uso público adaptados para cadeirantes e de 14 telefones de uso público para deficientes auditivos e da fala, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias, sob pena de multa diária de R$5.000,00 (cinco mil reais), mantida, no mais, a decisão guerreada.

    A C Ó R D Ã O

    Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2009.002.09474, em que é agravante TELEMAR NORTE LESTE S/A, sendo agravado MINISTÉRIO PÚBLICO.

    Acordam os Desembargadores integrantes da Sexta Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, por unanimidade de votos, em dar parcial provimento ao recurso.

    R E L A T Ó R I O

    Trata-se de agravo de Instrumento manejado contra decisão proferida pelo Juízo da 2º Vara Cível de Nova Friburgo que, em ação civil pública, deferiu pedido de antecipação de tutela, determinando que a ré, TELEMAR NORTE LESTE S/A, no prazo de 90 dias, contados da publicação da decisão: a) comprove a instalação, em todo território de Nova Friburgo, de quarenta e dois telefones de uso público adaptados às necessidades dos deficientes auditivos e da fala, além de outros quarenta e dois telefones de uso público adaptados para cadeirantes, sob pena de multa diária de R$ 10.000,00 (dez mil reais); b) comprove nos autos a divulgação dos locais nos quais foram instalados os telefones públicos, através de qualquer meio de comunicação local, sob pena de multa diária de R$ 3.000,00 (três mil reais).

    Sustenta o recorrente que não há perigo de dano, tendo em vista que a ação foi ajuizada em 2004 e a tutela deferida somente no ano de 2009. Aduz que a medida é irreversível porquanto a retirada dos aparelhos telefones é inviável. Assevera que o parágrafo terceiro do artigo primeiro da Lei 8.437/92 veda expressamente a concessão de medida liminar contra atos do Poder Público. Alega que a decisão é extra petita porquanto não há na exordial pedido para instalação de aparelhos telefônicos em todos os Distritos de Nova Friburgo. Afirma, ainda, que inexiste obrigação de instalação de aparelhos públicos de telefonia para deficientes, haja vista que não houve prévia requisição pelos interessados, além da falta de definição de regulação específica da ANATEL. Por fim, sustenta a falta de razoabilidade do prazo e da astreinte fixada.

    Decisão desta relatoria deferindo o efeito suspensivo (fls. 607/608).

    Informações prestadas pelo juízo a quo, dando notícia de que foi cumprido o art. 526 do CPC e que não houve juízo de retratação (fls. 611/612).

    Parecer da Douta Procuradoria de Justiça, opinando pelo desprovimento do recurso ou, dependendo do enfoque, pelo provimento parcial (fls. 614/628).

    Contrarrazões do agravado (fls. 737 e verso).

    É o relatório. Passo a decidir.

    V O T O

    A decisão deve ser reformada parcialmente.

    O agravante insurge-se contra a decisão que determinou que a ré, TELEMAR NORTE LESTE S/A, no prazo de 90 dias, contados da publicação da decisão: a) comprove a instalação, em todo território de Nova Friburgo, de quarenta e dois telefones de uso público adaptados às necessidades dos deficientes auditivos e da fala, além de outros quarenta e dois telefones de uso público adaptados para cadeirantes, sob pena de multa diária de R$ 10.000,00 (dez mil reais); b) comprove nos autos a divulgação dos locais nos quais foram instalados os telefones públicos, através de qualquer meio de comunicação local, sob pena de multa diária de R$ 3.000,00 (três mil reais).

    A concessão da antecipação dos efeitos da tutela depende da presença da probabilidade da existência do direito alegado, além da existência de situação capaz de gerar fundado receio de dano grave.

    No caso presente, a probabilidade da existência do direito alegado restou demonstrada. Senão vejamos:

    O art. 24, XIV da Constituição Federal estabelece a competência concorrente dos entes públicos para legislar sobre a proteção e integração social das pessoas portadoras de deficiências.

    O art. 1º da Lei 7853/89 assegura o pleno exercício dos direitos individuais e sociais das pessoas portadoras de deficiência e sua efetiva integração social, ao passo que o art. 17 da Lei 10.098/2000, estabelece que o Poder Público promoverá a eliminação de barreiras na comunicação e estabelecerá limites e alternativas técnicas que tornem acessíveis os sistemas de comunicação e sinalização às pessoas portadoras de deficiência sensorial e com dificuldade de comunicação, para garantir-lhes o direito de acesso à informação, à comunicação, ao trabalho, à educação, ao transporte, à cultura, ao esporte e ao lazer.

    Nesse diapasão, o art. 10 do Decreto 2.592/1998, que aprova o Plano Geral de Metas para a Universalização do Serviço telefônico Fixo Comutado prestado no Regime Público, determina que pelo menos dois por cento dos telefones de uso público sejam adaptados para uso por deficientes auditivos e da fala e para os que utilizam cadeiras de rodas, mediante solicitação dos interessados.

    Importante ressaltar que a prévia solicitação restou comprovada pelos documentos de fls. 158/163.

    Por outro lado, é inconteste o fundado receio de dano grave, porquanto a falta de acesso aos telefones públicos gera enormes danos à vida dos deficientes físicos, que passam a depender ainda mais da ajuda de terceiros, além de terem restringido o direito de acesso à comunicação.

    Sem razão a recorrente quando afirma que não há perigo de dano, sob o fundamento de que a ação foi ajuizada em 2004 e a tutela deferida somente no ano de 2009. E isso porque o processo, a princípio, foi julgado extinto por ilegitimidade ativa, sendo que o recurso contra a sentença foi provido, reformando aquela decisão. Daí a razão para a demora na apreciação do pedido liminar.

    Urge salientar que a medida não é irreversível porquanto os telefones especiais poderão ser desinstalados, caso a demanda venha a ser julgada improcedente.

    Na verdade, é bem mais irreversível para os deficientes de Nova Friburgo, porque não se está garantindo, na plenitude, a comunicação deste segmento da sociedade.

    Esclarece-se, por oportuno, que a Lei 8.437/92 não se aplica às concessionárias de serviço público, que são pessoas jurídicas de direito privado.

    Não há que se falar em decisão extra petita porquanto o pedido constante da exordial engloba toda a cidade de Nova Friburgo.

    No entanto, assiste razão à concessionária agravante no tocante ao número de aparelhos de telefones a serem instalados, ao prazo estabelecido para o cumprimento da obrigação e à astreinte fixada.

    O número de telefones públicos a serem instalados em todo território de Nova Friburgo, em sede de juízo de probabilidade, parece exagerado, razão pela qual se impõe sua redução para 28, sendo 14 para cadeirantes e 14 para deficientes auditivos e da fala.

    O prazo de 90 dias para a comprovação da instalação dos telefones especiais revela-se exíguo, levando-se em consideração o trabalho de engenharia que deverá ser realizado, razão pela qual deve ser majorado para 180 (cento e oitenta) dias.

    Da mesma forma, a multa diária de R$ 10.000,00 (dez mil reais) para o caso de descumprimento da medida liminar é demasiadamente elevada, razão pela qual deve ser reduzida para R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

    Por todo o exposto, dá-se parcial provimento ao recurso determinar que a ré, ora agravante, comprove nos autos principais a instalação, em todo território de Nova Friburgo, de 14 telefones de uso público adaptados para cadeirantes e de 14 telefones de uso público para deficientes auditivos e da fala, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias sob pena de multa diária de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), mantida, no mais, a decisão guerreada.

    Rio de Janeiro,

    DESEMBARGADOR BENEDICTO ABICAIR
    RELATOR

  18. Luiz C. Flávio
    sábado, 27 de março de 2010 – 18:53 hs

    Caros Curitibanos, estamos aguardando a promessa do governador em estadualizar a Companhia Telefônica de Londrina – SERCOMTEL, que tem como sócio a COPEL (detendo 45% das ações). Os paranaenses já poderiam estar usufruindo dos ótimos serviços de Telecomunicações incluindo a Banda Larga 3,5 G.
    A SERCOMTEL é o orgulho de Londrina, fundada em 1969 sob a ótica visionária e empreendedora de Dr. Hosken de Novais. Com uma História impar no cenário das Telecomunicações do Brasil, sempre foi pioneira na implantação dos mais avançados serviços Telefônicos, isso sem falar da sua qualidade. É a única operadora que sobreviveu a feroz Privatização do Setor que teve seus pontos positivos e negativos. Os curitibanos estão tendo a oportunidade de vivenciar o lado negativo das Privatizações. Após um grande desgaste patrocinad pela administração petista que tentou desesperadamente vender a SERCOMTEL, a empresa continua viva e robusta, atendendo além de Londrina, o espaço geográfico situado entre as cidades de Ibiporã e Maringá, com a mais diversa gama de serviços e produtos ( inclusive Banda Larga 3,5G e TV a Cabo com sinal Digital). Esperamos que o próximo Governador tenha a capacidade de enxergar o grande potencial de negócio que se constituiu o setor das Telecomunicações, e a sensibilidade, em retomar a vocação empreendedora não somente do Estado do Paraná como também do Administrador Público. A estadualização da SERCOMTEL cairia como uma luva para o Estado, quer seja na esfera econômica ( gerando empregos, impostos, desenvolvimento e lucro para os cofres do Paraná), quer seja na esfera Social ( visando atender a camada mais carente da população com o programa da Inclusão Digital a preços acessíveis), ou na esfera Política, dando o exemplo de que é Possível administrar com seriedade, competência e honestidade qualquer empresa Pública.

  19. Curitibano
    sábado, 27 de março de 2010 – 22:12 hs

    Inclusão digital meia boca…

    O governo é lerdo em observar que todo o sistema de telecomunicação do Brasil está nas mãos de estrangeiros…

  20. segunda-feira, 29 de março de 2010 – 7:33 hs

    Felizmente sou usuário de banda larga, e por incrível que pareça o meu fornecedor é gente aqui da terra, aqui de Curitiba, esta bem mais perto do que todos imaginam. A minha empresa utiliza 24 hs por dia a banda larga da SUL INTERNET, com custo-beneficio ótimo ( não é comercial ) e felizmente descobri isso depois de ter passado por vários fornecedores estrangeiros, eles deixam muito a desejar. Acho que quanto mais propaganda eles fazem , mais conseguem usuários e ai vem o problema, é muita gente, precissa de muito espaço, não conseguem atender todo mundo e lógicamente alguem sai sempre perdendo, voces podem adivinhar quem são os sempre prejudicados …….abs e procurem os vizinhos……

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*