Ameaças de Requião não assustam PT | Fábio Campana

Ameaças de Requião não assustam PT

Do Paraná Online

Os petistas não levaram a sério a ameaça feita ontem pelo governador Roberto Requião (PMDB) que, em seu twitter, na internet, disse que se o presidente Lula (PT) não apoiar a candidatura do vice-governador Orlando Pessuti (PMDB) ao governo, o PMDB do Paraná subirá ao palanque do governador de São Paulo, José Serra (PSDB) na disputa presidencial.

“Não acredito que ele faça isso”, reagiu o presidente estadual do PT, deputado Enio Verri. O dirigente do PT lembrou que, na sexta-feira, durante a visita do presidente Lula à refinaria Getúlio Vargas, em Araucária, o governador declarou apoio à candidatura da ministra Dilma Rousseff à presidência da República, usando a quadrinha “Tá tudo acertado. Nós se finge de leitão para mamar deitado”, que repetiu no encontro do PMDB, no último sábado. “Eu entendi que era uma declaração de apoio a ministra. Mas ainda que eu tenha me enganado, o Requião tem uma história e não dá para imaginar que ele vá apoiar o Serra”, disse o presidente regional do PT.

Para Verri, o comportamento do governador não surpreende e o PT vai esperar pela posse de Pessuti, no governo, marcada para o dia 1, para reabrir o diálogo com o PMDB.

“O governador gosta de crise como instrumento de construção política. Talvez, com o Pessuti, assumindo como governador, já tem interlocutor, diminui a tensão”, afirmou. O petista lembrou ainda que a instabilidade da permanência do deputado estadual Waldyr Pugliesi na presidência do PMDB também tem travado o diálogo. “Depois que tudo isso se esclarecer, e esse é um assunto interno do PMDB, nós voltamos a conversar. O diálogo PT e PMDB não pode parar nunca”, disse.

“É pura bravata”, afirmou o deputado federal André Vargas, declarando que “política não se faz na base da ameaça”. Vargas acha que o governador deveria evitar essas manifestações para não atrapalhar a candidatura de Pessuti. “Ele não vai a lugar nenhum com isso. Nós reconhecemos a força eleitoral do Requião, a importância dele, mas ele não preparou a sucessão e tem que cuidar da própria eleição ao Senado”, comentou.

Para Vargas, o presidente Lula pode apoiar dois candidatos no Estado, ou seja, Pessuti e o senador Osmar Dias, candidato do PDT ao governo com quem o PT busca uma coligação.

“O Requião sabe disso. Na frente do Lula, disse que vai apoiar a Dilma. O Lula vai embora, e ele, talvez esteja tentando construir algo com o Beto Richa, mais do que com o Serra”, atacou.

A disposição do PMDB em lançar dois candidatos ao Senado, fechando as chances de composição na majoritária, também não assustou os petistas. “Todo partido pode lançar dois candidatos ao Senado. Esta possibilidade existe, inclusive para nós”, afirmou Verri.

Ele observou que, além da ex-presidente estadual do partido Gleisi Hoffmann, o PT também pode indicar mais um candidato, que poderia atrapalhar a votação de Requião.

“Normalmente, nós do PT votamos casado. Quando o Flávio Arns foi eleito, o segundo candidato, Edésio (Passos), fez quase 900 mil votos. Então, o segundo nome para o Senado poderia ajudar à campanha de Dilma também. “Só que tem que lembrar que esses votos vão sair de alguém”, cutucou.


7 comentários

  1. Esses tucanos.
    terça-feira, 16 de março de 2010 – 10:49 hs

    16 de março de 2010 às 10:14
    Blog do Miro: Contra Dilma, Veja apela para bandidos

    por Altamiro Borges, em seu blog

    A Casa Millenium, que reúne a lama da direita midiática nativa, deveria instituir um prêmio para os seus freqüentadores mais sádicos. A revista Veja já é uma forte concorrente. Logo após o seu convescote, ela já produziu duas capas espalhafatosas contra a campanha de Dilma Rousseff. Na primeira, utilizou como “fonte primária” o promotor José Carlos Blat, que foi desautorizado pela Justiça de chofre. Já nesta semana, ela acionou Lúcio Bolonha Funaro, famoso doleiro do rentista Naji Nahas e “sócio” do ex-governador José Roberto Arruda, que permanece preso em Brasília.

    As denúncias requentadas do promotor não duraram uma semana. O juiz Carlos Eduardo Franco negou o pedido de Blat de bloqueio das contas da Cooperativa Habitacional dos Bancários e até recusou a quebra do sigilo bancário do ex-presidente da Bancoop, João Vaccari. No despacho, o juiz argumenta que as denúncias de Blat não podem ser “contaminadas” pelo ambiente eleitoral e nem servir à manipulação da sociedade. A revista Veja, que já havia arquivado a sua reportagem de fevereiro de 2005 com relatos dos podres de Blat, preferiu agora ocultar a bronca do juiz.

    A ficha suja de Funaro

    Mas a famíglia Civita não dará sossego a Dilma Rousseff e seguirá a estratégia traçada nas orgias da Casa Millenium. Para isto, usará os expedientes mais torpes, como ouvir notórios bandidos. A “fonte primária” da Veja desta semana, Lúcio Funaro, tem vastíssima ficha policial. No passado, esteve metido no escândalo do Banestado. Já na Operação Satiagraha, a Polícia Federal o acusou de doleiro Naji Nahas, responsável por remessas ilegais de dinheiro ao exterior. Só não foi preso porque Gilmar Mendes, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, deu-lhe habeas corpus.

    Lúcio Funaro também se lambuzou no escândalo do “mensalão do DEM” de Brasília. Em duas investigações assumidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, ele é citado como pivô da remessa de altas somas para contas de firmas de fachada. A Operação Tucunaré revelou que sacolas de dinheiro eram distribuídas em hotéis do Distrito Federal. A empresa Royster Serviços, de Lúcio Funaro, seria uma das beneficiadas no esquema de corrupção do ex-governador demo José Roberto Arruda – o badalado “vice-careca” do tucano José Serra.

    Ligações do doleiro com Serra

    Apesar da sua ficha suja, a Veja requentou as denúncias de Funaro contra a Bancoop. Temendo a prisão, ele as apresentou em 2005, mas elas foram rejeitadas pela Justiça. Segundo João Vaccari, que novamente não foi ouvido pela Veja, “passados cinco anos, nunca fui chamado para prestar esclarecimentos no Ministério Público Federal, que não propôs ação contra mim”. Para ele, a nova “reporcagem” é mais um ataque “sem fundamentos ou provas”, que visaria influenciar a eleição presidencial deste ano – conforme a tática traçada no convescote da Casa Millenium.

    Mas o desespero da famíglia Civita pode respingar no seu próprio candidato. A “fonte primaria” da Veja pode reabrir antigas feridas de José Serra, que teria repassado informações privilegiadas ao doleiro Naji Nahas na venda de ações da empresa paulista de energia. Na ocasião, uma escuta telefônica da Polícia Federal ouviu o doleiro se jactando de que poderia ganhar “80 paus” (R$ 80 milhões) com a venda de ações. Sem papa na língua, ele revelou que “soube pelo próprio Serra a confirmação de que a Cesp seria privatizada”. Será que a Veja irá atrás desta história?

  2. Jose Carlos
    terça-feira, 16 de março de 2010 – 10:51 hs

    Todos – com mais de dois neurônios realizando sinapses comuns – sabem que Mello e Silva é como criança e cachorro: não se pode levar muito a sério… nem ele mesmo se leva muito a sério… além disso Mello e Silva deve sua reeleição à Lula, pois, provavelmente os 10 mil votos que o salvaram do fracasso devem ser creditados ao apoio de última hora que Lula lhe deu… Assim foi, assim será… bravatas, bravatas, bravatas… até o amargo fim…

  3. Samuel Sobral
    terça-feira, 16 de março de 2010 – 10:57 hs

    Jornalista, desculpe-me, como podem, os senhores, especialmente o Campana, mergulhar em “profundas elucubrações” acerca das estrepulias do “Cara do Caroço de Mamona” ? Todos os “colunistas” ficam extasiados para divulgar em “first hand” as babaquices do “Cara” ! Vejo isso tudo como desperdício de tempo, espaço que poderiam muito bem ser invertidos em ações construtivas. E não parece que estripulias de um candidato, ainda assenhorando-se do cargo que ocupa, seja algo que possa ser construtivo. Sinceramente não dá prá entender !!!!!
    Até criancinha de primário, seja talvez ensino fundamental, é capaz de desvendar esse “esconde-esconde de doce de butiquim”. E o pior: vocês jornalistas correm atrás dessas pequenas idiotices preenchendo espaços nobres com quinquilharias até meio enfadonhas.
    Pensem sosbre isso, “please”.

  4. Wilson
    terça-feira, 16 de março de 2010 – 13:07 hs

    Em suas atitudes as vezes ele tem lampejos de lucidez!

    Ele sabe que está perdendo o controle do jogo interno, onde a maioria dos deputados que o apoiam e são a sua base eleitoral estão com o Beto e o Serra.

    Outro fato é o de que o Pessuti por ser ligado ao grande e transgênico agronegócios poderá caso ocorra o segundo turno apoiar o Osmar. Outra interrogação que passa pela sua cabeça e o deixa irritado é a de que ao mesmo tempo em que ele tromba frontalmente com o PT o seu vice vergonhosamente rasteja atrás dos petistas em busca de apoio.

    “Se correr o bicho pega e se ficar o bicho come”!

  5. OSSOBUCO
    terça-feira, 16 de março de 2010 – 18:46 hs

    Não é bravata, é distúrbio de humor mesmo!
    O cara não é bipolar, é tripolar!

  6. FILET MIGNON
    terça-feira, 16 de março de 2010 – 20:18 hs

    Boa Wilson… Fostes no âmago da questão….
    A intenção total do INSANO , caso pegasse o Diretório Estadual do PMDB, era ter poder de barganha, e aí o PESSUTÃO IRIA LEVAR UMA INVERTIDA SEM VOLTA!
    E, caso o PESSUTTI permaneça candidato, e é claro que vai pra luta, e se acaso chegar no final do 1º turmo em 3º lugar, duvido que PESSUTI não apoe o OSMAR.
    REQUIÃO tá vendendo dificuldades pra comprar facilidade. Ele não quer mesmo é a candidatura da Gleise e muito menos a de Gustavo, se não me engano, os quais estão disputando palmo a palmo o Senado com o INSANO…. E, no andar da carruagem…. ADÓS MULA MIA!…

  7. jaferrer
    terça-feira, 16 de março de 2010 – 22:11 hs

    O Engraçado é que depois de tudo o que o Bob Mamona disse do PT e seus caciques, os lacaios ainda continuam mamando nas tetas do Estado. Eta partidinho vagabundo esse pt do Pr!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*