Alvaro Dias joga a toalha e sai atirando em Richa | Fábio Campana

Alvaro Dias joga a toalha e sai atirando em Richa

Via Gazeta do Povo

O senador Alvaro Dias (PSDB) afirmou nesta segunda-feira (1º) que não tem mais esperanças de ser candidato ao governo do estado pelo PSDB do Paraná. “Não acredito que o PSDB do Paraná permita que eu seja candidato”, afirmou o ex-governador em entrevista concedida à rádio Band News de Curitiba.

Entre muitas críticas à direção do partido no estado, Alvaro disse ainda que não tem certeza nem se votará no candidato tucano para a sucessão de Requião. Deixa no ar a possibilidade de apoiar o irmão, também senador Osmar Dias (PDT) ao governo do Paraná, numa aliança com o PT e, talvez, PMDB.

O senador disse que irá esperar os resultados das convenções partidárias para decidir o que fazer, mas o voto em Beto Richa (PSDB) está praticamente descartado. “Se o PSDB do Paraná desrespeita o programa partidário e ignora a ética, isso eu não posso acompanhar”, afirmou na entrevista à Band News.

O descontentamento de Alvaro Dias com o partido se acirrou após a reunião da executiva do partido que, em uma espécie de pré-convenção, no dia 22 de fevereiro, oficializou apoio à candidatura do prefeito de Curitiba, Beto Richa, para o governo estadual. A reunião não tem valor legal de indicação partidária, que só acontece em convenção, mas deixa claro a posição dos “caciques” do tucanato paranaense.

A decisão fez Alvaro Dias até pensar em mudar de partido. Anteriormente, ele já afirmou que não tem a intenção de deixar o PSDB, mas na entrevista desta segunda-feira, afirmou que, se continuar sendo impedido de disputar eleições pelo PSDB do Paraná ele teria que buscar outras alternativas.


20 comentários

  1. politico jovem
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 19:42 hs

    O PSDB ainda pensava que o alvaro iria contra o irmao? só pode ser brincadeira!
    A força de osmar e alvaro junto nao se compara, Beto ta ferrado! ainda mais se o requiao decidir apoiar o Osmar. Acabou betinho

  2. OSSOBUCO
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 19:50 hs

    PRIVATIZAÇÃO À LA PSDB!

    Mauricio Dias, em sua Rosa dos Ventos, agudamente avisou, faz duas semanas, que a divergência quanto à correta interpretação do papel do Estado nos domínios econômicos acabaria por excitar cada vez mais o debate eleitoral. Pois a questão está posta, e ganha tons exasperados, e até anacrônicos, na convicção medieval de que aos barões cabe a propriedade de tudo.

    Nesta edição, o confronto já esboçado está na capa. Aqui me agrada recordar certas, fundamentais circunstâncias em que se deram as privatizações celebradas como trunfo do governo de Fernando Henrique Cardoso, entre elas, em primeiro lugar, o desmantelamento da velha Telebrás, leiloada para uma plateia de barões à sombra do martelo de um punhado de extraordinários leiloeiros.

    Final de 1998, FHC já reeleito, mas ainda não empossado, para o segundo mandato. Operação entregue aos cuidados do então ministro das Comunicações, Luiz Carlos Mendonça de Barros, de André Lara Resende, presidente do BNDES, de Ricardo Sergio de Oliveira, diretor do Banco do Brasil. Entre outros menos qualificados. Grampos variados acabaram por revelar o pano de fundo de uma bandalheira sem precedentes na história pátria.

    Foi uma orgia de fitas. Em sua reportagem de capa da edição de 25 de novembro de 1998, CartaCapital dizia: “Fala-se em 27, mas certeza só tem quem participou dos grampos”. Ilegais, obviamente, e desde o início do ano destinados a ouvir as conversas do próprio Luiz Carlos Mendonça de Barros, que ainda estava na presidência do BNDES. O que movia os grampeadores, adversários de Mendonção, era buscar as razões da vertiginosa ascensão da Link Corretora de Mercadorias Ltda., dos filhos do grampeado: em quatro meses de atividade tornara-se a terceira operadora no ranking do Índice Bovespa Futuro. “Cerca de 40% desse índice – sublinhava CartaCapital – era composto por ações da Telebrás, empresa sob o comando do presidente do BNDES.”

    O cerco a Mendonção prosseguiu mesmo quando ele se mudou para o Ministério das Comunicações, e ali, no seu gabinete, as gravações mais significativas, relativas ao leilão da Telebrás, foram executadas entre 21 de julho e 21 de agosto de 98. O próprio governo, pego no contrapé, cuidou de divulgar uma versão da fitalhada, com cópias generosamente fornecidas às semanais Veja e Época. Cópias amplamente manipuladas, para provar a lisura dos comportamentos das figuras governistas chamadas a conduzir a privatização do sistema. Ocorre que outros ouvidos entraram em cena, e tiveram acesso a largos trechos cancelados nas versões oficiais. Os ouvidos de Luiz Gonzaga Belluzzo e do acima assinado, que participaram de uma audição especial, e do então redator-chefe, Bob Fernandes, privilegiado em outra ocasião.

    Cito algumas passagens edificantes, que não figuravam nos textos de Veja e Época. De Mendonção para o irmão José Roberto: “O negócio tá na nossa mão, sabe por quê, Beto? Se controla o dinheiro, o consórcio. Se faz aqui esses consórcios borocoxôs são todos feitos aqui. O Pio (Borges, vice-presidente do BNDES) levanta e depois dá a rasteira”. De Mendonção para André Lara Resende, novo presidente do BNDES: “Temos de fazer os italianos na marra (Telecom Italia) que estão com o Opportunity (…) fala para o Pio que vamos fechar (os consórcios) daquele jeito que só nós sabemos fazer”. De André Lara Resende para Persio Arida, sócio de Daniel Dantas no Opportunity: “Vá lá e negocia, joga o preço para baixo, depois, na hora, se precisar, a gente sobe e ultrapassa o limite”.

    As pressões chegam ao clímax, e Mendonção propõe: “Temos que falar com o presidente”. E Resende: “Isso seria usar a bomba atômica!” E ele a usa: “Precisamos convencer a Previ”, recomenda a FHC. A Previ poderia prestar-se ao jogo, como se prestou no caso da privatização da Vale do Rio Doce. O fundo, contava Carta-Capital na reportagem de capa assinada por Bob Fernandes, “parecia compor-se com o grupo capitaneado por Antonio Ermírio de Moraes, à última hora bandeou-se para a nau pilotada por Benjamin Steinbruch”. Na manobra para enredar a Previ no caso do leilão da Telebrás, foi decisiva, segundo os trechos omitidos das versões oficiais, a pronta colaboração de Ricardo Sergio, o diretor do Banco do Brasil.

    Tal é o bastidor das privatizações à moda nativa, ou melhor, tucana. Ou fernandista, se quiserem. A trupe dos privatizadores abandonou a ribalta faz bom tempo, mas não é arriscado imaginar que viva dias pacatos. O mais ostensivo, no seu bem-bom, é André Lara Resende, hoje dono de uma quinta em Portugal. Devotado aos esportes equestres, freta aviões para importar seus cavalos.

  3. Emerson
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 20:31 hs

    Alo, Alo Prefeitura…

    Por favor, facam logo o que a Salete pede pra ela nao cumprir a sua ameaca!!!!

  4. GUILHERME
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 21:44 hs

    UAI CADE O SCHIK JEITOSO? …….. FALOU QUE ALVARO SERIA O GOVERNADOR……E AGORA SEU ALVARO?….O PAI DE SANTO FAIO……

  5. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 22:34 hs

    O problema do Beto era ser LANÇADO o mais rápido possível.
    Tudo para abater o Álvaro.
    Conseguiu.
    Agora corre o risco de ter que buscar uma estratégia para desistir do LANÇAMENTO na contagem regressiva – caso o SERRA continue despencando.
    Ou será que o Beto ARRISCA o certo pelo DUVIDOSO?!
    São quase 3 anos de mandato – gente!
    Ah! Vai… esquece…
    SONHAR NÃO CUSTA NADA!
    Mas bem que eu queria saber o que o cargo de governador tem de tão importante para tanta briga dentro do próprio ninho…

  6. Roberto Carlos
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 22:38 hs

    Até que enfim colocou a mão na conciência, e vai pular fora, mas só que tarde de mais, pois ninguem mais aguentava vc choromingando, seu tempo na politica já era, quase perdeu a eleição do senado para Gleise, e ainda achava que ia ganhar para governador, vamos começar as aposta que para o proxima eleiçao para o senado VC DANÇA E BONITO PODE APOSTAR teus DIAS estão contados como politico.Meu voto nunca mais numa pessoa falsa como vc.

  7. Cris
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 23:12 hs

    JOÃO KASSAB, não sou cheada a elogios, mas não posso deixar de retribuir qdo sou elogiada, certo?

    JOÃO KASSAB DE MERDA, vá para o quinto dos infernos e leve o Alvaro Dias junto.

    .

  8. Pedrowiski
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 23:13 hs

    Para Salete Cesconeto Arruda:

    Você já viu o Fantástico?
    Ah não?!! Se quiser eu te mostro…ahahahaa

  9. segunda-feira, 1 de março de 2010 – 23:53 hs

    Os Dias só pensam neles mesmos gente…abram os olhos…e não votem.

    Está na hora deles se aposentarem, já passaram dos 70 anos…apesar das inúmeras plásticas e botox….

  10. CLOVIS PENA - vale lembrar
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 6:40 hs

    Do O Estado do Paraná:

    “Rossoni disse que Álvaro não deveria ter retornado ao PSDB, se considerava boicotado em seus projetos políticos. Ele se referiu ao período em que o senador recusou a retirar sua assinatura da CPI da Corrupção, para investigar o governo FHC, e teve que deixar a sigla.

    À época, Alvaro ingressou no PDT e, depois, retornou ao PSDB. “Eu só me lembro que ele fez acordo branco com o Jaime Lerner”, cutucou. Ele citou que Álvaro disputou o Senado em 98 pelo PSDB e a coligação de Lerner, no PDT, não lançou candidato.”

  11. CLOVIS PENA - vale lembrar
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 7:14 hs

    Estamos falando do líder do psdb no Senado e do seu primeiro importante posicionamento político, após ter sido escolhido.
    Quantos votos esta postura política vai tirar de Serra ?

    Avante Paraná !!!

  12. salete cesconeto de arruda
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 7:42 hs

    Pedro bebe wiski do mineirinho come quieto e já se acha bem dotado.
    Tadinho.
    Freud explica. Complexo de inferioridade.
    Calma – Pedro!
    Mais vale um pequeno brincalhão do que um grande bobalhão.
    E pode mostrar para a tua familia.
    Se for FANTÁSTICO mesmo o Zeca Camargo está interessado…

  13. Joel
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 9:01 hs

    Com tanta decpção na Politica,O Beto é o Único que ainda nos dá Esperanças!!Vivamos prá ver,,,

  14. ROSANE
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 11:37 hs

    sábia decisão do senador encrenqueiro……ñ votar no BETO.
    afinal todo bom politico ñ gosta de perder seu voto, e votar em BETO é perder …melhor mesmo é apostar no irmão……assim como nós do PT apostamos nessa aliança com o PDT de OSMAR.
    se na vice viesse nossa ESTRELA MAIOR….GLEISI ROFFMANN
    ai sim …..seria goleada + GLEISI prefere ser SENADORA e será!

    saudações socialistas

  15. ROSANE
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 11:40 hs

    sábia decisão do senador encrenqueiro……ñ votar no BETO.
    afinal todo bom politico ñ gosta de perder seu voto, e votar em BETO é perder …melhor mesmo é apostar no irmão……assim como nós do PT apostamos nessa aliança com o PDT de OSMAR.
    se na vice viesse nossa ESTRELA MAIOR……GLEISI HOFFMANN
    ai sim……seria de goleada+ GLEISI prefere ser SENADORA e será!

    saudações socialistas

  16. DESABAFO DE UM PREFEITO PSDB
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 15:27 hs

    È lamentavel ler aqui alguns comentarios, um um blog de tamanha relevancia para o depate de opiniões, pois ataques a vida pessoal, insinuações violentas sem nexo de casualidade enfim tanta coisa dita sem o minimo de respeito e ética, pontos que considero e essencial para o convivio em sociedade.

    Sobre o assunto em pauta, sou um prefeito de um Municipio do Interior do Parana, e fui tambem Prefeito exatamente no periúdo em que o Senador Alvaro Dias foi Governador do Estado do Parana.

    Se a um ponto negativo contra a vida “publica do Senador Alvaro, é realmente o fato lamentavel ocorrido naquele fatidico dia 30 DE AGOSTO DE 1988;

    POREM FAÇO AQUI ALGUMAS CONSIDERAÇÕES DOS VARIOS PONTOS POSSITIVOS DAQUELE GOVERNO:

    1º Nenhum governador construiu tantos trechos de alfalto como naquele governo:

    2º Não privatizou nada e nem entregou o patrimonio do povo paranaense de bandeja a ninguem:

    3º A agricultura erá respeitado como o primeiro setor, e os agricultores recebiam o verdadeiro respaldo de um governo cuja o estado a economia é a base da agricultura;

    3º Ninca na historia deste pais se construi tantas obras quanto naquele governo, escolas, estradas, usinas hidreletricas etc.

    4º Nunca mais em minha vida conheci um gov ernador que tratava tão bem e com tamanha educação e respeitos os homens publicos como eu na epoca prefeito que em seu governo tinha vez e voz.

    5º Este homem Publico que atende Pelo nome de Alvaro Dias pode ter os deveitos que tiver como todos nós temos, mas poucos tem sua EDUCAÇÃO, SUA SIMPATIA EM RECEBER AS PESSOAS SEJA DO PARTIDO QUE FOR, E SUA BAGAGEM POLITICA, pois seu curriculo o avalisa, e um pouco mais de RESPEITO a um Homem Publico que saiu do norte do parana como vereador, sendo eleito Deputado Federal, Governador, e Senador.

    Meu Drama pessoal atualmente é:

    Seguir o diretoria estadual e votar em um figura politica que faça justiça faz um bom Governo em Curitiba, mas faço neste moneto uma importante resalva, vamos refletir como foi o Governo de alguns ex-prefeitos de Curitiba como exemplo o Gov. Jaime Lerner, é muito facil administrar um prefeitura cuja o orçamento é quase maior do que a do estado.

    Ou romper com meu partido e estar ao lado de homens que conhecem sem duvida alguma a verdadeira realidade do Estado do Parana de canda a cando em cada rincão que sabe o que sofre o homem do camplo atulmente, e acreditar que Alvaro Dias Senador e o seu irmão Governador alinhado ao Governo Federal que embora meu partido seja de oposição não podemos aqui dizer que está tudo errado porque o Brasil cresceu está crecendo e melhorando, tenho certeza como Paranaense de 72 anos que sou prefeito pela terceira vez em minha cidader e reeleito no ultimo mandato, que está opção fara muito bem para o nosso querido estado do Parana.

  17. ofaxineiro
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 15:35 hs

    Recordar é viver em 2006 o Alvaro apoiou o Osmar…..

  18. Marcos Pop
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 16:04 hs

    A diferença de Zé Serra e Dilma quanto a ditadura militar é que Zé, assim como Ulisses, Covas, Jarbas, Simon e Requião, queria o fim da ditadura para a volta da democracia plena. E Dilma lutava para derrubar os militares para implantar o regime comunista Russo/Cubano no Brasil. Por isso ela fazia guerrilha e assaltava bancos e casas de políticos. Osmar, irmão de Alvaro, se abraçou com essa gente…

  19. Marcos Cordeiro
    terça-feira, 2 de março de 2010 – 22:03 hs

    Já fiz um comentário anterior e “VERDADE”, está certo…a melhor opção política para o PSDB no Paraná, é manter a prefeitura e apoiar o Senador Alvaro Dias para o Governo do Estado, abrindo uma frente ampla para o Serra, mas é minha opinião, só isso.

  20. Valdetário Brito (Crato-CE)
    quarta-feira, 3 de março de 2010 – 18:16 hs

    Ele disse: “Se o PSDB do Paraná desrespeita o programa partidário e ignora a ética, isso eu não posso acompanhar” como se o partido dele ignorasse a ética apenas no Paraná! Não é bem assim, não! É no Brasil todo. Se ele deixar o psdb o difícil será encontrar um partido que o acolha. Com aquele “cheiro”?! DILMA 2010 e 2014.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*