"Não vou atacar, nem sei fazer isso", diz Richa sobre campanha eleitoral | Fábio Campana

“Não vou atacar, nem sei fazer isso”, diz Richa sobre campanha eleitoral

Jadson André do Portal Banda B

O prefeito Beto Richa anunciou no início da tarde de hoje (29) que vai renunciar ao governo municipal nesta terça-feira (30). Num discurso de 25 minutos, Richa falou sobre os cinco anos e três meses que esteve à frente do governo da capital e sobre os próximos passos como candidato a governador do Paraná.

“Este período à frente da prefeitura de Curitiba foi o mais importante da minha vida pública e a decisão de renunciar a este cargo antes do tempo para concorrer ao governo estadual foi a mais difícil”, disse Richa.

Campanha eleitoral

Segundo Richa, sua candidatura foi um pedido da população de Curitiba. “Numa pesquisa feita com os curitibanos descobrimos que 80% deles querem me ver a frente do governo do Paraná”. Ele rebateu os ataques de adversários que criticaram sua renúncia. “Não vou atacar, nem sei fazer isto, vou me ater a apresentar as metas para o mandato. Quem faz ataques é porque não tem projetos para mostrar ao eleitor”.

Ele afirmou que ainda não pensou sobre a possibilidade de perder estas eleições. “Ainda não pensei nisso. Vamos entrar para fazer o melhor. Para fazer jus a confiança que meu partido está depositando em mim. Não está nos meus planos perder a eleição”, disse. Richa informou que ainda não decidiu quem será seu vice, mas que neste assunto a última palavra será sua.

Viagens e alianças

Amanhã (30) depois da renúncia, Beto Richa segue em campanha pelo interior. Sua primeira parada será em Cascavel, onde vai visitar um hospital modelo. Na quarta e quinta-feira (31 e 1º) Richa estará em Foz do Iguaçu. Após o feriado de Páscoa, ele afirmou que começará a se reunir com as lideranças do PSDB para definir os planos de campanha e de governo. “Agora com a minha saída da prefeitura as coisas ficam mais definidas para se começar a firmar alianças”, disse Richa.

Osmar Dias

Para Richa a condição de adversário de Osmar Dias (PDT) é uma conseqüência natural do processo eleitora. “Eu gostaria que o PDT estivesse conosco. Se não houver esta possibilidade, procurarei manter um bom nível de discussão durante a campanha. É normal que partidos que foram aliados em uma eleição se enfrentem na seguinte”.


4 comentários

  1. espectador
    terça-feira, 30 de março de 2010 – 21:33 hs

    É muito bonzinho me ferrou, eu votei em vc e não no teu vice e agora tenho que engolir.

  2. ERNESTO
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 8:49 hs

    ISSO NÃO SIGNIFICA QUE NÃO SERÁ ATACADO ,SIGNIFICA?!

  3. Rodrigo
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 9:26 hs

    Não é verdade que o senhor Beto não saiba atacar ninguém. Sabe, e muito bem, é só lembrar das “críticas” que recebeu por causa da ridicula linha verde; sem nenhum viaduto e com engarrafamentos que irritam diariamente os motoristas. Quando questionado pelo deputado Kielse sobre a ausência de viadutos na referida obra, esbravejou, dizendo que o dito deputado deveria primeiro estudar para depois questioná-lo. Ora, mas ele que se diz engenheiro, será que não viu isso????? Com a palavra o candidato Beto!!!!!

  4. ERNESTO
    quarta-feira, 31 de março de 2010 – 11:15 hs

    O BETO “FICA”!
    FICA VIAJANDO!
    FICA FAZENDO DE CONTA QUE NÃO QUERIA SER GOVERNADOR!
    FICA FAZENDO DE CONTA QUE QUERIA SER PREFEITO!
    FICA SE FAZENDO DE BOM MOÇO!
    FICA ILUDINDO O POVO!
    FICA FAZENDO O POVO DE IDIOTA QUE VOTOU NELE!
    FICA FALANDO QUE AQUELA LINHA VERDE É UMA MARAVILHA ,QUANDO É UM VERDADEIRO INFERNO!
    FICA INAUGURANDO PROJETO DE OBRAS!
    É ! REALMENTE O BETO FICA MUITO!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*