Requião e Pisseti terão que indenizar deputado | Fábio Campana

Requião e Pisseti terão que indenizar deputado

De Ivan Santos no Bem Paraná

O governador Roberto Requião (PMDB) e o ex-secretário de Estado da Comunicação Social, Airton Pisseti (foto), foram condenados solidariamente pela Justiça a pagar uma indenização de R$ 80 mil ao deputado estadual pastor Edson Praczyk (PRB), por terem acusado o parlamentar de cobra rum “mensalinho” de R$ 45 mil para votar com o governo. A acusação foi feita por Requião em entrevista a rádio Antena Sul, em 10 de junho de 2005. Na ocasião, o governador disse que Praczyk teria procurado Pisseti e pedido uma verba mensal de R$ 45 mil de publicidade oficial para as rádios em que atuava, em troca de votar a favor dos projetos de interesse do governo na Assembleia Legislativa.

Praczyk – que sempre negou ter feito qualquer pedido de verba a Pisseti– entrou com duas ações contra Requião e o secretário, uma pedindo indenização por danos morais, e outra, a responsabilização criminal deambos por calúnia e difamação.

Na época, o Conselho de Ética da Assembleia abriu um processo contra oparlamentar para apurar eventual quebra de decoro. Outros deputados que participaram da reunião com Pisseti – Renato Gaúcho, Mauro Moraes e Chico Noroeste – negaram ter ouvido qualquer pedido de verba por parte de Praczyk. Em depoimento ao conselho, Pisseti confirmou as acusações mas admitiu não ter provas das mesmas. Alegando falta de provas, oconselho arquivou o processo.

A juíza Ana Lúcia Ferreira, do Tribunal de Justiça, acatou os argumentos do parlamentar, apontando que Requião e Pisseti não conseguiram provar as acusações. “A conduta dos requeridos em suas manifestações perante a mídia implica, à luz da prova produzida nestefeito, em dano moral”, avaliou. “Os requeridos não conseguiram demonstrar, através das testemunhas inquiridas, que houve a mencionada tentativa de achaque por parte do requerente”, disse a juíza. “Devem,pois, os requeridos indenizar ao requerente, porquanto a entrevista do governador, que foi respaldada em entrevistas a períodicos configura caráter pejorativo, ofendendo tanto a honra subjetiva quanto a honra objetiva”, concluiu.

Praczyk comemorou ontem a decisão da Justiça, afirmando que durante esse período, teve que amargar a convivência com a suspeita de achacador. “Espero que essa ação tenha um efeito pedagógico e o governador pense duas vezes antes de falar”, disse o deputado, que ainda rebateu a declaração de Requião de que ele teria levado “um pito”do governo. “Requião não é homem para dar um pito nesse deputado. E dar um pito no governador, não tem preço”, ironizou.


5 comentários

  1. Moisés
    quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 – 8:35 hs

    Ué!!! desapareceram as noticias sobre a candidatura do Engº Richa? E a reunião do Diretório Estadual do próximo dia 8 que iria definir o candidato? Dá a nitida impressão que a vaca foi ou esta indo pro ¨brejo¨.

  2. SEM DÓ
    quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 – 16:34 hs

    AHAHAHAHAH..

    E É MENTIRA?????

    ATÉ OS VEREADORES EXTORQUEM CARGOS COMMISSIONADOS, GRANINHA POR FORA, ALOCAÇÃO DI PARENTIS….OIRMÃO DI BETIM, POR EXEMPLO…

    E SÓ O REQUIÃO TOMA PELO IRMÃO…

  3. STORM
    quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 – 16:49 hs

    Moisés,
    Fique tranquilo e cuide do seu PT.
    PSDB sabe muito bem conduzir o processo eleitoral.
    Datas não importam. No tempo certo, sem precipitações tudo será resolvido na forma da lei.
    A “vaca que foi ou está indo pro brejo” não é nossa, não.
    São tantas no PT, que vai faltar “brejo”

  4. Tchê
    quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 – 21:52 hs

    este tralha sumiu ?!?!???

  5. sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 2:41 hs

    Não esqueçam que o Scalco também ganhou na justiça uma indenização de 85 mil. O Governo federal 850mil pela justiça federal…Como pagar fora do Governo……a coleção de armas…não vale tanto….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*