PT vai ao ataque contra Requião | Fábio Campana

PT vai ao ataque
contra Requião

Do Eduardo Schneider, no Hora H News

A ala do PT mais ligada ao ministro Paulo Bernardo está orientanda a mandar chumbo em Roberto Requião. Segue a orientação com a competência que dispõe. Florisvialdo Souza, secretário-geral do PT do Paraná, hoje membro da Executiva do partido, ataca o governador em seu blog.

Falando do pedágio diz: “De Curitiba às praias do Paraná, o pedágio é 12,70. Para as praias de Santa Catarina, o pedágio está apenas 1,20. A matemática assegura que com o valor que se vai ao litoral paranaense é possível ir 10 vezes a Santa Catarina. Será que essa é a forma de o governador estimular os habitantes da capital do Paraná a curtirem o verão catarinense? Esse é Requião, que, aliás, possui uma casa por lá. Não. Não é nada disso. São as estradas da liberdade”.

Em outro post Florisvaldo ataca projetos do Executivo: “Quando ouço as bobagens que fala e faz o governador, qual é lógica de Vossa Excelência? A última de Requião foi enviar projeto de lei à Assembléia Legislativa, que prevê a proibição dos feriados municipais aos servidores públicos estaduais. Durante o período em que Requião foi prefeito da capital não me lembro de nenhum projeto semelhante ter ido à Câmara. Posso estar enganado, mas nem quando foi deputado estadual. O que mudou, governador?”


12 comentários

  1. Maciel
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 10:59 hs

    quando o PT e o PMDB se agridem os dois lados tem razão…

  2. Roberto Carlos
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 11:04 hs

    O ap que ele tem lá no BALNEARIO CAMBORIU, vale pelo menos R$ 1.500.000,00 é de frente para o mar, ou vcs querem mais.

  3. FILET MIGNON
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 11:09 hs

    PRA QUE TUDO ISTO dEPUTADO?
    O que devemos esperar de um INSANO senão INSANIDADE!

  4. Dagmar Servia
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 11:12 hs

    Leiam e divirtam-se.

    Carta do Juiz Ruy Coppola (2º TAC) .

    Mensagem ao presidente!

    Estimado presidente, assisti na televisão, anteontem, o trecho de seu discurso criticando o Poder Judiciário e dizendo que V. Exa. e seu amigo Tarso, ministro da Justiça, há muito tempo são favoráveis ao controle externo do Poder Judiciário, não para ‘meter a mão na decisão do juiz’, mas para abrir a ‘caixa-preta’ do Poder… Vi também V. Exa. falar sobre ‘duas Justiças’ e sobre a influência do dinheiro nas decisões da Justiça.
    Fiquei abismado, caro presidente, não com a falta de conhecimento de V.Exa., já que coisa diversa não poderia esperar (só pelo fato de que o nobre presidente é leigo), mas com o fato de que o nobre presidente ainda não se tenha dado conta de que não é mais candidato.
    Não precisa mais falar como se em palanque estivesse; não precisa mais fazer cara de inconformado, alterando o tom da voz para influir no ânimo da platéia. Afinal, não é sempre que se faz discurso na porta da Volks.
    Não precisa mais chorar. O eminente presidente precisa apenas mandar, o que não fez até agora.
    Não existem duas Justiças, como V. Exa. falou. Existe uma só.
    Que é cega, mas não é surda e costuma escutar as besteiras que muitos falam sobre ela.
    Basta ao presidente mandar seu amigo Tarso tomar medidas concretas e efetivas contra o crime organizado.
    Mandar seus demais ministros exercer os cargos para os quais foram nomeados.
    Mandar seus líderes partidários fazer menos conchavos e começar a legislar em favor da sociedade.
    Afinal, V. Exa.. foi eleito para isso.
    Sr. presidente, no mesmo canal de televisão, assisti a uma reportagem dando conta de que,
    em Pernambuco (sua terra natal), crianças que haviam abandonado o lixão, por receberem R$ 25,00 do Bolsa-Escola , tinham voltado para aquela vida (??) insólita simplesmente porque desde janeiro seu governo não repassou o dinheiro destinado ao Bolsa-Escola .
    Como se pode ver, Sr. presidente, vou tentar lembrá-lo de algumas coisas simples. Nós, do Poder Judiciário, não temos caixa-preta. Temos leis inconsistentes e brandas (que seu amigo Tarso sempre utilizou para inocentar pessoas acusadas de crimes do colarinho-branco).
    Temos de conviver com a Fazenda Pública (e o Sr. presidente é responsável por ela, caso não saiba), sendo nossa maior cliente e litigante, na maioria dos casos, de má-fé.
    Temos os precatórios que não são pagos..
    Temos acidentados que não recebem benefícios em dia (o INSS é de sua responsabilidade, Sr. presidente). Não temos medo algum de qualquer controle externo, Sr. presidente.
    Temos medo, sim, de que pessoas menos avisadas, como V. Exa. mostrou ser, confundam controle externo com atividade jurisdicional (pergunte ao seu amigo Tarso, ele explica o que é).
    De qualquer forma, não é bom falar de corda em casa de enforcado.
    Evidente que V. Exa. usou da expressão ‘caixa-preta’ não no sentido pejorativo do termo.
    Juízes não tomam vinho de R$ 4 mil a garrafa.
    Juízes não são agradados com vinhos portugueses raros quando vão a restaurantes.
    Juízes, quando fazem churrasco, não mandam vir churrasqueiro de outro Estado.
    Mulheres de juízes não possuem condições financeiras para importar cabeleireiros de outras unidades da Federação, apenas para fazer uma ‘escova’. Cachorros de juízes não andam de carro oficial. Caixa-preta por caixa-preta (no sentido meramente figurativo), sr. presidente, a do Poder Executivo é bem maior do que a nossa.
    Meus respeitos a V. Exa. e recomendações ao seu amigo Márcio.

    P.S.: Dê lembranças a ‘Michelle’. (Michelle é cachorrinha do presidente que passeia em carro oficial)
    Ruy Coppola, juiz do 2.º Tribunal de Alçada Civil do Estado de São Paulo, São Paulo

  5. quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 11:16 hs

    Aí pessoal petista,
    não vamos dá munição para criar um atritão com Requião.
    Ele é provocador, mas é nosso aliado.
    Esta é um pouco descalibrado, mas tudo passa.
    Não acredito que Requião se junte às trevas, ao time de Beto Dias.

    Ele está dolorido. Niguém da bola pra ele. Isso é terrível de aguentar. Vamos manerar.

  6. emerson palhares
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 11:30 hs

    querem enganar a quem mais! o pedagio barato de 1,20, é de construção do governo Requião, que provou que é possivel ter um pedagio barato, ou será que eles não conhecem as praias do parana, que tambem podem ir por santa catarina, o Governador de maneira muito inteligente colocou a copel para concorrer, com as demais concessionaria , elas percebendo que a Copel iria ganhar colocaram o preço justo no pedagio, mas quem não acompanha politica e não se interessa pelo paraná, aceita todas estas bobagens que pessoas baixas ligadas ao PT tentam vincular, tenho vários amigos ligados ao PT, que são de grande nobreza, agora aparece cada caco, o povo sabe que o Pedagio é do Parana ! sei bem aonde esta conversa quer chegar! então já vou adiantar! aquela famosa frase “”ou o pedagio abaixa ou acaba “‘, pois bem , o “”pedagio abaixou “”, tai, 1.20, e o outro pedagio não acabou, por que! porque foi feito um contrato tão bem amarrado e sujo, do tempo do governo Lerner , que nem os maiores advogados do Pais tem achado uma brecha para acabar, e agora o mesmo grupo politico, quer voltar a governar o nosso Paraná , que esta no caminho certo ! realmente não podemos admitir !

  7. PT tem MORAL p/ ATACAR ALGUÉM?
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 11:36 hs

    TERRORISMO e AI-5
    Elio Gaspari

    *Daqui a oito dias completam-se 40 anos de um episódio pouco lembrado e injustamente inconcluso. À primeira hora de 20 de março de 1968, o jovem Orlando Lovecchio Filho, 22 anos, deixou seu carro numa garagem da Avenida Paulista e tomou o caminho de casa. Uma explosão arrebentou-lhe a perna esquerda. Pegara a sobra de um atentado contra o consulado americano, praticado por terroristas da Vanguarda Popular Revolucionária. (Nem todos os militantes da VPR podem ser chamados de terroristas, mas quem punha bomba em lugar público, terrorista era). Lovecchio teve a perna amputada abaixo do joelho e a carreira de piloto comercial destruída.
    O atentado foi conduzido por Diógenes Carvalho Oliveira e pelos hoje arquitetos Sérgio Ferro e Rodrigo Lefevre, além de Dulce Maia e uma pessoa que não foi identificada. A bomba do consulado americano explodiu oito dias antes do assassinato de Edson Lima Souto no restaurante do Calabouço, no Rio de Janeiro, e nove meses antes da imposição ao país do Ato Institucional nº 5. Essas referências cronológicas desamparam a teoria segundo a qual o AI-5 provocou o surgimento da esquerda armada.

    Até onde é possível fazer afirmações desse tipo, pode-se dizer que sem o AI-5 certamente continuaria a haver terrorismo e sem terrorismo certamente não teria havido o AI-5. O caso de Lovecchio tem outra dimensão.

    Passados 40 anos, ele recebe da ‘viúva’ uma pensão especial de R$ 571,00 mensais. Nada a ver com o Bolsa Ditadura. Para não estimular o gênero coitadinho, é bom registrar que ele reorganizou sua vida, caminha com uma prótese, é corretor de imóveis e mora em Santos com a mãe e um filho. A vítima da bomba não teve direito ao Bolsa Ditadura, mas o bombista Diógenes teve. No dia 24 de janeiro passado, o governo concedeu-lhe uma aposentadoria de R$1.627,00 mensais, reconhecendo ainda uma dívida de R$400.000,00 de pagamentos atrasados.

    Em 1968, com mestrado cubano em explosivos, Diógenes atacou dois quartéis participou de quatro assaltos, três atentados à bomba e uma execução.

    Em menos de um ano, esteve na cena de três mortes, entre as quais a do capitão americano Charles Chandler, abatido quando saía de casa.

    Tudo isso antes do AI-5. Diógenes foi preso em março de 1969 e um ano depois foi trocado pelo cônsul japonês, seqüestrado em São Paulo.

    Durante o tempo em que esteve preso, ele foi torturado pelos militares que comandavam a repressão política. Por isso, foi uma vítima da ditadura, com direito a ser indenizado pelo que sofreu. Daí a atribuir suas malfeitorias a uma luta pela democracia, iria enorme distância.

    O que ele queria era outra ditadura. Andou por Cuba, Chile, China e Coréia. Voltou ao Brasil com a anistia e tornou-se o ‘Diógenes do PT’. Apanhado num contubérnio do grão-petismo gaúcho com o jogo do bicho, deixou o partido em 2002.

    Lovecchio, que ficou sem a perna, recebe um terço do que é pago ao cidadão que organizou a explosão que o mutilou. (Um projeto que revê o valor de sua pensão, de iniciativa da ex-deputada petista Mariângela Duarte está adormecido na Câmara.)

    Em 1968, antes do AI-5, morreram sete pessoas pela mão do terrorismo de esquerda. Há algo de errado na aritmética das indenizações e na álgebra que faz de Diógenes uma vítima e de Lovecchio um estorvo.

  8. rubens tavares
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 12:02 hs

    ora Dr. Rosinha que esquecimento durante quase todo o mandato o seu partido apoiou o governo do Estado, esqueceu que o ex “enfant terrible” vanhoni foi seu lider na assembléia e depois o verri, e que hoje iram fazer parte do mesmo palanque com os “revolucionários” do DEM………… será que o sr. bebeu das àguas da létheia ?

  9. Jango
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 12:57 hs

    Em vez de deputados e autoridades ficarem se “atacando” pelo twitter que honrassem seu mandatos populares e seus cargos públicos e questionassem efetivamente o governo, por exemplo, quanto ao pedágio e seu passivo judicial monumental de mais de 300 milhões que vai ficar como herança governamental ao mote eleitoreiro “padágio baixa ou acaba” … Mas eles preferem mais twittar virtualmente que levantar responsabilidades concretamente … Finalmente, depois de Obama, os parlamentares e governantes encontraram seu meio de expressão cibernético – o twitter … da prestidigitação individual à virtualidade global … No mais, o povo continua pagando a conta.

  10. saci
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 13:29 hs

    coisa feia rosinha! atacar o governador debilóide de fato seria assim: o pt lança nota oficial em toda a imprensa criticando a postura do debilóide, retira todos os ptistas dos cargos que têm no governo, orienta a bancada de deputados estaduais (ou seriam “depu-títeres” estaduais) a fazer oposição fervorosa e nervosa contra o governo (?) requião. pra fechar com chave de ouro, encerra qualquer tipo de conversa entre pt e pmdb aqui no paraná e anuncia o samek como vice do osmar com gleisi e mais outro candidato para o senado.
    fora isso é tudo xurumela.
    não se fazem mais petistas como antigamente….

  11. NÃOMEDIGA
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 13:50 hs

    Esta amizade entre o pessoal do PT e Requião é igual ao de comadre. Acaba eM ripa e sarrafo no vão da cerca.
    Mas falando sério. Quanto ao tal lei para acabar com a folga nos feriados Municipais, nem tem cabimento isso, quanto ao pedágio eu estou lembraodo que na campanha de 2002 o senhor Requião falaVA que “O PEDÁGIO ABAIXA OU ACABA”.
    Já se passaram praticamente oito anos e nem acabau e muito menos abaixo o pedágio.
    Tem razão o Florisvaldo Souza. Dá para ir 10 vezes aS praias catarinenses e sobra 7 reais dos setenta centavos não cobrados no bolso para tomar uma cervejinha.
    Para mim a maior mentira que já se fez na polítca paranaense, foi fruto do senhor Requião.
    “O PEDÁGIO ABAIXA OU ACABA”, POIS AINDA ELE TEM ESTE ANO PARA CUMPRIR ESTÁ PROMESSA DE CAMPANHA OU SERÁ QUE PRESSUTI PEDIU PARA DEIXAR A BOLA PARA ELE…QUEM SABE UM DIA A GENTE ACABE COM ESTÁ ROBALHEIRA NAS ESTRADAS PARANAENSE.
    NÃO COM PROMESSAS MENTIROSAS, MAS COM AÇÕES EFETIVAS NA MESA DE NEGOCIAÇÃO PARA ALTERAR AS CLÁUSULAS ABSURDAS DOS CONTRATOS QUE MAJORAM OS PREÇOS COBRADOS ATUALMENTE.
    NÃO INUNDANDO OS JUDICIÁRIO DE AÇÕES CONTRA A CONCESSIONÁRIAS QUE ISSO IRÁ MUDAR. POIS ELAS ESTÃO BEM CAUSADAS PELOS CONTRATOS “BURROS” QUE FIZERAM.
    A ÚNICA SAIDA É NEGOCIAÇÃO PARA CHEGAR À UM DENOMINADOR COMUM QUE SEJA BOM PARA O PARANAENSE E PARA AS EMPRESAS DE PEDÁGIO.
    AFINAL PARA QUE SERVE O DIÁLOGO SE NÃO PARA ACHAR SOLUÇÕES.
    TEM SOLUÇÃO SIM E NÃO É VÔMITANDO MENTIRAS. É CAPACIDADE DE NEGOCIAÇÃO E PERSUAÇÃO EM CIMA DOS EMPRESÁRIOS DAS EMPRESAS DE PEDÁGIIO.
    AI SIM EU ACREDITO QUE O PEDÁGIO ABAIXA.

  12. Ermenciano
    quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 – 14:08 hs

    O Floris foi na veia. Com essa ganhou o meu voto para deputado. Vá em frente cara!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*