O destempero de Requião e a saia justa de Luciana Rafagnin | Fábio Campana

O destempero de Requião e a saia justa de Luciana Rafagnin

Na inauguração do hospital Regional de Francisco Beltrão, que leva o nome de Walter Pecoits, Requião impôs profundo constrangimento à deputada Luciana Rafagnin, companheira de PT e amiga do ministro Paulo Bernardo.

Diante de cerca de mil pessoas Requião voltou a atacar Bernardo, dizendo que este pertencia a um PT diferente do PT do deputado federal Assis do Couto, inimigo do grupo de Luciana e Paulo Bernardo. E relatou novamente as acusações que tem feito a Paulo Bernardo, de tentativa de superfaturamento de uma obra ferroviária.

Foi um momento bem difícil para a deputada Luciana, autora do projeto de criação do Hospital Regional de Francisco Beltrão.


30 comentários

  1. Bob Leal
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 19:21 hs

    Merecido prá essa Deputada Pelegona com cara de freirinha da colônia! Pensa que engana quem?

  2. Mutuka
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 19:37 hs

    É o medo de ficar sem mandato.
    Bob Req nem dorme mais.
    Cada dia tá mais desbirolado.

  3. João Simplício
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 19:39 hs

    É isso, esse povo do PT de tanto se calarem diante das malcriações do Sr.Requião ao longo do governo, hoje nada podem falar !?

    Esse é um homem, que apesar do discurso ás vezes correto, tem muitos pecados e nunca respeitou ninguém, inclusive seus pares, pois pelo desvio ético e moral, se acha o melhor de todos – “o rei sou eu” !

    Portanto, para Ele na campanha política vale tudo, inclusive destratar e humilhar seus companheiros de jornada !

    Ou seja, quem fez vistas grossas a esse grande desvio de ético-moral de Requião, agora nada pode fazer !

    Será ? Que aguentem !?

  4. R.Silva
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 19:56 hs

    Só mais só mais 31 DIAS! E esse maldito, sem poder, sem governo e depois, sem senado, que vá grunhir no INFERNO que é o lugar dele!
    REQUIÃO NÃO!!!!

  5. Claudia Wasilewski
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 20:10 hs

    MUTUKA, já leu a última Revista Idéias?

  6. FILET MIGNON
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 20:28 hs

    Um dia, invadiram meu jardim e roubaram uma flor, e não falei nada…
    Outro dia invadiram minha casa, revolveram a minha grama e destruiram o jardim, mataram meu cachorro e não falei nada….
    Por último, invadiram a minha casa, humilharam e minha família, e, cortaram a minha garganta…. Como nunca antas nada falei, agora nada mais posso falar!
    Um dia, Criei o Ferreirinha, e venci, e ninguém me prendeu…
    Outro dia, nomeei meus irmãos e, como a Assembléia Legislativa nada disse, nada falou e nada fez… Eles continuaram nomeados…
    Outro dia, meu querido irmão torrou quase um milhão de reais em um escritório em Brasília criado para acomodá-lo, e ninguém nada falou… Nem OAB, nem MP, nem TCE…
    Assim, como ninguém nunca se arriscou me prender, falo, minto, debocho, rio na cara de todos, e, como ninguém nunca disse nada, NADA MAIS PODEM DIZER senão me aguentarem, nem que seja por somente mais 31 dias!
    Só se me responderem nas urnas….. HAHAHAHAHAHA!!!!

  7. Pedro Paulo
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 20:59 hs

    Cada Povo tem o Governo que Merece, Ele deveria ficar mais uns 15 anos, quem sabe assim estes que o elegeram aprendem a votar!!!!

  8. Rui Ventura
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 21:06 hs

    Que esse requião está uns 20 anos atrasado para sair da vergonhosa vida pública que tem isso é uma realidade incontestável.Mas se começarmos a comparar com PT e sua Corja o Requião é apenas e tão somente um Santo Incompetente e desmiolado.

  9. adriano
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 21:45 hs

    Que feio, hein Luciana Rafagnin? Além de não defender companheiro de partido, essa omissão vergonhosa para agradar o requião. Vontade de vomitar, argh.

  10. PELA VERDADE PURA E CRUA !!!!
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 22:24 hs

    Mais desequilibrado…Mais louco…Mais idiota…Mais tolo é o ELEITOR (se não estiver COMPRADO e se não estiver em CARGO COMISSIONADO), é quem VOTA NESSE LOUCO, DESTEMPERADO.
    Devido a isso é que AINDA temos os GRECAS, os JUSTUS, os ALGACI TÚLIOS, os PESSUTIS, entre tantos outros (ISSO, SÓ NO PARANÁ) !!!!!!!.
    E tenham certeza…..OS CHABS voltarão, com toda pompa.
    VAMOS RENOVAR…VAMOS VOTAR NOS NOVOS (de fato).
    VAMOS DIZER…..” NÃO ” para essa “Cambada” !!!!!!
    TENHAMOS MORAL E DIGNIDADE PARA VOTAR !!!!!

  11. Jaferrer
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 22:45 hs

    Ela mereçe, afinal defendeu esse traste durante sete anos. Agora não faz mais do que a obrigação de aguentar calada.

  12. domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 22:56 hs

    O PT tem que levar bronca mesmo. Manipularam o povo como queriam…agora estão comprando todas as rádios da região de Laranjeiras…A estratégia é dominar os meios de comunicação e entregar o maior número de obras no final do mandato. A velha cantilena como dizia a Senadora…

  13. Geraldo Medeiros
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 23:03 hs

    só mais 1 mês!

  14. salete cesconeto de arruda
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 23:14 hs

    O OCASO DE UMA FARSA
    Num estado brasileiro
    um senhor governador
    de apelido pinóquio
    pinóquio ditador
    sonhava ser presidente
    presidente sim senhor
    mas o resultado das urnas o seu sonho detonou
    Aí… sabe como ficou pinóquio do ABAIXA OU ACABA?
    DESCONTROLADO!
    LÁ NA GRANJA VENDO O POUCO RESULTADO ATIROU PRA TODO LADO…
    Nepotista de carteirinha
    deu leitinho pras crianças
    e caviar para a familia
    fez da TV pública seu palco
    personagem de si próprio
    age feito mau ator
    faz piadinhas sobre mulheres
    Freud explica sim senhor.
    DESCONTROLADO!
    O HOMEM É UM DESCONTROLADO
    TEM INVEJA DE MULHERES É GALÃ ULTRAPASSADO NÃO SE MANCA NÃO SENHOR
    No ocaso do mandato
    perdeu de vez a razão
    atira para todo lado
    seu nome não é coração
    acerta os amigos
    faz do opositor inimigo
    humilha a própria equipe
    e se acha o maiorzão
    DESCONTROLADO!
    LÍDER JÁ ULTRAPASSADO
    PERSONAGEM DE SI PRÓPRIO
    VAI PERDER A ELEIÇÃO
    NEM PERCEBE QUE SEU TEMPO É PASSADO
    TEM INVEJA DE MULHERES
    E SEU NOME NÃO É CORAÇÃO!
    Na última eleição para governador do estado
    ficou furioso com o baixo resultado
    que não o credenciava nem para presidente do partido
    imagine para presidente da nação
    escondido na granja urrava feito fera enjaulado
    e procurava a traição
    Se dizendo advogado
    e também jornalista
    convocou uma coletiva
    para explicar o resultado da eleição
    vomitou nos coleguinhas
    acertou no eleitor
    foi traíra o tempo inteiro
    e invejoso sim senhor
    o sucesso do operário
    lhe dói o coração
    sendo um pseudo intelectual
    não se conforma não
    com seus sonhos detonados
    enlouqueceu no fim do mandato
    acabou processado
    pagou em dinheiro vivo
    sem pensar no resultado
    atira pra todo lado
    usando uma maquininha
    pensa que é Deus
    planta mentirinhas
    feito menino grande
    ao perder o tanquinho
    urra, grita, berra,
    atira pra todo lado o cara é um:
    DESCONTROLADO
    O HOMEM ESTÁ DESCONTROLADO
    VENDO A ONDA MULHER ESTÁ MUITO ASSUTADO
    ATIRA PARA TODO LADO
    ACERTA OS MARIDOS DE MEDO DE PERDER O ELEITORADO AINDA PENSA QUE É GALÃ E NEM PERCEBE QUE JÁ ESTÁ DETONADO!
    Essa é apenas uma parte da OCASO de um ditador – senhores e senhoras.
    Imaginem o nó que dá na cabeça de um machista sexista que tem inveja do operário ser destronado por mulheres…
    Coitado.
    De grande só tem tamanho.
    Freud explica sim senhor!
    Nunca mais a ciganinha!
    Nunca mais as mordomias!
    Nunca mais a escolinha!
    Nunca mais… Freud explica sim senhor!

  15. Ronaldo
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 0:12 hs

    Onde está o Requião que não vê isso aqui, auditado pelo DENASUS?

    Porque ele silencia frente ao que fez sua coleguinha Yeda Crusius, seus amiguinhos Serra, Arruda e aécio estiveram fazendo, tudo comprovado com estratos bancários e não por acusações sem provas, sem testemunhas de um boquirroto, contumaz caluniador, que merece tanto crédito quanto o amor de uma “profissional do sexo”?

    26/02/2010
    Remédios por juros
    Leandro Fortes
    Auditoria aponta que governos de SP, DF, MG e RS usaram recursos do SUS para fazer ajuste fiscal

    Sem alarde e com um grupo reduzido de técnicos, coube a um pequeno e organizado órgão de terceiro escalão do Ministério da Saúde, o Departamento Nacional de Auditorias do Sistema Único de Saúde (Denasus), descobrir um recorrente crime cometido contra a saúde pública no Brasil. Em três dos mais desenvolvidos e ricos estados do País, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, todos governados pelo PSDB, e no Distrito Federal, durante a gestão do DEM, os recursos do SUS têm sido aplicados, ao longo dos últimos quatro anos, no mercado financeiro.

    A manobra serviu aparentemente para incrementar programas estaduais- de choques de gestão, como manda a cartilha liberal, e políticas de déficit zero, em detrimento do atendimento a uma população estimada em 74,8 milhões de habitantes. O Denasus listou ainda uma série de exemplos de desrespeito à Constituição Federal, a normas do Ministério da Saúde e de utilização ilegal de verbas do SUS em outras áreas de governo. Ao todo, o prejuízo gerado aos sistemas de saúde desses estados passa de 6,5 bilhões de reais, sem falar nas consequências para seus usuários, justamente os brasileiros mais pobres.

    As auditorias, realizadas nos 26 estados e no DF, foram iniciadas no fim de março de 2009 e entregues ao ministro da Saúde, José Gomes Temporão, em 10 de janeiro deste ano. Ao todo, cinco equipes do Denasus percorreram o País para cruzar dados contábeis e fiscais com indicadores de saúde. A intenção era saber quanto cada estado recebeu do SUS e, principalmente, o que fez com os recursos federais. Na maioria das unidades visitadas, foi constatado o não cumprimento da Emenda Constitucional nº 29, de 2000, que obriga a aplicação em saúde de 12% da receita líquida de todos os impostos estaduais. Essa legislação ainda precisa ser regulamentada.

    Ao analisar as contas, os técnicos ficaram surpresos com o volume de recursos federais do SUS aplicados no mercado financeiro, de forma cumulativa, ou seja, em longos períodos. Legalmente, o gestor dos recursos é, inclusive, estimulado a fazer esse tipo de aplicação, desde que antes dos prazos de utilização da verba, coisa de, no máximo, 90 dias. Em Alagoas, governado pelo também tucano Teotônio Vilela Filho, o Denasus constatou operações semelhantes, mas sem nenhum prejuízo aos usuários do SUS. Nos casos mais graves, foram detectadas, porém, transferências antigas de recursos manipulados, irregularmente, em contas únicas ligadas a secretarias da Fazenda. Pela legislação em vigor, cada área do SUS deve ter uma conta específica, fiscalizada pelos Conselhos Estaduais de Saúde, sob gestão da Secretaria da Saúde do estado.

    O primeiro caso a ser descoberto foi o do Distrito Federal, em março de 2009, graças a uma análise preliminar nas contas do setor de farmácia básica, foco original das auditorias. No DF, havia acúmulo de recursos repassados pelo Ministério da Saúde desde 2006, ainda nas gestões dos governadores Joaquim Roriz, então do PMDB, e Maria de Lourdes Abadia, do PSDB. No governo do DEM, em vez de investir o dinheiro do SUS no sistema de atendimento, o ex-secretário da Saúde local Augusto Carvalho aplicou tudo em Certificados de Depósitos Bancários (CDBs). Em março do ano passado, essa aplicação somava 238,4 milhões de reais. Parte desse dinheiro, segundo investiga o Ministério Público Federal, pode ter sido usada no megaesquema de corrupção que resultou no afastamento e na prisão do governador José Roberto Arruda.

    Essa constatação deixou em alerta o Ministério da Saúde. As demais equipes do Denasus, até então orientadas a analisar somente as contas dos anos 2006 e 2007, passaram a vasculhar os repasses federais do SUS feitos até 2009. Nem sempre com sucesso. De acordo com os relatórios, em alguns estados como São Paulo e Minas os dados de aplicação de recursos do SUS entre 2008 e 2009 não foram disponibilizados aos auditores, embora se tenha constatado o uso do expediente nos dois primeiros anos auditados (2006-2007). Na auditoria feita nas contas mineiras, o Denasus detectou, em valores de dezembro de 2007, mais de 130 milhões de reais do SUS em aplicações financeiras.

    O Rio Grande do Sul foi o último estado a ser auditado, após um adiamento de dois meses solicitado pelo secretário da Saúde da governadora tucana Yeda Crusius, Osmar Terra, do PMDB, mesmo partido do ministro Temporão. Terra alegou dificuldades para enviar os dados porque o estado enfrentava a epidemia de gripe suína. Em agosto, quando a equipe do Denasus finalmente desembarcou em Porto Alegre, o secretário negou-se, de acordo com os auditores, a fornecer as informações. Não permitiu sequer o protocolo na Secretaria da Saúde do ofício de apresentação da equipe. A direção do órgão precisou recorrer ao Ministério Público Federal para descobrir que o governo estadual havia retido 164,7 milhões de recursos do SUS em aplicações financeiras até junho de 2009.

    O dinheiro, represado nas contas do governo estadual, serviu para incrementar o programa de déficit zero da governadora, praticamente único argumento usado por ela para se contrapor à série de escândalos de corrupção que tem enfrentado nos últimos dois anos. No início de fevereiro, o Conselho Estadual de Saúde gaúcho decidiu acionar o Ministério Público Federal, o Tribunal de Contas do Estado e a Assembleia Legislativa para apurar o destino tomado pelo dinheiro do SUS desde 2006.

    Ainda segundo o relatório, em 2007 o governo do Rio Grande do Sul, estado afetado atualmente por um surto de dengue, destinou apenas 0,29% dos recursos para a vigilância sanitária. Na outra ponta, incrivelmente, a vigilância epidemiológica recebeu, ao longo do mesmo ano, exatos 400 reais do Tesouro estadual. No caso da assistência farmacêutica, a situação ainda é pior: o setor não recebeu um único centavo entre 2006 e 2007, conforme apuraram os auditores do Denasus.

    Com exceção do DF, onde a maioria das aplicações com dinheiro do SUS foi feita com recursos de assistência farmacêutica, a maior parte dos recursos retidos em São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul diz respeito às áreas de vigilância epidemiológica e sanitária, aí incluído o programa de combate à Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Mas também há dinheiro do SUS no mercado financeiro desses três estados que deveria ter sido utilizado em programas de gestão de saúde e capacitação de profissionais do setor.

    Informado sobre o teor das auditorias do Denasus, em 15 de fevereiro, o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Francisco Batista Júnior, colocou o assunto em pauta, em Brasília, na terça-feira 23. Antes, pediu à Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, à qual o Denasus é subordinado, para repassar o teor das auditorias, em arquivo eletrônico, para todos os 48 conselheiros nacionais. Júnior quer que o Ministério da Saúde puna os gestores que investiram dinheiro do SUS no mercado financeiro de forma irregular. “Tem muita coisa errada mesmo.”

    No caso de São Paulo, a descoberta dos auditores desmonta um discurso muito caro ao governador José Serra, virtual candidato do PSDB à Presidência da República, que costuma vender a imagem de ter sido o mais pródigo dos ministros da Saúde do País, cargo ocupa-do por ele entre 1998 e 2000, durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Segundo dados da auditoria do Denasus, dos 77,8 milhões de reais do SUS aplicados no mercado financeiro paulista, 39,1 milhões deveriam ter sido destinados a programas de assistência farmacêutica, 12,2 milhões a programas de gestão, 15,7 milhões à vigilância epidemiológica e 7,7 milhões ao combate a DST/Aids, entre outros programas.

    Ainda em São Paulo, o Denasus constatou que os recursos federais do SUS, tanto os repassados pelo governo federal como os que tratam da Emenda nº 29, são movimentados na Conta Única do Estado, controlada pela Secretaria da Fazenda. Os valores são transferidos imediatamente para a conta, depois de depositados pelo ministério e pelo Fundo Nacional de Saúde (FNS), por meio de Transferência Eletrônica de Dados (TED). “O problema da saúde pública (em São Paulo) não é falta de recursos financeiros, e, sim, de bons gerentes”, registraram os auditores.

    Pelos cálculos do Ministério da Saúde, o governo paulista deixou de aplicar na saúde, apenas nos dois exercícios analisados, um total de 2,1 bilhões de reais. Destes, 1 bilhão, em 2006, e 1,1 bilhão, em 2007. Apesar de tudo, Alckmin e Serra tiveram as contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado. O mesmo fenômeno repetiu-se nas demais unidades onde se constatou o uso de dinheiro do SUS no mercado financeiro. No mesmo período, Minas Gerais deixou de aplicar 2,2 bilhões de reais, segundo o Denasus. No Rio Grande do Sul, o prejuízo foi estimado em 2 bilhões de reais.

    CartaCapital solicitou esclarecimentos às secretarias da Saúde do Distrito Federal, de São Paulo, de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul. Em Brasília, em meio a uma epidemia de dengue com mais de 1,5 mil casos confirmados no fim de fevereiro, o secretário da Saúde do DF, Joaquim Carlos Barros Neto, decidiu botar a mão no caixa. Oriundo dos quadros técnicos da secretaria, ele foi indicado em dezembro de 2009, ainda por Arruda, para assumir um cargo que ninguém mais queria na capital federal. Há 15 dias, criou uma comissão técnica para, segundo ele, garantir a destinação correta do dinheiro do SUS para as áreas originalmente definidas. “Vamos gastar esse dinheiro todo e da forma correta”, afirma Barros Neto. “Não sei por que esses recursos foram colocados no mercado financeiro.”

    O secretário da Saúde do Rio Grande do Sul, Osmar Terra, afirma jamais ter negado atendimento ou acesso à documentação solicitada pelo Denasus. Segundo Terra, foram os técnicos do Ministério da Saúde que se recusaram a esperar o fim do combate à gripe suí-na no estado e se apressaram na auditoria. Mesmo assim, garante, a equipe de auditores foi recebida na Secretaria Estadual da Saúde. De acordo com ele, o valor aplicado no mercado financeiro encontrado pelos auditores, em 2009, é um “retrato do momento” e nada tem a ver com o fluxo de caixa da secretaria. Terra acusa o diretor do Denasus, Luís Bolzan, de ser militante político do PT e, por isso, usar as auditorias para fazer oposição ao governo. “Neste ano de eleição, vai ser daí para baixo”, avalia.

    Em nota enviada à redação, a Secretaria da Saúde de Minas Gerais afirma estar regularmente em dia com os instrumentos de planejamento do SUS. De acordo com o texto, todos os recursos investidos no setor são acompanhados e fiscalizados por controle social. A aplicação de recursos do SUS no mercado financeiro, diz a nota, é um expediente “de ordem legal e do necessário bom gerenciamento do recurso público”. Lembra que os recursos de portarias e convênios federais têm a obrigatoriedade legal da aplicação no mercado financeiro dos recursos momentaneamente disponíveis.

    Também por meio de uma nota, a Secretaria da Saúde de São Paulo refuta todas as afirmações constantes do relatório do Denasus. Segundo o texto, ao contrário do que dizem os auditores, o Conselho Estadual da Saúde fiscaliza e acompanha a execução orçamentária e financeira da saúde no estado por meio da Comissão de Orçamento e Finanças. Também afirma ser a secretaria a gestora dos recursos da Saúde. Quanto ao investimento dos recursos financeiros, a secretaria alega cumprir a lei, além das recomendações do Tribunal de Contas do Estado. “As aplicações são referentes a recursos não utilizados de imediato e que ficariam parados em conta corrente bancária.” A secretaria também garante ter dado acesso ao Denasus a todos os documentos disponíveis no momento da auditoria.
    Leandro Fortes é jornalista, professor e escritor, autor dos livros Jornalismo Investigativo, Cayman: o dossiê do medo e Fragmentos da Grande Guerra, entre outros. Também mantém um blog chamado Brasília, eu vi

  16. Ronaldo
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 0:16 hs

    Ser denunciado pelo Requião está virando “atestado de bons antecedentes”.

    O homem é um espanto! Será que ele mesmo ainda acredita nele?

    E seu séquito de seguidores, ainda acredita qu eo chefe quer ganhar as eleições de governador com o Pessuti, ou apenas, como sempre, “cumpre tabela”preparando-se para abandonar o navio à deriva, enquanto se salva num botinho pequeno, que só dá para meia duzia, num futuro gabinete no Senado?

    Acorda, turma!

    O “Duce” vai abandonar todos nós à propria sorte como sempre fez. Lembram de 1998? Lembram de 1988?

  17. L.H. Bona Turra
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 0:46 hs

    REQUIÃO É A EXPRESSÃO LOCAL DO FASCISMO, GANGTERISMO E SATANISMO POLÍTICOS
    Durante entrevista coletiva em 1994, sustentei que Requião corresponderia ao nosso Raskólnikov local, que, na expressão de Papini, seria uma personagem que se teria perdido a si mesma. Era uma visão ingênua, pois o que vimos desenvolver-se foi uma personagem sombria, dissimulada, expressão local do fascismo, gangsterismo e satanismo políticos. E por que sofre agora Paulo Bernardo tais aleivosias? Ora, sofre porque é um dos novos protagonistas da história do Estado, é de esquerda, é progressista, é inocente. E como sabemos, os gângsters odeiam os inocentes!!

  18. segunda-feira, 1 de março de 2010 – 1:07 hs

    Requião esta traindo sua história, não o PT.
    Esta isolado e pensa que já ganhou para o Senado.
    Esquece que este ano ele não volta a ser governador,
    logo ninguém vai mais lhe respeitar a partir de abril (falei a partir de abril, hum…)
    Muito prefeito no interior já esta de mala e cuia para abandoná-lo.
    Sua eleição esta ameaçada!

    Aqueles que o chamavam de louco parecem que estão cheio de razão. Uma pena para quem foi uma das grandes lideranças políticas do Paraná. Mas pirou e esta mostrando a sua inveja, incompetência, pequenez e mesquinharia.

  19. MUTUKA
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 8:13 hs

    Claudia

    A de Fevereiro/10 Nº 100 ainda não está nas bancas.
    Mas depois de ver o site e sua estréia já na capa, irei comprar.
    O que recomenda? Supermercado ou Esquisitinha?
    Já sei, os DOIS!
    Vc é a nova ” Nego Pessôa” ?
    Viva Irati ! Viva o Povo de Irati !

  20. paranaense
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 8:37 hs

    A Luciana e o Elton fazem por merecer, e já estão acostumados a isso!

  21. claudemir ribeiro
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 8:47 hs

    Ai PTzada agora tem que engolir o Requião.toma.

  22. José Agripino Lopes
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 9:22 hs

    Eu estava lá e não vi nada disso que você fala, Sr. Fábio. Correu tudo na maior cordialidade, como compete a autoridades.

  23. Rodrigo Hilgemberg
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 11:21 hs

    Vai ver diminuiu ou suprimiu a dose diaria de Gardenal …….e aí os surtos psicóticos ficam mais contundentes …..

  24. Comunista
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 13:47 hs

    Olha, está cada vez mais dificil aguentar os destemperos do governador. Até para nós comunistas e ex-comunistas passou do ponto. Não se consegue entender como uma pessoa tão tarimbada em política consegue falar tanta besteira. Ô governador, menos. Muitos que foram seus eleitores já começam a ficar enjoados com tantas repetições comportamentais. O sr é um cara inteligente, preparado, corajoso, é conhecedor dos processos políticos e tal, portanto não precisa, para se eleger, tomar determinados caminhos que só enfraquecem. Olha que o santo é de barro. Calma!!!!!!!!!

  25. Borduna
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 16:26 hs

    Alguem pode me explicar o que é um ex-comunista? Não quero saber o que deixou de ser, pois isso eu sei, quero saber o que é? Heeeeeeeeelppppppppp. Seria um DEMO, seria um ……enfim, com a palavra algum gênio que saiba.

  26. wcd
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 17:47 hs

    ISSO É BEM TIPICO DO REQUIÃO, NUNCA RESPEITOU NINGUEM, PRINCIPALMENTE AS MULHERES.

  27. FILET MIGNON
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 20:50 hs

    É muito bom acompanharmos todos os comentários…
    Hoje tive a satisfação de me deparar com dois deles que representam a síntese do atual “estado político do INSANO”:

    Ronaldo
    Segunda-feira, 1 de Março de 2010 – 0:16 hs

    Ser denunciado pelo Requião está virando “atestado de bons antecedentes”.

    L.H. Bona Turra
    Segunda-feira, 1 de Março de 2010 – 0:46 hs
    REQUIÃO É A EXPRESSÃO LOCAL DO FASCISMO, GANGTERISMO E SATANISMO POLÍTICOS

    Nada mais encaixado ao perfil NEUROPSICOLÓGICO do INSANO!

    Parabéns os dois comentaristas!!!

    Na veia! Na jugular!

  28. salete cesconeto de arruda
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 21:03 hs

    Fábio
    Tem gente dizendo que escrevi sobre o Requião.
    Pode?!
    Escrevi sobre o HITLER – gente!
    E o que escrevi serve para vários – que se dizem líderes políticos.
    Cigana – eu?!
    Imagine!
    Acho que a Itala – a atriz – tem razão.
    Tem fascista no Paraná.
    Ou não?!

  29. FILET MIGNON
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 21:38 hs

    Gentem!!!!
    Tive que voltar!
    Encontrei um texto que faço questão que todos tenham acesso:

    Piperácea – Valéria Prochmann
    Raiz alimenta, âncora imobiliza
    Li recentemente “Viver em paz para morrer em paz – paixão, sentido e felicidade”, por Mário Sérgio Cortella para a coleção O que a vida me ensinou das editoras Versar e Saraiva. Eis um pouco do que o livro me ensinou:
    “”O conflito é inerente à convivência humana. É uma divergência de posição, postura, ideias, atitudes. Conflitos são inevitáveis. O que não pode acontecer é que o conflito se transforme em confronto, que vem a ser a tentativa de anular o outro. É preciso que o líder ou os responsáveis inventem mecanismos de dificultação do confronto. Todo animal acuado precisa de uma rota de fuga, caso contrário só vê uma alternativa: atacar quem o está acuando. Nenhum incêndio começa grande: começa com uma faísca, uma fagulha. A questão é evitar que o pequeno saia do controle, torne-se grande e provoque um estrago considerável. A anulação do outro é o ápice do confronto, que deve ser evitado a todo custo. Isso vale para o terreno das ideias, da convivência, para o casamento e o campo dos relacionamentos.””

    Com relação ao comportamento do INSANO, precisamos de mais algum comentário????

  30. Rick Stival
    quarta-feira, 3 de março de 2010 – 18:44 hs

    Mais uma em Luciana??

    Essa Deputada tentou burlar a filiação de um pré- candidato a Deputado, de Pato Branco.

    Feio para a Democracia não????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*