Mais um ano sem eleição do diretor do Colégio Estadual | Fábio Campana

Mais um ano sem eleição do diretor do Colégio Estadual

O Colégio Estadual do Paraná inicia mais um ano letivo sem que seus alunos, pais e funcionários tenham o direito a escolher os diretores da instituição. Ao contrário das demais escolas públicas estaduais, o CEP possui regime diferenciado com a indicação da diretoria feita exclusivamente pela Secretaria de Estado da Educação.

A exclusão da comunidade escolar no processo de escolha de seus diretores tem causado tumulto na instituição, situação que pode se agravar caso não seja aprovada pela Assembleia Legislativa do Paraná uma emenda supressiva à Lei 14.231/2003 de autoria do deputado Mauro Moraes (PSDB), a qual prevê a eleição direta para diretores em todas as escolas públicas do estado, incluindo o CEP.

Apesar dos apelos do autor para que a medida seja coloca em discussão o quanto antes, a Mesa Executiva da Assembleia Legislativa ainda não decidiu pela sua inclusão na pauta. Segundo Moraes, não há motivos para a demora, uma vez que a proposta já passou pelas comissões temáticas, restando apenas a discussão no Plenário da Casa. “A Comunidade escolar aguarda uma definição da Casa. Tenho procurado um entendimento com a Mesa, mas não há previsão para sua inclusão na pauta”, lamenta o parlamentar.


12 comentários

  1. Leite Quente
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 12:37 hs

    TAO COM MEDO DE ABRIR A CAIXA PRETA, POIS NESSES ULTIMOS ANOS QUEM PASSOU POR ALI NA DIRECAO, DEU UMA ARREPIADINHA. TEM EX DIRETORES QUE NAO ESTAO DORMINDO, DEIXA SO MUDAR ESSE GOVERNO PRA VER.

  2. ze verdade
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 13:42 hs

    ue achei que o requiao era o diretor ou o rei …do colegio ..

  3. rubens tavares
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 14:08 hs

    é mais um ano sem eleições no CEP, apesar que este ano teremos eleições para presidente governador e deputados e senadores, no maior colégio Estadula do Paraná reina o mundo do faz de conta, o mundo encantado dos discursos vazios da direção e de seus apoiadores, e pasmem na abertura do ano letivo tivemos um video institucional falando da gestão democrática, se não fosse trágico soaria a piada. seria bom que o governador em seus discursos carbonários passa-se da fla a ação, garantindo antes de terminar o seu mandado a escolha da direção do Colégio Estadual do Paraná via consulta direta a comunidade escolar, garantindo as regras democráticas, garantindo um direito básico de todo cidadão que é a escolha direta de seus representantes, quando estes representem uma comunidade , seja pública ou privada. Governador deixe na memória esse ato justo, propondo a escolha da direção via consulta direta, será uma das melhores contribuições com o avanço democrático no CEP e um exemplo para todos os alunos, funcionários e professores que finalmente deixaram de ter a sua cidadania partida.

  4. Anônimo
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 15:32 hs

    Não há eleição pq o Maurício Requião desautoriza a Ivelize a fazê-la, que por sua vez desautoriza o Bezerra, que por sua vez desautoriza a Madselva… pq

  5. Zico
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 15:55 hs

    Isso é triste! E a senhora Madselva Louca Melo e Silva continua derrubando a qualidade de ensino com práticas autoritárias.

  6. rubens tavares
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 16:05 hs

    é mais um ano sem eleições para a direção do CEP, que situação ironica, exatamente neste anos teremos eleições para presidente, governadores, deputados e senadores e mais uma vez o CEP fica fora desse momento extraordinário de consulta popular. Alias no inicio do ano letivo foi mostrado para professores e funcionários um video institucional, que mostrava no final a gestão democrática, que situação paradoxal, para não dizer um piada. as eleições são importante instrumento de avanço democrático, pois possiblitam que os que representem uma comunidade sejam eleitos de forma direta, garantindo seu direito de votar em quem mais lhe cative. se a direção foi realmente comprometida com a gestão democrática seria ela primeira a propor a consulta e não ao contrário, propor apenas no discurso, deixando uma enorme contribuição para a comunidade do CEP, que medo é esse ?

  7. margarida
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 17:51 hs

    Caros colegas, sei que estão revoltados mas a gestão democrática aplicada nas outras escolas também é fictícia, ou melhor é uma xanxada completa. Gestão Democratica como? Façam um levantamento para saber quantas escolas estão com intervenção. Bastou ter eleições para diretores e não ganhar quem a Yvelise ou o Jurídico queria que foi anulada a eleição ou afastada a direção e no lugar colocado um interventor. Isso é o que chamam de Gestão Democrática? As gestões das escolas públicas do Paraná são tão democráticas como foram as notas dos alunos no final de ano, ou seja, impostas pela SEED.

  8. orquídea
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 18:21 hs

    O estrago foi feito, aquela que se diz diretora, acabou com um dos poucos colégios PUBLICOS que tinhamos, com qualiade.
    As vezes chego a pensar que a intenção é fazer todos estudarem em colégios privados, pq as medidas são sempre pra piorar o nível do ensino público.

    Espero não precisar dos futuros profissionais que saem de algumas instituições de ensino, pq o comprometimento com o conhecimento, acabou se perdendo em discursos como cidadania e ou emancipação.

    Por isso: REQUIÃO NUNCA MAIS!!!

  9. maria rosa
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 21:44 hs

    para nos curitibanos essa diretora do maior colegio do parana e uma , fantoche que a secretaria manipula como bem lhe convem!!!!!!!!!!!

    E olha que sei do que estou falando!!!!!!!!

  10. Professora do Colègio Estadual
    sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 – 23:51 hs

    É verdade mais um ano começa e a Madselva continua lá destruindo o que já foi um exemplo de qualidade em educação. Este ano ela inovou já na distribuição de aulas, os professores só podiam escolher o turno e a equipe pedagógica e que ia decidir a serie que o professor ministraria as aulas. O grupo questinou foi para a APP, ameaçou denunciar na imprensa e ai se manteve como sempre o que é direito em todas as escolas cada um escolher de acordo com sua classificação. E claro que foi só para incomodar, estressar… mas felizmente os dias estão contados, esoeramois quem assumir o governo em 2 de abril tenha o bom senso de devolver aquela senhora a UFPR e até decidirem as eleições coloquem alguékm da escola que seja ou o vice da manhã Luiz Claudio que tem apoio do grupo e consegue respeitar e se fazer respeitado.

  11. RUBENS
    sábado, 6 de fevereiro de 2010 – 1:17 hs

    Alem do Colégio Estadual temos outros Colégios no Paraná que estão sem eleição. Qual é o medo da secretaria de educação? Sera que ela não confia no seu taco, eleger seus protegidos. Espero que tudo isso esteja acabando.

  12. Prof. Wanderley José Deina
    sábado, 6 de fevereiro de 2010 – 10:50 hs

    “Tempus tempora temperat”

    O governo Requião já está “quase” no fim. E com ele, os sonhos do um dia quase conselheiro Maurício, de Madselva, de Ivelise, etc e talssss… “O tempo é o remédio”. Falta muito pouco!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*