Desgaste de Serra ajuda crescimento de Dilma | Fábio Campana

Desgaste de Serra ajuda crescimento de Dilma

Deu na Folha de São Paulo

De Mauro Paulino, Diretor-Geral do Datafolha, e Alessandro Janoni, Diretor de Pesquisas do Datafolha:

A pesquisa Datafolha divulgada hoje revela que o crescimento de Dilma Rousseff reflete não só a transferência da popularidade de Lula como eventuais arranhões na imagem do governador José Serra.

Uma análise dos resultados permite supor que a oficialização da candidatura do PT e a maior exposição do apoio do presidente a Dilma não são os únicos fatores que explicam as mudanças. O desgaste da candidatura de Serra em estratos importantes do eleitorado também compõe o cenário.

O conhecimento de Dilma como candidata apoiada por Lula cresceu de 52% para 59%. Nos segmentos de menor renda e menor escolaridade, a taxa subiu oito pontos percentuais, mas ainda não é majoritária.
Há, aproximadamente, 14% de brasileiros que querem votar no candidato de Lula, mas não o fazem por desconhecê-lo. Em dezembro, eram 15%.

Já Serra perdeu cinco pontos percentuais -o prejuízo foi maior onde a aprovação do governo federal é expressiva.

Mas a perda de três pontos percentuais do tucano na região Sudeste talvez seja mais relevante, não só pelo peso político, como também estatístico. O Sudeste responde por aproximadamente 42% da população adulta do país. A vantagem de Serra para Dilma na região caiu de 22 para 14 pontos.

A taxa de rejeição é outro dado que pode confirmar o desgaste do tucano. Em dezembro, 19% diziam que não votariam em Serra de jeito nenhum. Agora, esse percentual é de 25%.

Neste momento, Serra e Dilma estão no mesmo patamar de intenções de voto. A partir do início da campanha, os eleitores irão compará-los, assim como farão com a imagem de Dilma e os atributos de Lula. Dessa empatia dependerá a concretização do potencial de transferência de votos de Lula.


18 comentários

  1. Benhur
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 13:04 hs

    A cada enchente em São Paulo uma festa em Brasilia, tem pessoas que só querem a desgraça dos outro, Pt também é responsável pelos problemas de SP, afinal de contas já administrarão a cidade!

  2. Jango
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 13:16 hs

    O lamentável de tudo isso é que as opções são poucas ou quase nenhuma. Estamos já na arrancada das eleições e porque existe uma lei que até ninguem respeita não se sabe exatamente quem são os candidatos efetivamente. E acima de tudo, quais são os seus programas, quais são seus pontos básicos clara e positivamente. Um país continental como o Brasil, com suas potencialidades, tão pobre de lideranças confiáveis. Nosso sistema político está à beira da falência completa, e no entanto, existe uma cadeira no planalto com portentoso poder para beneficiar a sociedade e a sociedade está pouco se lixando (mesmo depois dos políticos tanto se lixarem dela) quem vai assumir o mais alto posto do país. Estamos – a sociedade – refém de um sistema político-partidário monstruoso, que nos devora em tributos, juros em ineficiência de serviços e em corrupção e compadrio mais deslavado. E não reagimos a este quadro. A quem interesse todo este insatisfatório e detrimentoso sistema ? Eis a questão.

  3. Irene
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 13:21 hs

    Do R.A.:

    “Até outro dia, Dilma era considerada uma candidata desconhecida. Não é mais: 86% dos entrevistados disseram saber quem é ela — Serra, 96%; Ciro, 92%; Aécio, 79%; Marina, 56%. Com tal índice, alcançou 28% no primeiro turno. Não há muito mais a ganhar no que diz respeito a esse particular.

    E queria lembrar aqui uma coisinha tanto a tucanos a esta altura desarvorados quanto a petistas muito excitados. Pensem um pouco nas eleições de 2006. Geraldo Alckmin saiu de um patamar de 20% e obteve 41,64% no primeiro turno, contra 48,61% de ninguém menos do que “O Cara”, que passou a campanha toda roçando os 40%. E não custa lembrar que Dilma tem, sim, o apoio de Lula. Mas Dilma não é Lula.”

  4. Jurandir
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 13:25 hs

    Compulsão por propaganda

    Folha de S. Paulo, 04/08/09

    Teria sido prudente o ministro se, antes de escrever, olhasse o site da secretaria que dirige. E que o desmente

    EM ARTIGO publicado neste espaço no dia 8 de junho, o ministro da Comunicação Social, jornalista Franklin Martins, afirmou que o governo Lula gasta “em torno de R$ 1 bilhão ao ano” com publicidade e que esse é o mesmo patamar de gasto do governo Fernando Henrique Cardoso.

    Teria sido prudente o ministro se, antes de escrever, olhasse o site da secretaria que dirige -e que o desmente. Lá está: em 2009, a soma dos contratos do governo (administração direta e indireta) com agências de publicidade é de R$ 1.374.359.194,90.

    E a lista não menciona contratos de publicidade de oito ministérios e muitos órgãos. Pelo menos três deles -Ministério das Cidades (R$ 120 milhões), Ministério da Previdência Social (R$ 26 milhões) e Secretaria Especial da Pesca (R$ 21 milhões)- têm contratos firmados.

    O ministro tampouco considerou os aditivos -só o Ministério da Agricultura aditou R$ 10,3 milhões em 2009, revela o Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira). Ele ainda esqueceu de computar os generosos patrocínios culturais e esportivos que o governo Lula distribui, em grande parte, a apaniguados. São R$ 867,3 milhões em 2009, que, somados ao bolo publicitário, elevam a conta para R$ 2,4 bilhões -duas vezes e meia o “em torno de R$ 1 bilhão” alardeado pelo ministro.

    Um estudo sobre a evolução da despesa com publicidade da administração direta no período 1996 a 2009, feito pela liderança do PSDB na Câmara com base no Siafi, mostra que o total executado, a preços corrigidos pelo INPC, entre 1996 e 2002 (governo Fernando Henrique Cardoso), foi de R$ 1.270,6 milhões, e, entre 2003 e 2009 (governo Lula), de R$ 2.173,1 milhões. Lula gastou 92,5% a mais.

    Com sua compulsão por propaganda, Lula concentrou no Palácio do Planalto os recursos para publicidade institucional. Com isso, a rubrica deu saltos: R$ 188,2 milhões em 2003, R$ 289,5 milhões em 2004, R$ 331,4 milhões em 2005 e R$ 274,3 milhões em 2006. Caiu em 2006 porque a lei limita os gastos publicitários em anos eleitorais à média dos três anos anteriores. Mas, no primeiro semestre do ano eleitoral de 2006, Lula gastou R$ 476.774.103,89, 68% do que a lei permitia no ano todo. Exagero acidental? Os números são eloquentes e revelam que os gastos com publicidade do governo Fernando Henrique Cardoso foram muito menores do que os do governo Lula.

    Computando apenas a administração direta, em média, o governo Lula gasta simplesmente o dobro do que gastou o governo Fernando Henrique, atestando a marca maior do seu chefe -a obsessiva compulsão pela propaganda, que é a essência de sua ação política.

    O ministro Franklin Martins diz que 70% da publicidade do governo vem de empresas estatais que concorrem no mercado, sugerindo que elas têm foco comercial e não atuam para alavancar a ideologia oficial lulo-petista. Falso. Os Correios e a Petrobras não competem com ninguém.

    Ademais, nunca na história deste país a publicidade oficial foi tão controlada pela Presidência. Ninguém aprova uma peça ou um plano de mídia de qualquer setor do governo sem a bênção do ministro Franklin.

    O conceito ufanista da propaganda “comercial” das estatais é a chave para combiná-la com efeitos da propaganda oficial, seja de forma direta, seja com reprovável caráter subliminar. A campanha da Petrobras para festejar a suposta autonomia petrolífera, por exemplo, foi conjugada com a intensa “comemoração” do governo, otimizando a duplicidade oficialista. A campanha da Caixa para o programa Minha Casa, Minha Vida foi outro exemplo de “mídia casada”, ao usar slogans e chavões lulistas.

    Por último, o governo Lula usa dois truques maliciosos. Em 2003, 499 veículos recebiam propaganda do governo. Em 2008, esse total foi para 5.297. Ao redirecionar a publicidade para milhares de pequenos jornais e rádios, Lula mirou na dependência publicitária de boa parte desses pequenos veículos para acertar na escravização dos espaços editoriais -pequenos veículos do interior remoto são mais suscetíveis à pressão política do poder federal do que a imprensa tradicional, que compunha a lista dos 499.

    Outro truque foi maximizar as tiragens dos jornais, auditadas ou não, como “critério técnico” para justificar a distribuição de verbas publicitárias a veículos sindicais, como o “Jornal da CUT”. Escandalosamente partidarizados, esses “jornais” disputam publicidade com a imprensa independente de forma desigual. Não são imprensa livre, não buscam a pluralidade de fontes, exaltam uma só ideologia -o lulo-petismo-, não auditam suas tiragens e ainda são financiados pelo imposto que você, cidadão, recolhe com o seu suado trabalho.

  5. Divanir
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 14:12 hs

    Caro Benhur, eu diria mais, que a principal responsabilidade de enchente nesta metropole é do PT, pois passaram mais tempo governando ali que qualquer outro partido, no entanto, estão querendo empurrar toda responsabilidade a José Serra, mais o Paulísta não tem a memória curta tanto assim e vai saber distinguir.
    E a saúde pública ninguém fala nada, é de responsabilidade do governo federal, como fica o Lula frente a isso, cadê o repasse aos municípios? ou estão achando que está tudo bem?

  6. domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 15:15 hs

    Tambem acho que a imagem dos DEM´s vão acabar com o Serra, hoje são como lepra ninguem quer ficar perto, acho bom o Beto e OSmar ficar longe desta turma, afinal eles são iguais em qualquer lugar, fisiologistas, só querem lugarzinho ao sol e não gostam de povo. Fora com os Alceni´s, Lupion´s, Ca$$ios, Lerner´s e outros ridiculos que estão neste partidos de demonios, ops, desculpe, DEM´os

  7. santino
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 15:36 hs

    Sr. Benhur.
    És profeta? Ou És burro? O sr. comentou, dizendo que o PT também é reponsável pelos problemas de São Paulo, pois o PT administrará SP? O que o Sr. quiz dizer com isso? Que o PT administrará SP? TÁ LOUCO, OU O QUÊ?

  8. Marcos Pop
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 16:34 hs

    As candidaturas de Serra e de Marina, de oposição ao governo petista, mesmo que sejam derrotadas, são importantes para a democracia e para garantir que o governo não faça maioria folgada no congresso que traga de volta a CPMF, por exemplo. Maioria folgada que consiga aprovar o projeto da poupança solidária (que “empresta” dinheiro dos poupadores para aumentar as esmolas que garantam permanência do PT no poder). Oposição que garanta que a liberdade de imprensa vai continuar e o modelo Hugo Chaves, que tem a simpatia do PT, não seja adotado de termos apenas imprensa estatal. Oposição que garanta o direito de propriedade e de ter-se religião. O projeto do PT não é só se manter no poder com Dilma Linhares, mas tb aumentar sua bancada no congresso, para fazer as “mudanças” que seu programa prevê, sem precisar o voto de partidos de centro direita que hj, de forma oportunista, são da base de apoio do governo federal.

  9. salete cesconeto de arruda
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 17:29 hs

    Divanir
    LULA NÃO É DEUS!
    E como o PT poderia fazer algo melhor do que fez se o presidente era o FHC? Lula é diferente. Lula liberou mais verbas para São Paulo do que presidentes que era do mesmo partido do governador. Não é verdade?
    E você – heim – Fábio?
    Está uma doçura com o PT desde ontem. Ou apenas ético mostrando os fatos… eu não sou filiado ao PT. Mas gosto muito disso. É DEMOCRACIA
    É inteligência até por não ser sábio ir contra os fatos. Não é verdade? De qualquer forma te elogio por estar percebendo em muitos dias que és mais ético do que muitos da tal GRANDE imprensa. Várias vezes fostes o primeiro a mostrar a REALIDADE BOA – do PT. Sem distorcer os fatos. Sei. Nem sempre é possível. Mas conseguistes e hoje bateste um recorde. Vou indicar tua coluna para os meus sábios e ainda pobres adolescentes. Todos estão melhorando em todos os sentidos graças a um SILVA presidente. Valeu – Fábio. E desculpe se às vezes peso a mão. É que não gosto de plantinhas notadas como fazem muitos. Lembro de um tempo em Brasília em que um cara fazia isso todo dia. E era um incrível jornalista. Mas como era assessor de um senador….
    Pois é.
    Beijos.

  10. salete cesconeto de arruda
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 17:32 hs

    Corrigindo:
    É SÁBIO DA TUA PARTE NÃO IR CONTRA OS FATOS – e ético pois és jornalista.

  11. Laertes
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 17:55 hs

    Divanir, vá se informar melhor meu caro!
    O PSDB e DEM (PFL) governaram SP mais do que o PT.
    Tá esclerosado?

  12. OSSOBUCO
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 17:57 hs

    A incompetência do Serra e do Kassab é tanta que não tem mais desculpa.
    O Serra criou um novo programa em SP, o BALSA FAMÍLIA !

  13. pedro
    domingo, 28 de fevereiro de 2010 – 22:16 hs

    o psdb tava se achando que pra ganhar bastavan os seus, esta ruim se continuar piora,

  14. paranaense C.L.
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 8:22 hs

    Se as enchentes acontecessem só em São Paulo,
    até poderia culpar o governo, mas esta acontecendo em todo lugar,
    até mesmo em cidades muito pequenas.
    Vamos ver outro lado: o da educação, da saúde, empregos principalmente,
    pois não é dando “vale ajuda” ( criador de vagabundos ), que vamos melhorar o nosso país.

  15. Sou do litoral
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 8:42 hs

    VAI PRA CASA PADILHA……

  16. Carlos
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 10:30 hs

    Não consegue administrar São Paulo e quer ser Presidente.
    O povo já sabe que o Serra não tem competência para ser Presidente e além disto é do PSDB(Ieda, Álvaro) e aliado do DEM(Arruda…).

  17. ELHOIN
    segunda-feira, 1 de março de 2010 – 13:20 hs

    Pois bem e fato que o Lula conseguiu aumentar a classe media pois nivelou os mais pobres com o bolsa família o bolsa presidiário , vale gás e tantos outros benefícios que esta criando uma nova classe de encostado no governo , por um lado isso e bom pois esta proporcionando uma qualidade de vida melhor aos sem qualificação , mas por outro lado esta criando um verdadeiro monstro pois esta acostumando a muita gente a ficar encostada na casa da viúva , e assim formando novos parasitas , pois quem sustenta essa gente toda somos nos que pagamos nossos impostos e uma carga tributaria enorme , sem falar nos desvios que gente que são pagas e escolhidas para selar pelo nosso patrimônio fazem as maiores barbaridades com o dinheiro publico chegando ao ponto de esconder dinheiro na cueca nas meias em bolsos falsos , e não e só gente do PT ou só do PSDB e quase um câncer generalizado, e esses crápulas se acham intocáveis, pagando vários jornalistas para criar uma cortina de fumaça e informações contrarias usam e abusam da falta de conhecimento do grande povão , os compram com pão e circo e assim continua a humanidade na sua ignorância , pois sabem que em certas circunstancia a ignorância e uma dádiva pois quando se tira o véu e se vê a luz da verdade as coisas ficam tão feias que para os covardes a ignorância e o refugio, delegar a responsabilidade a quem quer que seja para depois dizer eu não sabia ou mais foi eles que fizeram e não e minha culpa, mas que ( merda) me desculpe a palavra chula , e nossa culpa sim pois somo nos que os escolhemos e se escolhemos mal e de nossa responsabilidade, esta na hora de alguém falar a verdade ladrões existem em qualquer partido bandidos , crápulas, escroques e demais , cabe a quem vota ter o mínimo de bom senso e não se deixar enganar por discursos bem escritos e uma boa estampa.

  18. robert-- são bernardo do campo
    sábado, 19 de junho de 2010 – 0:58 hs

    É isto aí, meu caro ELHOIN!
    Ratifico e assino embaixo.
    Na verdade são todos farinha [ ou merda ] do mesmo saco.
    É por isso que não voto mais em FDP nenhum.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*