Cohapar atrasa salários e obras são paralisadas | Fábio Campana

Cohapar atrasa salários
e obras são paralisadas

A oposição ainda espera explicações do governo sobre o descalabro na Cohapar. O deputado Élio Rusch cobra informações de Requião sobre atrasos nos salários e no repasse de material de construção, pela Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), para obras no interior. A Cohapar é presidida por Rafael Greca de Macedo, do PMDB (foto).

A ordem no governo é calar sobre essas denúncias. Até, porque não há explicações plausíveis sobre o caso. De acordo com denúncia do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Cascavel (Sintrivel), os operários contratados para a construção de 153 casas populares em Cafelândia cruzaram os braços na última sexta-feira. Eles estariam com os salários atrasados há duas semanas. Antes, os operários recebiam em cheques para compensação no dia 26 de cada mês, mas o pagamento estava disponível apenas no dia 12 do mês seguinte.

As obras do Residencial Cafelândia I iniciaram há três anos, com previsão de entrega em um ano e meio, e, segundo o Sintrivel, há dois meses o Estado deixou de repassar materiais para o acabamento.

As denúncias de atraso nos salários dos operários se estendem a obras da Cohapar em outros municípios: Assis Chateaubriand, Braganey, Iguatu, Ibema, Maripá e Vera Cruz do Oeste.

“Parceria de um lado só não existe. O município cumpre a parte dele, que é doar o terreno e arcar com a infraestrutura. E o governo do Estado, como de costume, promete e não cumpre a parte que lhe cabe. Anuncia o lançamento, assina contrato, faz a festa, mas não entrega a obra e ainda deixa os trabalhadores na mão. Sem falar nas famílias que aguardam uma moradia digna.”, disse Rusch.

O deputado destacou que as obras são financiadas pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e que a Cohapar tem contratado profissionais autônomos.

“A Cohapar se beneficia dos recursos do FGTS, mas ela própria não recolhe o FGTS dos funcionários das obras porque eles trabalham como autônomos. É contraditório empregar esses profissionais sem as garantias do registro em carteira”, relatou.

Rusch lembrou que em 2002, durante campanha para o governo do Paraná, o então candidato Roberto Requião prometeu construir 200 mil casas em quatro anos.

“Mais de sete anos de mandato se passaram e pouco mais de 30 mil moradias foram entregues. Muitos projetos não saíram do papel e aqueles que estavam em execução agora estão com as obras paradas devido à falta de pagamento”.

A bancada da Oposição apresentou um pedido de informações à Cohapar sobre esses atrasos, tanto das obras quanto dos salários dos trabalhadores. A votação do requerimento foi adiada, a pedido da Liderança do Governo, para a próxima segunda-feira (1).

Fornecedores

O deputado Douglas Fabrício (PPS) também tem recebido denúncias em seu gabinete sobre o atraso no pagamento, por parte da Cohapar, aos seus fornecedores. Denúncia semelhante já havia sido apresentada pelo deputado Élio Rusch em maio de 2008. Na época uma auditoria foi realizada na empresa, mas os resultados não foram revelados. A única medida tomada pelo governo do Estado foi a demissão de dois diretores da Cohapar.

Fabrício está coletando dados para formalizar um pedido de informações à empresa de habitação do Paraná para saber sobre a dívida acumulada com os fornecedores em diversas cidades do estado.


14 comentários

  1. BUFÃO!
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 10:53 hs

    BUFÃO!

  2. Wilson
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 10:56 hs

    Como o Requião quis carregar este pesado bau que não reclame da dor nas costas!

  3. Diogo Duke
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 11:15 hs

    Esse Greca é um podre, traídor, não sei como sobrevive politicamente! Traiu o JAIME, traiu o mundo….

  4. O ARAPONGA
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 11:48 hs

    FICA FACIL BATER EM DEFUNTO, SEU WILSON E SEU DIOGO, FALEM O QUE EU ESCREVI E NÃO FOI PUBLICADO, A RAZÃO EU NÃO SEI, MAIS DEVE TER.

  5. Carlos
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 11:52 hs

    Também com o Greca a frente não podia ser diferente.

  6. MUTUKA
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 12:10 hs

    Para o Governo calar essas denuncias, só existe duas formas:

    PAGAR A CONTA QUE DEVE, liberando recursos.

    Acabar com a Farra das festas, almoços, jantares, e inaugurações promovidas pela cupula da Cohapar.

  7. Divanir
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 13:00 hs

    Será que aquele baba ovo da TV Educativa vai comentar esta matéria?. Pergunto, porque só sabe criticar a prefeitura de Curitiba, e a pessoa de Beto Richa. Se Richa ganhar as eleições, eu acho que vai, deve dar um ponta pé na bunda deste apresentador e mandar pra bem longe do Paraná, pois chega a ser rídiculo quando critica, deixando transparecer o cúmulo do puxa-saquismo. Ali só é divulgado as coisas que funcionam neste estado, como muita coisa não funciona, só passa nos outros canais, deixando assim de ser o canal do povo, passando a prestar serviços somente a promoção da pessoa do governador. Cadê o ministério público?.

  8. Azeite quente
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 14:15 hs

    Nós, bem da verdade, não temos muitas opções quando cumprimos o dever cívico de votar.
    Por isso, corre esse rio poluído de corruptos e impunes, ainda que a água nasce em fonte limpa, em seu trajeto é contaminada pela vaidade que o poder oferece.

    O judiciário em mato grosso desviando recursos, o judiciario no paraná pagando salários exorbitantes, e por cima inventaram o famigerado FUREJUS. A revolução francesa dá saudades.

  9. Talvez resolva........
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 16:28 hs

    Também os gastos com diárias do presidente Greca por mes e as festinhas do “querido” e “matador” Arruda para tentar se eleger deputado federal, não sobra mais nada pra ninguém…….. E os que trabalham? Só resta voltar no mercadinho e pedir pra venderem mais um mes fiado!!!!! Que Vergonha!!!!!!!!!! Fora Arruda!!!!!

  10. FILET MIGNON
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 17:26 hs

    No caso da COHAPAR só nos cabe uma pergunta:
    -Diante das notícias de gastos irregulares (vuluosos) pela COHAPAR, tendo como coadjuvantes o sobrinho do INSANO e uma sua parenta (irmã?).
    1º Onde está o Ministério Público do Paraná;
    2º Onde está a OAB do Paraná?
    3º Onde estão os deputados estaduais do Paraná? Não vão denunciar? Não vão fazer nadica de nada? E porque recebem nosso rico dinheirinho para “fiscalizar” o executivo?

  11. Atento do Portão
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 21:42 hs

    Quero ver se o Pessuti tem firmeza em fazer auditoria nisso tudo!
    Vai por a sujeira embaixo do tapete? Se fizer isso Adeus Pessuti como candidato ao Governo!

  12. Guto Junior
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 22:33 hs

    Quem tem o “rabo de fogo”,não toca fogo nos outros. Com a
    palavra o Sr. Eduardo Requião…!

  13. luizinho
    quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010 – 23:41 hs

    tem centenas de casas populares paralizadas no parana, muitos futuros moradores continuam em invasões em casas de parentes ou pagando aluguel. em quanto isso a cohapar paga salarios de maraja para varios politicos sem voto, que gostam de comer em restaurante francese etc. Se for ver na sanepar a coisa em bem pior

  14. claudinei
    sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010 – 11:27 hs

    Em Pato branco as obras de casas populares para os militares também estão paradas, segundo informações a cohpar não tem dinheiro.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*