Paranaense no páreo | Fábio Campana

Paranaense no páreo

Lula deve escolher, nos primeiros dias de 2010, um dos novos ministros do STJ, para a vaga destinada a desembargador.

Há um cearense, um mineiro e um paranaense no páreo.


11 comentários

  1. Antônio
    domingo, 3 de janeiro de 2010 – 17:08 hs

    Não temos força política pra isso.

  2. domingo, 3 de janeiro de 2010 – 19:29 hs

    O SR EDSON FACHINN,,,,,,ESTÁ PREPARADO PARA ASSUMIR COM TRANQUILIDADE ESSE CARGO,,,,,,ESTA MAIS QUE NA HORA DO SR LULA OLHAR PARA O PARANÁ…NÉ……………………………………………….

  3. Parreiras Rodrigues
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 8:34 hs

    Ô Pedrão: As janelas do gabinete do Luiz Itinerante (No filme aparece como retirante) Inácio da Silva, estão abertas para o NE brasileiro. Quando alguém entrega um currículo para Lula, ele pede para ler a Naturalidade do peão. É o quesito que lhe importa.
    Dr. Edson, não se anime com o apoio – justíssimo, do Girardi.

  4. Valmor Lemainski - Cascavel
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 9:23 hs

    Será que temos alguma moeda de troca para o Lulla indicar nosso representante?

  5. Raul
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 9:45 hs

    Antônio. O PR tem dois ministros no Governo Lula. Temos força, sim. Fachin seria muito bom.

  6. Paulo Esteche
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 9:57 hs

    Mais do que força política, temos a competência e o histórico profissional do professor-doutor Edson Fachin.
    O Brasil precisa de pessoas com esse gabarito, que conseguiram chegar onde estão com seu próprio esforço, com conhecimento de causa e capacidade para responder a um cargo de tal envergadura.
    Edson Fachin brotou do movimento estudantil, no tempo em que se combatia a ditadura militar com a “arma” do argumento, da organização de base, da construção de um sonho de liberdade.
    A geração de Fachin é a do Lula que Fábio Barreto retrata em “Lula, o filho do Brasil” e que ainda preservam um cabedal ideológico estribado no senso pleno de justiça, da isonomia de direitos, na Justiça como sustentáculo das prerrogativas humanas.
    Profissionais do nível de Edson Fachin não suportam, por natureza, indicações de ordem política.
    Sua ascensão ao STJ representará um avanço pelo qual todas as pessoas de bem do Paraná devem lutar.

  7. Jorge França
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 11:30 hs

    Fachin não é desembargador. É professor e advogado.
    Mas merece mais que uma vaga no STJ. O Paraná deve defender sua indicação ao STF, provavelmente na vaga a ser aberta com a aposentadoria do ministro Eros Roberto Grau.

  8. Luiz Fernando Pereira
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 11:55 hs

    Fabio
    O candidato do Paraná ao STJ é o Desembargador Marcus Vinícius de Lacerda Costa. O Fachin nem poderia concorrer; a vaga é exclusiva para desembargadores. A candidatura do Fachin, sempre (bem) colocada, é ao STF.

  9. Jose Carlos
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 12:32 hs

    Estranho… meio chutada esta história… se a vaga é destinada a desembargadores, como o Prof. Fachin vai disputá-la? Só se for a desembargadora Rosana Fachin…

  10. Sérgio Tadeu M. de Almeida
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 12:48 hs

    Certamente o STJ será engrandecido, se aprovado o nome do jurista Edson Fachin para ocupar a próxima vaga daqueleTribunal Superior.

    O Paraná estará muito bem representado… é necessário que ás forças políticas do estado façam as sua parte para que isto aconteça!

    Sérgio Tadeu Monteiro de Almeida

  11. Joaquim
    terça-feira, 12 de janeiro de 2010 – 21:00 hs

    Aconselho os senhores a darem uma olhada no site do STJ e verificarem quem são os Desembargadores que estão compondo a lista tríplice, antes de escreverem tantas asneiras.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*