IML fede e não funciona | Fábio Campana

IML fede e não funciona

Hoje, policiais do 9º Distrito da capital foram obrigados a esperar a chegada de um médico legista ao IML das 6h40 às 8h41. Duas horas e um minuto com dois presos lesionados dentro do carro da delegacia à espera do IML, que permanece em ritmo de férias de verão e ainda não conseguiu acabar com o mau cheiro insuportável e inexplicável no seu prédio.


6 comentários

  1. curitibana
    quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 – 11:40 hs

    isso sempre foi assim, e la tem uma placa de PLANTÃO o médico deveria permanecer lá já que GANHA COMO PLANTONISTA

  2. Raquel
    quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 – 13:23 hs

    deve ser algum corpo em decomposição…..
    no HC tem um abandonado há 3 meses…..e fede mesmo na geladeira

  3. bacamarte
    quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 – 16:02 hs

    Simples, fede porque está podre. Ninguém quer mexer naquilo porque vai feder muito mais. Talvez o próximo governador resolva, desde que não seja do PMDBosta! TCU nele!

  4. FILET MIGNON
    quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 – 20:21 hs

    O que funciona neste Estado se não nomeações em cargo em comissão?

  5. rque
    quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 – 21:36 hs

    a falta de medicos nao e privilegio de CURITIBA EM ARAUCARIA UMA CIDADE SIMPLES (a segunda em arecadaçao do estado) fabio canbana sos arauucaria nao tem nao tem medicos de plaontan ( ee u queria comentar mas nao de……………. deus abençoe o hospital vita se vç fc f l d z z e u vu de oque ta acomtemsedo a ara CANPANA EU DOVIDO

  6. Eli
    segunda-feira, 11 de janeiro de 2010 – 10:28 hs

    Você não sabe o que está dizendo. A estrutura física do IML é compatível com a cidade da década de 70. Não há instalação física que permita que os médicos deem plantões presenciais no IML – não há nem uma cadeira onde o médico possa ficar esperando pelos pacientes, de modo que o serviço começa às 8.30 da manhã, com grande movimento até às 18.00. Também não são suficientes as geladeiras disponíveis para acomodação dos grande número de corpos que atualmente acumulam a cada dia – são 10-20 mortes violentas por dia, das quais muitas nem chegam a ter seus corpos reclamados pelas famílias. Por favor, aprofunde-se.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*