Demissão e picolé | Fábio Campana

Demissão e picolé

De Elio Gaspari em O Globo

O doutor Nelson Jobim, o general Enzo Peri, o almirante Moura Neto e o brigadeiro Juniti Saito esqueceram-se de duas coisas: 1) Seus cargos sempre estão à disposição do presidente da República. 2) Demissão não se pede, se dá. O que se pede é picolé.

Os comandantes militares aborrecem-se sempre que se ilumina o porão das torturas e assassinatos mantido por seus antecessores nos anos 60 e 70.

Pena, porque esse risco era inerente aos crimes que se praticavam. A pergunta estava no ar no próprio porão: “Avançando a “abertura” poderá alguém deter a marcha da Justiça reclamada?” (…) “Não viria a provar ao menos o patrocínio efetivo das Forças Armadas à (sic) ações que qualquer Justiça do mundo qualificaria de crime?”

Esse texto é de um escriba do Centro de Informações do Exército, num documento intitulado “Estudo e Apreciação sobre a Revolução de 64”, de 16 de junho de 1975, Informe nº 209/ S-102-A3-CIE.

Se o general Enzo Peri não puder achar o cartapácio no arquivo do seu comando, talvez consiga na Abin a cópia guardada pelo falecido SNI.


3 comentários

  1. Jose Carlos
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 10:27 hs

    Este jornalista é comendador da Ordem do Nariz Marrom, no grau de Mestre… fazer esta afirmação e não dizer nada é a mesma coisa… pode-se não gostar do Jobim – que é do tipo Mello e Silva, dono da verdade, professor de Deus e arrogante, além de gordo e barrigudo – mas, ou se investigam todos os crimes praticados durante o regime militar – inclusive os eventualmente praticados por Dilminha Ternurinha e Franklin “Nariz de Batata” Martins – ou não se investiga nada… se for implantada a tal Comissão da “Verdade” (sic), será o proto-gene da Gestapo-NKVD tupiniquim… e o Protógenes poderá ser nosso Himmler-Beria… aliás, seus óculos são modelito Himmler-Beria…

  2. segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 10:47 hs

    Os filhotes da ditadura ainda não encontraram o rumo.
    Mas a tropa esta se renovando e os oficiais de hoje estão sob a égide do Brasil potência, embora os aseus professores ainda estejam no guedto do discurso da guerra fria.

    O que tem mesmo que cair fora é o Jobin traíra. Os militares, mesmo os das tervas, em sua grande maioria são honestos.
    No entanto, quando os interesses de Jobin não batem com o de Lula, fico com Lula por que sei que é um homem honestíssimo.

    No entanto, o Presidente precisa contar com um oficialato que pensa o Brasil potência para que possa se afinar com a politíca de seu governo. Afinal, os EUA reorganizaram a IVª Frota para que?

    Hoje o Brasil tem grandes campos de petróleo nas aguas profundas do Atlântico. Ouro negro que tornará o Brasil num gigante do conhecimento.

    Será que dá para a milicada e o pessoal das trevas entender?

    Outra coisa: tem que se contar a verdade!
    Tem que se contar o que o governo militar fazia com a gente nos porôes da tortura. O povo brasileiro tem que saber os crimes que os assassinos do governo de terror cometeram, como na Argentina.

    Quem matou Jango, Jucelino e Lacerda?
    Precisamos contar de verdade a nossa história.

  3. segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 15:28 hs

    É uma obrigação do país apurar o que ocorreu durante a ditadura, até pra que não se repita.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*