Sete anos infames | Fábio Campana

Sete anos infames

Requião passa por depressão, informam os cavalariços do Canguiri. O homem não se preparou para apear do poder e muito menos para tocar a sua vida como pessoa normal, sem as benesses, prebendas e sinecuras que o poder oferece.

Ao contrário de seu antecessor, Jaime Lerner, Requião não tem competência para fazer outra coisa que não seja a fruição das mordomias que criou para seu deleite a expensas do erário.

Lerner é um urbanista respeitado no mundo, independente de seus sucessos e insucessos na política nativa. Dos erros e acertos na administração pública. Enquanto que Requião é apenas um político e da extração mais antiga de nosso populismo tupiniquim. Um epígono de Chavez.

Um líder desse quilate só poderia aglomerar em torno de si um exército liliputiano. Um time, quando muito, de pequenos grandes homens. Gente que se submete ao vexame de comparecer a um talk show conduzido por Requião para dizer elogios ao chefe, bater palminhas para o governo e insultar os desafetos do governador. O que se poderia esperar de um governo com esse caráter?

O Paraná, nos últimos sete anos, foi vítima de um complô da mediocridade. Requião privilegiou parentes, agregados, seus protegidos, seus amigos, seus colegas de turma. A inteligência, que sempre exige espaço para o exercício da crítica, foi substituída pela conivência dos apaniguados.

O grave é que não terá sido só na política e na administração do Estado que Requião e sua trupe se mostraram fracos. As mazelas dessa gestão atingiram todas as áreas de influência do Estado nesta área do planeta em que o poder estatal é determinante em quase tudo.
É provável que os cidadãos do futuro, daqui a 50 anos, olhando para trás e apreciando a vida parana-ense nesta década se surpreendam com o fosse de me-diocridade em que nos metemos ao adotar Requião e sua incompetência para nos governar. Mas aí será tarde para corrigir os estragos.


39 comentários

  1. Nhengo
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 11:11 hs

    hahahahahahahahahah, se tem uma coisa que ele não é, e nunca será, uma pessoa NORMAL.

    esse deve ter até mordomo p/ limpar a bunda lá no Canguiri. será que as empregadas das casas dos parentes continuam sendo pagas com dinheiro público, através de cargos comissionados?

  2. quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 11:17 hs

    MEU AMIGO FÁBIO CAMPANA;;;;;;INDEPENDENTE DE IDEOLOGIAS POLITICAS,,,FUTEBOLISTICAS,,,E RELIGIOSAS;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;AQUI VAI MEU OBRIGADO POR VOÇE DEIXAR EXPOR MINHAS OPINIÕES NO SEU BLOG ESSE ANO QUE TÁ INDO………..E TE DESEJO DE CORAÇÃO UM FELIZ 2010;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;FELICIDADES E SAÚDE;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;É O TUDO.

  3. Olho vivo
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 11:36 hs

    SETE ANOS INSANOS…

    Vimos a retrospectiva 2009 no Globo Reporter ontem a noite.
    Que vexame!!! O nosso prefeito Beto Richa, sendo mais uma vez apontado entre “os novos prefeitos envolvidos em corrupção”.

    Com comentários… Sim senhor…!

    Esse, não era para ser o ‘melhor’ prefeito do Brasil?

    E aí José, como fica essa pesquisa?
    Nem à mim, nem ao povo paranaense tu enganavas!
    Tucano sempre foi bom nisso, mentir, mentir e mentir…!
    Iludir um povo, não engrandece nenhuma nação!

    Por isso, o sucesso REAL e o reconhecimento internacional do nosso Presidente Lula.
    São fatos verdadeiros, de causar inveja, desespero e discórdia no ninho de ‘certos bicudos’.

    Porque não seguem esse exemplo?

  4. 07 ANOS DE COMUNISMO NO BRASIL
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 11:56 hs

    Vinte anos após a queda do muro, comunistas governam 7 países e 20% da população mundial

    Haroldo Ceravolo Sereza
    Do UOL Notícias

    Lula no Brasil, Hugo Chávez na Venezuela, Tabaré Vazquez no Uruguai, e experiências em toda a região (“pula a Colômbia”) “fazem parte deste movimento antineoliberal, progressista, de esquerda, centro-esquerda, plural, desigual, de inclinação socialista – no caso de Venezuela, Bolívia, Equador – que cresceu na região nos últimos 20 anos.

    Em São PauloVinte anos após o começo do “fim do comunismo”, partidos comunistas governam sete países. Cinco destes governos já existiam antes do colapso do sistema soviético, em 1991, e mantêm o poder concentrado num sistema de partido único ou próximo disto – China, Cuba, Coreia do Norte, Vietnã e Laos. Em outros dois, os PCs lideram governos eleitos democraticamente – Chipre e Nepal.

    Os sete países contam com uma população estimada de quase 1,5 bilhão de pessoas (1,34 bilhão vive na China; o segundo mais populoso é o Vietnã, com quase 87 milhões de habitantes), ou pouco mais do que 22% dos 6,7 bilhões de pessoas se estima viverem sobre Terra.

    Além disso, os partidos comunistas próximos às duas linhas mais tradicionais – a soviética e chinesa – participam de vários governos do mundo, em países que são capitalistas. É o caso da África do Sul, em que os comunistas são parte fundamental do Congresso Nacional Africano, de Nelson Mandela e de todos os presidentes após o fim do regime do apartheid, em 1994. No Brasil, com o PC do B, eles também integram o governo, com menor força.

    Partidos comunistas têm força significativa em outros dois países dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul): na Rússia, o PC é o maior partido de oposição ao grupo político do primeiro-ministro e ex-presidente Vladimir Putin, e na Índia, é o maior partido em alguns Estados.

    A força política dos partidos comunistas passa, no entanto, por, pelo menos, mais flexibilização econômica na maioria dos casos, além de mudanças na postura em relação a ex-inimigos e novos aliados.

    Na China, em especial, mecanismos capitalistas de atuação econômica ganharam enorme força nos últimos 20 anos, período que coincidiu com a ultrapassagem da Alemanha e a transformação da China na terceira maior economia do mundo.

    Uma ambiguidade que é assim resumida por Edmilson Costa, professor de economia de universidades privadas de São Paulo e dirigente do PCB (Partido Comunista Brasileiro): “O que acontece lá (na China) é uma estrutura que mistura capitalismo com socialismo e que você não sabe aonde vai dar. Pode ser que não dê certo, mas o destino não está dado. O PC chinês ainda dirige o processo”, afirma.

    “Torço para que dê socialismo. A China desorienta todas as teorias. Com a crise, reorientaram a economia para o mercado interno, manejando com competência”, completa Costa.

    Mas como os comunistas brasileiros explicam a permanência da China sob o comando de um partido comunista, após o fim do sistema soviético, contra uma série de previsões feita “no calor da hora”, nos anos 1990?

    O jornalista Bernado Joffilly, que dirige o portal de informações Vermelho, do PC do B , assim explica o sucesso do PC chinês em permanecer no poder: “Depois da queda do Muro de Berlim, a China adotou um ‘baixo perfil’ internacional e ideológico. Provavelmente com razão. No pós-muro, um país socialista que quisesse continuar socialista tinha de ser ‘low profile'”.

    Um dos problemas que o país enfrenta, agora, com o sucesso econômico, é justamente esse: “Agora não dá mais para ser de baixo perfil.”

    Há uma alta dose de pragmatismo na análise de Joffilly – que, durante a entrevista, fez questão de dizer mais de uma vez que falava em nome pessoal e não pela direção do PC do B. “A China tem lá o socialismo deles, que coexiste com o capitalismo. Eles estão fazendo uma mescla, que está dando certo”, diz, para emendar: “Os povos fazem as revoluções para viverem melhor. Desse ponto de vista, 500 milhões de pessoas saíram a pobreza na China.”

    Antiga Alemanha Oriental sofre declínio após queda do MuroNovos caminhos PC do B e PCB ilustram, cada um a sua maneira, os novos caminhos que os comunistas tiveram de buscar após a queda do muro. Os dois partidos, que se reivindicam herdeiros do Partido Comunista do Brasil fundado em 1922, viveram, do fim da ditadura em 1985 até hoje, o maior período de legalidade no país.

    Em 1991, o PC do B não era próximo de nenhum dos dois grandes blocos comunistas – não defendia nem o modelo soviético nem o chinês, mas o da Albânia, um pequeno e empobrecido país europeu que se tornou um bastião da ortodoxia comunista. Nascido de uma ruptura pró-chinesa do PCB na década de 1960, o partido, portanto, não era exatamente um defensor do socialismo soviético.

    Ainda assim, teve de responder pela crise que o sistema enfrentou. “Talvez tenhamos sido mais críticos do que devíamos”, avalia Joffilly. “Porque o mundo dividido em duas superpotências era melhor do que o mundo com uma só potência.”

    Retrospectivamente, ele avalia que a União Soviética sofria com algumas questões centrais: “Havia um déficit democrático e um déficit teórico evidentes.”

    Em 1989, depois de ter vivido alguns anos na Albânia (onde aprendeu a língua, da qual traduz os romances do escritor Ismail Kadaré, hoje um crítico do comunismo). Joffilly fazia campanha para Lula, arrecadando dinheiro entre os metalúrgicos de São Bernardo. “Naquele momento, aqui no Brasil, foi a ‘avant première’ do que ocorreria na América Latina dez anos adiante, do México à Patagônia. A América Latina lia a questão do muro de outra maneira”, diz.

    Para ele, Lula no Brasil, Hugo Chávez na Venezuela, Tabaré Vazquez no Uruguai, e experiências em toda a região (“pula a Colômbia”) “fazem parte deste movimento antineoliberal, progressista, de esquerda, centro-esquerda, plural, desigual, de inclinação socialista – no caso de Venezuela, Bolívia, Equador – que cresceu na região nos últimos 20 anos.

    Pessoas que viveram na Berlim dividida contam suas históriasO PCB, por sua vez, era o partido associado ao modelo soviético. Só nos anos 1980 o partido ficaria mais próximo dos partidos comunistas da Europa Ocidental, que passaram a defender com mais vigor a democracia ocidental. Assim, o governo do secretário-geral Mikhail Gorbatchev significava uma possibilidade de reforma dentro do socialismo.

    “O fim da União Soviética foi como se eu tivesse perdido o pai, a mãe e a família inteira num desastre. Nós tínhamos uma ligação história com o PC da União Soviética, pagamos um preço muito alto”, diz Edmilson Costa. “Para nos, glasnost e perestroika significavam mais democracia e mais socialismo”, mas “o muro caiu com o apoio do Gorbatchev”.

    Para ele, “o cansaço da população, a estrutura do regime, a falta de liberdade para ir e vir” explicam a ruína do sistema. Além, claro, do poder sedutor do capitalismo: “É uma vitrine sedutora, mas que não é para todos, é só para alguns.”

    O PCB, que em 1989 apresentou-se nas eleições presidenciais com a candidatura de Roberto Freire, iniciou a década de 1990 na sua mais profunda crise. Seguindo tendência de outros partidos ocidentais, a direção sob o comando de Freire abandonou o marxismo como linha política e tirou o nome comunista, passando a se chamar PPS (Partido Popular Socialista).

    O grupo que não aceitou a mudança buscou, então, refundar o partido e manter o nome PCB. “Caído o Muro, sem a União Soviética, partimos para refazer as filiações.”

    Edmilson pegou as férias a que tinha direito e partiu para o interior do Mato Grosso do Sul. Pelas regras da Justiça eleitoral, era mais fácil conseguir as assinaturas necessárias em pequenas cidades do que nos grandes centros.

    “Uma advogada do partido foi a uma cidade e parou num local. Reparou que havia muitas mulheres. Pediu um refrigerante. Falou com a dona, uma argentina. Que disse que também era comunista. E daquela casa de ‘rendez-vous’ saiu o presidente do partido no Mato Grosso do Sul, filho da argentina”, conta ele.

    Aos poucos, os dois partidos refizeram suas imagens. O PC do B reforçou a aliança com o PT iniciada no final dos anos 1980 e o PCB redefiniu muitas de suas posições e faz oposição a Lula hoje unido a partidos com fortes tendências trotskistas (PSTU e PSOL), antigos inimigos dentro da esquerda.

    Também mudou uma de suas mais importantes posições históricas. O PCB não acredita mais que deve se aliar a setores da burguesia, como no passado. “O Brasil é hoje sociedade tipicamente burguesa, então a revolução é socialista. Antes, achávamos que ela podia ser nacional-democrata. Mas a burguesia brasileira não quer mais cumprir uma tarefa nacional, quer participar do jogo internacional do capital, se contradição, luta cotidiana.”

    E o futuro?
    Tanto Costa quanto Joffilly fazem discursos agregadores.

    Costa avalia que o PC do B não é comunista, mas afirma que o PCB está “procurando juntar pequenas organizações comunistas”, que atuam de forma independente pelo país. “São ações comuns, unidade na ação, para futura unificação de todas as forças comunistas. Porque tem mais comunistas fora do que dentro do partido, e as fraturas só cicatrizam quando há unidade política e de ação.”

    “Fora do PC do B, existem comunistas. Acho ótimo que exista um partido relativamente grande, candidato a nuclear os outros. Espero que todo mundo que é comunista entre no PC do B. Gostaria que os companheiros do PCB estivessem com o PC do B”, afirma, por sua vez, Joffilly. “PSTU e PCB fazem oposição a Lula. Eu não faço veto. Tem democracia interna, eles podem disputar as posições. Nós criticamos, por exemplo, a política do Henrique Meirelles, para nós ela tinha de cair”, completa.

    Joffilly vê na crise do sistema soviético um momento histórico. “De 1815 a 1848, a burguesia pastou uma derrota na França. Assim como em 1815 teve a restauração monárquica, em 1989 houve a restauração capitalista.”

    Vinte anos depois, os dois PCs brasileiros avaliam que as perspectivas são boas: “Acho que a crise vai se agravar. Podemos ter uma outra conjuntura internacional. E as crises são parteiras da história”, diz Costa.

    “Felizmente, benza-deus, parece que pensamento único, fim da história e consenso de Washington acabaram. A crise do capitalismo abre a possibilidade de retomada das ideias socialistas como alternativa ao capitalismo”, emenda Joffilly, que completa: “O pior já passou. Está baixando a poeira do muro.”

    E UM BANDO DE IDIOTAS AINDA NÃO PERCEBEU ISSO

    ACORDA BRASIL

    ZILLI

  5. UM BRASILEIRO REVOLTADO
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 11:57 hs

    FORA VELHO DECRÉPITO, CHEGA DE VOCE E SEU IRMÃOZINHO QUE ESTÁ ESTACIONADO EM BRASÍLIA INSULTAR OS CIDADÃOS DE BEM DE NOSSO ESTADO. CHEGA DE SACANAGEM NO PORTO DE PARANAGUÁ, ONDE O ATUAL “SUPERINTENDENTE” JÁ ESTEVE ATÉ PRESO NA DELEGACIA DE POLÍCIA DE PARANAGUÁ! CUJA RAZÃO NÃO DEVE TER SIDO POR TER PRATICADO ATOS DE HONESTIDADE NAQUELA CIDADE.

  6. Jonas de Souza
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 12:05 hs

    Errado Fábio, o Lerner roubou mais, muito mais que o Requião, por isto não precisa se preocupar em trabalhar…

  7. Dagmar Servia
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 12:05 hs

    Parabéns sr. Fábio Campana. Este seu artigo sobre o Governador está perfeito.

    Apenas gostaria de acrescentar que desejo ver o nosso inquilino do Canguiri ser defenestrado da política de uma vez, para que pudesse pagar na justiça todas as suas insanidades e desrespeito à aqueles que não comungam com o seu besteirol.

    E principalmente àqueles que se aproveitaram da “popularidade” do mesmo e fizeram da política nativa um gueto onde só eles têm a razão, com sua prepotência e julgamento de donos do Estado, que sempre estão ao lado do poder para dele tirar proveito próprio, digam-se: Luiz Cláudio Romanelli, Alexandre Curi, Carlos Moreira Jr. (que vendeu a UFPR para o governador na esperança de ser eleito Dep.Federal – kkk), o sobrinho Arruda (que deveria estar na cadeia pelo crime que cometeu), Nelson Justus, (este então que se julga o dono da Assembléia e que até agora não respondeu sobre a podridão lá de Guaratuba),e muitos outros que não vale a pena nem mencionar, o próprio PT que se aliou ao governo apenas para poder usufruir as mordomias que ele pode dar, enfim, essa corja de oportunistas de plantão que durante oito anos mentiram a torto e a direito para o povo do Paraná com a finalidade exclusiva de se perpetuar no poder.

    Estamos entrando em 2010, ano de eleição, só desejo que o povo do Estado do Paraná tenha a vergonha na cara de expulsar da política regional grande parte desta turma que se aboletou da Assembléia Legislativa junto com seu chefe o Governador Roberto Requião e sua família de sangue-sugas.

    Acho que chegou a hora de termos o discernimento de saber quem presta e quem não presta na política, e a hora é agora ou nunca mais teremos uma oportunidade tão boa de fazer isso.

    Um feliz Ano Novo a todos que independente de suas ideologias e interesses políticos frequentam esta coluna, e principalmente ao que nos proporciona este espaço para podermos escrever nossas opiniões e frustrações.

    Obrigado e Bom Ano Novo Sr. Fábio Campana

  8. quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 12:14 hs

    Advogado criminalista

    Rio – Crime é crime em qualquer parte do Brasil. Para combatê-lo, contamos com policiais e, nessa questão, nos deparamos com uma polêmica. Policiais militares e bombeiros país afora sofrem desigualdades salariais que beiram ao absurdo. Por quê? Não há explicação, principalmente se considerarmos que o ofício e os riscos da profissão são iguais para todos.

    Segundo o presidente Lula, só uma boa remuneração pode evitar que policiais se corrompam. A afirmação foi feita no dia em que ele anunciou um reajuste de 68,4% para os PMs e bombeiros de Brasília, que já recebiam a melhor remuneração do País.

    Três dias antes, deputados do Rio também aprovaram um aumento para as mesmas categorias, sendo (acreditem!) “bizarros” 5%. Em Brasília, o salário inicial para um soldado que ingresse na corporação é de cerca de R$ 4 mil. No Rio, R$ 850.

    Definitivamente, os números falam por si. É vergonhoso o disparate salarial. A desculpa é que lá o governo federal é quem paga, o que não é justificativa porque todos os estados também pertencem à federação. Não falta dinheiro. Falta é vontade política.

    A PEC 300, que visa a equiparar os salários dos PMs e bombeiros de todos os estados aos do Distrito Federal, ainda tramita na Câmara dos Deputados e pode ser a luz no fim do túnel para que a população brasileira conte com policiais e bombeiros mais qualificados e, acima de tudo, com dignidade para exercer sua profissão.

    Por último, que Brasília, definitivamente, cumpra o seu papel de Capital do país e não de si mesmo para que, num futuro próximo, possamos contar com um Brasil menos violento e mais justo.

  9. Anônimo
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 12:19 hs

    Além da plantação experimental de capim elefante (que ele acha que transformará o mundo), dos hospitais bem intencionados, mas totalmente desequipados, e de meia dúzia de quilômetros de estradas vicinais asfaltadas ou recuperadas, que fez o governo Mello e Silva neste período de trevas da quinta comarca??? preocupou-se em desconstruir o passado, explodir pontes, arrasar e salgar a terra, desfazer contratos, ajuizar dezenas de ações na justiça (com o trabalho de barnabés pagos a peso de ouro), das quais perdeu oito em cada dez, com milhões em prejuízo ao erário (que lógico, jamais pagará estas contas)… perseguiu aspones, pobres-diabos, mortos-de-fome e outros miseráveis, mas, sempre aplaudiu e adulou os poderosos, ainda que para a platéia de apaniguados amestrados, os criticasse… não levantou uma única palha para investigar ou apurar as acusações que pesaram contra seu governo e seus serviçais mais graduados, embora fizesse acusações a torto e a direito contra tudo e todos, chutando até a própria sombra… niilismo, obscurantismo, atraso são os emblemas deste governo… uma criatura que julga entender de tudo, de agricultura à física nuclear, passando pela economia e finanças internacionais… felizmente, como dizia Norberto Bobbio, “democracia não é método de escolher os melhores; é método de evitar que os piores se perpetuem no poder”… menos de cem dias entre Elba e Waterloo e, depois, Santa Helena para sempre… pena, que ao contrário do grande imperador francês, nosso coronel de comarca terá seu nome indexado somente na BBP e como Silva…

  10. Tiozão
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 12:21 hs

    A Diferença entre o Jaime e Requião é que no final da estória o Requião acabou vivendo feliz ao lado do Rafael Greca.

  11. O fim está próximo...........
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 12:31 hs

    Está chegando o final deste governo medíocre, em todas as áreas……….. tudo piorou – para o pvo -, segurança, saúde, economia, dívida pública…. só as mordomias e nepotismo para maria louca e família. mas o fim destes medíocres está chegando ao fim……… como dia a música……..”ai, ai , ai, ai, tá chegando a hora.. o dia já vem raiando………..” FORA MARIA LOUCA E SECRETARIADO MEDÍOCRE! NOVOS TEMPOS PARA O PARANÁ!

  12. Jango
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 12:47 hs

    Fabio, sua análise faz pensar em outras situações. Porque a sociedade paranaense admitiu ser submetida a este regime por três gestões, onze anos, sem nenhum questionamento sério ? Sim, porque o esquema de governo requiônico é um regime personalíssimo de poder que não admite desvio da vontade do comandante máximo, por mais estapafúrdida que seja. A sociedade entende que está tudo bem no melhor dos mundo ?

    Regime, inclusive, que ao longo do tempo foi consolidando – por mecanismos que deveriam suscitar repúdio nas autoridades públicas e na sociedade – um compadrio escandaloso entre os poderes e algumas autoridades públicas (com poucas e honrosas exceções) que atingiu seu ápice na nomeação do seu nepote à vaga vitalícia do Tribunal de Contas, quando em verdadeiro mutirão de submissões se estabeleceu para a atender a vontade personalíssima do governador. Felizmente, o STF, devido a irresignação de um cidadão defenestrou o nepote, embora digam que sua “estrutura” ainda lá está esperando nova oportunidade.

    O passivo judicial do pedágio é sintomático da gestão autoritária e incompetente e vem sendo denunciado há tempos pela mídia. O fiasco do mote eleitoreiro “pedágio – baixa ou acaba” se traduz nessa milionária dívida pública, que logo será cobrada do bolso do povo. O pedágio não baixou, não acabou, aumentou e ainda está deixando um passivo milionário para o povo pagar – a maior aventura judicial de um governo numa causa perdida. É lícito um governante exceder-se na sua renitência a ponto de causar tanto prejuízo ao erário público ? Porque não se apura efetivamente responsabilidades pelo imbroglio do pedágio ? As ditas autoridades de controle público não farão isso. A sociedade tomada pela anomia imperante se mostra insossa. Como diagnosticou lapidarmente o deputado Gustavo Fruet, em pronunciamento no Congresso dois anos atrás, sobre a situação reinante no Paraná, aqui “nada é apurado, ninguém é punido.”

    Três gestões de governo sem nenhuma marca senão a polêmica infrutífera e os passivos a serem arcados pela sociedade. Um levantamento parcial feito pelo Jornal do Estado identificou pelo menos quatro casos em que o governo paranaense ou já foi condenado a pagar, ou deve ser cobrado na Justiça por decisões e medidas tomadas na administração Requião, valores que passam de R$ 1,5 bilhão. “Em pelo menos um desses casos o prejuízo para os contribuintes paranaenses já é líquido e certo, pois não há mais como recorrer. Trata-se de R$ 400 milhões que o Estado foi condenado a pagar aos servidores do Judiciário, por conta de um reajuste salarial que Requião se recusou a pagar em 1992, quando ainda estava em seu primeiro mandato como governador. Em 2002, a categoria, depois de dez anos de batalha judicial, conseguiu o direito de receber o aumento, que até hoje espera na fila de precatórios do Estado para ser pago. As concessionárias calculam em R$ 170 milhões o montante que pretendem cobrar na Justiça por conta dos prejuízos materiais causados por invasões e depredações das praças de cobrança, os dias em que as cancelas foram mantidas abertas por manifestantes, desequilíbrios contratuais que não foram revistos pelo governo do Estado e os dias que as empresas deixaram de aplicar os reajustes tarifários por falta de autorização do Estado.” (coluna “Na ponta do lápis” de 07/10/07) Hoje, ao findar 2009, os prejuízos devem ser ainda maiores.

    Os paranaenses, realmente, são um povo muito “bonzinho” … a ponto se já não terem, quiçá, moral para exigirem respeito.

  13. PAULO
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 13:10 hs

    infames???
    foram os anos de treva total do Paraná!
    nunca, em tempo algum, um Estado foi tão agredido e vilempediado como agora!
    nós também tivemos um Bush por aqui, destruindo tudoo que via pela frente, crando factoides vergonhosos, inventando terroristas, levando a economia p/ buraco para agradar seus parentes.
    mas esá chegando ao fim era Busch de Melo e Silva!!!

  14. PAULO
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 13:18 hs

    e tempo: vc tem razão quando diz qu ele é um inútl, além de infernizar a vida dos outros, viver nas burras do Estado, o ue mais ele fez na vida???
    se não tivesse feito seu pé de meia, iria viver de que? mesada?

  15. Marcos
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 13:53 hs

    Jaime Lerner é respeitado independente dos seus erros e acertos~na administração pública?
    Não sou fã do Requião, mas mas jaime Lerner só pode ter sucesso como outra coisa, pois como governador foi um desastre como todos os outros. Para governar precisa ser muito mais que bom urbanista, precisa cuidar da sociedade como um todo, coisa que ele não fez. por isso foi cuidar de trabalhar com outras coisas.

  16. ruy
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 14:13 hs

    ao Paulo de Sousa:

    você é um retardado mental. todo mundo sabe que o Lerner se mata de trabalhar desde que saiu do governo. é só acompanhar as notícias, tá sempre fazendo projetos e dandos palestras.

    requião, ao contrário, sempre foi um filhinho de papai, que depois de virar político faz pé de meia até pros irmãos vagabundos.

    não brinque com o que você não sabe.

  17. Anônimo
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 14:15 hs

    RESUMINDO QUEM É O HOMEM, PRA QUEM NÃO ENTENDE:

    REQUIAO NUNCA TRABALHOU UM DIA SEQUER NA VIDA.

    NEM UM DIAZINHO.

    NADA.

  18. CLOVIS PENA -
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 14:52 hs

    Herança do pelourinho.
    Dizem que alguns dos Estados do Brasil, depois de Jânio, seria governado por um a êle assemelhado, como imposição purgatória.

  19. CLOVIS PENA -
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 14:53 hs

    Por favor, leiam:……………seriam governados……

  20. Jango
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 15:15 hs

    Marcos:

    Concordo com seu comentário. Jaime Lerner submeteu o povo do Paraná a este pedágio mal enjambrado que Requião levou ao paroxismo da incompetência e prejuízo público. Ambos – se houvesse uma sociedade que exigisse respeito – deveriam ser questionados diretamente pelos mecanismos da lei na Justiça, já que as ditas autoridades públicas não põem cobro nesta questão, como deveriam por força do ofício. Muitos vociferam mas nada de efetivo produzem para passar a limpo este malsinado pedágio. O pedágio acredito que seja necessário mas não da forma como foi estabelecido – é o sentimento geral da sociedade paranaense. Houve até um candidato na eleição passada, Osmar Dias, que prometeu fazer uma auditoria para esclarecer a questão da tarifa e dos encargos, mas ele não foi eleito e o imbroglio está aí formado e o rombo no erário público está por vir. A sociedade permanece como vítima das tarifas escochantes e dos poucos benefícios auferidos, enquanto os responsáveis pelos fatos vão para novos esquemas ou cargos públicos, livres, leves e soltas, como se nada tivessem a responder pelos desmandos cometidos no exercício dos seus mandatos. Essa é a nossa República em que a coisa pública é tratada como assunto privados dos mandatários, só que a conta o povo paga e não bufa nem um pouquinho. assim é fácil demais.

  21. francisco
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 16:21 hs

    fabio obrigado pelas imformacoes ao longo do ano feliz ano novo a vc e sua familia.

  22. Pé Vermelho
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 16:29 hs

    Acabei de ver o blogue Fãs do Requião criado pela Shirley Ramos, de Maringá. Depois de sei lá quantos anos no ar, tem 25 sócios. O sétimo mandou cancelar a inscrição, e tem mais 4 Ramos. Como certos diretórios que tem por ai, só família.

  23. adoílson
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 16:29 hs

    para o senado eu voto em qualquer um que possa evitar mais um mandato para esse demente.

  24. Lelo
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 18:00 hs

    Alguns comentários merecem o Prêmio Nobel da falta de noção! Quanto ao Governador Requião, parabéns pela coragem de ser demente, de ser bocudo, de ser irreverente e sem educação! Boa, REQUIÃO, deixe essa cambada falar… Sou mais você para o Senado, vá em frente…FELIZ 2010

  25. quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 18:07 hs

    Neste 8 anos de Lula foi muito importante no Sul o Requião estar do lado do governo federal. Sua força política ajudou o Companheiro Lula a mudar o Brasil. E isso a direita não perdôa.
    Mudamos o Brasil!!!!!!!!!!! E o Paraná também!!!!!!!!

    Para quem governa para os pobres, para o Paraná Pobre (Centro Expandido e Territórios da Cidadania), a dobradinha Requião-Lula tirou centenas de milhares de paranaenses da fome.

    O Paraná rico também foi destaque no crescimento brasileiro. O agronegócio paranaenses é um dos maiores do país.

    Não se pode negar a verdade de Requião ter uma turma de mediocres ao seu lado, mas existem companheiros competentes como Marés, Ênio, Pupatto, Bianquini e etc.

    Agora não se pode também negar as coisas boa de Requião. Tem duas em relação ao Lerner: é honesto e sua opção é pelos pobres.

    Claro que a moçada que não vê nada no governo Requião esta comprometida com as forças das trevas, mas não passarão.

  26. Claudio
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 19:34 hs

    O Paraná foi condenado a 12 anos de Requião. Cumpriu 11. Brevemente poderá estar livre. Espero que tenham aprendido a lição.

  27. luiz
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 19:38 hs

    A PERFEIÇÃO E A IMPERFEIÇÃO
    TANTO REQUIÃO COMO JAIME TIVERAM SUAS VIRTUDES E SEUS DEFEITOS OQUE ACONTECE É QUE OS SERES HUMANOS EM SUA MAIORIA SÃO ENXERGAM OS DEFEITOS E DESCAREGAM TODA SUA AMARGURA, RANCOR ETC.. NAQUELES QUE PROCURAM FAZER DESTE ESTADO UM LUGAR MELHOR PARA VIVER,NÓS SOMOS BEBEZINHOS EM MATERIA DE DEMOCRACIA ESTAMOS COMEÇANDO APRENDER A RESPEITAR O RESULTADO DAS URNAS, MUITAS VEZES FICAMOS IMPRESSIONADOS COM OS ATENTADOS TERRORISTAS NO IRAQUE, MAS SERÁ QUE NÃO SOMOS MAIS RADICAIS QUE ELES, COMO ELES NÃO VIVEM NA DEMOCRACIA USAM SUAS ARMAS PORQUE SÓ ENXERGAM OS DEFEITOS, E NÓS DEVERIAMOS USAR NOSSAS ARMAS QUE É O DIREITO DE SE EXPRESSAR COM MAIS RESPONSABILIDADE, E PERCEBO EM TODOS COMENTARIOS A FALTA DE ETICA E A CAPACIDADE DE UMA ANALISE MAIS CONSCIENTES DOS FATOS, ESPERO QUE O PROXIMO GOVERNADOR SEJA MAIS RESPEITADO, SEJA ELE QUEM FOR E QUE POSSAMOS RECONHECER E ENALTECER SUAS VIRTUDES E CRITICA-LOS COM RESPONSABILIDADE,EU AMO O MEU ESTADO E TORÇO PARA QUE OS POLITICOS QUE FOREM ELEITOS TENHAM SUCESSO EM SUAS CARREIRAS, SE VC QUE ESTA AQUI SÓ SABE CRITICAR OS ERROS, SE CANDIDATE AO CARGO POLITICO E MOSTRE SUA CAPACIDADE EU VOU TORCER POR VC, PORQUE EU RESPEITO AS URNAS, FELIZ ANO NOVO PARA TODOS
    MEU NOME ALTAIR LUIZ KRAVETZ

  28. Leite Quente
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 21:17 hs

    É UMA LASTIMA UMA VIDA POLÍTICA ACABAR DESSE JEITO, SEM TER O QUE CONTAR PARA OS NETOS E BISNETOS; ESSE FINAL PODERIA SER DIFERENTE SR. REQUIÃO. É UMA PENA POIS QUEM SOFRE MAIS E A ANOS É O POVO PARANAENSE. ” SAUDADES DO JAIME LERNER “

  29. Leite Quente
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 21:20 hs

    Feliz Ano Novo, sr. Fabio Campana, e todos os seus colaboradores e para nós leitores. Que o ano que vem possamos fazer criticas e elegios construtivos para um Paraná melhor.
    Feliz 2$1$.

  30. MOREIRA
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 21:34 hs

    ESSE ZUCAZUZU…TENHA A SANTA PACIENCIA…
    GOVERNO REQUIAO HONESTO???????????????OPÇAO PELOS POBRES????????????????????????
    REALMENTE ALGUNS DOCUMENTOS DEVERÃO VIR A MOSTRA
    AGUARDEMOS A CAMPANHA…ENTAO A PAPELADA VAI VOAR!
    SAMBA, SAMBA LÊ LÊ!!!

  31. Miro
    quinta-feira, 31 de dezembro de 2009 – 22:22 hs

    ao Jonas de Souza:
    vc est’a completamente enganado sobre o Jaime Lerner. ele nao roubou e nao tem uma vida tranquila.
    diferente do atual governador Mello e Silva, que tem a mala guardada com muitos ouros dentro.
    alem de acomodar os irmaos em cargos publicos.
    isso o Jaime Lerner nao fez.
    Miro

  32. bettonn
    sexta-feira, 1 de janeiro de 2010 – 0:42 hs

    eu desejo ate pro geime um otimo 2010 !!!!

  33. Pé Vermelho
    sexta-feira, 1 de janeiro de 2010 – 8:24 hs

    Zucazuzu: Esse seu apelido sugere o envio para um lugar rimante. Governar para os pobres é ir flanar nos Emirados Árabes, Paris, por ai…opção pelos pobres é acomodar parentes e incompetentes nas suites governamentais… honestidade nesse seu governo ai é inexplicar teves laranjas, compra de draga, desmandos na Apa… E o crescimento do agronegócio também contradiz a tal opção pelos pobres. Acho que você ( e ele ) querem dizer O pição para os pobres, Zucazuzu, antes que eu me esqueça, vá…

  34. Marcelo
    sexta-feira, 1 de janeiro de 2010 – 12:11 hs

    Não quero defender o reiqueijão… mas todos os governadores fizeram a mesma coisa… e isso no Brasil inteiro… nepostismo é a regra… veja o exemplo das primeiras-damas no Brasil, todas assumem algum cargo em algum setor encarregado de fazer ações sociais… requiejão só deu continuidade as prática cotidianas da polititicagem brasileira… nada mais óbvio em um país em que grande parte da população é analfabeta funcional, em que a grande maioria ainda lê menos de um livro por ano… aonde mesmo antes de ter uma casa própria, cidadãos miseráveis tem um carro e um carnê de 72 folhas para pagar… o paraná é um estado que sempre foi conservador, modelado por sua população e por seus políticos que ainda acham que vivem na Europa, mas querem um regime tipo “chaves” ou mesmo dão nomes as cidades como “capital ecológica” (vejam a caximba, explodindo de tanto lixo), cidade “planejada” ou “esperta” como disse um instituto desses que nunca vieram para cá e nunca andaram em nossos ônibus lotados e que soltam uma terrivel fumaça preta (nada ecológica) e que não tem só uma avenida chamada “linha verde” que consome boa parte dos recursos que poderiam ser usados para arrumar outras ruas que estao um buraco só… ou prevenir enchentes (tivemos uma enorme a um ou dois meses atras)…
    mas alem de conservadores, somo um povo de memória curta mesmo (sem falar em falta de participação popular na política), pois logo teremos o carnaval e depois a pascoa e logo as eleições… e ai o ano acabou mais uma vez… não é facil
    mas esse é o ritmo do paraná e do brasil… como disse o poeta caminhamos “a passos de formiga e sem vontade”…

    e como disse outro poeta: “feliz ano velho”… ou tudo muda para ficar na mesma…

  35. vilmar césar rubollino
    sexta-feira, 1 de janeiro de 2010 – 18:30 hs

    Foram sete anos insanos. E os oito anos anteriores foram de roubalheira.

  36. Carlos Américo
    sábado, 2 de janeiro de 2010 – 20:09 hs

    Esse Jonas deve voltar para a barriga da baleia, de onde jamais deveria ter saído. Esse papo de que o Lerner roubou mais do que o Requião é conversa de quem não conhece absolutamente nada da história política recente do Paraná. O Lerner jamais precisou do cargo público para ser bem sucedido profissionalmente. Alguém aí em cima já disse que o Requião nunca exerceu qualquer profissão, e olhe que ele se gaba de possuir 2 diplomas. Se ficar um só dia sem mandato vai depender da caridade pública – para não dizer outra coisa. Se informe, rapaz!

  37. Policial Militar
    sábado, 2 de janeiro de 2010 – 22:26 hs

    Por pura maldade os Policiais Militares foram as vítimas do atual Governo a unica classe do funcionalismo com um soldo inferior ao salário mínimo 299,00.

  38. Geraldo
    domingo, 3 de janeiro de 2010 – 9:21 hs

    Bem Feito.

  39. rogerio carboni
    segunda-feira, 4 de janeiro de 2010 – 11:11 hs

    O Requião arrumou a vida de todos os seus comparças, minha sócia Luiza , Marlene (conhecida como Marlenona), Junior Zarur, Wanderley do video, Inês Pompeo, os militares Anselmo e Washington,até as amantes dele ficaram todas bem amparadas na Assembleia Legislativa, isso pque acabaram com os fantasmas…
    Não vejo porque o povo reclama tanto dele… tadinho

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*