Preso acusado de tentar extorquir Ney Leprevost | Fábio Campana

Preso acusado de tentar extorquir Ney Leprevost

Do Bem Paraná

José Carlos Rodrigues Fróis foi preso acusado de extorsão contra o deputado estadual Ney Leprevost. Fróis pedia R$ 20 mil para compensar um cheque sem fundo que, segundo ele, foi passado por um irmão do deputado.

Para impedir que o suposto cheque, no valor de R$ 4 mil, fosse parar na imprensa ou nas mãos de algum adversário político, Fróis entrou em contato com o deputado por emails e depois fazendo ameaças exigindo o dinheiro.

As ameaças por telefone duraram uma semana e foram gravadas e entregues à polícia. No final de uma das gravações, Fróis estabelece que Leprevost tem uma semana para pagar o dinheiro pedido.

A prisão de Fróis aconteceu ontem, em sua casa, em São José dos Pinhais. O detido já tem passagem pela polícia por receptação e roubo e dessa vez será indiciado por tentativa de extorsão. A pena varia de quatro a dez anos.

NOTA DE ESCLARECIMENTO: O gabinete do parlamentar informou hoje à imprensa que Fróes não tem, nem nunca teve em sua posse, cheque, sustado ou não, de nenhum dos três irmãos de Ney Leprevost, nem das empresas das quais os mesmos fazem parte: “Esse indivíduo imaginou que estava lidando com uma pessoa medrosa e tentou aplicar um golpe sem o mínimo de fundamento. Fiz questão de denunciar para mostrar às pessoas que elas não precisam ceder a chantagens e extorsões. O homem público que se curvar a qualquer tipo de chantagem tem a carreira indelevelmente comprometida”, afirma Ney.


6 comentários

  1. chrystian sobania wowk
    terça-feira, 22 de dezembro de 2009 – 21:43 hs

    No mínimo alguem tentanto denegrir a imagem do Ney, político sério, honesto, de família tradicional, que tem meu total apoio e, o voto meu de minha família.

    Cordialmente,

    Chrystian Sobania Wowk

  2. Claudia Wasilewski
    quarta-feira, 23 de dezembro de 2009 – 7:15 hs

    Fez muito bem o deputado estadual Ney Leprevost. Extorsão, chantagem e ameaça devem ser denunciadas.
    Conheço o “causo” de um moço que foi deputado federal e alegava imunidade parlamentar, para não pagar os cheques sem fundos que deu na sua campanha. Esta aí maluquinho por um novo mandato. E o pior, é que acho que se elege.

  3. "José Carlos Rodrigues Fróis"
    quarta-feira, 23 de dezembro de 2009 – 9:31 hs

    Consultando o google “José Carlos Rodrigues Fróes” se escreve José Carlos Rodrigues Fróis, claro que um simples detalhe se o mesmo não fosse do PRTB, e foi candidato a vereador em São José dos Pinhais.

  4. Eduardo Mairo
    quarta-feira, 23 de dezembro de 2009 – 9:44 hs

    Quero ver se um cidadão comum fosse a policia com uma gravação falando de uma “TENTATIVA” de extorsão o que aconteceria… Se nem para crimes efetivos a policia faz nada, que dirá para um crime não consumado.

  5. Nostravamus
    quarta-feira, 23 de dezembro de 2009 – 11:12 hs

    E política, mais vale a versão do que o fato. Com um político desses (da elite tradicional), não há fato que subsista. Só vale a versão. Mas observe que não pode haver tentativa de extorsão sem um fato…

  6. sábado, 30 de janeiro de 2010 – 2:36 hs

    como pagar por um crime que não
    foi consumado se a palavra ja diz [tentativa] i o
    poliçial que matou a esposa depois de tres dias
    de casados com tres tiros, que ja tem passagem por outro motivo
    e esta solto isso não conta que absurdo!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*