Micou previsão de Bernardo para o "Minha Casa, Minha Vida" | Fábio Campana

Micou previsão de Bernardo para o “Minha Casa, Minha Vida”

paulo-bernardo-ministro-do-planejamento-15-04-09

Lançado com pompa em 25 de março, o programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ chega ao final de 2009 em má circunstância.

Lula prometera entregar, até o final de 2010, 1 milhão de casas a brasileiros de vencimentos miúdos (até 10 salários mínimos).

O ministro Paulo Bernardo (Planejamento) antecipara: “Nossa previsão é encerrar o ano de 2009 em 400 mil unidades..Ou seja, 40% da meta de 1 milhão de moradias estará contratada até o final de dezembro”.

Levantamento feito pela Caixa Econômica Federal, que atua como agente financeiro do programa, revela que micou a previsão de Bernardo. Até 21 de dezembro, haviam sido contratadas, em todo o país, apenas 229,9 mil moradias –entre casas e apartamentos populares.

Significa dizer que, por ora, atingiu-se apenas 22,9% da ambiciosa meta de erigir 1 milhão de casas sob Lula.


Dito de outro modo: para que o Lula de março possa ser tomado ao pé da letra em dezembro de 2010, resta um ano para cumprir 77,1% da meta oficial.

Seria preciso contratar mais 770 mil casas. Algo que, mantido o ritmo de 2009, não parece factível.

A julgar pelos dados colecionados pela Caixa Econômica, o programa patinou por sete meses. Até outubro, apenas 89 mil casas haviam sido contratadas.

Só a partir de novembro a coisa parece ter engrenado. Chegou a dezembro, porém, em ritmo ainda mais lento do que o previsto.

Juntos, os contratos celebrados até aqui somam somam R$ 11,6 bilhões. Num levantamento por faixa de renda, as 229,9 moradias estão distribuídas assim:

1. 139,9 mil (60,3%) estão sendo financiadas para famílias com renda de até três salários mínimos.

2. 66,2 mil (28,7%) constam de financiamentos a famílias com renda entre três e seis salários mínimos.

3. As 23,8 mil moradias restantes (10,3%) foram financiadas a famílias com renda entre seis e dez salários mínimos.

Depois do PAC, o ‘Minha Casa, Minha Vida’ é a principal peça de propaganda da campanha de Dilma Rousseff, a presidenciável de Lula.

Gestora do programa, a ministra deixa a Casa Civil no final de março. Dispõe, portanto, de mais três meses para levar o pé ao acelerador.

O calendário parece conspirar contra o marketing.


5 comentários

  1. Danielison
    sábado, 26 de dezembro de 2009 – 13:06 hs

    O programa é muito bom, pena queos burrocratas atrapalhem, o projeto é bom, mas onde há vida há erros.

  2. sábado, 26 de dezembro de 2009 – 14:31 hs

    Fui o relator da mp 460, uma das duas que criou o Minha Casa,Minha Vida.Editada em 31.03.2009, foi votada em primeiro turno no dia 03.06, no Senado foi votada dia 08.07 e na Câmara votada novamente dia 05.08. Sancionada virou lei dia 27.08. Além do que a aprovação de obras de grande vulto como conjuntos habitacionais levam tempo. Desde a escolha de áreas apropriadas até a elaboração de projetos e suas consequente aprovação pela Caixa Econômica Federal. Atualmente os projetos estão sendo avaliados ou já aprovados. Muitas obras em andamento, como em Londrina com mais de duas mil em construção. Os títulos de matérias de jornais não condizem com a especificidade do tema e serão contrariadas pela realidade.

  3. sábado, 26 de dezembro de 2009 – 16:41 hs

    Ô Fábio, meu comentário ilustra bem o tema

  4. rozane sachet
    domingo, 27 de dezembro de 2009 – 15:17 hs

    Nem com varinha mágica. Isso será o MICÃO da senhora ministra.

  5. cidadao trabalhador
    terça-feira, 29 de dezembro de 2009 – 7:36 hs

    é a marca registrada do desgoverno pt. 10REAIS EM PROPAGANDA E 1REAL EM INVESTIMENTO

    NUNCA ANTES NA HISTÓRIA DESSE PAHIS SE INAUGUROU TANTAS PROMESSAS.

    E OS ESMOLEIROS VOTOS BOLSISTAS ACREDITAM E BATEM PALMAS.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*