Justiça suspende contrato da Urbs e Consilux | Fábio Campana

Justiça suspende contrato da Urbs e Consilux

A desembargadora Regina Afonso Portes, da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), rejeitou o recurso que pedia a prorrogação do contrato entre a empresa Consilux e a URBS, empresa responsável pelo gerenciamento do trânsito em Curitiba. Com a decisão, a Urbs deverá desligar os radares em toda cidade.

O TJ-PR já havia concedido uma liminar, no dia 3 de novembro, suspendendo a prorrogação do contrato entre Urbs e Consilux, assinada em abril. A Urbs, então, entrou com um recurso de embargo de declaração contra a liminar e manteve os radares ligados, aguardando o julgamento final do processo.


34 comentários

  1. Cidaddão Paranaense
    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009 – 21:15 hs

    O pessoal do TJ deve ser responsabilizado se houver aumento de acidentes e mortes no transito de Curitiba.

  2. PABUFE
    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009 – 21:22 hs

    O ARRUDA DO “DEMSALÃO” DE BRASÍLIA, TAMBÉM TINHA CONTRATOS PRORROGADOS, E FOI PEGO COM A BOCA NA BOTIJA.
    SE A POLÍCIA FEDERAL VIER PARA CURITIBA E ADOTAR O MESMO MÉTODO, VAI FEDER MERDA PRA TODOS OS LADOS E ESSA CONCILUX, VAI VIRAR = APAGÃOLUX =, JUNTO COM AS =OTORIDADES= DA PREFIEITURA DE CURITIBA. TEM MAIS CONCILUX POR AÍ. TÁ CHEIO DE =CONTRATO PRORROGADO SEM LICITAÇÃO=, TUDO É FEITO NA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO. PARECE QUE É LEGAL, MAS NÃO É. É TUDO ILEGAL.
    FALTA AQUI A POLÍCIA FEDERAL DE BRASÍLIA.

  3. PAULO
    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009 – 22:11 hs

    VAI FALTAR GRANA NO CAIXA DA CAMPANHA!

  4. ofachineiro
    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009 – 22:40 hs

    Quando o trabalhador passa com o seu fusquinha o radar pega e multa.

    Agora quando o deputado passa a 1000 km/h matando todo mundo o radar não pega.

    Esses radares sempre foram uma mentira

  5. Moisés
    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009 – 22:50 hs

    Que incompetencia, o RAPAZ não consegue fazer uma licitação….
    Porque sempre se quer renovar, prorrogar os contratos? Quais são os interesses?
    O resultado esta aí. Cade os contratos de gestão, alardeados no início do 2º mandato?

  6. Vinícius Augusto Moscatto
    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009 – 22:59 hs

    Quer dizer então que, se eu sofrer um acidente por que alguém estava em alta velocidade, eu posso culpar, também, alguém la de cima?

  7. quarta-feira, 2 de dezembro de 2009 – 23:18 hs

    A pergunta que não quer calar: quem autorizou essa prorrogação ilegal? Essa pessoa não será devidamente punida?

  8. Luis Gringo
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 7:55 hs

    Estamos mal, muito mal…
    Justiça suspende contrato da Urbs e Consilux e tem mais se procurar.
    E o Beto quer ser Governador
    Cesar Benjamin tem o cargo, mas não trabalha na TV Educativa e outras “cositas” mais.
    E o Requião quer ser Presidente.
    2011 promete ser o començo do fim.

  9. Tchê
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 8:02 hs

    Acabou a mamata !

  10. quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 8:45 hs

    Qual será o motivo que levou a Prefeitura de Curitiba a não exigir a nota fiscal eletrônica das concessionárias de serviços público?
    Será que não se permitindo o registro e o cruzamento eletrônico de dados, alguém poderá tirar alguma vantagem obscura?!
    Tecnologia sem transparência é bom prá quem?

  11. Moisés
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 8:53 hs

    O Prefeito de uma capital como Curitiba que no inicio do 2º mandato anunciou que iria modernizar a administração com contratos de gestão, onde os Secretários, Diretores de Companhia teriam que cumprir metas, vem agora justificar de forma PATÉTICA QUE HOUVE UM COCHILO DA URBS. Isso se chama incompetencia e irresponsabilidade.

  12. Marcos Calonga
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 9:10 hs

    Finalmente!
    Parabéns à desembargadora Regina, uma mulher de visão e coerência.
    Agora que a URBS não poderá mais achacar os motoristas, terá tempo suficiente para criar uma forma educativa para orientar o trânsito!
    Aposto que o trânsito vai continuar o mesmo, sem aumento de acidentes; mas com uma redução substancial no faturamento da URBS que jamais aplicou R$ 0,01 em segurança do trânsito!
    Fatos recentes demonstraram que o equipamento é tendencioso e manipulável ao bel prazer da URBS, situação que prejudica a grande maioria dos motoristas em favorecimento de pouquíssimos.
    PARABÉNS DESEMBARGADORA!!!

  13. Juca
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 9:22 hs

    Já está mais que na hora de acabar com essa indústria de multas. Até porque impossível uma empresa privada aplicar multas, que é de competência exclusiva do município.

  14. salete cesconeto de arruda
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 9:36 hs

    UMA PERGUNTINHA QUE NÃO QUER CALAR

    – Quando alguém e sua equipe COLOCAM no CENTRO DE DOIS BAIRROS RESIDENCIAIS SILENCIOSOS – UMA CAIXA DE SOM/RUÍDOS – GIGANTE…

    – FOI INCOMPETÊNCIA, MÁ FÉ OU BURRICE MESMO???!!!

    – OU SERÁ QUE NÃO SABEM QUE AS PESSOAS DO BAIRRO IRÃO COMEÇAR A ADOECER E GRITAR QUE ALGO ESTÁ ERRADO MAIS CEDO OU MAIS TARDE???!!!!

    Que VOCAÇÃO para FAZER TUDO ERRADO!!!

  15. PAULO
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 9:42 hs

    E ELE AINDA QUER SER GOVERNADOR????
    SE NÃO CONSEGUE ADMINISTRAR UMA CIDADE, COMO VAI CONSEGUIR GERIR UM ESTADO????????????????

  16. João
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 9:43 hs

    Como que fica o mensalão da Câmara de Vereadores agora? O Betinho vai perder muito apoio…

  17. João Ribeiro
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 9:44 hs

    Como sempre, essa “justicinha” ridícula ao lado dos bandidos e canalhas.

    Está liberado, podem fazer racha, 120 Km/h em qualquer rua. Quando pipocarem as mortes por causa dos canalhas que não gostam dos radares, será que algum “juizinho” ridículo será responsabilizado?

    Não me venham com papo de que o contrato estava irregular. Eu sou capaz de sugirir mil e uma maneiras da justiça resolver isso sem liberar as ruas da cidade para esses fascínoras que tanto detestam os radares.

  18. marcondes
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 10:06 hs

    SENHORES COMENTARITAS,VAO VER O NUMEROS DE ACIDENTES AUMENTAR ASSUSTADORAMENTE COM O DESLIGAMENTO DOS RADAR EM NOSSO CIDADE,NÃO MISTUREM A POLITICA COM A NOSSA SEGURANÇA IRRESPONSABILIDADE QUEM DESLIGAR OS RADARES DAS VIAS RAPIDAS.

  19. Vergilho
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 10:24 hs

    Se o Beto Richa pretende ter algum êxito como governador deverá, desta vez, cercar-se de pessoas competentes!

  20. Alexandre
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 10:33 hs

    Será que perdendo a boquinha, vai aparecer alguém da Consilux para revelar o esquema dessas prorrogações infinitas de contrato. Quem sabe aparece mais caixa 2 por aí.

  21. Calamidade.
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 10:37 hs

    Essa URBS não dá uma dentro hein!

    1 – Não fez a licitação dos radares em tempo hábil, ou achou mais cômodo um aditivo. (Segundo o prefeito foi cochilo do presidente).

    2 -Não fez a licitação do transporte coletivo. (Segundo o prefeito vai pegar o presidente da URBS de jeito).

    3 – Não faz a citação de forma correta das multas.

    4 – A Diretran apenas multa, não orienta o trânsito.

    Diante deste fatos, como bem lembrou um comentarista acima, existe realmente aquele contrato de gestão proposto pelo prefeito?

  22. LEÔNCIO
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 10:44 hs

    Então o famoso “Leôncio” toma mais uma. Ó vida, ó azar. Bem agora que chegou num carguinho tão esperado pelo Voto Limpo. Na verdade a maioria dos curitibanos tinha os radares como uma verdadeira industria de multas. Antigamente eram escondidos, lembram? Era para pegar incautos. Com a chiadeira passou à ser visivel porém funcionando somente para alguns menos aquinhoados. Agora, parece que a casa caiu. Falta avançar mais ainda, pois uma licitação do transporte público será benvinda dando mais transparência aos processos. Quanto ao “Leôncio” se prepare pois parece que a “boquinha” está perto do fim. Tomara!!!!

  23. Caco
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 10:47 hs

    Justiça incompetente.

    Bastaria transferir a responsabilidade de administrar os radares para o Poder Público. Isso se justificaria no interesse público e é perfeitamente possivel segundo a Lei, pois a ordem deveria mandar a prefeitura encampar o serviço e indenizar a empresa pelos equipamentos após o fim da ação.

  24. Paranista
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 10:56 hs

    Independente da questão legal, que tem de ser cumprida, os “pardais” e as lombadas eletrônicas são uma necessidade social. Ficou mais do que provado que com a implantação destes equipamentos diminuiu o número de acidentes.

  25. sergio
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 12:08 hs

    Parabéns a essa Desembargadora, pela sua coragem de enfrentar os grandes ($$$$$$$); sou fã do Beto, votei no seu pai durante várias campanhas, mas lei é lei e tem que ser cumprida; o Beto vai ter que arrumar outra emprêsa, para lhe ajudar na campanha……..

  26. salete cesconeto de arruda
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 12:21 hs

    Marcodes.
    Mas quem foi que não FEZ a coisa certa?
    Tu achas que estariam sendo DESLIGADOS se a prefeitura tivesse feito tudo certinho?
    Pense nisso!!!
    E culpe os que ERRARAM!
    A justiça NESTE CASO – está apenas fazendo o que manda a lei.
    Desculpe te lembrar disso.
    Mas o ERRO está na PREFEITURA!
    E é lá que IREMOS cobrar os tais acidentes por falta dos RADARES!
    E lembre-se:
    NENHUM RADAR REGISTROU O DEPUTADO QUE MATOU OS DOIS JOVENS e até HOJE NINGUÉM SABE – NINGUÉM VIU – UM RADAR REGISTRANDO O CARRO DO MOCINHO.
    MOCINHO?!
    Pois é.

  27. Jr
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 12:41 hs

    Acabou as arapucas, parabéns a Justiça.

    Além disso, toda verba arrecada com a fábrica de multas não é revertida sequer um centavo no melhoramento do trânsito e no asfalto, no qual a Diretran está sempre certa quando fazemos nossas defesas.

    Fora radares já.

    E para aqueles que tem receio de acidentes, saibam que existe um meio de transporte chamado ônibus.

  28. ?????????????
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 13:37 hs

    O MARCONDES É ASSALARIADO DA PREFEITURA OU DA CONSILUX??????????????????????????????????????????
    FAZ PARTE DA EQUIPE DE LICITAÇÃO?
    OU É APENAS UM EQUIVOCADO ÚTIL?

  29. Luis Gringo
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 13:45 hs

    Marcondes, a responsabiledade e politica sim.
    Quem não fez a licitação?
    A quem favorece os aditivos?
    So pra te lembrar, faltou e falta a licitação do lixo e do transporte coletivo.
    Curitiba ficou sem prefeito por causa da eleição de 2010.

  30. Lucas
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 17:12 hs

    E os puxa-sacos ainda tentam culpar a justiça. Culpem a prefeitura e a Urbs, que fizeram besteira ao segurar a licitação para prorrogar o contrato. Se o número de acidentes aumentar, a RESPONSABILIDADE SERÁ DA PREFEITURA.

  31. Diego
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 20:49 hs

    Só quem mama nas tetas do governo está contra a decisão da Juíza. Parabens Dra…Contagem regressiva para ver quanto tempo vão deixar a senhora trabalhar aqui em Curitiba. Parabens doutora…

  32. 190KM
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 21:35 hs

    agora 190 é pouco.

  33. Rose
    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009 – 22:15 hs

    Isso não vira escândalo por que o sr. Beto Richa “trata muito bem” a imprensa independente que nós temos. rsrsrs

  34. observador
    sexta-feira, 4 de dezembro de 2009 – 10:19 hs

    A RESPONSABILIDADE NÃO É DA PREFEITURA NEM DO TJ/PR E SIM DOS MOTORISTAS BABACAS QUE ESTAO SE APROVIENTANDO DA SITUAÇÃO, PASSOU UM FORD KA DO MEU LADO HOJE A MAIS DE 100KM/H AO LADO DE UM RADAR.. ESSE TIPO DE GENTE SIM DEVE SER RESPONSABILIZADAS…MOTORISTAS ESCROTOS

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*