Tiroteio em frente ao portão da PUC deixa feridos em Curitiba | Fábio Campana

Tiroteio em frente ao portão da PUC deixa feridos em Curitiba

Do Globo.com

Seis pessoas foram baleadas na tarde deste domingo (29) em Curitiba, no Paraná, de acordo com a Polícia Militar. O tiroteio ocorreu na esquina das ruas Sérgio Dudeck e Guabirotuba, na Vila Torres. Entre as vítimas estariam três crianças.

Cinco feridos foram levados para atendimento no Hospital Cajuru. Entre eles, um adolescente de 15 anos passou por cirurgia. Duas crianças de 13 e 11 anos, um homem de 32 anos e uma mulher de 50 anos apresentam condição estável.

Um homem de 20 anos, que passava pelo local de carro no momento do tiroteio, levou dois tiros na nuca. Ele foi levado para o Hospital Evangélico, onde passou por exames e tomografia e deve ser submetido a uma cirurgia. O quadro dele, segundo o hospital, é considerado estável e ele estava consciente.

Um motociclista que passava pelo local durante o tiroteio, sofreu uma queda, ficou ferido e também foi levado para atendimento no Hospital Cajuru. Equipes da PM fizeram patrulhas pelo bairro atrás dos responsáveis pelo tiroteio, mas ninguém foi preso.

Vestibular

A troca de tiros ocorreu próximo ao Portão 3 do campus da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). A PUC é um dos locais onde estavam sendo aplicadas provas do concurso vestibular 2010 da Universidade Federal do Paraná (UFPR).


14 comentários

  1. CWB
    domingo, 29 de novembro de 2009 – 21:14 hs

    MAS LOGO AQUI???
    NA CIDADE MAIS SEGURA DO MUNDO?
    CAPITAL DO ESTADO QUE TEM O MELHOR SECRETÁRIO DE SEGURANÇA DO UNIVERSO?????
    DIFICIL ACREDITAR!

  2. Pedro Vigário Neto
    domingo, 29 de novembro de 2009 – 23:14 hs

    – Para que serve aquela infra-estrutura montada pela Polícia Militar do Paranã, na rua Imaculada Conceição (a uma quadra do tiroteio) ?
    – No início, o policiamento até era visível, mas nos últimos meses só se vê o predinho. Bem, com um bom ar-condicionado (pago pelo povo) ……

  3. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 3:29 hs

    Não se oreocupe não CWB, o Requião e o “Roberto Carlos” vão dizer que não houve nada disso, é tudo invensão dessa mídia canalha.

  4. THOR
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 8:50 hs

    A FALTA DE SEGURANÇA PÚBLICA É CADA DIA MAIOR!!!

    AS AUTORIDADES FICAM MAQUIANDO NÚMEROS, O CIDADÃO CONTINUA MORRENDO E SOFRENDO VIOLÊNCIAS, OS POLICIAIS CONTINUAM COM SALÁRIOS RIDÍCULOS, O GOVERNADOR CONTINUA VIAJANDO PARA BRASÍLIA ATRÁS DO EMPREGO DO IRMÃO MAIS NOVO E OS CRIMINOSOS CONTINUAM LIVRES!!!

    E O NOSSO SERCRETÁRIO DE SEGURANÇA ESTARIA PRESTANDO MELHOR SERVIÇO AO POVO PARANAENSE SE NÃO TIVESSE SAÍDO DO MP!!!

    ESTOU PRESTES A PARTILHAR DA CAMPANHA CONTRA ESTE GOVERNO, JÁ QUE ATÉ OS DEPUTADOS DO PMDB ESTÃO FAZENDO CAMPANHA PARA O BETO!!!

    VERGONHA NA CARA!!!

  5. Wilson
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 10:08 hs

    Tá tudo dominado ….

    Embora o governador e o secretário da Segurança neguem Curitiba está refém do crime organizado e somente a violência policial não é a resposta para os graves problemas sociais causados pela exclusão gerada pela falta de políticas públicas de médio e longo prazo que levem ao desenvolvimento político, econômico e social, e nisto o governo do sr. Lula é o princiupal responsável por não as ter e nos deixar a merce da voracidade do sistema financeiro internacional.

    O governo Requião enfraqueceu a Políca Civil e a função da Polícia Militar, que deveria ficar acantonada e ser usada somente para o controle de fortes distúrbios civis, foi disvirtuada e hoje ela embora não seja preparada para ter o caráter investigativo ocupou indevidamente o lugar dos policiais civis.

    A PM [Polícia Militar] deveria passar a ter a função que tinha antes da ditadura militar. Ela só era acionada em caso de distúrbio urbano, mas não para fazer o policiamento ostensivo. Não é para estar na cidade o tempo inteiro e ser a referência primeira de polícia que o cidadão tem.”

    A polícia se torna uma polícia de proximidade quando conversa com morador, se entende com ele e procura para saber quais os problemas de segurança na vizinhança, mas embora seja este o discurso para a mídia o Projeto povo não cumpre este papel e a RONE e similares armada até os dentes age.

    Os policiais militares não podem mais agir como agem no país inteiro, onde com se estivessem em uma guerra em um curso relâmpago de “preparo” recebem pouca formação humanista, mas aprendem a atirar para matar.

    Traficante mata e muito, eles não têm problemas em relação a isso, mas este tipo de comportamento não pode espelhar uma reação igual por parte da Polícia nas suas ações nas comunidades carentes, onde a maioria absoluta é composta por pessoas ordeiras e trabalhadoras e devem ser tratadas enquanto tal.

    O mês passado considerando o número de mortes causadas por ferimentos com arma de fogo foi o mês mais violento do ano em Curitiba e região metropolitana. Foram registrados 145 óbitos deste tipo. O índice mais alto de violência até então havia sido constatado em fevereiro, quando 135 mortes ocorreram.

    Onde estão as investigações que comprovam de quais armas sairam as “balas perdidas”?

  6. Wilson
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 10:20 hs

    Tá tudo dominado ….

    Embora o governador e o secretário da Segurança neguem Curitiba está refém do crime organizado e somente a violência policial não é a resposta para os graves problemas sociais causados pela exclusão gerada pela falta de políticas públicas de médio e longo prazo que levem ao desenvolvimento político, econômico e social, e nisto o governo do Sr. Lula é o principal responsável por não as ter e nos deixar a mercê da voracidade do sistema financeiro internacional.

    O governo Requião enfraqueceu a Polícia Civil e a função da Polícia Militar, que deveria ficar acantonada e ser usada somente para o controle de fortes distúrbios civis, foi desvirtuado e hoje ela embora não seja preparada para ter o caráter investigativo ocupou indevidamente o lugar dos policiais civis.

    A PM deveria passar a ter a função que tinha antes da ditadura militar. Ela só era acionada em caso de distúrbio urbano, mas não para fazer o policiamento ostensivo. Não é para estar na cidade o tempo inteiro e ser a referência primeira de polícia que o cidadão tem.

    A polícia se torna uma polícia de proximidade quando conversa com morador, se entende com ele e procura para saber quais os problemas de segurança na vizinhança, mas embora seja este o discurso para a mídia o Projeto povo não cumpre este papel e a RONE e similares armada até os dentes age.

    Os policiais militares não podem mais agir como agem no país inteiro, onde com se estivessem em uma guerra em um curso relâmpago de “preparo” recebem pouca formação humanista, mas aprendem a atirar para matar.

    Traficante mata e muito, eles não têm problemas em relação a isso, mas este tipo de comportamento não pode espelhar uma reação igual por parte da Polícia nas suas ações nas comunidades carentes, onde a maioria absoluta é composta por pessoas ordeiras e trabalhadoras e devem ser tratadas enquanto tal.

    O mês passado considerando o número de mortes causadas por ferimentos com arma de fogo foi o mês mais violento do ano em Curitiba e região metropolitana. Foram registrados 145 óbitos deste tipo. O índice mais alto de violência até então havia sido constatado em fevereiro, quando 135 mortes ocorreram.

    Onde estão às investigações que comprovam de quais armas saíram as “balas perdidas”?

  7. ofachineiro
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 11:54 hs

    O vestibular é uma merda!

    Tem que mandar bala mesmo!

    Esses Fransisquini, Delazari, também são umas merdas.

  8. fred
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 13:17 hs

    será que foi perto do centro para jovens, da biblioteca ou do centro cultural que tem por lá?

  9. segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 14:09 hs

    É uma pena que nossa cidade chegue a estes níveis de insegurança por pura incompetencia dos gestores em segurança pública.
    Hoje as policias Civil e Militar estão sem objetivos,sem plano de policiamento, sem comandos, com salários medíocres tal qual seu Secretário. Delazari é o principal culpado, pois, tirou dos Delegdos e dos Comandantes as autoridades para que pudessem dirigir a segurança pública.
    Viaturas quebradas, computadores velhos, delegacias desaparelhadas, fugas de preso, falta de efetivos, insatisfação nas policias…enfim é o retrato atual.

  10. Olhos Abertos
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 14:50 hs

    A concorrência é maior nas ruas…

  11. Rafael
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 14:57 hs

    Isso acontece todo final de semana. Agora, só porque foi na cara da “sociedade” curitibana os moralistas de plantão descem a lenha na segurança pública. Isso sim, é uma vergonha.

  12. silvano Andrade
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 15:24 hs

    Deixa os Trafica se matarem…

    E depois o poder público vem dizer que cidadão de bem não pode se armar…conversa fiada…cidadão de bem tem que se armar até os dentes…eu se pudesse comprava até uma bazooca…

    Bandido tem que morrer!!!

  13. homen bomba
    segunda-feira, 30 de novembro de 2009 – 18:45 hs

    Curitiba virou a capital-do-pé-de-chinelo
    só tem parazita…
    e eles vão te assaltar!

  14. Marcos
    terça-feira, 1 de dezembro de 2009 – 10:09 hs

    Tiro, facada, Assalto, etc…PODE! Mas se pegarem alguém fumando é detido, feito TC e a multa é de R$1.000,00……………………….VERGONHA..!!!… VERGONHA..!!!!..VERGONHA…!!!!…VERGONHA…NÃO VAMOS VOTAR EM NINGUÉM EM 2010, 2012,2014,20…….. e assim vai.!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*