Servidores da Celepar entram em greve | Fábio Campana

Servidores da Celepar entram em greve

Intro-InformaticaServidores da Companhia de Informática do Paraná (Celepar) entram em greve sem data para terminar, com um protesto na frente do prédio do órgão, no Centro Cívico, em Curitiba. A Celepar é responsável pelo desenvolvimento e manutenção de todos os sistemas de informática utilizados pelo governo estadual.

Os funcionários reivindicam melhorias no acordo coletivo de trabalho, aprovado recentemente, mas que está sendo desrespeitado pelos dirigentes da Celepar. Além disso, pedem melhorias de salários, auxílio educação e Plano de Cargos e Salários (PCS).

A Celepar garantiu que a população não será afetada pela greve, pois haverá um número mínimo de servidores trabalhando para que as atividades não sejam paralisadas.

O contingente de colaboradores que não irão paralisar as atividades ainda será negociado. O Sindicato dos Trabalhadores em Informática e Tecnologia da Informação do Paraná (Sindipd-PR) informou que pretende manter 10% dos 1100 servidores na ativa. Esse número corresponderia aos colaboradores com funções gratificadas (funcionários concursados de carreira que ocupam cargos de gerência, coordenação e supervisão). Já a empresa pede que cerca de 400 funcionários continuem trabalhando.


33 comentários

  1. Silvano Andrade
    quarta-feira, 4 de novembro de 2009 – 10:12 hs

    Celepar parada…Estado parado…

    Ou o governador valoriza os profissionais competentes, ou os profissionais competentes desvalorizam o governador…esta em tempo governador…não se deixe levar por afãs sindicalistas…porque estes não passam de chupa cabras…o negócio deles é fazer churrasco em churrasqueira de marmore e tomar johnny walker com o dinheiro dos trabalhadores…

  2. Marcelo
    quarta-feira, 4 de novembro de 2009 – 13:34 hs

    Sou funcionário da empresa e partidário do movimento de greve instaurado atualmente.

    Gostaria de ressaltar, que em NENHUM momento, os funcionários da Celepar decidiram pela greve em favor de aumento salarial, equiparação salarial, ou qualquer reajuste em qualquer item financeiro que diga respeito aos funcionários.

    A votação unânime que se deu em assembléia geral extraordinária, decidiu pela greve em função de SOMENTE um item: o descumprimento, por parte da empresa, do acordo coletivo de trabalho.

    A única reivindicação dos funcionários em greve é a de cumprimento à risca do que foi acordado no acordo coletivo de trabalho, firmado na última negociação com a empresa. Acordo este que vem sendo ignorado por parte da diretoria da Celepar.

    Certo de sua compreensão, subescrevo-me:

    Marcelo
    Curitiba, quatro de novembro de dois mil e nove.

  3. Vigilante do Portão
    quarta-feira, 4 de novembro de 2009 – 21:07 hs

    É o chamado “fim de feira” do governo Requião, greve na Celepar, greve na Polícia Civil.
    A demonstração inequívoca de que o governo acabou deu-se ontem com a “escolinha” quase vazia. Os Secretários estão tratando de arrumar uma boquinha no governo tampão do Pessutti ou vão tentar pular a cerca para o lado do Beto. Amanhã, caso perguntem os áulicos de hoje, vão negar que conhecem o Requião. KKK

  4. Com PT Osmar, não vai dar não.
    quarta-feira, 4 de novembro de 2009 – 21:39 hs

    A coisa tá feia, agora em greve, babal o setor de informática do Estado.

  5. Marlene
    quinta-feira, 5 de novembro de 2009 – 0:43 hs

    o descumprimento, por parte da empresa, do acordo coletivo de trabalho????

    ô Marcelo, acorda meu filho….. se não tá afim de trabalhar, pede demissão que muita gente queria estar no seu lugar…..

    e os xingamentos e agressões aos funcionários que tentam entram na empresa?

    Respeitem a decisão dos empregados que não querem aderir à greve!!!!!!

  6. Carlos-Curitiba
    quinta-feira, 5 de novembro de 2009 – 2:51 hs

    Pois sim senhor…usam essa porcaria de LINUX e outros software gratis!

    Agora tao querendo mais dinheiro no fim do mes!

  7. J lerner
    quinta-feira, 5 de novembro de 2009 – 8:34 hs

    Beto richa …. estamos te aguardando !!!!

  8. Rafaela
    quinta-feira, 5 de novembro de 2009 – 17:35 hs

    Para Carlos: Porcaria de Linux igual tua cara, não me venha com besteirinhas agora de que Windows é melhor que Linux que dá vontade de vomitar… Você só está acostumadinho com os joguinhos na tua casa, mas não se preocupe, Linux também tem joguinho… afff
    Cada uma viu?

  9. Marlene
    sexta-feira, 6 de novembro de 2009 – 7:05 hs

    Queria me desculpar com o Marcelo. Hoje realmente entendi que a Celepar está descumprindo o acordo coletivo, fiquei realmente chateada com o diretor Ariel que me chamou de desonesta com a empresa.

    Me perdoa Marcelo, ficarei em casa hoje para não atrapalhar vocês.

  10. A CELEPAR E NOSSA
    sábado, 7 de novembro de 2009 – 20:57 hs

    Olá a todos boa noite,

    Existem pessoas que deveriam ficar caladas, ao inves de explimirem sua opnião sobre fatos aos quais não entendem.
    Todos sabem que temos o Acordo Coletivo de trabalho e a CLT:

    O Acordo Coletivo de Trabalho é um ato jurídico celebrado entre uma entidade sindical laboral e uma empresa correspondente, no qual se estabelecem regras na relação trabalhista existente entre ambas as partes.

    Diferentemente da Convenção Coletiva de Trabalho, o Acordo Coletivo de Trabalho é restrito apenas a uma empresa e seus empregados, enquanto na primeira, as regras valem para toda a categoria abrangida pelos sindicatos de trabalhadores e sindicatos de empregadores.

    Olá dona Marcele, ainda bem que reconsiderou sua opnião, lembramos que não vivemos mais em uma ditadura, nem mesmo em uma monarquia, vivemos em uma democracia onde tanto os funcionários como a empresa tem deveres e obrigações. Tais deveres e obrigações a CELEPAR não está cumprindo. Devido a isso o descontentamento por parte de mais de 80% dos funcionários. O restante alguns a favor outros contra mais estão trabalhando:
    5% pucha-sacos
    15% coordenadores, gerentes e diretores.

  11. A CELEPAR E NOSSA
    sábado, 7 de novembro de 2009 – 21:05 hs

    Mais um comentário:

    Não sou a favor de uma plataforma ou outra seja qual S.O for, mas ao comentário do nosso colega ai em cima sobre o LINUX.

    Ele deve saber muito bem que a CELEPAR é uma empresa publica, devido a isso ela deve zelar pelo bem publico e seus gastos.
    Utilizando SO livres em mais de 90% de suas estações de trabalho a CELEPAR economiza muito para o governo paranaense, com essa economia todo esse dinheiro pode ser destinado a outros setores como educação, saúde, entre outros setores criticos de nossa sociedade. Não estamos falando aqui de alguns reais, e sim, de milhões em gastos publicos que estão sendo ecomizados.

    Sou funcionário da CELEPAR, não gostava muito do LINUX, adorava o WIN…, mas, trabalhando há algum tempo com a plataforma você se acostuma e vê as melhorias que ocorrem com o passar dos tempos.

    Lembrando o que sempre escuto, por algumas pessoas que são menos dotadas, VAI TRABALHAR VA…, em resposta:
    Trabalhos muito, e tenho orgulho do trabalho que fazemos, se você acha que não trabalhamos, faz um concurso, mas estuda viu, se não vai ser mais um que so sabe falar mal?

  12. Marina
    domingo, 8 de novembro de 2009 – 22:46 hs

    O nosso movimento grevista não é por dinheiro e sim por diginidade sou funcionária da Celepar a 06 anos e não temos um plano de carreira decente.
    O sindicato está de parabéns pois conseguiu fazer a empresa parar totalmente alguns colegas olharam e a empresa estava vazia.

  13. Marina
    segunda-feira, 9 de novembro de 2009 – 1:33 hs

    SILVANO BABACA

    NÃO FALE O QUE VOCÊ NÃO SABE.

  14. Ana Paula
    segunda-feira, 9 de novembro de 2009 – 1:44 hs

    Eu faço parte do movimento grevista, a nossa reivindicação é justa, não interessa se não é financeiro, mas, um homem deve cumprir com sua palavra e com que assina, sei que nossas reivindicações não alteram nem 500,00 na folha de pagamento, mesmo que fosse 1,00 deveríamos estar parados mesmo.
    Hoje é mínimo amanhã não sabemos.
    Gostei do Boneco do Ariel será que ele irá atender o pedido dos funcionários na FORA ARIEL…., na Celepar falou e não cumpriu dançou.
    Marina você foi na passeata que o sindicato fez, foi muito legal paramos em frente ao SERPRO, como não tinha muita gente aderindo a greve do SERPRO, ficamos gritando desçam pelegos foi muito engraçado.

  15. Fernanda
    segunda-feira, 9 de novembro de 2009 – 1:51 hs

    Paula, a passeata foi muito legal participei dela nos dois dias amanhã temos audiência, tomara que de tudo certo.
    E a nossa próxima greve é para FORA ARIEL, é triste alguns pelegos ficarem trabalhando com a empresa vazia sexta-feira eu olhei lá dentro estava vazia, dos 1.100 funcionários eu acho que 900 estão em greve o restante que ficaram são os FG e os pelegos.
    E que seja feita a nossa vontade:
    FOOOOOOOORA ARIEL, não respeita nós nem o sindicato tem que cair fora.

  16. Incompetente_Diretoria
    segunda-feira, 9 de novembro de 2009 – 8:42 hs

    Se esta empresa fosse um pouco mais séria,…., pago meus impostos pra pagar hora extra pra folgado, … pessoalzim adora trabalhar no sabado, desperdiçar salário com hora-extra…. nao estão satisfeitos…. passa no 3. andar e pede a conta!!!!! Procura um emprego!

  17. Adriano
    segunda-feira, 9 de novembro de 2009 – 11:42 hs

    Com relação ao comentario do Silvano para valoriazarcompetencia é necessario ser competente.Vejo desenas de casos que os funcionarios empurrão com a barriga e as reclamacoes de clientes da empresa são inumeras.
    Acho que com relação a greve alguns argumentos saõ justo porem o que muitos estão lutando com relaçao a seus direitos outro estão usando de má fé. Pois não acredito que brincadeiras de mau gosto como andar com caixão no patio resolveria isso esvaziar pneus de veiculos bicicletas isso nao ajudaria em nada na greve. Acho tambem que quem trabalha e não faz parte da greve tem todo o direito de ter sua opinião e nao participar da mesma só porque os outro querem. cada um tem seu ponto de vista e tem que ser respeitado como tal. Ate porque se estamos tão capacitado para o cargo e para fazer parte da greve não devemos impor nossas opiniões. Devemos nos dar ao respeito para que quem realmente nos interesse aceito o que estamos reveendicando. 5% de funcionarios não fariam diferença nenhuma. e por falar em puxar saco aqui fora jácontei mais de 20 puxa saco que quando voltarem estarão la na foto bem pindurado.

  18. Funcionário
    terça-feira, 10 de novembro de 2009 – 10:29 hs

    Vocês ouviram o Requião falando hoje cedo sobre pedir demissão dos grevistas? ele pode fazer isto?

    Sou totalmente a favor da greve, mas este tipo de coisa gera dúvidas e eu não posso perder meu emprego agora. Se alguém puder me esclarecer isto.

  19. Dante
    terça-feira, 10 de novembro de 2009 – 10:46 hs

    Não tem questões de português no concurso da Celepar?

  20. Sergio
    terça-feira, 10 de novembro de 2009 – 11:10 hs

    Enquanto isso estou com meu carro parado na globo renault por culpa de vocês – a globo so libera meu carro quando o consorcio paga-la, mas o consorcio nao pode liberar enquanto a documentacao do detran constando que o carro esta em meu nome nao é liberada, agradeço mesmo, mas uma vez o povo é quem fica prejudicado, vocês fazem greve por que acham que são injustiçados, injustiça é parar o estado e todos os trabalhadores que dependem de suas funções, estão insastifeitos deixem o cargo para outros.

  21. Ao Sérgio
    terça-feira, 10 de novembro de 2009 – 11:17 hs

    Então Sérgio está insatisfeito com a reinvidicação dos nossos direitos? deixe o seu carro para outro….

  22. Marlene
    terça-feira, 10 de novembro de 2009 – 11:20 hs

    Puxa-sacos????
    é isso o que voces acham dos seus colegas de trabalho que respeitam as suas decisões de estarem na greve e ainda mesmo sendo xingados e agredidos por vocês??!!!
    Essa greve é pura politicagem….
    Se não estão contentes, procurem outro emprego que tem gente querendo trabalhar ganhando o que voces ganham, bando de incompetentes!!!

    A verdade é que nem nós que estamos tentando trabalhar e nem voces que participam da greve são culpados. O sindicato juntamente com a diretoria são os verdadeiros culpados por essa briga entre “irmãos”(todos nós), pois se houvesse transparencia pelo lado dos dois (cada um tem uma versão dos acontecimentos) todos nós estaríamos sabendo do que realmente estava acontecendo nas conversas entre eles. Ou seja, nós temos a versão da diretoria e voces do sindicato, que está falando a verdade????

    Por que não expõe juntos a verdade nua e crua quando tem assembléias?????

    OBS: A CELEPAR NÃO É NOSSA E SIM DO GOVERNO DO ESTADO, NA PRÓXIMA ELEIÇÃO DEPENDENDO DO NOVO GOVERNADOR, PODEMOS PERDER A “NOSSA CELEPAR” POR PRIVATIZAÇÕES!!!!! então pensem bem antes de fazer grevinhas sem motivo …..

  23. Diego
    terça-feira, 10 de novembro de 2009 – 11:49 hs

    Orra Marlene, você é tão equivocada quanto a pessoa que chamou quem entra pra trabalhar de puxa-saco. Como você diz, existem duas versões da história e isto confunde todo mundo. Mas ficar de xingamentos entre nós funcionários não vai adiantar de nada (estou me referindo a chamar de “incompetentes”).

    Ralo pra caralho pra tentar deixar tudo em dia naquela empresa, dou meu sangue, literalmente, cansei de cortar a mão naquele lugar, e você generaliza chamando de incompetente? Já dei assistência técnica para quem deveria NOS DAR ASSISTÊNCIA TÉCNICA, se isso é incompetência então não sei o que é competência.

    Se você tem uma revolta contra o sindicato tudo bem, se você tem uma visão interna tudo bem também, o que não se deve NUNCA fazer é ficar neste papo de, “tá insatisfeito? vai embora…” que lembra muito a ditadura no maior estilo “Brasil ame-o ou deixe-o” .

    Claro que tem politicagem e tudo mais e pelo visto nenhum lado vai dar o braço a torcer. Mas existe coisa errada SIM e é preciso esmiuçar cada pedacinho daquela empresa para resolvermos estes problemas.

    Quanto a grevinha sem motivo com “faltas de verdades nuas e cruas” nas assembléias. Tanto a empresa quanto o sindicato estão nos enviando as atas das reuniões, pare e leia, se concorda em perder direitos acordados em ACT tudo bem é um direito seu, mas não queira culpar seus colegas por não quererem perder os seu direitos.

    No final, acredito que devemos seguir pelo caminho do que seja justo e nada mais.

  24. Adriano
    terça-feira, 10 de novembro de 2009 – 14:21 hs

    Caros colegas, por incrivel que pareça, o governador pode sim agora ele faz quizer e fim de mandato o pepino sera para o proximo governo que se vire com processo e tudo mais o que vier, ai se privativa de vez e nossa greve que foi tão bem elaborada leva uma rasteira linda pela falta de conhecimento de nossos direitos.

  25. marcia
    quarta-feira, 11 de novembro de 2009 – 13:32 hs

    é absurdo continuarem com esta greve ja q ganham melhor q muitos professores..

  26. Ronaaaldo !
    quinta-feira, 12 de novembro de 2009 – 16:03 hs

    Este Requião é um loki ! Ele que esperimente mandar todo mundo embora, daqui a 2 anos todo mundo volta com os salários atrasados pagos com juros e correção monetária !
    Ou vocês acham que Requião ou Ariel tem poder para não obedecer decisões do Ministério Publico e da Justiça do Trabalho.
    ELES QUE TENTEM ! DITADOREZINHOS CAUDILHOS DE 5a. CATEGORIA !
    Esta empresa está cheia de paraquedistas que foram aqui colocados e temos que engulir e ficar quietos. Acessores de diretoria ganhando 10 mil reais que nunca apareceram na empresa.
    ISTO TEM QUE ACABAR !
    NÂO ABAIXE A CABEÇA PRA ESTES PARAQUEDISTAS.
    Enquanto quem não tem FG tem que ficar ralando aqui na “senzala” lá na “Casa Grande” a diretoria e seus prepostos bebem champanhe, e compram carrões zeros ‘a custa de nosso trabalho !
    FORA ARIEL ! A CELEPAR NÃO É SUA, É DO POVO PARANAENSE !

  27. Ronaaaldo !
    sexta-feira, 13 de novembro de 2009 – 10:34 hs

    É bom que a comunidade saiba que nesta empresa o diretor e seus prepostos de diretoria, gerências e chefias tem o estranho hábito de pregar a moral “de cuecas” … pois além de não cumprirem ACT esquecem que ao mesmo tempo em que falam em moralizar a empresa, fecham os olhos para as “FGs internas” e o rodízio de cargos feito ao tipo “ação entre amigos”.
    SÃO TODOS HIPÓCRITAS ! São exatamente como aquele moralista que sentado ‘a beira da piscina no bordéu, vestindo apenas um roupão e bebendo seu black label, reclama do tamanho do vestido da menina da UniTaliBan.

  28. Daniel
    terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 9:48 hs

    Independente dos motivos da greve, e acredito que realmente os tenham, nada justifica punir o povo.
    Isso só reforça a minha idéia de que grevistas não durariam um mês na iniciativa privada, pois, se não tivessem estabilidade pensariam duas vezes antes de arriscar o emprego!
    Vergonha do governo pela desvalorização de nossos funcionários e vergonha dos servidores pela falta de respeito e egoísmo que geram a greve!

  29. terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 15:59 hs

    Duvido que os pobres coitados da Celepar consigam alguma coisa com greve durante um Governo Requião. Mas não custa nada tentar. E por isso que a Secretaria da Fazenda do Paraná não tem nada quando comparada com São Paulo e Rio Grande do Sul. São Paulo ganhou 2 bilhões com a fiscalização informatizada do varejo, ja de olho no IVA que vem ai, inexoravelmente. Distribuiu 1 bilhão em prêmios descontos de imposto. Lucro = 1 Bilhão. Paraná ganhou zero, não fiscaliza o varejo por falta de recursos e cérebros no governo. Só os supermercados ganharam. Quem paga ? o pobre que paga 29% de ICMS na conta de luz…. Ainda bem que está acabando esse governinho…

  30. Ronaaaldo !
    terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 16:17 hs

    Daniel, é melhor você rever sua teoria. Só pra constar: há 19 anos que não havia uma greve na Celepar, e esta não foi causada por aumento salarial, apenas para exigir por parte da empresa o cumprimento do que foi acordado e assinado no ACT.

    http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=945238&tit=Metalurgicos-da-Bosch-iniciam-greve-por-tempo-indeterminado

    Pelo que vemos, a Bosch, que é uma empresa privada, teve inúmeras greves nos últimos 20 anos.

  31. cristina peruzzaro
    quarta-feira, 18 de novembro de 2009 – 9:05 hs

    Chega de ficarem trocando elogios, coisa feia, eu quero trabalhar meu serviço esta todo atrasado, ta chegando fim de ano e daí como que ficamos, como alguns que vestem a camisa, eu tambem trabalho bastante e com competencia, desejo que vcs consigam resolver tudo da melhor maneira possível, mas sem prejudicar quem quer trabalhar. OK!!!!!!! BOA SORTE.

  32. Daniel
    sábado, 21 de novembro de 2009 – 9:20 hs

    Caro Ronaldo,

    Quer dizer que quando passa de 19 anos fazer greve não é mais falta de respeito e egoísmo???
    Servidores públicos como você não entendem que NADA justifica a greve!
    Quanto a greve na Bosch (também não justifica e não concordo) mas entenda que por ser uma empresa privada quem sai prejudicado é a própria Bosch. Vocês prestam serviço ao povo. Esse mesmo povo que sai prejudicado e paga o salário e vocês. É exatamente ai que está a vergonha e a diferença!
    GREVE É UMA VERGONHA E TRATA-SE DE UMA ATITUDE EGOÍSTA ONDE SE PREJUDICA O POVO EM BENEFÍCIO E CAUSA PRÓPRIA!!!!!!!!!!
    Entenda que não digo para não brigarem pelos seus direitos. Só penso que a greve não é a forma correta.

  33. Ronaaaldo !
    terça-feira, 24 de novembro de 2009 – 10:50 hs

    Técnicamente não somos servidores públicos pois somos todos CLTistas e passíveis de sermos mandados embora, pois não temos estabilidade.
    Concordo com você, nunca gostei de greve, acho uma atitude babaca mas nesta situação não havia mais o que fazer. Quem não entende o que estavamos dizendo é a atual diretoria, faz um ano que estamos tentando na base da conversa, eles não responderam 22 ofícios do sindicato.
    Parece que gente imbecíl só entende as coisas na base da porrada.
    E foi mais ou menos o que aconteceu. Não pedimos salário, pedimos para que parassem de açoitar os funcionários em seus direitos. Você não chega numa casa alheia chutando a porta e ditando regras unilaterais, descumprindo antigos acordos. Desde 1988 (depois da tal Constituição Cidadâ) não é assim que funciona.
    E mais, a lei de greve 7783 de 28 de junho de 1989 foi cumprida a risca pelos grevistas e sindicato, com pessoal destinado a trabalhar como contingência para não parar o serviço. Tanto é que o Ministério Público do trabalho intimou a diretoria a remover as novas regras que haviam sido impostas unilateralmente.
    Direitos são direitos, a gente não é acostumado a lutar por eles mas tem hora que não dá mais, as medidas baixadas por estes diretores caudilhos estavam prejudicando famílias de funcionários e foi por isto que houve adesão de 900 funcionários. Gente com 32 anos de trabalho na empresa simplesmente parou porque não viu outra solução.
    Sou contra a greve mas não havia mais o que ser feito. Infelizmente como já disse antes, gente ignorante só entende os direitos alheios na base da porrada, não se abre ao diálogo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*