Oposição vê Dilma crescer e pressiona Serra a sair candidato | Fábio Campana

Oposição vê Dilma crescer e pressiona Serra a sair candidato

guerra_maia_dida_sampaio_AE_24112008

Avaliação de DEM e PSDB é de que Dilma continuará crescendo com lançamento do programa partidário do PT

O DEM, o PSDB e o PPS vão usar as pesquisas de intenção de voto para constranger o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e pressioná-lo a definir sua pré-candidatura ao Planalto o mais cedo possível.

Nesta terça-feira, 24, em almoço em que as cúpulas dos três partidos dividiram a mesa, o senador Sérgio Guerra (PE), que comanda os tucanos, e o deputado Rodrigo Maia (RJ), que preside o DEM, previram um Serra em queda contínua contra a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) em ascensão constante.

“É melhor assumir logo isto”, aconselhou Maia, diante da observação geral de que a pré-candidata petista crescerá ainda mais com a exposição que terá no programa partidário do PT em cadeia nacional de rádio e televisão, marcado para o dia 10 de dezembro. “Não é fácil manter candidatos que não se lançam (Serra e Aécio), não fazem propaganda e respeitam a lei”, disse Guerra.

Embora ninguém tenha descartado o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, como alternativa da oposição na corrida presidencial, o alvo das cobranças é Serra porque ele é quem mais resiste a assumir logo a condição de pré-candidato e por liderar as pesquisas. O almoço entre os dois chefes da oposição aconteceu um dia depois da pesquisa CNT-Sensus mostrar que Dilma, com 21,7% das intenções de voto, está a apenas 10 pontos porcentuais de Serra, que tem hoje 31,8% do eleitorado. Nesse cenário, além de Serra e Dilma, o Sensus incluiu como pré-candidatos os nomes de Ciro Gomes (PSB) e Marina Silva (PV).

Essas porcentagens alarmaram o comando da oposição porque em fevereiro passado o Planalto traçou como meta para a ministra Dilma encerrar o ano com um cacife “entre 15% e 20%” de intenções de voto. Um mês e meio antes de 2009 chegar ao fim, a pré-candidata oficial já atingiu o objetivo estipulado pelo governo. Em fevereiro, Dilma tinha, também na pesquisa CNT-Sensus, 13,5% das intenções de voto, contra 42,8% de José Serra.

O Estado mostrou em reportagem publicada no início do ano como é que o governo montou o roteiro para atingir essa porcentagem de intenção de votos: Dilma deveria trocar o figurino de “gestora” da Esplanada dos Ministérios por uma agenda de muitas viagens e aparições públicas ao lado do presidente Lula. Foi o que ocorreu. Saíram os “despachos internos” para coordenar os colegas de ministério e entraram os palanques armados em obras – muitas delas, apenas pedras fundamentais ou – que renderam milhares de fotos e discursos em que o presidente apresenta Dilma como sua candidata.

Dilma sem Lula

“É claro que uma candidata (Dilma) lançada por Lula, que faz propaganda com dinheiro público, tende a crescer”, disse Guerra. “A melhor coisa a fazer, quando o governo está forte e usando a máquina para inflar sua candidata, é antecipar o movimento das pesquisas”, emendou Rodrigo Maia. Ele prevê tempos difíceis até para fiscalizar a movimentação da pré-candidata petista até abril, quando Dilma deixará o governo para assumir a candidatura. “Aí o jogo muda. Ela terá que sair do colo do Lula e andar com suas próprias pernas”, conclui Maia.

Os presidentes e os líderes da oposição na Câmara e no Senado que participaram do almoço tiveram a cautela de não manifestar preferências, até porque a avaliação geral foi de que o clima entre Serra e Aécio “azedou” nos últimos dias, por conta da intensa movimentação do governador mineiro. “Como é casamento de interesse, temos de esperar que a noiva suba ao altar e quem vai levá-la é o PSDB”, disse o senador Heráclito Fortes (DEM-PI). O que angustia todos, sem distinção, é o prazo. Neste quesito, a frase mais ouvida nos bastidores do DEM, do PSDB e do PPS é que “segurar até março é impraticável”.

O lançamento do candidato na corrida sucessória não é a única preocupação da oposição. Eles também mostraram apreensão com a escolha de João Vaccari Neto para o cargo de tesoureiro nacional do PT em 2010 e previram campanhas muito caras nos Estados, por conta da “gastança” do governo federal. “O PT nomeou um tesoureiro ambicioso”, avaliou Sérgio Guerra.


14 comentários

  1. dalton lu8iz gonçalves
    terça-feira, 24 de novembro de 2009 – 23:22 hs

    Senador Sergio Guerra é desonesto intelectualmente ou cretino quando afirma que Serra e Aecio não estão fazendo campanha.
    A Sabesp vem fazendo campnaha a nivel nacional, mostrando suas obras até no Acre. Obras esssas construidas no Governo Geraldo . Serra engana os brasileiros , mas não engana o contribuinte paulista. Com relação ao Aecio até na Revista Vogue tem propaganda do Governo de Minas.

  2. Moisés
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 4:45 hs

    A oposição TUCANOS/DEMOS/PPS

  3. Moisés
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 4:56 hs

    A oposição TUCANOS/DEMOS…/PPS, esta com seu principal candidato em queda e pior não consegue ter um discurso contra um governo com mais de 70% de avaliação popular. O partidos da base vão permanecer unidos a nivel nacional e a tendencia é q em muitos estados esta aliança se repita com alguns rachas.
    No Paraná o Prefeito de Curitiba vai ter q colocar as barbas d molho porque pelo andar da carruagem o Senador Osmar em aliança com o PT e outros partidos vai pegar a onda Dilma e ganha a eleição.
    Talvez pela primeira vez na vida o ¨ENGº RICHA¨ vai ter q trabalhar para viver fora do poder. Aliás talvez nem precise mais porque já deve ter feito o seu pé de meia.

  4. Renata
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 7:40 hs

    Apoiados!! O Serra que assuma logo e nos de um pouco de esperança no amanhã!!

    Não dá para acreditar que a dupla lula-dilma junto com a petezada acham que este subdesenvolvimento está ótimo… Não da para este País continuar nesta estagnação!!!!

    De um País com o potencial que tem esse daqui eu quero mais, muito mais!!!

  5. MUTUKA
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 8:06 hs

    Fábio

    É a tendencia Natural.
    Quem começa lá em baixo, tende a subir.
    E a Dilma irá ultrapassar esse tal serra muito antes do que imaginamos.
    Isso só não acontecerá com Pessutão. E por pura falta de apoio do Bob Req.

  6. Der Spieel
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 9:02 hs

    http://noticias.uol.com.br/midiaglobal/derspiegel/2009/11/25/ult2682u1397.jhtm

    Pobre tucanos, tão longe de Lula e tão próximos de FHC.

  7. Wilson
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 10:13 hs

    Por vários fatores (Sérgio Cabral, Lindberg Farias e Anthony Garotinho, etc.) o PSDB nunca esteve bem estruturado no Rio e lá quem sempre têm a obrigação de abrir os espaços para a aliança é o DEM (César Maia) e este não cumprindo bem as “lições de casa” tenta passar o “abacaxi”, que é dele, para o Serra.

    A pressa do Maia, que é o Lupion de lá, tem relação com a sua campanha, já que enfraquecido por não ter feito o seu sucessor na Prefeitura necessita de uma “locomotiva para puxar o seu vagãozinho”, pois se mantida a decisão do deputado Fernando Gabeira (PV) de disputar o cargo de senador o ex-prefeito César Maia vê reduzida a sua chance de se eleger ao Senado.

    Como forma de pressão o presidente do DEM e filho de César Maia, Rodrigo, para confundir o meio de campo e chantagear o favorito Serra se manifesta a favor da candidatura Aécio Neves.

    Está atitude do DEM no Rio, tal qual a do Lupion aqui, cheira a puro oportunismo fisiológico!

  8. Tiago
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 10:42 hs

    O Serra já foi lançado candidato pelo povo! Ele não vai declinar do convite dos eleitores!

  9. Tiago
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 10:47 hs

    Quanto ao caso do Vacari, o do chega-pra-lá no Lula pode bem mais, é uma questão de alianças estratégicas…

    O chega-pra-lá de Obama
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009
    Reinaldo Azevedo

    Numa carta enviada a Lula — um fax que é, na verdade, coisa da diplomacia —, o presidente dos EUA, Barack Obama, explicou o que pensam os EUA sobre Honduras, Rodada Doha, visita de Ahmadinejad e a conferência do clima de Copenhague. Grande deferência? Dada a reação de Marco Aurélio Garcia (acima), a coisa foi mais um “chega-pra-lá”… E não para que o Brasil seja menor do que é, mas para que tenha consciência do tamanho que tem.

    De todas as questões, a que mais irritou Lula foi mesmo Honduras. Washington já decidiu que vai reconhecer as eleições do dia 29 próximo, se transcorridas dentro da normalidade, e o governo que sair das urnas. Como dissemos aqui tantas vezes, a pequenina Honduras deu um olé no chavismo — mas a luta não acabou! — e resistiu a uma pressão internacional como raramente se viu, coisa espantosa, dado o tamanho do país. Micheletti 10 x 0 Combinado do Resto do Mundo…

    E o que fazer agora com o nosso hóspede em Tegucigalpa, Manuel Zelaya? Perguntem a Celso Amorim! A bobagem feita em Honduras não é a mais importante protagonizada pelo Megalonanico. Mas é a mais visível, a mais circense. Pois é, caros leitores deste blog: nós bem que avisamos…

    E os bolivarianos e sandinistas deram uma grande ajuda. O humor de Washington mudou definitivamente quando o orelhudo Daniel Ortega fez a “sua” Suprema Corte suprimir — apenas isso… — o trecho da Constituição que o impedia de se candidatar de novo. Até a tonta da Hillary Clinton percebeu o que estava em curso. E louve-se, claro, a resistência republicana no Senado nos EUA.

    Pois é, Amorim! Sobrou com o Zelaya na mão…

  10. PAULO
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 11:05 hs

    NÃO ACHEI QUE FOSSE VIVER P/ VER O PPS LAMBENDO OS PÉS DO PSDB E PFL….
    TRISTE CENA!
    REALMENTE, EM POLÍTICA TUDO PODE ENQUANTO AS MOEDAS SOAREM NA MESA!!!

  11. V.Lemainski-Cascavel
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 12:14 hs

    No governo Lulla, a saúde melhorou!!! Melhorou mesmo?…
    No governo Lulla, a segurança melhorou!! Melhorou mesmo?..
    No governo Lulla, não haverá apagão!… Será mesmo?..
    Papo, até peru tem, se bem que menor que muitos governistas.
    O que se deve discutir é quem é mais competente, quem fez e faz mais, quem não engana, quem não mente… E nisso o José Serra se destaca.

  12. salete cesconeto de arruda
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 12:19 hs

    Eu já disse:
    DILMA VAI LEVAR E LULA VAI FICAR NA HISTÓRIA POR TER SIDO O PRIMEIRO PRESIDENTE A TER HUMILDADE E CORAGEM DE LANÇAR UM MULHER PARA PRESIDENTE.
    Está consumado!
    É só esperar!
    Até vou registrar em cartório para que ninguém diga que não avisei.
    E o pior para alguns tucanos é que se a ONDE MULHER PEGAR – o Paraná tem ótimas opções.
    E quem não gosta de MULHER?!
    Todos tiveram mães – nasceram de uma mulher – não é verdade?!
    Pois é,

  13. BARNEYBÉ
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 12:49 hs

    POBRE SERRA PERTO DE FHC LONGE DO POVO , ALIÁS A TAL ALIANÇA DA OPOSIÇÃO ( TUCANOS+ DEM = ARENA+PPS =EX PCB STALINISTA )
    QUE COISA ?

  14. ildo baldo
    quarta-feira, 25 de novembro de 2009 – 14:25 hs

    O PROBLEMA É QUE O SERRA SABE QUE QUE O SUPER FATURAMENTO A PRIVATISAÇÂO DA NOSSA CAIXA E AS QUEDAS DOS VIADUTOS VAI PESAR MUITO NA CAMPANHA E AI O SERRA SÓ CAIIIIIIIIIIIIIII E A DILMA SÓ SOBE POIS O PAC VAI BEM OBRIGADO E A DILMA NÂO TEM QUE ESCONDER O MENSALÂO POIS O LULA MANDOU INVESTIGAR JÁ O PSDB TEM O AZEREDO QUE NINGUEM FALA COMO O PSDB DESCOBRIU O MARCOS VALERIO PARA OPERAR ESSE DESVIU QUE PRESISOU DE AVIÂO PARA CAREGAR O DINHEIRO NÂO COUBE NA CUECA NEM O BETO RICHA QUE NÂO QUE FAZER LICITAÇÔES DOS RSDARES COM OS MINERINHOS [PORQUE SERA ?] E AI FICA DIFICIL DE O SERRA ANUNCIAR A CANDIDATURA

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*