Lupion diz que Minc é bebedor de chopp e não entende de agricultura | Fábio Campana

Lupion diz que Minc é bebedor de chopp e não entende de agricultura

lupion

Agora, no Empreendedor Rural, em Pinhais, o ministro Carlos Minc e a decisão do governo federal de mudar os índices de produtividade para fins de desapropriação de terras foram alvo de críticas pesadas. Beto Richa disse que a proposta de mudança dos índices de produtividade atende aos interesses do MST.

Abelardo Lupion disse que Minc é um tomador de chopp de Copacabana que não entende de agricultura.


17 comentários

  1. LEAD
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 11:51 hs

    Eu também tomo chope e entende de agricultura. Sei quer a agricultura é o maior poluidor do planeta. Só no Brasil, a agricultura despeja 4 kg de i.a. de pesticida por ano por habitante.
    E não querem pagar o custo ambiental da atividade, mantendo pelo menos 20% da área como reserva legal para a biodiversidade do planeta!!!

  2. Rafael Filippin
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 12:16 hs

    Pergunta ao prefeito (que eu não sabia que tinha um vasto conhecimento em agricultura): e não corrigir os índices de produtividade congelados há anos (quando todos os demais índices, inclusive inflação, aumentam) atende a que interesses? É comprensível o flerte político com os ruralistas às portas da eleição. Mas aderir acriticamente ao modelo da revolução verde, que a UDR totalitariamente propugna ser a única forma de produzir no campo é demais para qualquer ser humano inteligente. Aliás, essa postura não combina com a imagem do prefeito que criou um mercado de produtos orgânicos na capital (que não são produzidos conforme o modelo da revolução verde)…

  3. Gustavo
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 13:36 hs

    Boa Abelardo..
    Saldações Platinenses, Pinhalenses e Tavorenses

  4. Lucas
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 13:47 hs

    Lupion, Richa, ê caterva

  5. ofaxineiro
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 15:09 hs

    Eu não sei se o MInc bebe chopp, mas participa de passeata pela liberação da maconha, a televisão mostrou….

  6. PAULO SÉRGIO MOREIRA
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 15:29 hs

    Campana,
    Em agosto de 2002, assistíamos o Jornal Hoje. Quando o jornalista anunciou o preço do dólar a R$ 3,132 o Béca-Abelardo Lupion, deu um murro na mesa lá em Jataizinho.
    Qual o motivo, hein ?!?!?!?!?!?!?!?

  7. sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 15:48 hs

    Epa Epa GUSTAVO!!!!

    O que que o LUPION fez pelos Tavorenses????? Pode me dizer?

    É o fim da picado mesmo…..

  8. Tiozão
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 15:58 hs

    Unica plantação que o Minc entende é de cevada e maconha .

  9. marcondes
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 16:26 hs

    Lupion manda parar a agricultura por uma safra,para ver a gritaria por falta de alimentos.quero ver o que vão por nas cestas basicas dos pobres.

  10. Gustavo
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 16:58 hs

    Não é por que ele fez pelas cidades, mas sim pela respost ao Minc.
    Quanto a isso acho que nada se questiona

  11. Gustavo
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 17:49 hs

    Boa Marcondes è isso mesmo,

  12. FILET MIGNON
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 18:16 hs

    Minha resposta é para o LEAD.
    Polui mesmo… Polui bastante…
    Porém gera renda, dá emprego, alimenta…
    O bom mesmo não o LEAD seria tirar a terra dos agricultores e entregá-las aos SEM TERRA, aí sim, ficaria bom. Ficaríamos sem renda, sem produção, sem alimentos…
    Porque de agricultura entendem o pessoal do MST, principalmente de laranjais, de tratores, de gado, haja visto os descalabros que cometem no campo em nome da reforma agrária… De produção de grãos não entendem nadica de nada… De pecuária, só entendem de carne dos bois que matam nas invasões para a churrascada dos baderneiros, alcunhados de SEM TERRA.

  13. rock
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 18:57 hs

    Marcondes, fique frio que isso não acontece Agricultura é um negócio igual aos demais, ninguém é obrigado a plantar, se o fazem é porque sabem que da lucro e além de tudo tem emprestimos quase a zero diferente de outras atividades que os juros são bem mais, tente ser comerciante e industrial que tu vai entender, agora temos que parar com esse papo besta que é o agricultor que coloca comida no prato da população, se ele coloca é porque ganha para isso não faz por caridade. Temos sim que respeitar os 20 % de reserva legal , como proteger nascentes, riachos e banhados, ooisa que a gente repara muito bem que alguns agricultores na ganância ignoram por completo, se ninguém cobrar juizo deles logo irão querer plantar em quadro urbano para aproveitar toda a terra agricultavel.

  14. Mari
    sexta-feira, 27 de novembro de 2009 – 19:52 hs

    Sonho com o dia em que agricultores, organizados, e sem dívidas – sim, porque é a dívida que obriga o agricultor a continuar, todo ano, plantando- e sob a orientação de forte liderança, façam um apagão alimentar nesse país. E aí vamos ver quem de fato tem valor nesse país. Quem polui de fato o mundo Sr. LEAD são os 7,2 bilhões de habitantes que peidam, cagam e mijam no planeta, e queimam gasolina e produzem lixo doméstico`aos milhões de toneladas todos os dias, sem que nem metade dessa população possui rede coletora de esgoto e nem 40% o tratam. Esses sim são os poluidores, inclusive você. O mundo tem muito mais, um problema sanitário, do que de meio ambiente.

  15. Reinoldo Hey
    sábado, 28 de novembro de 2009 – 8:48 hs

    Esse Abelardo não é o Barbosa, aquele do abacaxi né?

    Ah, claro que não, aquele se contentava com” Chacrinha”. Esse é latifundiário!

  16. FILET MIGNON
    sábado, 28 de novembro de 2009 – 17:04 hs

    ESTA É PARA O ROCK..
    Sensato seu comentário… Sensato e profundo!
    “”Temos sim que respeitar os 20 % de reserva legal , como proteger nascentes, riachos e banhados, ooisa que a gente repara muito bem que alguns agricultores na ganância ignoram por completo, se ninguém cobrar juizo deles logo irão querer plantar em quadro urbano para aproveitar toda a terra agricultavel.””
    Isto aí o OSMAR DIAS quando Secretário de Agricultura do Paraná colocou em evidência, inclusive, institui no Paraná o maior e melhor programa de CONSERVAÇÃO DO SOLO, “micro-bacias”, COMO VÊEM, JÁ HÁ MUITO TEMPO SE FALA NISTO, PORÉM, ONDE ESTÁ A FISCALIZAÇÃO? A PERMISSIVIDADE ÉSTÁ NA FISCALIZAÇÃO… Quase não vemos mais as instituições estatais pregando no campo sobre conservação do solo, preservação ambiental, preservação dos manaciais, respeitar a margem dos rios…. Isto foi passado…
    Mas um dia, se DEUS QUISER, mais propriamente no ano que vem, estaremos retomando a RESPONSABILIDADE COM AS COISAS DE OBRIGAÇÃO DO GOVERNO…
    E, daqui há dois anos, já haveremos nos esquecido dos 08 anos deste DESGOVERNO DO INSANO, DESPOTA, NEPOTISTA, IMPROBO, PECULATÁRIO, DEMAGOGO, MENTIROSO E FUNESTO REIQUIÃO!!!!

  17. LMG
    domingo, 29 de novembro de 2009 – 15:29 hs

    me desculpe LEAD, mas a populacao da cidade polui muito mais o planeta do que o agricultor. O Agricultor sabe preservar sim, e ja o faz mas acaba sendo punido como bandido e toda que vez que mechem no codigo florestal ou nesses tais indices de producao ele acaba sendo taxado de criminoso, sendo que muito do que cidades sao hoje e devido a agricultura. e quem estava no evento do expotrade como eu estive e como produtor que sou sabe dos trabalhos que estao sendo feitos pelo meio ambiente e agricultura.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*