Energia elétrica brasileira custa o dobro da dos EUA | Fábio Campana

Energia elétrica brasileira custa o dobro da dos EUA

Blog de Ricardo Noblat no O Globo

Além de insegura – como comprovou o blecaute de terça-feira -, a energia elétrica no Brasil é cara. Tão cara que supera o preço dos Estados Unidos. É o que mostra matéria de Henrique Gomes Batista e Liana Melo, publicada neste domingo no GLOBO. Enquanto aqui o custo do megawatt hora (MWh) foi de US$ 138 em 2007, as empresas americanas pagaram naquele ano US$ 64 por MWh. De lá para cá, a situação não melhorou nada.

Em uma década, a energia paga pelas indústrias brasileiras subiu 247,39% contra uma inflação acumulada, de 1999 até setembro último, de 93,74% medida pelo IPCA, do IBGE. Nas residências, o aumento, no mesmo período, foi de 113,94%.

O pior é que a energia tende a ficar ainda mais cara, porque pouco mais de 80% da energia nova que está prevista para entrar no sistema vêm das térmicas, que custam até seis vezes mais que a das hidrelétricas, além de poluir mais.


7 comentários

  1. CLOVIS PENA -
    domingo, 15 de novembro de 2009 – 10:46 hs

    Com estes dados, é muita coragem do PT querer debater o assunto com Serra.
    ——————————————————–
    Temos tribunais de justiça.
    Temos constituição e leis.
    Mas, se isto não resolve, como coibir campanha eleitoral com donativos públicos – as tais bolsas de celulares e o dispendioso e abusivo nepotismo “hermano” ?
    ——————————————————–
    Existe uma “vista grossa” para os abusos que seriam de fácil solução. Em um País sério.
    ——————————————————–
    Primeiro faltou energia. Em seguida, vergonha na cara.

  2. Vigilante do Portão
    domingo, 15 de novembro de 2009 – 12:54 hs

    Claro, lá nos EUA os funcionários ganham bem menos do que no Brasil, kkk
    Acho graça quando as pessoas batem no peito e dizem que no Paraná temos a emergia mais barata do Brasil.
    Primeiro porque é mentira, no “mix” tarifário estamos em 4º lugar, depois porque somos um estado com abundância de usinas, muitas delas já cinquentenárias, ou seja, totalmente amortizadas (no jargão contábil), isso significa que o valor do investimento, normalmente financiado por organismos internacionais, como o Banco Mundial e o Bird, já estão pagos. Trocando em miudos, essas usinas custam só a manutenção, produzem bastante com pouquíssimo gasto de recursos.
    Diferentemente das usinas chamadas “novas”, essas ainda estão sendo pagas, sendo que o valor do KW é o resultado da conta de quanto a usina produz, dividido pelo custo total (manutenção + amortização dos empréstimos)
    Quero ressaltar uma coisa, o valor do KW foi calculado com o Dollar valendo R$3,00, agora a moeda americana está vale R$1,75.
    Sendo que as amortizações representam um componente significativo no preço fial da energia e que, embora o Dollar tenha perdido quase metado do seu valor, as tarifas NÃO FORAM REDUZIDAS, logo, dá para afirmar que a COPEL é uma empresa que dá ótimos lucros.
    Resumindo, não foi a “melhor administração do sul do mundo”, como costuma dizer o Reuião, o motivo para a empresa paranaense de energia dar lucros próximos ao R$1BILHÃO.
    Esse negócio de empresa monopolista dizer que deu lucro, só pode significar uma coisa: PREÇO DO PRODUTO OU DO SERVIÇO MUITO ELEVADO.
    O governo não tem o menor interesse em reduzir o preço, pois na distribuição dos lucros e dividendos da empresa, o Estado, como maior acionista, recebe um bom dinhero, dinheiro esse que vai suprir a eventual falta de arrecação ou os gastos extras. Simples assim.

    O mesmo ocorre, em plano nacional, com a Petrobras, apresentar bilhões de lucro é um claro sinal de que o preço dos combustíveis está alto demais.

    Nos dois fatos acima, tanto da Copel, quanto da Petrobrás, os governos, Estadual e Federal, e de quebra, residualmente as prefeituras, são duplamente benefiados, com o lucro e com os elevadíssimos tributos sobre os dois produtos: combustíveis e energia elétrica.
    Beira ao abuso o porcentual de tributos sobre os dois segmentos, no combustível passa de 65%. Uma vergonha.

  3. Jango
    domingo, 15 de novembro de 2009 – 14:07 hs

    O que não está custando caro no Brasil para os brasileiros ? A maior carga de tributos; os juros mais escorchantes; etc. Mas o mais caro de tudo é o CUSTO DO VOTO (mensalões, sanguessugas, aloprados, dólares na cueca, cartões corporativos, comissionados e terceirizados no governo, etc). Esta contabilidade a sociedade analfabeta política não faz. No Paraná, o crescente e milionário passivo judicial do pedágio é vociferado, mas ninguém apura responsabilidades. A sociedade, portanto, irá pagar, candidamente, e continuar sem segurança, educação e saúde de qualidade. Nossa sociedade não faz jus ao regime republicano porque não o exerce nem o faz exercer através dos mecanismos à disposição. A nova nomenklatura tupiniquim – os cargos e poderes públicos – vivem mais para suas benesses e sinecuras do que para atender o interesse público, única razão de suas existências. E a sociedade, tomada pela anomia geral, apresenta-se sem qualquer qualidade organoléptica frente a este quadro – incolor, insossa, insípida e inodora. “Eles” – essa nomenklatura monstruosa – estão nadando de braçada e o povo se afogando em promessas enganosas e nunca cumpridas. Energia elétrica custa caro, falta de espírito repúblicano leva à falência do sistema. O apagão está sempre à espreita. Até quando, gente boa ?

  4. luiz carlos bernascki
    domingo, 15 de novembro de 2009 – 20:44 hs

    Prezado jornalista. Seja honesto e explique que temos uma das energias mais caras em grande parte, senão a maior, devido a privatização feita pelo governo tucano de FHC.

  5. domingo, 15 de novembro de 2009 – 21:50 hs

    É isso aí Luiz Carlos, os culpados são SERRA e FHC os privatistas.
    E os 52 bilhões de reais que cobraram a mais nas contas. E agora não querem devolver. Dizem que era legal.
    Quem vai para São Paulo tem que ter cuidado quando passar por um viaduto, tá caindo tudo. Mas não há superfaturamento, caixa 2 e 3 em Sunpaulo.
    O Zé Bunitinho também não comprou nada. Os tucanos são puros.

  6. Ita
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 9:44 hs

    Este custo elevado é em virtude das privatizações feitas pelo PSDB do candidato Serra e do Álvaro Dias.
    Privatizaram e garantira no contrato estes valores absurdos e agora não se consegue baixar pois o contrato não permite e se o governo quiser baixar não pode pois as empresas entram na justiça e garantes os altos valores.
    Fora PSDB.
    Fora Serra.
    Forra Álvaro.
    Forra Dias.

  7. João Ribeiro
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 10:06 hs

    Quanta bobagem!

    A nossa energia não é a mais cara, é a mais tributada. Alguém aí já prestou atenção nos percentuais? Passam tranquilamente de 50% da conta, tanto elétrica, quanto de combustíveis.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*