Dutra, provável novo presidente do PT, quer aliança com o PMDB | Fábio Campana

Dutra, provável novo presidente do PT, quer aliança com o PMDB

09324163
da Folha Online

O ex-senador e ex-presidente da Petrobras José Eduardo Dutra (foto) do Sergipe, deixou a presidência da BR Distribuidora para disputar o comando nacional do PT.

Tem o apoio dos principais líderes do partido e conseguiu unir três correntes do partido: Novos Rumos, PT de Lutas e Massas e Construindo um novo Brasil. Dutra defende, antes de tudo, a aliança do partido com o PMDB mas não descarta antigos aliados, como o PC do B e o PSB.

No Leia Mais, o que Dutra pensa sobre alguns dos principais desafios do partido para as eleições presidenciais de 2010.


Folha Online – Você apoia a escolha do PMDB como principal parceiro para a eleição presidencial de 2010?
José Eduardo Dutra – O fundamental é uma aliança formada por todos os partidos da base aliada ao governo Lula, com base em um programa que expresse as conquistas democráticas e populares, sobretudo os acertos da política econômica que levou ao crescimento sustentável, com inclusão de milhões de brasileiros ao mercado consumidor. É claro que nesse bloco o PMDB ocupa um papel muito importante. É um partido que se formou na luta pela democracia, tem presença institucional e organizativa em todo o país. É um partido que compartilha e participa das decisões do governo Lula. A aliança com o PMDB é estratégica para ganhar e dar governabilidade ao governo da Dilma Rousseff. Como é igualmente importante consolidar a aliança com os partidos de esquerda que tradicionalmente estiveram juntos com o PT, como PDT, PC do B e PSB.

Folha Online – Na sua opinião, quais são os principais desafios que precisarão ser enfrentados pela futura Executiva Nacional do partido?
Dutra – De imediato preparar o partido para as eleições de 2010. Significa consolidar a aliança nacional, ajudar a montar as alianças nos Estados, organizar o PT para enfrentar uma disputa eleitoral que será acirrada. Caso vença a disputa pra presidir o PT, vou aprofundar as discussões com todos os setores dos movimentos sociais. Vamos construir uma aliança com os partidos e com os movimentos organizados para vencer em 2010. A gestão do Ricardo Berzoini à frente do PT tem méritos ao cumprir uma agenda de organização interna, de saneamento das finanças, melhorou a comunicação, deu suporte às secretarias setoriais, cumpriu as tarefas delegadas pelo último Congresso do partido, entre as quais destaco a aprovação do Código de Ética e da escola de Formação. O Ricardo Berzoini vai passar para o próximo presidente ou presidenta um partido com ramificação nacional. A próxima direção deve aprofundar esse legado.

Folha Online – O que o PT precisa fazer para fortalecer e ampliar sua militância?
Dutra – Como já afirmei, o PT é hoje um partido com presença nacional, nas grandes, médias e pequenas cidades. Mas o PT deveria abrir suas sedes nos Estados e municípios para eventos culturais, para promover o debate de temas contemporâneos que não seja apenas a pauta do partido. Melhorar a comunicação é um fator chave para isso. Avançamos com a criação da Rádio/TV web. Agora é dar o outros passos para explorar o potencial de comunicação que a internet oferece. Outro ponto importante é ampliar o conceito de formação política para a política pública e gestão de governo, aliado a temas mais ideológicos, como a história e as posições da esquerda.

Folha Online – Como possível presidente do PT, como orientará a campanha presidencial de 2010?
Dutra – Vamos fazer uma campanha com a participação massiva da militância petista e dos partidos da aliança. O maior patrimônio do PT é a sua militância. Vamos trabalhar para potencializar ao máximo a participação popular na campanha, através de incentivos a grupos de apoio tanto nos locais de moradia como nas categorias profissionais, bem como organizar a campanha nos setores sociais.

Folha Online – Como pretende ampliar a parceria entre PT e movimentos sociais?
Dutra – Vamos manter uma agenda permanente com os movimentos sociais. Evidentemente, os movimentos são autônomos, tem vida própria, mas acho que é saudável discutir temas comuns. O PT é forte porque historicamente está ligado aos movimentos populares.


4 comentários

  1. CWB
    domingo, 22 de novembro de 2009 – 13:47 hs

    PUTZ, VAI CONTINUAR A MESMA MERDA!!!!
    REALMENTE ESTÃO QUERENDO ACABAR C/ O PT!!
    PARABÉNS, VÃO ACABAR CONSEGUINDO!!!!

  2. domingo, 22 de novembro de 2009 – 14:35 hs

    Não com o PMDB gaga (de Quércia, Pedro Simon, Luiz Henique, Mangabeira Unger e outros velhinhos delirantes).
    O PMDB gaga lançou Requião para presidente de Honduras
    (em Honduras tem mais possibilidades de vencer devido ser um de seus grandes eleitores o tal de Micheleti, o golpista).

    A verdade é que Requião não é mais aquele.
    E o pior,para o Senado não se elegerá.
    Esta a caminho do seu fim político.
    Mas farei até passeatas para não deixar um dos mais brilhantes defensores do povo ir parar num asilo.

  3. Tiago
    domingo, 22 de novembro de 2009 – 22:08 hs

    Querer é um direito dele. Já poder é outra história e não depende da vontade deles!

  4. HENRY
    segunda-feira, 23 de novembro de 2009 – 10:47 hs

    ESSA É A CHAPA COMPLETA DOS QUEDRILHEIROS DO pt (partido do trambique) INCLUINDO ZÉS DIRCEU DA VIDA E OUTROS DELIQUENTES.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*