Cuidado. Radares continuam ligados | Fábio Campana

Cuidado. Radares continuam ligados

Pé no freio. Ao contrário do noticiado, os radares do trânsito de Curitiba continuam ligados. A informação de que a empresa Consilux estava operando irregularmente,m o contrato com a Prefeitura era nulo, e isso determinaria a paralisação do serviço não se confirmou.

A decisão da Justiça foi para o desligamento dos radares, mas a URBS, notificada hoje, tem cinco dias para recorrer, e nesse prazo tudo continua como dantes.


16 comentários

  1. ESCÂNDALO EM GUARAPUAVA
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 17:46 hs

    CARLI E SILVESTRI JUNTOS

    EM 2006, CARLI NÃO LANÇOU CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL, BENEFICIANDO CEZAR SILVESTRI. EM COMPENSAÇÃO, SILVESTRI NÃO LANÇOU CANDIDATO A DEPUTADO ESTADUAL E O ELEITO FOI FERNANDO CARLI FILHO

    O prefeito Fernando Ribas Carli e o deputado federal Cezar Silvestri brigam publicamente, mas têm um acordo velado entre si: não deixar que nenhum outro nome apareça na política de Guarapuava, para que as duas famílias possam se manter no poder de forma alternada.

    Este acordo vigorou em 2006, quando da eleição do então candidato a deputado estadual Fernando Carli Filho, primogênito do prefeito de Guarapuava. Carli Filho renunciou ao mandato após provocar o acidente que vitimou dois rapazes em Curitiba (PR).

    Na época, Carli e Silvestri selaram um acordo “branco”, de um não criticar o outro. Desta forma, Silvestri deixaria a candidatura de Carli Filho correr solta, sem nenhuma oposição. Do seu lado, Carli se comprometeu a não lançar nenhum candidato a deputado federal, para não atrapalhar a reeleição de Cezar Silvestri à Câmara Federal.

    As duas famílias só se desentendem quando a disputa é pela Prefeitura Municipal. Neste terreno, não tem acerto, a luta é franca. No ano passado, nas eleições municipais, Cezar Silvestri “ousou” desafiar o prefeito e lançou seu filho candidato à Prefeitura, por muito pouco não tirando a reeleição de Fernando Ribas Carli.

    Por razões óbvias, Carli e Silvestri jamais irão confessar a negociação de bastidores de 2006. Mas o silêncio de um em relação para o outro, naquela eleição, demonstra claramente um temporário armistício entre eles. Com isso, Fernando Carli Filho pôde correr a mil, sem nenhum obstáculo forte pela frente, fazendo quase 40.000 votos em Guarapuava.

    Agora, novas negociações vêm à tona. Nesta segunda-feira (16), o prefeito Fernando Ribas Carli rompeu uma tradição de 15 anos (é, já faz mais tempo que eles estão se revezando no poder) e recebeu Cezar Silvestri em seu gabinete na Prefeitura Municipal.

    A conversa foi testemunhada pelo presidente da Câmara, Admir Strechar.

    Qual vai ser o acerto de agora, é esperar para ver.

  2. claudemir
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 17:52 hs

    GOSTARIA DE SABER SE ACONTECER ALGUNS ACIDENTE QUEM SERÁ O RESPONSAVEL, SE FUNCIONANDO OS MAUS MOTORISTAS NÃO RESPEITA COMO SERÁ SE ESTIVER DESLIGADO, SERA QUE O MINISTERIO PUBLICO SERA O RESPONSAVEL,

  3. Moisés
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 18:02 hs

    A licitação do transporte coletivo não saí, a do lixo esta empacada, a dos radares tá mais prá lá do q prá cá, os recursos q iriam beneficiar 7500 pessoas no ProJovem foram prás cucuias, as unidades do projeto habitacional após 2 anos tem inúmeros defeitos construtivos…. e por aí vai.
    E O TAL DE CONTRATO DE GESTÃO QUE o engº richa PROPAGANDEOU NO INICIO DA 2ª GESTÃO????
    Nunca mais se falou. Cade os contratos de GESTÃO prefeito?

  4. Bigode
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 18:15 hs

    Se depender da Rosangela………………………………………..

  5. segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 18:40 hs

    Pô e proibiram os caça níqueis,e os caça placas continuam????? Sou a favor de algo justo, e, para ser justo tem que ser público,pois, lucra o dono das maquininhas e lucra mais ainda a PMC.Estes radares são preparados não para fiscalizar somente para multar,este é o maior interesse. Somente relatando um fato que ocorreu a anos atrás,eu e minha família nos encontrávamos em uma das praias de Santa Catarina , então quando chego em Curitiba estava na caixa de correio uma multa em local que jamais havia estado naquela data,pois estava fora. Mesmo juntando comprovantes , recibos,notas fiscais de hotéis,juntadas ao recurso me obrigaram a pagar. Resultado ,alguns dias mais tarde o mesmo radar que meu carro havia sido multado foi desativado por determinação do ,parece, IPEM ,pois, estava fora das especficações técnicas.
    Hoje quando passei pelo local eles haviam mudado de lado da rua o equipamento,tentei reaver tal assalto,roubo,etc… e nada o lucro já havia sido rateado.
    Tem que acabar com estas arapucas particulares,o DETRAN deve sim montar um sistema de controle de velocidade,pois, como foi noticiado éo órgão competente com poder de polícia,portanto,FFFFFOOOORRRAAAAAAA radares piratas….senão direi novamente, em 2010 quem vai sobrar para votarmos????

  6. PAULO
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 19:02 hs

    NÃO É INTERESSANTE QUE TUDO QUE SE REFERE À PREFEITURA É ILEGAL? LICITAÇÕES, LIXO, RADAR, ETC, ETC, ETC….

  7. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 20:02 hs

    é o chamado “conflito da boa norma”, questão fácil de resolver.
    Quando existe um conflito entre duas normas ou duas posições sobre um assunto, deve prevalecer a menos danosa.
    Coloquemos na balança as duas posições:
    1) o contrato da empresa não poderia ser renovado, mesmo que a licitação tenha empacado (esse é outro rpoblema), e o serviço, emergencialmente está sendo prestado pela atual executante do monitoramento. O dano é pagar por um serviço que ESTÁ SENDO PRESTADO, sem a devida licitação.
    2) ficar sem o monitoramento pode significar que os motoristas, sabedores que não serão punidos, excedam a velocidade, criando condições para aumentar o número de acidentes.

    É só comparar, dá para ficar sem monitoramento?

    Agora, que está mais do que evidente que a demora na licitação, com as prorrogações concedidas, foram propositais, apenas para que a Consilux continuasse a prestar o serviço, isso foi.
    Carece punir os responsáveis pelas licitações e verificar os verdadeiro$ motivo$ para tantas prorrogações

  8. décio
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 21:00 hs

    Nossa, Vigilante, quanta perspicácia… agora que você conseguiu enxergar que “as prorrogações concedidas, foram propositais, apenas para que a Consilux continuasse a prestar o serviço”? Tá melhorando hein, continue assim. E o engraçado é que no caso Carli o radar não funcionou né. Quem será que estava fazendo pega com o Carli?? Você sabe? Conta pra nós!

  9. Cidadão
    segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 21:29 hs

    Detalhe não é apenas a decisão aqui do TJ e sim a do STJ, pela qual nem sequer a Urbs, por ser sociedade de economia mista poderia estar fiscalizando o trânsito e aplicando multas.

    Vão dizer, ahh mas que absurdo ficar sem fiscalização, que absurdo…. etc..

    Porém, se tivessem utilizado uma empresa pública, uma autarquia, ou mesmo a própria administração direta para fazer o Serviço Público, não haveria problema.

    Mas desvirtuam a finalidade constitucional das instituições…

  10. segunda-feira, 16 de novembro de 2009 – 23:57 hs

    poxa,isso qualquer criança de 10 anos sabe,veja bem se o deputado não tomou as atitudes corretas na epoca para a instalação da universidade tecnologica em guarapuava e o sr.prefeito não arrumou o terreno e nem mencionou interesse de que a referida universidade viesse a nossa querida guarapuava.Agora que o Dr.Celso goes e o instituto cidade aberta esta nas ruas lutando pela universidade eles querem aparecer e dizer que estão tentando trazer.porque não fizeram isso antes.O povo acordou e não quer mais saber de promessas.onde estão os 12 postos 24 horas,pista de arrancadão,falta remedio,a pavimentação asfaltica é pessima,falta ambulancia nos distritos,cade as empresas para gerarem empregos que tanto prometeram,cade o wol markt? acorda Guarapuavanos nosso povo esta sofrendo.Agora esta cidade tem homems que defendem o povo,dia e noite.assinado Valdomiro Batista Jabur do motocross.A luta só começou.prepare-se

  11. Noel vem aí!!!
    terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 0:22 hs

    DESDE QUANDO RECURSO DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO SUSPENDE A EFICÁCIA DA LIMINAR CONCEDIDA?

  12. juarez machado
    terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 9:47 hs

    SE TA ILEGAL É LEGAL TER COBRADO AS MULTAS PENSE, QUETAL A DEVOLUÇÃO DO NOSSO DIN, DIN, ACORDA CURITIBA

  13. SYLVIO SEBASTIANI
    terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 10:04 hs

    CLAUDEMIR, sua posição é correta, o caso do então deputado estadual, Fernando Carli que matou dois jovens, deixou a população curitibana e brasileira abalada. Eu mesmo lendo as reportagens, passei um periodo indignado, principalmente quando tive conhecimento que a Direção da Consilux, informou que o tal Radar não estava funcionando para registrar o Fato.Claudemir, sinto-me na obrigação moral, embora com certo respeito, de relatar um CASO:” Creio que no ano 2002, estava passando de carro pela rápida, que não é via rápida, da cidade para o portão, quando passou por mim outro carro em alta velocidade.Mas adiante o mesmo carro tornou a me ultrapassar, em alta velocidade.Mas adiante o carro estava parado perto de um poste, parei atrás dele.Vi um rapaz descer do carro e subindo no poste, notei que ele estava trocando a fita do Radar.No carro esta escrito CONSILUX, chamei o rapaz em meu carro e disse à ele:”você que é da Consilux pode correr com seu carro até 120 KM, mas eu sou obrigado a correr até 60km. Tomei nota do número do carro e fui embora. Chegando em casa telefonei para a Diretran , me identificando, como é meu hábito, e relatei este FATO para mais de três funcionárias.Passado uns quinze minutos, recebí um telefonema de uma pessoa se identificando de Diretor da Consilux, com o nome de ALDO, pedindo desculpas pelo acontecimento e me convidando para ir à sua firma “tomar um cafezinho”. Respondi que não tinha por hábito tomar cafezinho em firma de ninguém.MORAL DE HISTÓRIA: “já naquela época, que é igual de hoje a tal Consilux tinha séria ligação com a Diretran”.CHEGA, Claudemir ?

  14. João Ribeiro
    terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 11:35 hs

    Incrível a quantidade de opiniões contra radares.

    No meu ponto de ver, quando um cara protesta contra a presença de um radar, de um policial ou da fiscalização, é porque é BANDIDO.

  15. lucas
    terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 14:39 hs

    João Ribeiro, BANDIDO é quem usa empresa de economia mista, que não presta contas, para aplicar multas. E vê se larga o computador da prefeitura pra escrever asneiras, puxa-saco!

  16. João Ribeiro
    terça-feira, 17 de novembro de 2009 – 17:08 hs

    E ainda fazem questão de se mostrar.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*