Projeções confirmam 2° turno no Uruguai | Fábio Campana

Projeções confirmam 2° turno no Uruguai

pepe-mujica

Atualização: Eleição presidencial tem 2º turno no Uruguai; resultados confirmam vantagem de Mujica.

Do Estadao.com.br

O ex-guerrilheiro tupamaro José ‘Pepe’ Mujica [foto], candidato presidencial da coalizão de governo Frente Ampla, uma colcha de retalhos integrada por socialistas, democratas cristãos, comunistas e tupamaros teria tido – segundo projeções de mais da metade dos votos apurados – entre 47% e 48% dos votos nas eleições presidenciais realizadas neste domingo, 25, no Uruguai. Essa proporção é insuficiente para vencer a eleição no primeiro turno, já que a lei uruguaia requer pelo menos metade mais um dos votos emitidos para conseguir a vitória.

O rival de Mujica, o ex-presidente Luis Alberto Lacalle, do Partido Nacional (Blanco), teria conseguido 30% dos votos. “A sociedade nos exige mais um esforço” exclamou Mujica, que aspira suceder no poder o presidente Tabaré Vázquez, um socialista ‘light’, correligionário seu dentro da coalizão centro-esquerdista que há meia década comanda o Uruguai. Neste domingo à noite, o ex-guerrilheiro reciclado em floricultor e senador, definiu o resultado destas eleições como “uma vitória política” e prometeu “continuar a luta” para o segundo turno, marcado para o dia 29 de novembro.

O candidato a vice de Mujica, o ex-ministro da Economia Danilo Astori, sustentou que “o segundo turno será um verdadeiro plebiscito entre duas posições, isto é, nós, que possuímos um projeto de país, e os outros que não possuem projeto algum”. Luis Eduardo Gonzalez, diretor da consultoria Cifra, sustentou que a Frente Ampla teria ficado com 47% dos votos. O Partido Nacional conseguiu, de acordo com as projeções, 30%. O Partido Colorado teria obtido 17%, enquanto que o Partido Independente, 2%.

Oscar Botinelli, diretor do Instituto Factum, anunciou que suas projeções indicavam 48% para a Frente Ampla de Mujica, enquanto que o Partido Blanco de Lacalle teria conseguido 28,7%. Os colorados ficariam com 17,%, enquanto que os independentes teriam tido 2,5%. Os analistas ressaltam que o apoio colorado será crucial para que o acional Lacalle possa planejar seu confronto com o frenteamplista Mujica no segundo turno. Mas, analistas indicavam que Mujica teria orça para vencer o rival.

No entanto, Lacalle, indicado como “neo-liberal” pela esquerda (mas que define a si próprio como “nacionalista pragmático”) promete não resistir e acena para os colorados para conseguir respaldo para a nova etapa nas urnas. Mujica não conseguiu capitalizar para si próprio a intensa popularidade do presidente Vázquez, que possui 65% de aprovação popular. Os analistas indicam que alguns setores da centro-esquerda uruguaia temem o estilo “frontal” de Mujica, que deixa de lado a tradicional placidez e formalidade da política local.

PARLAMENTO

Os uruguaios também votaram nos parlamentares que ocuparão as 30 cadeiras no Senado e as 99 vagas na Câmara de Deputados. A Frente Ampla poderia garantir a continuidade de seu controle em ambas casas se angariasse 48,5% dos votos. Mas, com a possibilidade de que não teria obtido mais de 48% dos votos, perderia o domínio parlamentar, ficando com sua força praticamente empatada com a totalidade dos partidos da oposição. Desta forma, o mapa do poder ficaria equilibrado entre governo e oposição.

PLEBISCITOS

A eleição presidencial, a sexta no Uruguai desde a volta da democracia em 1985, também foi acompanhada por dois plebiscitos, que necessitavam metade mais um dos votos para serem aprovados. Um dos plebiscitos foi convocado para anular a “lei de caducidade punitiva do Estado”, denominação da lei de anistia aos militares que cometeram violações aos Direitos Humanos durante a ditadura militar (1973-85).

O outro plebiscito foi convocado para possibilitar que os uruguaios que residem no exterior tivessem direito ao denominado “voto epistolar”, isto é, votar por carta. Tanto a anulação da lei de anistia como a implementação do voto epistolar são bandeiras da Frente Ampla. No entanto, as projeções neste domingo à noite indicavam que o governo havia sido derrotado em ambos plebiscitos, já que a lei de anistia permanecerá ativa, enquanto que o voto por carta fica descartado. “Temos que aceitar com serenidade este resultado”, ponderou Astori.


6 comentários

  1. Celestino Macedo
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 2:21 hs

    O “Pepe” Mujica é um espécie de Requião platino: fala coisas absurdas, comete gafes terríveis. A diferença é que é um homem simples, desapegado de bens materiais, sabidamente honesto, não ataca a honra alheia, não pensa que os fins justificam os meios, não busca o poder em benefício próprio e nem tem família gatuna.

  2. Jose Carlos
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 10:29 hs

    A América Latrina merece seus líderes… Chávez, Evo, Correa, Ortega, Fidel e outros bichos… agora o bandidaço Mujica, que deve ter se aposentado com algum caraminguá público, como muitos terroristas brasileiros ou conseguindo alguma indenização por ter explodido e assaltado bancos na época da ditadura… claro, tudo em nome da liberdade, da democracia, das “eleição dereta”, da defesa das “craçe trabaiadora” etc,etc… logo no Brasil elegerão Fernandinho Beira Mar ou outro tipo como este para presidente… é o destino manifesto da América Latrina, como uma maldição de Cristóvão Colombo, por terem dado o nome do continente ao seu vice…

  3. Luis Gringo
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 11:11 hs

    Celestino, quem fala coisas absurdas e tu, compara Mujica com Requião.
    Con certeza o Pepe será o proximo presidente dos Uruguayos.
    Como tem pessoas que falam do que desconhecem!!!

  4. Luis Gringo
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 11:36 hs

    Como informação, a Frente Ampla que não e uma “colcha de retalhos” fez maioria parlamentaria tendo 15 Senadores mais o vice,no caso Danilo Astori e 50 Deputados.
    O partido nacional perdeu 2 senadores e 7 deputados.
    Pedro, o candidato do parido colorado e filho de Bordaberry que foi o presidente que ajudou a dar o golpe militar em 73 e ja declarou apoio a Lacalle, o povo Uruguaio não e bobo é sabera votar em novembro
    Da para ver pelos numeros que em Uruguay os avanços vão continuar.

  5. josé
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 14:05 hs

    Pasado guerrillero

    ” En los años sesenta se integró al Movimiento de Liberación Nacional-Tupamaros. Como miembro de dicha organización, Mujica participó en operativos guerrilleros, al tiempo que trabajaba en su chacra, hasta que, requerido por la policía, se refugió en la clandestinidad. Durante el gobierno de Jorge Pacheco Areco la violencia fue en aumento.

    El Poder Ejecutivo utilizó reiteradamente el instituto constitucional de las medidas prontas de seguridad para hacer frente a la guerra de guerrillas, así como a la creciente oposición de sindicatos y gremios frente a sus políticas económicas.

    Esta acción guerrillera llevó a Mujica a coparticipar en asaltos, secuestros y en la llamada Toma de Pando en 1969, entre otros operativos tupamaros.”

  6. BISTEKA
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 18:20 hs

    Perai…. Esse da foto é candidato aqui?
    Então no segundo turno do Uruguai!
    Vão desputar o Pessutti e Mujica?
    Ah não, foi Mujica quem ensinou a cartilha da Carta de Puebla a Requion???
    Não dá pra entender nada!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*