Camargo protesta contra redução de verbas e mais responsabilidades | Fábio Campana

Camargo protesta contra redução de verbas e mais responsabilidades

coletiva de imprensa 164

Em entrevista coletiva, o prefeito de Colombo, J. Camargo, aproveitou o Dia Nacional em Defesa dos Municípios para falar que administra Colombo com sobrecarga de responsabilidades.

A queda no repasse de verbas e a desigualdade na repartição das receitas na Federação foi o tema da entrevista coletiva à imprensa concedida pelo prefeito J. Camargo. A coletiva foi no Dia Nacional em Defesa dos Municípios, comemorado por centenas de prefeituras.

“Nesse dia queremos sair em defesa do nosso município, mostrar as dificuldades e como estamos conseguindo administrar Colombo”, salienta. J. Camargo explicou que a administração é cobrada por questões que não são de responsabilidade do município mas, sim, das esferas estadual e federal.

“É um grande desafio, enquanto poderíamos estar utilizando recursos para a construção de novas unidades de saúde e aumentando o número de vagas nas creches, que são de nossa responsabilidade, de fato, temos que otimizar os recursos existentes para contribuir, por exemplo, com o pagamento de exames e medicamentos para a Saúde, que fogem da nossa alçada”.

“Na questão do transporte escolar, também temos que atender a rede estadual, que não é nossa responsabilidade, o Estado não repassa nem 30% do que devería para deslocar os alunos da rede estadual mas não podemos deixar de atender as nossas crianças e adolescentes”, disse o prefeito salientando que “a atual gestão administra para o ser humano”.

Segurança pública

J. Camargo também falou da questão da segurança pública. “Estamos dando todo o suporte nesse setor, inclusive com a criação de um Departamento Antidrogas, que vem atuando na prevenção às drogas entre as crianças e adolescentes”, explica o prefeito. Para 2010, J. Camargo disse que pretende implantar a Guarda Municipal: “não sería de nossa responsabilidade mas temos que arcar com esse ônus para poder dar mais segurança e conforto as famílias”.

O prefeito explicou que importantes projetos já poderíam estar concluídos se o município não tivesse que arcar com parte das tarefas do Estado e da União: “A Sopa Solidária, que vem levando um pouco de calor humano aos carentes podería ter sido colocada em prática antes e também poderíamos já estar contando com o segundo restaurante popular em Colombo”.

FPM

Durante a coletiva, o prefeito também falou da queda do repasse do Fundo de Participação dos Municípios – FPM. De janeiro a junho deste ano Colombo recebeu três repasses de verbas do FPM – que somam cerca de R$ 1.200.000,00 mas, segundo o prefeito J. Camargo, não serão suficientes para suprir o déficit com as perdas anteriores e atender a demanda. “Ficamos ainda no aguardo do restante do repasse que cabe ao município, e que é um comprometimento do governo federal. Esse dinheiro que já foi repassado é essencial mas não supre as nossas despesas”.

Crise

Apesar de muitas prefeituras terem fechado as portas, alterado o horário de funcionamento ou não terem dinheiro para pagar o 13º salário, em decorrência da queda do repasse de verbas, em Colombo o cenário é outro: “Com a otimização dos recursos conseguimos investir em obras primordiais, que já foram entregues ou estão em fase final, isso sem precisar onerar empréstimo. E já estamos com as três folhas de pagamento de dezembro do funcionalismo público, que inclui o 13º salário, reservadas. Apesar de todas as despesas extras, que deveríam ser do Estado e da União, estamos cumprindo com nossas obrigações”, salienta J. Camargo.

Indicadores

O prefeito J. Camargo falou ainda a imprensa sobre os saltos que o município deu em vários setores, entre eles a saúde. “Colombo ficou em 3º lugar entre os municípios com mais de 100 mil habitantes no quesito saúde bucal, isso mostra o comprometimento da administração em buscar a melhoria da qualidade da saúde publica”.

Colombo também pulou da 17ª para a 15ª posição no Estado do Paraná em arrecadação de impostos. “Trabalhamos cinco anos para galgar estas duas posições, queremos mais e vamos continuar trabalhando para que isso aconteça. Não é da noite para o dia, mas vamos focar nas ações necessárias para que Colombo continue crescendo em arrecadação”, finaliza o prefeito J. Camargo.

Sugestão:

Legenda: O prefeito J. Camargo concedeu coletiva acompanhado da vice-prefeita Rose Cavalli e do presidente da Câmara Municipal, vereador Gilberto Agrolombo


Um comentário

  1. Jango
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 15:50 hs

    O Prefeito está coberto de razão. Está chamando á responsabilidade as outras unidades da federação que estão “mancando” com a sua contrapartida. Aliás, isso provém em parte da aprovação “com ressalvas” das contas governamentais pelo Tribunal de Contas. Aí o Estado se sente livre para continuar não repassando ou cumprindo a sua parte no tocante à educação escolar e à segurança pública, por exemplo. Está na hora, mais uma vez, do Ministério Público sair do País das Maravilhas e deste lado do espelho, a realidade social da Municipalidade, por cobro e responsabilização aos malversadores públicos estaduais. A denúncia está pública. Ou não ?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*