Homicídios e roubos de veículos aumentam no Paraná, diz Rusch | Fábio Campana

Homicídios e roubos de veículos aumentam no Paraná, diz Rusch

elio-rusch-1x3

Ao contrário do que o secretário de Segurança, Luiz Fernando Delazari, afirmou na audiência pública de terça-feira, os índices de de violência aumentaram no ano de 2009 no estado. A constatação é do líder da Oposição, deputado Élio Rusch (DEM), ao analisar o Relatório Estatístico Criminal da Segurança Publicado do Estado do Paraná do ano de 2009.

“O secretário veio com a preocupação de falar que os homicídios diminuíram no Paraná e como se os problemas estivessem sendo resolvidos. Ele foi traído pelo próprio relatório do geoprocessamento da Secretaria de Segurança onde aponta que no ano de 2009 houve mais registros de homicídios dolosos em relação aos anos de 2007 e 2008”, disse Rusch.

Os dados apresentados demonstram que em janeiro deste ano o índice de registro de homicídios dolosos foi o mesmo dos dois últimos anos. “Nos meses seguintes foi sempre superior, tendo um pico assustador em março quando ultrapassou os 270 casos, em relação a março de 2007 que ficou na casa dos 200 homicídios”, destacou Rusch.

Em junho deste ano, de acordo com o mesmo relatório, houve 250 registros de homicídios, enquanto que no mesmo mês do ano passado não chegou a 200.

O mesmo acontece com os furtos e roubos de veículos. No relatório divulgado pela Secretaria de Segurança, referente ao segundo trimestre deste ano, aponta um aumento de 30,4% no furto de veículos em Curitiba e 17,17% no interior em relação ao mesmo período do ano passado.

“Os roubos também aumentaram. Em Curitiba houve um aumento de 3% enquanto que no restante do estado chegou a 28,6%. Na média houve um aumento de 20% nos furtos e roubos de veículos no Paraná”, afirmou. “Os problemas existem, os índices são da própria Secretaria. Já passou da hora do governo parar de olhar no retrovisor e criticar o governo anterior. Tem é que olhar para frente. Olhar para o bem estar da população paranaense que está cada vez mais com medo de sair às ruas”.

Efetivo

Rusch disse ainda que a audiência pública com o secretário Delazari serviu para comprovar as denúncias da Oposição em relação ao baixo efetivo da Polícia Militar.

“Já sabíamos desses números e o secretário confirmou que há essa defasagem. Hoje o Paraná deveria ter quatro mil policiais militares a mais”.

Outro ponto contestado pelo líder oposicionista é em relação aos investimentos na área de segurança.

“O Paraná é apenas o 22º nos investimentos por habitantes. Em 2008 foram investidos R$ 108,90 por paranaense. Ficamos à frente apenas do Maranhão, Ceará, Distrito Federal, Piauí e Santa Catarina”, disse.

Rusch relatou ainda que a contratação de 1,6 mil policiais militares deverá ocorrer somente em 2011 e que a população não irá sentir o efeito na segurança.

“Até esses novos policiais que farão o concurso passarem pela academia da polícia, fazer toda a preparação para estarem nas ruas, o novo governador já terá assumido. Mas até lá quantos policiais militares terão se aposentado?”, questionou. “O secretário deixou de responder mais esse questionamento. Ele fala do número de contratações na polícia, mas não diz quantos se aposentaram ou irão se aposentar até o final do governo”.


Um comentário

  1. MUTUKA
    quinta-feira, 29 de outubro de 2009 – 10:50 hs

    Esse SR o tal Rusch o Rei do Sutiã não tem credibilidade para falar de nada.
    Note que nem mesmo comentários aqui no blog são postados.
    Ele é tão insignificante como sues Sutiãs de 5 mil reais cada!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*