Fabrício sugere demissão imediata de Delazari | Fábio Campana

Fabrício sugere demissão imediata de Delazari

nani - 27-10-09 - delazari-1 217

O deputado estadual Douglas Fabrício, do PPS, sugeriu ao secretário de segurança Luis Fernando Delazari que deixe a pasta. Segundo Douglas, essa seria uma atitude de extrema grandeza e um gesto de humildade do secretário, já que a sensação de insegurança se instalou no âmbito da sociedade.

Fabrício informou ainda que há também uma visível falta de comando cristalizada nas denúncias dos próprios membros da área.

“Fizemos diversas cobranças, aprovamos novas contratações, aprovamos mais recursos para a área, lutamos aqui em outra sessão que se estendeu até altas horas para aprovar emendas que aumentassem o salário dos policiais. Pois bem, parece-me que a situação é emergencial, gostaria que vossa excelência deixasse o cargo para que o governador assumisse novamente essa pasta. Sua saída poderia ser o melhor para o Paraná”, disse Douglas.


7 comentários

  1. Wilson
    quarta-feira, 28 de outubro de 2009 – 12:22 hs

    Acredito ser um erro pedir a demissão do Delazari!

    Como é que vai se demitir quem nunca foi?

    Temos de exigir que o Paraná de fato tenha um Secretário da Segurança, o que atualmente o (des)governo Requião não tem em exercício!

    Quando o Requião um dia disse que ele pessoalmente é que seria o Secretário da (in)Segurança de fato aconteceu e acontece, pois ele é quem (des)manda na Secretaria, já que o que se diz ser nunca foi!

  2. marcio
    quarta-feira, 28 de outubro de 2009 – 18:12 hs

    esse e o carra peitudo e delazare e um louco como seu dono requiao que tambem tem que ir nessa parada bicha o peito dele esta caido como suas atidudes com o povo paranaense

  3. A PARTE DA ASSEMBLÉIA -
    quinta-feira, 29 de outubro de 2009 – 6:03 hs

    Anualmente os deputados têm a obrigação de analisar a proposta orçamentária do governo e decidir.
    Ao evidenciar o efetivo e os salários dos policiais, os deputados mostram a impossibilidade de melhorias na qualidade dos serviços e, ao mesmo tempo, assumem a sua parte.
    Eis parte do comentário do jornalista Celso Nascimento, publicado hoje:
    ” • Com relação à população, o Paraná aparece no Anuário com um dos menores investimentos per capita em segurança. Ficou em 21.º lugar dentre as 27 unidades da federação. Para cada paranaense, o governo gastou, em 2008, R$ 108,90. A título de comparação: o gasto per capita de São Paulo foi de R$ 218,40; o de Minas, R$ 349,50; Rio, R$ 310,00. E a média nacional foi de R$ 208,50. ”
    Clovis Pena

  4. Jorge Ventura
    quinta-feira, 29 de outubro de 2009 – 10:24 hs

    Tem muito poucos deputados que peitam o governador, por isso que o estado não caminha.

  5. ÁULICO
    quinta-feira, 29 de outubro de 2009 – 10:46 hs

    Olá meu amigo Jorge “Limpinho” Ventura. Beleza? A questão, permita-me discordar, não é peitar o governador para que o estado caminhe. A questão maior é o nível de representação que temos. Você, em sâ consciência, acha que estamos bem representados nos mais diversos níveis de representação? Faça uma análise, por mais superficial que seja, e tire suas conclusões. É em função dessa baixa representatividade que os governantes, hoje, atuam e decidem. Acredite, é assim. A coisa já começa nos Partidos ditos políticos. Veja se existe renovação em seus quadros dirigentes? Existe? Então, meu amigo, a questão não é tão simples assim. Uma de nossas preocupações maiores é jamais deixarmos que exista à menor possibilidade dessa coisa aumentar para que possa surgir um louco qualquer, tipo Chavez, e vire o mandão maior desse país. Socorro! Isso jamais. Abraços do Áulico Palaciano, não é assim que você me chama?

  6. Jorge Ventura
    quinta-feira, 29 de outubro de 2009 – 20:00 hs

    Olá meu amigo Áulico palaciano. Por aqui tudo na santa paz e espero que por aí também.
    Acredito que desta vez iremos perceber que por caminhos divergentes, temos algumas coisas em comum. Concordo plenamente com você no tocante a nossa péssima representatividade e como os mais hábeis procuram manipular as situações, para que estes se eternizem no poder.
    Lamento muito a falta de oxigenação política no nosso País e em nossos partidos políticos. Por causa disso, venho lutando para que esta realidade seja modificada, mas este é um processo lento e muito demorado para o meu gosto, mas como sempre digo, os paradigmas não mudam com rapidez.
    Luto pela radicalidade democrática e pela governança participativa, pois estas são as duas únicas ferramentes que podem impedir que surjam pessoas como o Chavez, Evo e etc.
    Um abraço do Jorge “Limpinho” Ventura, não é assim que me chama?

  7. CASO DE POLICIA
    quarta-feira, 4 de novembro de 2009 – 23:10 hs

    RAMBINHO VOU FALAR PELA ULTIMA VEZ.FOOOOOOOORA,

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*