Dr. Rosinha diz que CPI do MST é CPI do ódio de classe | Fábio Campana

Dr. Rosinha diz que CPI do MST é CPI do ódio de classe

doutor-rosinha-184x260

O deputado Dr. Rosinha, do PT, está inconformado com o pedido de CPI para investigar os gastos públicos do governo Lula com o MST. Ele diz que “contra o desejo raivoso dos ruralistas anti-MST, vamos mais uma vez comprovar a legitimidade do movimento e da agricultura familiar”.

Para defender suas posições, Rosinha redigiu artigo onde acusa a CPI do MST de “CPI do ódio de classe” e aponta a deslealdade dos petistas e aliados que aceitaram a convocação. Para ler na íntegra o texto do Dr. Rosinha, clique no Leia Mais.

A constituição de uma CPI mista para investigar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), cogitada a partir do desejo raivoso dos ruralistas e viabilizada graças ao apoio ostensivo da mídia privada, é reflexo da influência que setores conservadores ainda mantêm sobre a sociedade brasileira.

Também é sintoma da fragilidade de parte da base de apoio do governo Lula, formada por alguns parlamentares sem compromisso com o governo que dizem apoiar.

Com uma atuação internacionalmente reconhecida, o MST foi recentemente classificado pelo intelectual norte-americano Noam Chomsky, professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, como “o mais importante movimento de massa do mundo”.

A quem interessa criminalizar o MST? A quem interessa demonizar um movimento social com 25 anos de serviços prestados à justa causa da reforma agrária?

A resposta é simples: aos latifundiários e aos grandes detentores do capital financeiro, nacional e transnacional, que controlam boa parte da agricultura no país.

Os dados do censo agropecuário do IBGE, divulgados há poucas semanas, revelam que menos de 15 mil fazendeiros são donos de mais de 98 milhões de hectares. Em termos percentuais, 1% dos proprietários rurais detém a titularidade de 46% da terra no país.

O que incomoda a bancada ruralista e os setores por ela defendidos no Congresso é o fato de o MST simplesmente existir. E lutar pela distribuição das terras no campo.

Aos olhos dos ricos, os pobres não têm o direito de se organizar, de se manifestar em defesa de seus direitos.

Além de criminalizar o MST, os ruralistas desejam adiar a reforma agrária. Ao se contrapor, por exemplo, à revisão dos índices de produtividade —medida determinada em lei— demonstram todo o caráter reacionário e ilegal de sua posição.

Esses índices determinam se uma fazenda é ou não improdutiva. Criados em 1975, estão defasados. Não levam em conta os avanços tecnológicos da agricultura, o que facilita aos fazendeiros alcançar os indicadores mínimos e evitar desapropriações.

A legislação brasileira determina o seu ajuste “periódico”. Com novos índices, o número de imóveis que não cumprem sua função social disponíveis para a reforma agrária cresceria no país.

Sem discurso diante do sucesso do governo Lula, os três principais partidos de direita hoje no Brasil, DEM, PSDB e PPS, estão desnorteados, à procura de alguma tábua de salvação para se agarrar. Assim como em outros episódios, tentam da fazer da CPI do ódio de classe contra o MST um palanque eletrônico, com vistas à eleição de 2010.

O MST já afirmou que não teme a CPI. O Partido dos Trabalhadores e o governo, também não.

Com um requerimento sem fato determinado, que de tão genérico permite a investigação desde cooperativas em geral até evasão de divisas, passando pelo crime organizado, grilagens de terra e uma infinidade de outros temas, a comissão pode vir a se debruçar, entre outros casos, sobre as contas das entidades patronais do agronegócio.

Sabemos que o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o Serviço de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), duas entidades patronais, receberam mais de R$ 1,1 bilhão em recursos públicos entre 2000 e 2006. E que parte desses recursos foi utilizada ilegalmente pelas federações que representam os interesses dos fazendeiros.

Que tal investigarmos também o cartel internacional das indústrias de suco de laranja, liderado pela Cutrale, que atua em terras públicas griladas no Estado de São Paulo?

Embora tenha sido minimizado pela mídia, é público o fato de que há cerca de uma década o Incra (Instituto Nacional de Reforma Agrária) reivindica na Justiça a posse da fazenda Santo Henrique, ilegalmente ocupada pela Cutrale.

Contra o ódio de classe dos ruralistas e de sua raiva anti-MST, vamos mais uma vez comprovar a legitimidade do movimento e da agricultura familiar, como contraponto ao latifúndio e ao agronegócio.

O IBGE já comprovou que, dos produtos consumidos pelos brasileiros, 70% do feijão, 87% da mandioca, 58% do leite, 46% do milho e 34% do arroz são produzidos pelos pequenos agricultores.

Apesar de as propriedades com menos de dez hectares ocuparem apenas 2,7% da área total dos imóveis rurais, a agricultura familiar gera 74,4% dos empregos no campo.

Toda denúncia deve ser investigada pelos órgãos competentes. Sim à reforma agrária, não à criminalização dos movimentos sociais.

Dr. Rosinha, deputado federal (PT-PR), é coordenador da Frente da Terra,
que defende a reforma agrária no Congresso Nacional.


22 comentários

  1. Indignado
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 12:24 hs

    É incrivel a cara de pau destes deputados de época! Só começam a aparecer qdo esta chegando a hora das eleições. Daqui a pouco aparecerá o restante da turma dos oportunistas. Esses deveriam antes de pedir voto, mostrar quais foram os projetos q eles fizeram para ajudar o povo paranaense.

  2. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 12:34 hs

    Invasão de terras produtivas e a destruição de plantações, como as que ocorreram na fazenda de laranjas, representam muito mais o “ódio de classes” do qual fala o Deputado
    Tem outra explicação o ato de destruir uma plantação do que o ódio dos Sem terra contra quem produz?

  3. BISTEKA
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 12:45 hs

    Não é ódio de classe não Rosinha…
    É ódio da corrupção..
    Da incompetência…
    Da irresponsabilidade…
    Da arbitrariedade…
    Da baderna…
    É ódio ao desrespeito ao direito de propriedade…
    Está na hora de nosso País criar uma reforma Agrária verdadeira, séria, tecnicamente correta, que produza frutos…
    Está na hora de nosso País dar um basta as “arrelias” causadas por irresponsáveis que empunhando bandeiras “ideológicas”, nada mais representam do que massa de manobra e propagadores do terror.

  4. Frente para trás
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 12:51 hs

    O deputado é presidente da Frente da Terra, mas os assentamentos da reforma agrária são significantivamente deficitários.Pesquisa feita pelo IBOPE a pedido da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) mostra que 72,3% dos assentados dizem não produzir o suficiente para gerar renda familiar; que cerca de 60% dos assentamentos são produtivos, mas apenas 27,7% produzem o necessário para o consumo da família, e, que 49% da renda dos assentados vêm de atividades diversas à produção rural. Portanto, esta Frente mais parece andar para trás do que para frente nos anseios da reforma agrária …

  5. pedro
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 13:02 hs

    Gostaria de saber o que estes Senhores que dão apoio ao MST, iriam achar caso suas casas ou terras forem invadidas por estes fora da lei.

  6. josé
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 13:06 hs

    Se o mst não teme a CPI, porque então esta campanha tão forte para que ela não aconteça?

    Porque eles então não abrem as contas?

    Porquê o mst não existe oficialmente?

    Porquê o rosinha tem tanto medo? Será que alguma destas ongs que desviam dinheiro é ligada a ele?

  7. SOLANGE LOPES
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 14:12 hs

    Esse Dr. Rosinha tem a cara do MST. Claro que é lá que ele busca os seus votinhos para se eleger, porisso tem que defender esta camarilha de marginais.

  8. Mari
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 14:16 hs

    O que esse idiota quer ? que aquela quadrilha acostumada a destruir patrimonio alheio e fique impune?

    Pois ele devia saber que se o governo tivesse a coragem de enquadrar o MST, os possíveis votos perdidos oriundos da quadrilha, seriam facilmente suplantados, e em dobro, pelos votos das pessoas de bem, que respeitam a Lei e a ordem.

    Ainda bem que não conseguem enxergar essa verdade.

  9. josé
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 14:30 hs

    Presentinho para o MST do PT
    Postado por ruth em 23/10/2009 em Sem categoria
    Comente agora »

    Em plena CPI que investiga as transferências de recursos do governo Lula para o MST, o pessoal não terá do que se queixar. Os assentamentos dos Sem Terra do Paraná serão presenteados com 200 carros semi novos pelo secretário da Agricultura, Valter Bianchini. É que os carros atuais da secretaria estão sendo substituídos e Pálios, Gols etc, serão reformados e enviados para os assentados.

    A única dúvida é: será que o ministro Reinhold Stephanes, da Agricultura, que liberou os recursos, sabe disso?

  10. PROFESSOR
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 15:04 hs

    ÑÃO SOU NEM RURALISTA NEMSEM TERRA, SOU APENAS UM CIDADÃO INDIGUINADO COM TUDO QUE ESTA ACONTECENDO EM RELAÇÃO A INVASÕES DE TERRAS PROMOVIDAS PELOS ANARQUISTAS QUE SE INTITULAM ( SEM TERRA), NA VERDADE SÃO VERDADEIROS BADERNEIROS, ORGANIZADOS PELO GOVERNO FEDERAL, QUE DEIXA ESSES BANDO DE DESOCUPADOS E MAGINAIS FAZEREM O QUE BEM QUER.
    ONDE ESTA DO DIREITO DOS LEGITIMOS PROPRIETARIOS DE TERRAS?
    COMO O GOVERNO PODE PERMITIR ESSE INSULTO A NOSSA CONSTITUIÇÃO?
    O QUE DE BOM ESSES ( SEM TERRAS) TEM FEITO PARA A NAÇÃO?
    AI VEM UM DEPUTADO PETISTA E MEDIOCRE DEFENDER ESSES CRIMINOSOS, DIZENDO QUE ELES TEM DIREITO A INVADIR, DEPREDAR, DESTRUIR, ROUBAR , MATAR,SAQUEAR, ETC. TUDO EM NOME DO DIREITO DE TER SEU PEDAÇO DE TERRA, HAHAH
    A MAIORIA DESSES ( SEM TERRA) NÃO TEM VOCAÇÃO PARA A AGRICULTURA, MUITO MENOS PELO TRABALHO.
    ESTOU ENVERGONHADO COM TUDO ISSO…

  11. KINGSTON
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 15:43 hs

    DR. ROSINHA- ESSE É OUTRO QUE O VOTO POPULAR JÁ DEVERIA TER BANIDO DA POLITICA-

  12. Tiago
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 15:51 hs

    Mais uma da série lenista do “acuse os outros daquilo que você é ou faz” Ruralista é um pessoal light só se defendem não querem o que é dos outros. Já o MST…

  13. Vagabundo!
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 16:12 hs

    Os caras do MST invadem, roubam, furtam, praticam cárcere privado, destroem o patrimônio alheio, entre outros crimes, e vem um babaca um deputado ridículo falar essas barbaridades. Pena que é do nosso estado. se não tem nenhum deputado que faça algo de útil (fora Gustavo Fruet) que pelo memos naõ nos envergonhe falando baboseiras do gênero! É um ridículo, sócio dos sem terras, fora vagabundagem, fora políticos corruptos, fora tuma do mensalão chefiada pelo pt!

  14. Conegundes de Moura
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 16:29 hs

    Não é possível que esse deputado com essa cara de “pau-d’água” vai querer criticar os produtores rurais que vem sustentando este país. Aliás, se tirar o mandato dele daria um ótimo morador de rua, Que me perdoem os pobres sem tetos.

  15. JUSTICEIRO
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 17:11 hs

    Oi, Deputado Federal Dr. Rosinha
    Há um velho ditado que diz; QUEM NÃO DEVE NÃO TEME.
    Se o MST é tão inocente como diz, por que temer uma CPI se as apurações a serem feitas irão comprovar que a mesma nunca praticou iniquidades, arbitrariedades e nunca agiu fora da lei?
    A CPI irá comprovar que: Não é verdade que o MST seja um bando de maloqueiros invasores, sem qualquer responsabilidade pelos atos que pratica,. Que, também não é verdade que o MST não tem sequer personalidade jurídica própria. Que, por isso, lula nunca cometeu qualquer irregularidade ao liberar verbas para esse movimento.
    Aliás, o MST faz parte do PT, partido esse, cujos filiados nunca tiveram problemas com a justiça porque são compostos por integrantes extremamente honrados.
    Vossa Excelência poderá demonstrar facilmente tudo isso numa CPI, não é mesmo, Deputado?

  16. Cacá
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 17:43 hs

    O Rosinha anda delirando. Ódio é o que exala esse movimento grotesco contra a sociedade brasileira e o setor empresarial do agronegócios. Uma instituição duvidosa, vive na ilegalidade e menos ainda, presta conta dos milhões arrecadados dentro e fora do país.
    Portanto, o Dr. Rosinha eleito pelo povo paranaense DEVE SATISFAÇÃO ao povo paranaense, aquele que lhe paga o salário e às mordomias do Parlamento.

  17. UM PORTUÁRIO
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 17:58 hs

    ESSE TAL DO DR. ROSINHA É TÃO IMPORTANTE, QUE ATÉ 17:54 HORAS DE HOJE NÃO EXISTE UM SÓ COMENTÁRIO SOBRE O SEU PRONUNCIAMENTO, QUE FOI FOI COLOCADO NESSE BLOG ÀS 12:03 HORAS. FÓRA PT!…

  18. segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 19:32 hs

    Caro deputado, eu venho de uma familia de imigrantes , que fugidos da guerra fascista da Itália,,,aportaram no Brasil, e sempre trabalharam, por pouco mas sempre produzindo e economisando para um dia arrendar uma porção de terra e melhorar de vida e assim o fizemos, , , meus pais e 5 irmãos nunca jamais pegamos , ou pedimos um pedaço que fosse de algo´que não nos pertencessse, e vivemos na honradez e trabalho conseguindo vencer,,,,,sem nunca invadir ou tirar pedaço do alheio,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,E vencemos.

  19. Professor
    segunda-feira, 26 de outubro de 2009 – 23:34 hs

    Rosinha tem medo de quê?

  20. Luciano
    terça-feira, 27 de outubro de 2009 – 0:39 hs

    Interessante,poderia fazer tb uma CPI contra os grinlheiros e de todos os grandes produtores que devem para o governo e não pagam, o que acham da idéia!!!

  21. terça-feira, 27 de outubro de 2009 – 7:46 hs

    caro SR, PEDRO GIRARDI.

    MEUS SINCEROS PARABÈNS PELA SEU OPORTUNO COMENTÀRIO.

    FALASTES COM SUAS SIMPLES PALAVRAS, EXATAMENTE AQUILO QUE È CORRETO E JUSTO.

    LUTAR POR UM PEDAÇO DE TERRA, DEVERIA SER TRABALHAR, ECONOMIZAR, ARRENDAR E DEPOIS COMPRAR.

    O MST E SEUS ASSECLAS ALIADOS QUEREM TOMAR SE ADONAR SEM PAGAR ,POR ISSO ESSE MOVIMENTO SÒ TRARÀ PROBLEMAS, REDUTOS DE BANDIDOS, BOLSOES DE MISÈRIA E POBREZA

    O PT È ISSO. TIRAR DE QUEM TEM P/ PRESENTEAR VAGABUNDOS, A TROCO DE VOTOS

    OS ASSENTADOS NAO PRODUZEM O SUFICIENTE P/ SOBREVIVER, QUEREM VIVER ETERNAMENTE NAS TETAS DO GOVERNO

  22. Anônimo
    terça-feira, 27 de outubro de 2009 – 8:29 hs

    As Grandes fortunas na sua maioria foram construídas, com sangue, mentiras e trapaças, é não diferente com os grandes latifundiários, banqueiros e industriais, estes proprietários que possuem grandes extensões de terras (a grande maioria) roubaram, mataram, adulteraram, manipularam, trapaçearam e mentiram. Independente do MST, a reforma agrária tem que ser feita e urgente…
    Casos escandalosos de imigrantes italianos anarquistas fugidos da velha bota, nunca foram devidamente esclarecidos, estes imigrantes grilaram, mataram e se apropriaram de terras que pertecem a união, imaginem italianos e ainda anarquistas…deitaram e rolaram…vamos lavar a cara e esmiuçar o passado sem vergonha deste Brasil, a imprensa é claro que ficará ao lado dos agropilantras…façamos a CPI do MST…MAS FAÇAMOS OUTRAS 3 CPIs em paralelo, dos bancos, da concentração de terra, e dos empréstimos que grandes empresários, políticos e agronegocistas fizeram e até hoje não pagaram…se fizerem a CPI dos bancos vai faltar gaiola para colarinho branco…imagina vcs…quando banco dá lucro, os setubal da vida se esbaldam na riviera francesa, compram ferraris, iates e mansões…agora quando dão prejuízo…eles querem socializar o preju… com o povo Brasileiro.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*