Congresso confirma criação de CPI para investigar o MST | Fábio Campana

Congresso confirma criação de CPI para investigar o MST

mst

O Congresso Nacional manteve o requerimento que cria Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar os repasses de recursos públicos para o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, o MST.

Até a meia-noite de ontem o governo ainda tentou retirar assinaturas para barrar a CPI, mas não teve sucesso. Embora 23 deputados tenham retirado seus nomes às 23h58 de quarta-feira, o deputado Onyx Lorenzoni, do DEM, apresentou, em seguida, outras 60 adesões ao requerimento, o que garantiu a criação da CPI.

O pedido foi apresentado nesta manhã com 188 assinaturas de deputados e 35 de senadores. Para que a investigação fosse realizada era necessária a manutenção das assinaturas de pelo menos 171 deputados e 27 senadores.

No final de setembro, um requerimento parecido foi protocolado e recebeu 183 assinaturas na Câmara e 34 no Senado. No entanto, 15 deputados depois desistiram do pedido, o que inviabilizou a investigação.


19 comentários

  1. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 3:48 hs

    Não quero ser pessimista, acho que vai dar M..da.
    Na verdade, o cerne da questão é a farta distribuição de dinheiro público para as ONGs, acontece que TODOS os políticos do congresso, ou pelo menos 99% deles, representam alguma dessas beneficiadas com as verbas, aliás só no Brasil as Organizações Não Governamentais são mantidas com verba do governo, como se fossem um apêndice. Vai ser um tal de: Não conte das minhas pois você também tem, como no caso dos atos secretos, todos tinham parentres ou apadrinhados mamando nas tetas do congresso, logo, um não podia criticar o outro. Deu em nada e o Sarney tá lá, mandando como sempre, desde o tempo dos milicos. KKK

  2. Do Interior
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 8:36 hs

    Funciona assim: O deputado coloca o nome da lista. Depois o governo “convence” a retirar. Essa é a maneira de muitos (não todos) ganharem dinheiro no congresso. Esse “convencimento” é a grana ou as vantagens que eles levam para desistir. Para ficar ruim, esses políticos tem que melhorar muito.

    NÃO REELEJA “NINGUÉM”….. Principalmente aquelas raposas velhas…

  3. Do Interior
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 8:38 hs

    OBSERVEM A FOTO…
    Que interessante… Os trabalhadores sem terra estão de chinelos e chapéus novos. E, pela cor das bandeiras, elas devem ser novas também. Tudo com o dinheiro do povo otário….

  4. Amigo do Beto
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 8:45 hs

    A criação da CPI é muito bom, mas como disse o Vigilante do Portão, pena que os bons e honestos, são 0,0000000001 %

  5. Silvano Andrade
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 9:43 hs

    O ideal é que se faça a cpi da concentração de terras, o Brasil não terá um fututo promissor se não for dividida todas as riquezas de forma igualitária e rápida…os burgueses gostam de concentrar terras para se vangloriarem nos coqueteis que são fazendeiros e adoram lucrarem com especulações imobiliárias, muitos congressistas são fazendeiros e latifundiários, logo são contra o mst.
    O Brasil é riquíssimo, mas eu não vejo movimentações, tanto por parte da mídia ou das ditas sociedades unidas em prol do bem estar do povo para que haja uma conscientização da população no sentido de que as riquezas estão muito concentradas…Ontem na reprise da escolinha do governo eu refleti muito sobre o que foi debatido “as drogas são a grande financiadora da violência no Brasil” disse alguém….Ora, na minha modesta opinião a grande droga fomentadora da violência no Brasil são os Políticos ladrões…pois a grana desviada por estes malditos, detona os sonhos e as esperanças de milhões de pessoas que ficam patinando na linha da pobreza… reforma agrária urgente e feita de maneira inteligente…os ricos do Brasil não terão paz para usufruirem de suas riquezas se existir um oceano de miseráveis…e mesmo que os líderes que lutam pelo povo sejam eliminados sistematicamente, outros irão assumir a luta…e cada vez mais o Brasil mergulhará no caos e na vergonha.
    Quero deixar claro que sou contra as drogas, tanto ilícitas quanto lícitas, incluindo os políticos ladrões neste meu “contra”.

  6. Cacá
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 10:38 hs

    É bom ficar de olho nos deputados que fizerem corpo-mole, faciltando a vida desses clandestinos da barbárie, que se infiltram como trabalhadores do campo para extorquir dinheiro do povo brasileiro para seus interesses inconfessáveis.
    E, lamentavelmente, com o aval dos interesseiros da política tupiniquim. O volume de verba que o MST recebe através de braços acessórios, sem declarar à Justiça o que faz com os milhões de reais é uma verdadeira CAIXA PRETA que precisa ser desvendada.
    Os deputados que se cuidem. Estamos em véspera de eleição e o povo – pagador de imposto – está cansado das falcatruas no Congresso Nacional que, aliás, já enterrou muitas CPIs que dariam um bom caldo…
    Olho vivo, eleitor paranaense e brasileiro. Não jogue seu voto no lixo.

  7. CAÇADOR DE PETISTAS,
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 10:43 hs

    GOVERNO LULA E MST, UMA RELAÇÃO IMORAL

    Veja a matéria é interessante.

    Nesta quarta-feira, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, deu um pito no governo do PT. Ele disse ser inconstitucional o governo dar aporte financeiro a movimentos sociais, ainda mais, quando esses se utilizam de expedientes ilegais e violentos para atingir seus objetivos.

    Por exemplo:

    O Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) realizou diversas invasões pelo país. Eles ocuparam 20 fazendas, em São Paulo, no Pontal do Paranapanema. Esta semana, um conflito entre integrantes do movimento e seguranças de uma fazenda no Pernambuco, deixou quatro seguranças mortos. Dois militantes do movimento estão foragidos da polícia.

    Há quem diga que o movimento é vítima de fazendeiros maldosos. Mentira. O movimento é vítima do próprio método antidemocrático que escolheu para fazer “política”. O movimento invade propriedades privadas e públicas, não obedece às ordens judiciais para desocuparem terras, usam de métodos violentos contra a polícia e contra fazendeiros e, claro, usam os pobres como escudo de sua causa, enquanto os chefões ficam no ar condicionado. A necessidade de um pequeno agricultor ou de um sem-terra se esvai dentro de um movimento político, que quer mais do que política agrária, quer desestabilizar o país e descredibilizar o Estado de direito. Ou seja, um grupo perigoso, antidemocrático e fora da lei.

    Líderes como, José Rainha e João Pedro Stédile, não estão preocupados com um projeto nacional de agricultura, querem destruir o Estado de direito e implantar o tal socialismo delirante, que só existe na mente perturbada deles. E, isto é fato. Muitas invasões e conflitos são inúteis e evitáveis, mas ignoram as negociações, se aproveitam das necessidades de pobres e utilizam a violência como método. Foi assim na invasão da Aracruz ou no quebra-quebra da câmara dos deputados em 2006, patrocinado por outro movimento o tal do MLST (nesse episódio quase mataram um fotógrafo). Esse MLST tem as mesmas pretensões ideológicas do MST, são farinhas do mesmo pacote, todos têm como objetivo atingir as instituições democráticas, para isso, escondem-se atrás da pobreza de brasileiros excluídos.

    O caso de Pernambuco foi emblemático. Quatro seguranças que nada tinham a ver com as brigas entre o fazendeiro – que estava amparado pela lei – e o MST, morreram a tiros disparados por integrantes do movimento. Só falta os esquerdopátas dizerem que a culpa é da “grande mídia”, dos fazendeiros ou do neoliberalismo. A culpa pela tragédia é do MST, só deles. Quem instalou um assentamento na fazenda foi o MST. Quem não obedeceu à ordem judicial de reintegração de posse foi o MST. Quem disparou contra os seguranças e matou quatro foram os integrantes do MST. Ou seja, só o MST tem culpa no fato e mais ninguém. A cidade de São Joaquim do Monte é uma cidade pacata, ou pelo menos era e, os quatro seguranças que morreram, eram pais de família, trabalhadores que estavam cumprindo os seus deveres e os aprendizes de guerrilheiros ceifaram suas vidas.

    Os que culpam os fazendeiros, no lugar deles fariam o quê? Deixariam as porteiras abertas para os búfalos vermelhos entrarem e pisarem na cabeça de seus familiares? Pois é isso que eles fazem. Tempos atrás o movimento fez uma família de refém no banheiro da casa, mãe e filha (uma recém-nascida) ficaram apavoradas. Mas o PIM (Partido da Imprensa Marrom), disse que houve exagero da “grande mídia” e que se tratava de uma criminalização dos movimentos sociais. Quem criminaliza os movimentos radicais de esquerda, são os próprios movimentos com suas ações ilegais e assassinas.

    Está em voga entre esses movimentos radicais de esquerda cometerem crimes e se colocarem como vítimas. Quando quebram patrimônio público, quando seqüestram, quando matam, ao serem investigados, chamam o Estado de opressor. É impressionante a hipocrisia. Esse pessoal não reconhece o Estado de direito, para eles a democracia é uma trapaça da “burguesia”, portanto, para eles, é totalmente compreensível matar, saquear, seqüestrar os burgos e seus aliados etc. em nome da causa. Aliás, a causa é um elemento importante, pois elas servem para mascarar os mais fétidos objetivos desses criminosos, que de movimento social não tem nada.

    Até quando eles fazem projetos voltados para educação, à revolução é o pano de fundo. Ensinam marxismo as crianças, tratando-as como andróides vermelhos. Seguem a risca as lições das sociedades – “não alienadas” – comunistas de Fidel, Mao e soviéticos, que criaram uma educação para incutir a idéia do socialismo na cabeça dos cidadãos, tornando-os verdadeiras bestas, não indivíduos autônomos e livres. Ensinar nesses países é coisa de burguês, o negócio é adestrar ideologicamente e tocar em frente a revolução.

    O ministro Gilmar Mendes fez um bem à nação dando esse puxão de orelha no governo petista, pois está claro para todos que o governo facilita o envio de milhões para esse movimento antidemocrático, chamado MST. Ou seja, o governo financia os horrores do movimento, inclusive a morte dos quatro pernambucanos. Precisou de quatro mortos para o governo levar uma chicotada verbal, até agora, ninguém, além da imprensa, havia cobrado providências. Um absurdo!

    Os dados do Portal da Transparência e da CGU (Controladoria Geral da União) revelam que, em pouco mais de dois anos, movimentos ligados ao MST receberam mais de 3 milhões de reais no Pontal do Paranapanema. As verbas seriam facilitadas pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). E o Ministério Público investiga o Ministério do Desenvolvimento Agrário por desvio de verba para favorecer associações ligadas a José Rainha. Este, que já foi preso várias vezes.

    O grupelho esquerdista tem boas relações no governo. É como eu disse no dicionário deste blog. Quando está no poder estatal, um governo alinhado ideologicamente com esses movimentos esquerdistas radicais, o governo costuma ser generoso com os “peles vermelhas” cedendo benesses financeiras a custa do contribuinte e fazendo vista grossa as ações ilegais do bando. Assim é a relação entre o governo Lula e o MST, uma relação de amor por debaixo dos lençóis da imoralidade. Além das benesses nacionais, o MST recebe apoios financeiros internacionais como, do presidente da Venezuela, o bufão Hugo Chávez (que colonizou o petróleo venezuelano para exportar a tal revolução) e de ONG’S internacionais de esquerda. Ou seja, é tanta verba por debaixo do pano que os integrantes do MST devem ser mestres em criar notas frias, caixa 2 e lavagem de dinheiro.

    Enfim, mais uma vez, o ministro Gilmar Mendes tem toda razão.

    ACORDA BRASIL

    LULLA, MST, FARCS, GUERRILHEIRA DILMA, CHAVES, MORALES, e FIDEL, todos com o mesmo objetivo; COMUNISMO.

    Só não vê qeum não quer.

  8. Jaiminho, o Carteiro
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 10:43 hs

    tem que desce a lenha nessa catrefa !!!

  9. josé
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 10:55 hs

    Silvano, gostei da idéia:

    Vamos investigar todos os feudos, começando pelos Sindicatos, passando pelos partidos políticos.

    Me mostre um assentado que deu certo que te mostro outros 99 que deram errado; o problema não é a reforma agrária, o problema está em destruir o que funciona para trazer o caos e a miséria.

    Propostas simples não são sequer consideradas, como por exemplo:

    Porque não deixar para as Prefeituras o cadastramentos dos verdadeiros sem terra?

    Porque as ONGs, que recebem nosso dinheiro, não podem ser investigadas?

    Porque o mst não existe como pessoa jurídica?

    Porque os crimes cometidos em nome de reforma agrária não devem ser investigados?

    Muitos fazendeiros também são a favor da reforma agrária, aliás, existem fazendeiros em todos os partidos, pt inclusive; portanto o problema não é a reforma agrária, o problema é a ineficiência da política atual, os desvios de verbas e de conduta do mst (crimes, portanto); o uso político da pobreza.

    O mst não quer resolver nada, simplemente poruqe se for resolvido ele perde sua maior fonte de renda e sua massa de manobra.

    Nosso País é rico e boa parte desta riqueza vem da produção agrícola e só quem produz sabe o quanto é difícil por alimentos na mesa; faltam estradas, faltam escolas, falta saúde; enfim, o que acontece no interior do País é absurdo.

    A concentração de renda acontece em todas as atividades econômicas, existem “latifúndios” em outras áreas, como está ocorrendo na telefonia, com o expansionismo da oi, com os bancos, com as siderúrgicas, cimento, etc; mas também acontece com os sindicatos e partidos, verdadeiros “feudos” controlados por “famiglias”.

  10. claudemir
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 11:25 hs

    SERA QUE VAI FUNCIONAR EU GOSTARIA DE SABER QUEM SÃO OS DEPUTADOS QUE RETIRARAM AS ASSINATURA PARA SEBER QUEM SÃO ELES, E QUE PUDESEM DE QUEBRAR O SIGILO FISCAL E BANCARIOS DELES PARA SABER SE TEM UMA GRANA EXTRA EM SUAS CONTAS

  11. Vanessa
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 11:46 hs

    Não vai dar nada, absolutamente nada, há por detrás disso tudo um jogo de interesses também dos Deputados.

  12. SYLVIO SEBASTIANI
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 12:01 hs

    Estou esperando a relação dos Parlamentares que votaram contra e dos que votaram à favor, os que assinaram e retiraram seus nomes, aqui do Paraná.Esta declarada a prova que existe algo estranho no MST, para o Governo do PT de Lula da Silva, estar tão preocupado, caso igual da CPI da Petrobras. Naõ creio que teremos solução sobre esses dois episódios, mas com certeza teremos após o dia 1° de janeiro de 2011, quando mudar o Governo de Lula da Silva.

  13. Unca
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 13:43 hs

    Carísssimo “Caçador de Petistas”,
    ainda bem que não estamos mais numa ditadura, não é mesmo? Vivemos numa democracia, num “Estado de direito”, me corrija, por favor, se eu estiver falando alguma bobagem? Que terra abençoada!! Gostaria de saber se o “Senhor” é capaz de refletir sobre as bases teóricas da qual alardeia e da qual parte para discorrer sobre temas tão pungentes como movimentos sociais do campo, reforma agrária, PT e o Estado Brasileiro?

  14. Pé Vermelho
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 15:01 hs

    Que vão descobrir coisas, claro que vão. Quanto à punição, sei não…

  15. souza naves
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 15:19 hs

    infelizmenete , não dára em nada, como ex; outras que aconteceram e nada foi resolvida.

  16. Cacá
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 16:14 hs

    O MST é um movimento que trabalha? – ou agita – CONTRA a sociedade brasileira. Já foi um movimento social preoupado com a terra. Hoje, está a serviço da politicagem e de se abastecer do dinheiro público, pois nem mesmo presta contas em que aplica a veba recebida. Não é uma instituição legalizada. Portanto, USURPADORA do dinheiro público.
    Verba pública que vai para o MST através das Ongs camaradas, é dinheiro do cidadão que está deixando de ir para a saúde, educação, transporte, saneamento básico etc.
    A Justiça tem que tomar medidas urgentes para salvaguardar os direitos do cidadão, e ENQUADRAR essa gente aos rigores da lei – que serve para todos. Essa é a verdade.

  17. BISTEKA
    quinta-feira, 22 de outubro de 2009 – 19:11 hs

    É isto aí Silvano Andrade…
    Tiramos as terras da “concentração” e as entregamos a um bando de incompetentes, incoerentes e sem qualquer vocação para a agricultura, aí vem o IBOPE e nos oferece uma pesquisa com dados reais, que muitos não leram e não sabem…
    De todas as terras distribuidas aos SEM TERRA E SEM COMPETENCIA DE TRABALHAR A TERRA, 20% produz somente para o consumo, 40% das terras entregues já mudaram de dono e muitos nem para a subsistência produzem, e agora pergunto, porque produzir se têm bolsa escola, bolsa família, vale gas, leitinho das crianças, cestas básicas, dinheiro para os bonés, camisetas e bandeiras, bastante lona preta, caminhões e veiculos para transportá-los para as ameças e quebra-querbas e ainda para a destruição…
    Tem dó!
    Cadeia neles…
    Cadeia pra quem tiver dando dinheiro para eles!

  18. Silvano Andrade
    sexta-feira, 23 de outubro de 2009 – 8:11 hs

    Bisteka

    Olha a história do ibope, um instituto fajuta, que já chegou ser expulso do Paraguai, Argentina por manipulação a favor da elite, um orgão controlado por um ex-cartola carioca, ora espero que vc não seja mais um sabe tudo que não sabe nada, pois vc escreve, escreve e visivelmente fica patinando nas suas divagações… Todos os países desenvolvidos fizeram as suas reformas agrárias a décadas, senão séculos…tenho dito ou se divide as riquezas (inclui as terras) de forma rápida e justa, ou o Brasil será dividido de forma lenta e agoniante…

  19. Wilson
    sexta-feira, 23 de outubro de 2009 – 10:42 hs

    É fácil acabar com o MST!

    É só fazerem a reforma agrária e agrícola, sendo estas são uma histórica necessidade nacional!

    Os erros do MST não invalidam a necessidadesocial da reforma agrária e agrícola acontecerem!

    Temos de fixar o homem no campo para conter as migrações que desiquilibram socialmente as nossas grandes cidades e gerando este clima de instabilidade e vilência nas mesmas.

    Está mais do que provado que são os micros e o pequenos produtores rurais que embora recebendo pouco apoio oficial garantem a nossa Segurança Alimentar, a comida em nossas mesas.

    Todas as grandes nações um dia fizeram a reforma agrária e agrícola!

    Já deviamos ter feito a reforma agrária a mais de um século!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*