Bolsa-embaixada! | Fábio Campana

Bolsa-embaixada!

SponholzZelaya

Via blog do Sponholz.


13 comentários

  1. Escarlate
    quinta-feira, 1 de outubro de 2009 – 22:48 hs

    Este tipo de sarge mostra somente que o sr, blogueiro, é pautado pela mídia igualmente golpista, como a de Honduras.
    Micheleti fechou a rádio globo naquele país, mas ao contrário de fazer o jornalismo sério, prefere atacar Lula, o qual é apoiado pelo mundo inteiro, por todas as organizações sérias.
    Vc acha que o governo Lula tem que se submeter a um governo cujo presidente já foi indiciado por roubo de carros nos EUA?

  2. quinta-feira, 1 de outubro de 2009 – 23:56 hs

    Campana, os gopistas de Honduras só podem contar com o apoio da midia golpista de lá e a daqui.
    A daqui trata Zelaia como vilão. Miqueleti baixa estado de sítio e eles não falam nada! Para nossa midia, golpista é Chaves!

    js

  3. sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 8:15 hs

    O Brasil mostra para o mundo que aqui existe justiça social, estamos em dia com as demandas da nossa população, sendo assim podemos nos dar ao luxo de interferir nas pendengas de outros países sejam quais forem.

  4. sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 8:46 hs

    Grande Roque Sponholz, renomado arquiteto, chargista e caricaturista. É anti-Lula até debaixo d´agua e não segreda isso de ninguém. Pelo contrário, faz questão de mostrar os senões do Lula et cia, Sarney incluso. O cara é bom. Ponta Grossa, onde mora, não reconhece muito seu trabalho. O Sponholz, diariamente é colaborador do blog do Alvaro Dias, da coluna sobre política dos Campos Gerais o Sigiloso, assinada pelo experiente Alvaro Parrino, e de jornais de todo País, como O Dia, etc. Além de outros blogs, sites e publicações. Parabéns, Campana pelo brinde de mais uma charge bem a tempo…

  5. Jose Carlos
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 10:13 hs

    Esta é pura verdade do que acontece no bananal hondurenho… um parasita com cara de bandido mexicano, chamado Mané, e cercado de mais de quarenta cucarachos fedorentos… fico imaginando como vive essa gente… Mané Zé, bem sabemos, é latifundiário, filho de um notório assassino de trabalhadores rurais, e deve plantar bananas, colhidas por cucarachos miseráveis pagos a preço de banana, uma espécie de bóia-frio centro-americano… os demais vagabundos devem ser funcionários públicos, estáveis, em licença para tratamento de saúde, pois só essa raça pode faltar impunemente ao trabalho, sem o risco de perder o emprego… é a fotografia da américa latrina: um caudilho cucaracho, cercado de puxa-sacos funcionários públicos, prontos para assaltar o erário….

  6. CAÇADOR DE PETISTAS
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 14:05 hs

    Fabio, é a cara do Brasil de Lulla da Silva e Dilma guerrilheira.

    Agora com as Olimpiadas do Rio, temos que tomar muito cuidado pois, o Sr daSilva, juntamente com a Guerrilheira Dilma, irão transformar o triste acontecimento em palanque político como de costume.

    Opinião própria.

    Lamentavelmente, rio será a sede das Olimpiadas em 2016. Lamentávelmente porque nenhum pais queria dado ao bilhonário investimento.

    Pórém, o Brasil, pais de favelados e bolsistas, ira arcar com um bilionário investimento em infraestrutura somente na cidade do Rio de Janeiro.

    Enquanto isso, nas favelas, pessoas sem teto quando não morrem de fome, levam tiros de bandidos á luz do dia pois a segurança esta ausente.

    Imaginem a roubalheira. Cade o resultado do Pan? O que significou o Pan á título de retorno de investimentos para os brasileiros? Apenas restou monsoléus abandonados.

    A irresponsabilidade deste desgoverno petista não tem limites.

    Espero para ver o fiasco.

    Copa do mundo em 2014 e Olimpiadas em 2016,quem vê, o Brasil esta no mais completo mar de resoas.

    O povo do Sul, precisa urgentemente tratar do assunto referente a separação do Sul do restante do Brasil.

    Acordem Senhores.

    Acorda

  7. Jango
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 15:05 hs

    A charge tem a qualidade de expressar uma realidade melhor do que muitas palavras a análises complexas. Pergunto: que país sério deixaria sua embaixada transformar-se em palco para um caudilhesco Zelaya ? Se Micheletti é golpista, primeiro foi Zelaya querendo se perpetuar no poder à la Fujimori. Eles que resolvessem seus problemas, que recorressem à OEA, pois dela fazem parte. Usar de um estratagema, colocando um outro país em situação de constrangimento (no caso, consentido, embora neguem aqui dentro), é resurso próprio dos que não tem razão. E graças ao nosso pequeno estadista de Garanhuns hoje ficamos com o mico Zelaya, e quem fica com o mico (sabemos desde os joguinhos inocentes de criança) ou descarta ou paga o mico. Que zelayada ….

  8. Edmar
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 15:27 hs

    O Roque Sponholz é daquelas pessoas que a cada dia fica mais raro encontrar. Quem o conhece sabe do que estou falando. Me orgulha e enriquece muito privar da sua amizade. Grande sujeito, é arquiteto renomado, urbanista e professor titular do curso de engenharia civil da UEPG (planejamento urbano). Inteligente e perspicaz, possui estilo próprio e humor refinado. Suas charges e caricaturas são imperdíveis (www.sponholz.arq.br).

  9. Caçador de Reacionários
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 15:59 hs

    Por favor, estamos em campanha para conseguir Gardenal e tratamento para oligofrenia para o cidadão Caçador de Petistas, pois ele não tem culpa de ser doente.

  10. josé
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 18:13 hs

    joazinho santana, porque vc não pega o tal do escarlate e vai embora pra cuba? Lá é o país dos sonhos de todos petistas…e aproveita e leva junto esta cambada que não sabe ler…

    A propósito: leia o texto do Dalmo Dalari, um petista de primeira linha, sobre Honduras, talvez vc aprenda….

    Ah, e não foi publicado na “midia golpistas”:

    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=557IMQ011

    É uma aula, grátis…

  11. josé
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 18:14 hs

    joazinho santana, como bom petista vc é preguiçoso, então aí vai o texto:

    CRISE EM HONDURAS
    O fundamento legal omitido

    Por Dalmo de Abreu Dallari em 30/9/2009

    Quando a imprensa afirma que um ato de autoridade foi inconstitucional ou ilegal deve apontar qual o artigo da Constituição ou da lei que foi desrespeitado, para permitir aos destinatários da notícia sua própria avaliação e uma possível reação bem fundamentada. De modo geral a ofensa à Constituição e às leis é sempre grave, num Estado Democrático de Direito. A par disso, toda a cidadania tem o direito de controlar a legalidade dos atos das autoridades públicas e para tanto precisa estar bem informada.

    Um caso atual e patente de imprecisão nas informações está dificultando ou distorcendo a avaliação dos acontecimentos de Honduras. Grande parte da imprensa brasileira apresenta o presidente deposto Manuel Zelaya como vítima inocente de golpistas, mas quase nada tem sido informado sobre os aspectos jurídicos do caso.

    Uma omissão importante, que vem impedindo uma avaliação bem fundamentada dos acontecimentos, é o fato de não ter sido publicada pela imprensa a fundamentação constitucional precisa da deposição de Zelaya, falando-se genericamente em “golpistas” sem informar quem decidiu tirá-lo da presidência, por que motivo e com qual fundamento jurídico. Esses elementos são indispensáveis para a correta avaliação dos fatos.

    Alternância obrigatória

    Com efeito, noticiou a imprensa que a Suprema Corte de Honduras ordenou que o Exército destituísse o presidente da República. É surpreendente e suscita muitas indagações a notícia de que ele foi deposto pelo Exército por ordem da Suprema Corte. Pode parecer estranha a obediência do Exército ao Judiciário para a execução de tarefa que afeta gravemente a ordem política, o que, desde logo, recomenda um exame mais cuidadoso das circunstâncias, para constatar se o que ocorreu em Honduras foi mais um caso de golpe de Estado.

    É necessária uma análise atenta, para saber de onde vem a força da Suprema Corte para ordenar a deposição de um presidente eleito e ser obedecida pelo Exército. A par disso, é importante procurar saber por que motivo e com que base jurídica a Suprema Corte tomou sua decisão e ordenou ao Exército que a executasse.

    Segundo o noticiário dos jornais, o presidente deposto havia organizado um plebiscito, consultando o povo sobre sua pretensão de mudar a Constituição para que fosse possível a reeleição do presidente da República, sendo oportuno observar que este seria o último ano do mandato presidencial de Zelaya.

    Ora, está em vigor em Honduras uma lei, aprovada pelo Congresso Nacional, proibindo consultas populares 180 dias antes e depois das eleições – e estas estão convocadas para o mês de novembro. Foi com base nessa proibição que a consulta montada por Zelaya foi declarada ilegal pelo Poder Judiciário.

    Um dado que deve ser ressaltado é que a Constituição de Honduras estabelece expressamente, no artigo 4º, que a alternância no exercício da Presidência da República é obrigatória. Pelo artigo 237 o mandato presidencial é de quatro anos, dispondo o artigo 239 que o cidadão que tiver desempenhado a titularidade do Poder Executivo não poderá ser presidente ou vice-presidente no período imediato.

    Informações incompletas

    Outro ponto de extrema relevância é que a Constituição hondurenha não se limita a estabelecer a proibição de reeleição, mas vai mais longe. No mesmo artigo 239, que proíbe a reeleição, está expresso que quem contrariar essa disposição ou propuser sua reforma, assim como aqueles que o apóiem direta ou indiretamente, cessarão imediatamente o desempenho de seus respectivos cargos e ficarão inabilitados por dez anos para o exercício de qualquer função pública.

    Reforçando essa proibição, dispõe ainda a Constituição, no artigo 374, que não poderão ser reformados, em caso algum, os artigos constitucionais que se referem à proibição de ser novamente presidente. Essa é uma cláusula pétrea da Constituição.

    Foi com base nesses dispositivos expressos da Constituição que a Suprema Corte considerou inconstitucional a consulta convocada pelo presidente da República e fez aplicação do disposto no artigo 239, afastando-o do cargo.

    Note-se que a Constituição é omissa quanto ao processo formal para esse afastamento, o que deve ter contribuído para um procedimento desastrado na hora da execução. Tendo em conta que o respeito à Constituição é fundamental para a existência do Estado Democrático de Direito, não há dúvida de que Zelaya estava atentando contra a normalidade jurídica e a democracia em Honduras. A falta de informações completas e precisas sobre a configuração jurídica está contribuindo para conclusões apressadas que desfiguram a realidade.

  12. Pé Vermelho
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 21:38 hs

    É…. o tiro saiu pela culatra!!! Rsssss!!

  13. Marcelo Meister
    sábado, 3 de outubro de 2009 – 13:45 hs

    Como se Chaves não tivesse cantado o caminho da pedra pro novo hospede, Tá meio díficil cuidar da própria vida… vai querer cuidar dos outros..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*